4 dicas para fazer uma reforma financeira em sua vida

Você vive sem dinheiro? O salário dura bem menos que o mês? Você tem dívidas, mas já não se lembra mais o que foi que comprou? Mal consegue pagar a fatura mínima do cartão de crédito? Se a sua resposta para uma ou mais dessas perguntas for sim, você necessita urgentemente de uma reforma financeira em sua vida.

Porque a reforma financeira é necessária

Viver sempre com dívidas é ruína certa nos negócios, mais cedo ou mais tarde. Além de impedir você de desfrutar sua vida plenamente, nunca sobrar dinheiro para nada (o que faz você contrair mais dívidas), o que será de você se perder o emprego?

As dívidas ficam atrasadas e os juros fazem o valor aumentar cada vez mais, de modo que o montante se torne impagável. Hoje, dever no Brasil não dá cadeia (exceto em casos de falta de pagamento da pensão alimentícia), mas pode lhe causar muitos aborrecimentos, como nome incluído nos cadastros de restrição ao crédito, chegando até mesmo a processos judiciais e a penhora de bens para pagamento dos credores.

Estabilidade financeira é um sonho possível

Viver sem dívidas, com um dinheiro guardado para emergências, outro tanto investido para alguma compra futura de grande porte – como um carro ou uma casa -, para a aposentadoria futura ou a faculdade dos filhos, com o salário chegando tranquilamente até o final do mês, é o sonho de muita gente.

Um sonho perfeitamente possível de ser realizado, desde que seja implantada a reforma financeira na sua vida. Abaixo, algumas dicas de como implementar essas mudanças tão necessárias ao seu orçamento mensal.

1 – Defina as entradas e as saídas de dinheiro

Você sabe onde vai seu dinheiro todo mês? Não? Então, é melhor descobrir – urgentemente. Muitas vezes, não são os grandes gastos, mas as pequenas despesas como o cafezinho na padaria, um lanche antes de ir para a faculdade ou a pizza no meio da semana que estouram o orçamento, sem a gente perceber.

Faça o teste: durante um mês, apenas observe onde você gasta seu dinheiro, sem tentar poupar em nada. Guarde os recibos e, se for preciso, ande com um caderninho no bolso para anotar tudo. Você ficará surpreendido com os resultados.

2 – Monte seu orçamento mensal

Agora que você sabe onde vai o seu dinheiro todo mês, é hora de definir seus gastos. Veja quais são os gastos essenciais – aqueles que você não pode eliminar, como mensalidade de cursos, água, luz, telefone, internet, aluguel e transporte – e coloque na lista de gastos fixos. Depois, considere os outros gastos – lanches, balada, viagens de fim de semana e roupas – e veja o que você pode cortar. Estabeleça prioridades – a meta é economizar para reformar sua vida financeira.

3 – Defina suas dívidas

Essa pode ir junto com o primeiro passo. Afinal, você tem noção do quanto exatamente você deve? E mais importante, para quem você deve? Os piores credores são os bancos e as operadoras de cartão de crédito, por causa dos juros altíssimos. Pague-os primeiro. Livre-se definitivamente dos cartões de crédito – prefira comprar à vista. Depois disso, vá eliminando as outras dívidas. Considere negociar o valor das dívidas – a maioria dos bancos é aberto a negociações, que podem reduzir o montante a ser pago. Experimente!

4 – Estabeleça metas

O sacrifício presente é melhor suportado com uma recompensa grandiosa em vista no futuro. Quais são seus objetivos de vida? Talvez a casa própria? Um carro novo? Uma viagem ao exterior? Não tenha medo de planejar – apenas cuide para que o planejado esteja dentro dos seus meios a médio ou longo prazo. Estabelecer metas irreais causa apenas frustração.

E você, como tem feito para equilibrar sua vida financeira? Ela anda precisando de reforma? Ou talvez pequenos ajustes? Compartilhe suas experiências conosco!

Categoria: Economia

Quero receber notícias do Pravaler

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o Pravaler em primeira mão.