Carreira designer gráfico: tudo sobre o designer


A comunicação visual é essencial nos mais diferentes processos da nossa sociedade. Em meio online ou offline, quanto maior é a qualidade das peças, maior é a facilidade com que as pessoas assimilam a mensagem. Isso é importante para que empresas consigam apresentar com clareza as suas soluções, e os órgãos públicos tenham como atingir a população de modo a prestar esclarecimentos a respeito dos mais diversos temas.

Nesse processo, o designer gráfico ganha protagonismo. É ele o responsável por dar vida a soluções visuais capazes de fazer com que aquilo que o contratante quer ou precisa seja exatamente o que seu público-alvo entenda.

Para conseguir isso, ele precisa dominar uma série de ferramentas, uma vez que a comunicação pode ser feita de diferentes formas. É possível criar peças que vão desde posts para redes sociais até outdoors para serem vistos em via pública, passando por diferentes canais e veículos de comunicação.

Como a comunicação é viva, ou seja, ela está sempre mudando no sentido de trazer soluções até então tidas como inviáveis, cabe ao designer gráfico a constante atualização, de maneira que seja capaz de resolver os problemas de seus clientes usando as ferramentas que têm à disposição, sejam elas tradicionais ou inovadoras.

Na prática, o designer gráfico é um profissional da comunicação visual que tem na adaptabilidade uma de suas maiores características.

O mercado para a carreira de designer gráfico

É por conta da característica do meio de atuação do designer gráfico que ele tem espaço tanto no setor público quanto no privado. Na maioria dos casos, esses profissionais atuam no mercado publicitário, geralmente dentro de agências onde faz parcerias com redatores. São essas duplas as responsáveis pela parte criativa da agência, gerando as peças que chegarão ao público de acordo com a estratégia desejada.

Com o marketing digital, surgiram novas demandas para esse especialista. Hoje, muitos atuam no sistema home office, criando soluções para diferentes clientes na condição de freelancers, sem o vínculo com agências.

Mesmo no setor público, o designer gráfico também tem seu espaço. Basta conferir as peças publicitárias que cidades, estados e o governo federal publicam para entender como, por trás delas, existe uma lógica, seja no uso das cores, na proporção entre os elementos e na parte estética como um todo. Tudo isso foi pensado e desenvolvido por um designer gráfico.

Também em relação ao mercado, a atuação desse profissional pode ser diversificada em função daquilo que ele se especializa em fazer. O profissional com grande capacidade para criar vetores, por exemplo, terá como se concentrar nessa demanda e assim receber mais por serviços específicos dentro ou fora de agências.

Como é o curso de Design Gráfico

É na graduação em Design Gráfico que o aluno aprende essas técnicas necessárias para atuar profissionalmente, assim como adquire a orientação adequada para construir sua carreira.

São ensinadas matérias como Ilustração e Tratamento de Imagem, que podem ser aprofundadas em cursos de especialização. Como existem muitas possibilidades em termos de ferramentas e métodos, a graduação costuma ser a porta de entrada para o designer, embora seja de grande importância.

Boa parte do curso é dedicada à demanda prática da profissão, de maneira que o aluno aprenda o essencial para prestar seus serviços. Entretanto, existe a exigência teórica, pois é fundamental que o profissional domine os conceitos por trás de cada peça. É por isso que a formação conta com disciplinas como História da Arte. São elas que dão sustentação para que as diferentes abordagens realizadas no dia a dia do profissional estejam de acordo com as expectativas dos clientes e consigam gerar resultados.

No geral, os cursos duram em média quatro anos e conferem o grau de bacharel ao formado. Também é possível optar por soluções mais rápidas como o tecnólogo em design gráfico, que pode ser feito em dois ou três anos, neste caso, o curso é mais voltado às demandas do mercado de trabalho, sendo menos teórico e mais prático, ou seja, a maior parte das disciplinas estudadas são aquelas que preenchem lacunas em agências de publicidade e de diversos tipos de empregadores.

Conheça o campo de atuação do profissional

O profissional pode atuar na construção da identidade visual das marcas, pesquisando e trazendo soluções em termos de logotipos, fontes e cores exclusivas para aquele cliente, pois cabe ao designer gráfico criar as peças para publicações em jornais, revistas, outdoores, entre outros.

Assim, ele pode dar vida a objetos que podem ser impressos, diferenciando seus clientes dos demais concorrentes presentes no mercado e dando à sua marca uma personalidade.

Além disso, ele pode ilustrar e editar imagens. Para tanto, precisa dominar ferramentas como o Photoshop, o Illustrator e o InDesign para gerar soluções capazes de comunicar conceitos e atrair interesse em ambiente online.

Na diagramação de livros é possível atuar no gerenciamento das publicações e em sua edição, levando ao mercado soluções como livros, revistas, entre outros.

Também é possível trabalhar com o desenvolvimento de websites. A direção de arte é a responsável pela criação do conceito visual do endereço, o que diz respeito à definição de como será a interface, como será a estrutura do conteúdo.

Enfim, existe bom espaço para atuação tanto no online quanto no offline, mas é essencial que o profissional encontre um caminho para se especializar.

Saiba quanto ganha o designer gráfico

O designer gráfico pode ganhar bem caso não se contente apenas com a graduação. De acordo com pesquisa da Catho, de empregos online, a média salarial da profissão é próxima de R$ 1.600. Entretanto, esse valor tem muito mais a ver com a grande quantidade de novos profissionais presentes no mercado, recebendo salário de estágio e de cargos de entrada do que com os poucos que estão no topo.

Assim, um profissional que esteja no auge da carreira ganha acima de R$ 10.000 em grandes agências.

É bom lembrar que existem concursos públicos para o designer gráfico em órgãos como as prefeituras e secretarias, o que pode conferir à profissão uma estabilidade que o freelancer, por exemplo, não costuma ter.

Entretanto, mesmo o freelancer pode conseguir bons ganhos, desde que consiga bons clientes para atender. Com o mercado se abrindo cada vez mais para os freelancers, a tendência é que nos próximos anos fique muito mais fácil fechar negócios nessa modalidade.

Entenda os diferenciais do profissional de sucesso

No fim, o que faz com que o designer gráfico se diferencie no mercado é a sua capacidade de entender as necessidades de cada cliente e em função disso trazer soluções qualificadas. Para tanto, a experiência que só vem com o passar dos anos e a especialização são fundamentais.

A dica é pensar na graduação como um primeiro passo. Importante, é verdade, pois é ela que garantirá a você o acesso ao mercado de trabalho, mas ela deve ser somente a porta de entrada para que você tenha condições de ocupar as melhores vagas e conquistar os maiores salários do mercado.

Tenha em mente que esse deve ser um processo de longo prazo e que para chegar no ápice da carreira você inevitavelmente terá que passar por vários estágios.

Dessa forma, escolher uma instituição de qualidade, reconhecida por facilitar essa entrada do profissional no mercado é algo que faz toda a diferença. Quanto mais o estudante valorizar essa formação, melhor tende a ser a sua escolha e, consequentemente, mais portas se abrirão no início da sua trajetória profissional. Isso é importante, pois é nessa fase, com os estágios e primeiras experiências que é possível crescer na profissão para assumir o controle de campanhas de marcas grandes.

Por isso, fica a recomendação: procure as instituições de ensino com os melhores resultados entre os cursos de design gráfico. Algumas delas são as universidades particulares ESPM, Mackenzie e PUC. Entre as faculdades públicas, destaque para a USP, a UFRGS e a UFMG.

No geral, trata-se de um curso com bom índice de empregabilidade, embora para ter acesso às melhores oportunidades seja necessário enfrentar uma concorrência bastante alta.

Use o PRAVALER para começar sua carreira de designer gráfico

Como vimos, o curso de Design Gráfico está entre os mais promissores da atualidade. Isso porque, além de dotar o estudante de recursos técnicos para proceder no dia a dia, ele permite também que o aluno desenvolva o bom senso estético fundamental para o seu sucesso profissional.

As faculdades anteriormente citadas são o melhor caminho para quem quer começar com o pé direito na área. Entretanto, sabemos que não é assim tão fácil por conta de problemas como o preço das mensalidades de algumas instituições. Se este for um problema para você, indicamos o PRAVALER, um programa de crédito universitário que já realizou sonhos de milhares de estudantes em todo o Brasil.

Com o PRAVALER, você consegue financiar seus estudos com tranquilidade. Acesse o site, faça a sua simulação e conheça as possibilidades a que tem direito para começar a construir uma trajetória de sucesso.

Entendeu como é o curso de design gráfico? Então confira também como funciona o curso de Engenharia.

Compartilhar
Categoria: Carreira
Tags: ENEM ENEM 2019

Pesquisar

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.