Como atividades extracurriculares podem melhorar o seu currículo?

Você já está na faculdade, sabe que o mercado busca pessoas com um diferencial em seu currículo e quer uma maneira de se destacar? Pois saiba que você já está no caminho certo.

Quando um recrutador examina os currículos encaminhados pelo departamento de Recursos Humanos de uma empresa, o que primeiro entra em questão é a sua formação e sua experiência profissional. Isso pode lhe render um chamado para uma entrevista, que é quando esse recrutador ou o encarregado avaliará o seu perfil e sua comunicabilidade, bem como outras qualidades que você tenha. Mas veja bem: não é necessário esperar por esta oportunidade para dizer o que você tem a mais. Após colocar os seus dados de identificação e formação, insira também um tópico com Atividades Extracurriculares.

Como não são atividades obrigatórias, muitos deixam de lado. Mas, na hora em que o recrutador examina o seu currículo, esta é uma oportunidade que você tem de mostrar um pouco mais da sua personalidade ainda na primeira etapa de exames. Por quê? Porque, se não são atividades obrigatórias, provavelmente você as desenvolveu por iniciativa própria, mostrando interesse e gosto por uma determinada área ou aspecto dela. Antes disso, mostra alguém interessado, com vontade de crescer e se especializar, que não perde uma boa oportunidade de ampliar seus horizontes.

Mas atenção: se você desempenha muitas atividades, não é necessário colocar todas. Escolha aquelas que fazem a diferença conforme a vaga de trabalho que você almeja. Considere, por exemplo, que você é líder de um grupo que ajuda pessoas carentes ou coordena um grupo de estudos autônomo na faculdade. São atividades que mostram proatividade e liderança, aspectos muito importantes para um cargo de chefia.

Imagine ainda que você e alguns colegas, por conta, montaram um grupo de estudos para o desenvolvimento de aplicativos para smartphones. Isso é muito bem visto pelo mercado tecnológico. Por mais que pareça algo descompromissado, coloque no seu currículo e especifique brevemente o que faz. Isso, mais uma vez, destaca você como alguém que deseja algo mais e que busca caminhos para tornar isso possível.

Mostre, portanto, que você conseguiu aquela bolsa de estudos e participou de seminários; que conseguiu este ou aquele prêmio estudantil; que realizou um período de intercâmbio fora do país; que fez parte do desenvolvimento de uma empresa júnior na faculdade ou ainda que você tem boa presença na web.

Mas, cuidado, nem tudo é válido!

  • Se você é síndico do seu prédio: mencione apenas se você é um iniciante e busca uma posição de chefia;
  • Se você lidera um grupo religioso: não mencione. Você pode utilizar isso caso saiba que o contratante tem a mesma religião, mas não faça isso nem no currículo e nem na entrevista. É um aspecto pessoal, que não deve gerir a sua carreira profissional;
  • Se você é afiliado a um partido político: não mencione. Isso é uma questão particular. Eventualmente poderá lhe ajudar, mas a tendência, quando qualquer tipo de bandeira é apresentada, é a segregação.

E então, qual é o diferencial do seu currículo? Conte para a gente nos comentários.

Categoria: Profissões