Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Como funciona a lista de espera do Sisu? Como funciona a lista de espera do Sisu?

Como funciona a lista de espera do Sisu?

A lista de espera do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) é destinada a candidatos que não foram aprovados em nenhuma das opções de cursos no programa. Trata-se de uma segunda chance, em que as vagas que não foram preenchidas ficam à disposição daqueles que ainda não foram selecionados.

Portanto, quem prestou o vestibular e não foi aprovado de primeira, ainda tem uma esperança de conseguir a tão sonhada vaga em uma universidade pública através da lista de espera do Sisu.

Entenda como ela funciona e descubra como não correr o risco de perder a oportunidade de conseguir ingressar no ensino superior pelo Sisu.

Lista de espera do Sisu

Após a chamada regular, os estudantes que não passaram em nenhuma das duas opções de curso do Sisu, podem manifestar interesse na lista de espera. Trata-se de uma segunda chance, nas quais as vagas que não foram preenchidas ficam à disposição daqueles que ainda não foram selecionados.

Podem participar da lista de espera os estudantes que se inscreveram para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) dentro do prazo regular e não foram convocados em nenhuma das opções de cursos. Até 2018, os aprovados em segunda opção também poderiam participar. Antes disso, quem era aprovado para a segunda opção podia se inscrever para a lista de espera do Sisu e continuar concorrendo a uma vaga na primeira, mesmo que já estivesse cursando a faculdade.

Como funciona a lista de espera?

O Sistema de Seleção Unificada é uma plataforma informatizada do MEC (Ministério da Educação) que disponibiliza vagas em universidades públicas de todo o país. Ele utiliza a nota de corte do Sisu, com base no último resultado do Enem como critério de seleção dos candidatos.

Cta Simulador Sisu 600x148

Na inscrição, o candidato precisa escolher duas opções de vaga. Caso seja aprovado na primeira ou segunda opção de curso, o candidato precisa fazer a matrícula dentro do prazo estipulado, senão perde a vaga. Já o participante que não for aprovado em nenhuma das duas opções pode fazer sua inscrição na lista de espera do Sisu.

Atualmente, o Sisu realiza apenas uma chamada. Os candidatos com as maiores notas em cada curso são convocados e têm um prazo para efetuar a matrícula na instituição e, desta forma, confirmar a ocupação da vaga. Após essa chamada regular, o Sistema disponibiliza às instituições participantes uma lista de espera a ser utilizada para preenchimento das vagas eventualmente não ocupadas, seja em decorrência de desistências, perdas de prazos ou falta de apresentação de documentos.

Como se inscrever na lista de espera do Sisu?

Logo após a divulgação dos resultados da primeira chamada do Sisu, são abertas as inscrições para a lista de espera no site do programa. O candidato que não foi aprovado em nenhuma das opções deve acessar seu boletim de resultado e clicar no botão que confirma o interesse em participar da lista de espera para a primeira ou segunda opção de curso da inscrição.

O período de inscrições é aberto logo após a divulgação da chamada regular. Para tanto, depois de divulgada a chamada regular, os estudantes devem acessar a área do candidato, no site do Sisu, e marcar a opção “participar da lista de espera”.

Ao finalizar o procedimento para participar da lista, o sistema irá enviar uma mensagem de confirmação. Feito isso, as instituições vão dar início às convocações dentro do prazo estipulado. Nesse caso, o resultado do Sisu deve ser acompanhado pelos candidatos junto à instituição para a qual está concorrendo, já que são as próprias universidades e institutos que são responsáveis pelas convocações.

Como saber se passei na lista de espera do Sisu?

Terminado o prazo para participação na lista de espera, o Ministério da Educação repassa a relação de interessados às instituições participantes, com o objetivo de preencher as vagas remanescentes. Para saber a classificação na lista de espera e se foi convocado para as vagas remanescentes do Sisu, o estudante deve estar atento aos meios de divulgação utilizados pela própria instituição.

Vale destacar que a classificação no Sisu não reflete a classificação do candidato da lista de espera. Isso acontece porque essa lista é composta apenas por candidatos que optaram pela participação, o que pode favorecer determinados estudantes que decidiram pela nova tentativa. Outro ponto que merece destaque é o acompanhamento das convocações, cuja responsabilidade é exclusiva do próprio estudante.

Para saber se seu nome está na lista de espera do Sisu e se você foi convocado, basta entrar em contato diretamente com a universidade informada na primeira opção. O candidato deve focar sua atenção nessa etapa do processo para não correr o risco de perder o prazo e, consequentemente, a oportunidade. Os documentos necessários e os horários para matrícula variam por instituição, por isso, a atenção deve ser redobrada.

Resultado da lista de espera do Sisu

A lista é de espera, mas é necessário estar atento. Sem ação, não tem convocação! Portanto, confira o cronograma da lista de espera do Sisu 2022:

  • Resultado da chamada única: 22 de fevereiro
  • Matrícula ou registro acadêmico: 23 de fevereiro a 8 de março
  • Manifestação de interesse em participar da lista de espera: 22 de fevereiro a 8 de março
  • Início da convocação por meio da lista de espera: 10 de março (cada instituição tem um calendário específico)

Não passei na lista de espera do Sisu, e agora?

Existem basicamente quatro alternativas para quem não consegue uma vaga na universidade pública pelo Sisu:

  • Tentar uma bolsa parcial (50%) ou integral (100%) em faculdades privadas pelo Prouni;
  • Participar do Fies para tentar um financiamento numa faculdade particular;
  • Ingressar de forma direta em uma faculdade privada com a nota do Enem;
  • Optar pelo financiamento estudantil privado com o Pravaler.

Vestibular tradicional

O vestibular é uma das formas mais tradicionais de ingressar em uma faculdade. Basicamente, funciona assim: o candidato tem um período determinado para se inscrever no curso e realiza a prova junto aos demais, em datas e horário específicos definidos pela própria instituição.

Dependendo da universidade, seja pública ou particular, o vestibular pode ocorrer em fase única ou se desdobrar em mais etapas de provas. Geralmente, são testados os conhecimentos dos candidatos sobre as matérias aprendidas durante os três anos do ensino médio. Já o formato e a quantidade das questões podem variar: é mais comum encontrar questões de múltipla escolha e/ou discursivas (o número de perguntas pode variar bastante de acordo com a instituição) e uma redação. Há vestibulares com menos de 50 questões e outros com mais de 100.

Bolsas de estudo

Hoje em dia, é muito mais fácil para os estudantes conquistarem uma bolsa de estudos para faculdade. Isso ocorre pois existem diversos programas, tanto do governo, como das próprias instituições, especializados nisso.

Uma das opções é o Prouni (Programa Universidade para Todos), considerado uma das principais portas de entrada para quem está buscando bolsas de estudo em instituições privadas.

O Prouni é uma iniciativa do governo federal que tem como objetivo oferecer bolsas de estudos em faculdades particulares para estudantes de baixa renda que estão em busca da primeira graduação. Podem se cadastrar no programa quem se encaixar nos seguintes perfis:

  • Estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas;
  • Estudantes que cursaram o ensino médio inteiramente em escolas particulares, mas com bolsa de estudos integral;
  • Aqueles que cursaram parte do ensino médio em escolas públicas e parte do ensino médio em escolas particulares como bolsista integral;
  • Portadores de necessidades especiais;
  • Professores contratados de escolas públicas para concorrerem a bolsas nos cursos de licenciatura, normal superior ou então pedagogia. É importante destacar que neste caso, o critério de renda não é considerado.

O Prouni oferece bolsas integrais ou parciais, sendo que, neste último caso, 50% do valor da mensalidade é custeado pelo aluno. As bolsas integrais são voltadas para estudantes que possuam renda familiar, por pessoa, de até um salário-mínimo e meio. Já as bolsas parciais, de 50% do valor da mensalidade, podem ser acessadas por aqueles que tenham renda familiar, por pessoa, de até três salários-mínimos.

O principal requisito do Prouni para a distribuição das bolsas é a nota obtida pelo estudante no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) no ano anterior ao ingresso na faculdade. Para isso, o aluno precisa ter uma nota superior a 450 pontos na média das cinco provas e não ter zerado a redação.

Veja também: 5 situações que podem fazer você perder a bolsa do Prouni.

Por fim, vale lembrar que somente quem não tem nenhum diploma de ensino superior pode tentar a bolsa pelo Prouni (a exceção são os professores contratados de escolas públicas).

Nota do Enem

Esse é o jeito mais rápido de entrar na faculdade para quem não conseguiu passar no Sisu, pois várias instituições particulares aceitam a nota do Enem no processo seletivo e algumas ainda dão descontos de acordo com a pontuação obtida no exame.

A nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio também pode ser utilizada para entrar em outras universidades. Esse critério vem se tornando cada vez mais comum, a ponto de muitos estudantes se concentrarem apenas em estudar para o Enem, descartando o vestibular. Entenda melhor:

Ingresso direto

Muitas faculdades usam a nota do Enem como substituto do vestibular. As regras variam conforme a instituição, mas a maioria aceita a nota de qualquer edição a partir de 2010. Dependendo do curso, principalmente nos casos de Medicina, Medicina Veterinária e Odontologia, essa opção de ingresso pode não estar disponível.

Complemento do vestibular

A nota do Enem também pode servir para aumentar a pontuação do vestibular. Nesse caso, as faculdades costumam aceitar a edição mais recente do exame. Consulte o edital do vestibular do seu interesse para descobrir se é possível usar o resultado do Enem para complementar a pontuação e conhecer todos os critérios de classificação.

Programas do governo

O Sisu é uma forma de ingresso adotada por mais de 130 universidades pública que também seleciona os melhores candidatos para ocupar vagas nessas instituições com base na pontuação obtida no Enem mais recente. Quanto maior a nota do Enem, maiores as chances de entrar em uma universidade pública por meio do Sisu. Quem passa nesse processo seletivo não precisa fazer vestibular.

Utilizado somente em instituições de ensino privado com o propósito de conceder bolsas de estudo a estudantes de baixa renda, o Prouni também tem como critério de classificação o Enem mais recente. Com o Prouni, a maioria das faculdades dispensa o vestibular. Alguns cursos podem exigir provas complementares de habilidades específicas (como desenho ou música, por exemplo).

Financiamento estudantil

O Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) é uma opção para quem deseja financiar as mensalidades da faculdade a juros baixos para começar a pagar o montante só depois de se formar. Durante o curso é preciso pagar apenas os encargos do financiamento a cada três meses, que têm um limite máximo fixado pelo MEC.

Para participar do Fies, é preciso ter feito o Enem a partir de 2010 e obtido pontuação geral a partir de 450, sem ter zerado na redação. O programa costuma passar por mudanças frequentes em suas regras e envolve bastante burocracia na concessão e manutenção dos contratos de financiamento.

Outra opção de financiamento estudantil é o Pravaler, maior programa de financiamento estudantil privado do país. Para participar, o estudante precisa apenas estar matriculado em uma instituição de ensino parceira e se enquadrar nos critérios de renda mínima e requisitos legais. Além disso, a solução contempla não só estudantes de ensino presencial, mas também de cursos à distância e semipresenciais, além de pós-graduação e MBA.

Outra vantagem é que o Pravaler não exige a participação no Enem, o que significa que, mesmo que você tenha ido mal na prova ou que tenha perdido o exame por qualquer motivo, ainda é possível financiar seus estudos sob condições muito vantajosas e em qualquer época do ano.

Mas, afinal, qual é a melhor opção: Pravaler ou Fies? Confira nosso artigo e tire suas dúvidas!

Botao Simule Financiamento 2

Texto escrito por: PRASABER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter