Como trocar de curso sem perder o que já foi estudado?

Muitas vezes, quando entramos na faculdade, sentimos uma pressão para que façamos um ou outro curso, mesmo que essas opiniões não levem em conta a nossa vocação. Pode ser que, inclusive, fiquemos iludidos ou até decepcionados com a nossa escolha; entretanto, a partir do momento em que você não está mais motivado, o inevitável acontece e é preciso trocar de curso ou até de universidade, sobretudo nos casos em que não se está confortável com as regras, os professores, etc.

Devo ou não devo trocar de curso?
O que mais apavora nessas horas são os múltiplos sentimentos, que vão desde “será que estou tomando a decisão correta?” até “o que meus pais irão dizer?”. Em primeiro lugar, quando estamos ingressando nessa nova etapa, na maioria das vezes não estamos 100% seguros com as nossas escolhas. E na hora que você percebe que aquele curso ou aquela carreira não é para você, é necessário trocar ou pedir transferência o mais rápido possível.

“Mas e tudo que já estudei, como faz? ”. Tenha calma! A seguir, traremos de orientações importantes sobre o assunto, para que sua mudança de curso seja o menos traumática possível.

Mudança de curso entre áreas diferentes
Esse é o problema maior. E a resposta não traz alento: depende muito. Se você for trocar completamente de área – sair de humanas e ir para exatas ou biológicas -, por exemplo, pode ser que você realmente tenha que começar tudo de novo.

Porém, se for um curso de humanas como Pedagogia e você quer ir para o de Letras, por exemplo, muitas disciplinas serão substituídas e excluídas na sua grade escolar devido ao fato de os cursos têm disciplinas parecidas, entende? Geralmente, dessa forma é mais fácil mudar de curso.

Mudança de curso entre áreas afins
Outro exemplo é quando você estuda Serviço Social e quer trocar de curso. Se é da mesma área, você terá disciplinas parecidas, como Ciências Sociais, História, Filosofia, Psicologia e Economia, por exemplo. Aí, você pode acabar excluindo essas na sua nova grade escolar. Por isso que é essencial que você pense bem antes de fazer essa troca. Reflita e veja qual será a substituição.

Porque se você fizer uma mudança brusca, precisará se adaptar rapidamente às novas disciplinas e ao foco delas – como em exatas são números, humanas são textos e mais textos.

Às vezes, o que você realmente está precisando é realizar uma pesquisa profunda ou fazer um teste vocacional a fim de descobrir qual a sua área. Converse com pessoas que tenham conhecimento nas carreiras que lhe interessam e aborde que deseja trocar de curso. Faça aulas experimentais.

Cada universidade é única
Como já dissemos, depende muito do curso para o qual você irá trocar se irá perder ou não tudo que já estudou. Cada universidade é única em relação a essas políticas de disciplinas, por isso compensa conversar com a coordenação ou com a secretaria para avaliar a sua situação. Tentar encontrar um ponto-chave entre as disciplinas de cada curso ajuda muito. E você consegue ver isso a partir das ementas.

O que ajuda é a teoria que você já pode ter visto em algum curso e no outro é analisada de outra forma, mas você conhece e tudo mais. Quando isso acontece, as universidades analisam o programa de cada disciplina já estudada e também a carga horária.

Mas fique sabendo que quando você realiza uma troca de cursos muito diferentes entre si, você pode não conseguir excluir disciplinas. Não desista, claro. Afinal, é o esforço que deve valer a pena. Compensa começar um curso do zero.

E aí, está preparado?

Quero receber notícias do Pravaler

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o Pravaler em primeira mão.