Despachante: saiba tudo sobre a profissão Despachante: saiba tudo sobre a profissão

Despachante: saiba tudo sobre a profissão

Você já deve ter ouvido e até mesmo vivenciado, mas a vida adulta traz muitas responsabilidades. Pagamentos, conferência de documentos, de processos ou credenciamentos são algumas delas. E, para dificultar ainda mais, tudo isso conta com o que pouca gente gosta: a burocracia. Algumas pessoas decidem encarar ela sozinhas, outras não sabem nem por onde começar. E é nesse momento que contratar um despachante pode ser a solução.

Vai viajar para o exterior, precisa fazer a documentação e vistoria do carro, regularizar sua empresa ou tratar de documentos na alfândega, mas não quer ter que lidar com um monte de papelada? Ou ainda, se interessa em ingressar nesse mercado de trabalho e resolver o problema de muita gente? Aqui, vamos te contar tudo sobre o que faz um despachante. Continue a leitura!

O que faz um despachante?

Profissão antiga no Brasil, o despachante é o profissional responsável por todos os tipos de processos burocráticos entre uma pessoa física – ou jurídica – e órgãos públicos. Especializado na regularização de documentos para as mais diversas finalidades, o despachante é uma espécie de consultor que também coloca a mão na massa e ajuda empresas e pessoas a manterem todas as suas documentações em dia e em cumprimento das exigências legais.

Normalmente, um despachante atua com trabalho autônomo, abrindo seu próprio escritório. No entanto, é possível encontrar boas oportunidades de emprego em instituições e ainda prestar concurso público para atuar diretamente para o governo. Ele é responsável por elaborar requerimentos, registrar, autenticar e iniciar qualquer etapa junto à um órgão governamental, como a Receita Federal, por exemplo.

É justamente por ter a responsabilidade de organizar e dar andamento em documentos importantes, que para ser um despachante é preciso ter um perfil disciplinado, cuidadoso e com grandes conhecimentos processuais.

Qual é a função de um despachante?

De acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), o despachante pode atuar em três vertentes diferentes: em sistema aduaneiro, documentalista e em sistema de trânsito. Suas atribuições variam de acordo com o setor de especialização, mas, de maneira geral, o profissional é apto para representar o cliente junto às entidades competentes, além de normalizar e regularizar documentos.

Qual é a rotina de trabalho do despachante?

Ainda dentro da CBO, podemos entender o que um despachante faz dentro de sua rotina de trabalho. Apesar de contar com a mesma premissa de trabalho, o setor escolhido para atuação pode possibilitar diferentes atribuições.

O serviço de despachante aduaneiro é dedicado aos processos e documentações relacionadas à órgãos e comércio do exterior, ou seja, ele consegue descomplicar e acompanhar processos de entrada de mercadorias e bagagens de outros países, classificar produtos e enquadrá-los no sistema de classificação e tarifação, operar registros de importação e exportação, assessorar empresas do segmento e elaborar documentos para trâmites de importação e exportação.

Já despachante documentalista e despachante de trânsito são responsáveis por solicitar a emissão de documentos de pessoa física e jurídica, como licença e laudos, além de inscrições, mudanças ou baixas em registros e cadastros. Os profissionais também estão aptos para organizar arquivos e monitorar os vencimentos para atualização, regularizar débitos e pagamentos de impostos e taxas, requerer isenções, cancelamentos ou suspensões de valores, além de solicitar a devolução de indébitos e recebimento de indenizações, seguros e pensões. No caso do documentalista, ainda, é possível atuar como despachante imobiliário, emitindo documentações de imóveis e edificações, como alvarás de funcionamento, por exemplo. O despachante de veículo, por sua vez, dedica seu tempo em atualizar documentações de carros particulares e frotas empresariais.

Quem pode se tornar despachante?

Qualquer pessoa que se identifica e tem o mínimo de conhecimento em processos burocráticos para emissão e regularização de documentos pode se tornar um despachante. No entanto, é importante desenvolver alguns conhecimentos técnicos específicos para a função, por esse motivo, investir em curso de despachante ou ainda ingressar em curso de Logística ou curso de Administração em uma faculdade pode ser uma alternativa.

Requisitos básicos para ser despachante

Para cada especialidade é necessária uma competência específica, no entanto, ter cursos técnicos ou graduação em setores administrativos e de gestão podem ser um grande diferencial para esse mercado.

Ser um despachante aduaneiro exige que o profissional tenha conhecimento especial em comércio exterior e logística, para compreender a fundo todos os processos de importação e exportação. Uma graduação pode contribuir – e muito – para quem deseja se especializar nessa área. Além disso, a fluência em outros idiomas, principalmente o inglês, aumenta ainda mais as chances de uma contratação.

Já o despachante documental de trânsito pode ingressar na área apenas com o ensino médio completo, mas investir o tempo em cursos específicos para diferentes campos de atuação pode ser crucial para seguir na carreira. Para se tornar apto para a função, o profissional precisa se registrar em órgãos estaduais onde haja legislação específica para o exercício. Geralmente, são esses órgãos que também já oferecem cursos especialização. Para o despachante veicular, é possível também participar do concurso oferecido pelo Detran para participar de cursos de aperfeiçoamento ou também filiar-se ao Sindicato dos Despachantes de Trânsito.

Como se tornar um(a) despachante?

Ser despachante aduaneiro é preciso começar com o exercício da função de ajudante do setor por, pelo menos, dois anos e, após esse período, realizar uma prova. Além disso, o profissional deve se inscrever no Registro de Despachantes Aduaneiros ou no registro de Ajudantes de Despachantes Aduaneiros.

Já para ser despachante documentalista ou de trânsito, basta a conclusão do ensino médio e o registro em órgãos estaduais. Vale destacar que para essa função, não é exigido aperfeiçoamento, no entanto, investir em cursos oferecidos em instituições privadas, instituições legislativas e Detran, por exemplo, fazem toda a diferença para que o profissional não tenha problemas em exercer a profissão.

Onde o despachante pode trabalhar?

Quem acha que esse mercado não possui muitas oportunidades está muito enganado. Boa parte dos despachantes no país atuam de maneira autônoma, abrindo seu próprio negócio, no entanto, existem oportunidades de atuação em muitos outros setores, como diretamente em órgãos públicos, empresas de contabilidade, bancos etc. Vamos listar alguns dos principais ambientes de atuação do profissional:

  • Departamento Estadual de Trânsito (Detran);
  • Receita Federal;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra);
  • Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama);
  • Bancos privados;
  • Consultorias em sociedades;
  • Associações de classe;
  • Cartórios;
  • Portos;
  • Indústrias de importação e exportação;
  • Construtoras;
  • Empresas de logística.

Curso de formação de despachantes

Como já falamos, a maioria das oportunidades para se tornar um despachante exige apenas que o profissional tenha o ensino médio completo. Existem algumas instituições privadas que oferecem cursos de aperfeiçoamento técnico para se tornar um despachante.

O Detran, por exemplo, conta com parcerias entre faculdades e centros de ensino, para oferecer cursos de formação profissional. Além disso, alguns órgãos estaduais também contam com uma lista de cursos de especialização técnica.

Como são os cursos de formação para despachante?

A grade curricular e período de aprendizagem vai depender da escolha do profissional e de cada instituição. Algumas disponibilizam de aulas presenciais, outras já investem em apostilas e ambientes digitais para o aprendizado.

O objetivo principal dos cursos de formação é para que o despachante domine todos os processos para solicitação, emissão e regularização de documentos e a legislação vigente, além de contar com aulas que estimulem a boa comunicação e atendimento ao público.

Qual a duração média de um curso de formação para despachante?

Não existe um padrão de duração para os cursos de formação para despachante. Tudo vai depender do setor escolhido e do desejo do profissional em se aperfeiçoar. No entanto, a média encontrada no mercado é de 100 horas de duração, podendo ser flexíveis à necessidade do estudante.

Diploma certificado

Se a instituição de ensino estiver de acordo com as determinações do Ministério da Educação (MEC), ela oferecerá um certificado de conclusão de curso que será válido em todo o território nacional. Por isso, vale pesquisar a fundo e a dica é escolher cursos oferecidos por órgãos públicos.

Possibilidades de especialização técnica

Existem centenas de possibilidades do profissional da área se especializar. Para documentalistas, cursos administrativos e de normatizações são algumas das opções. Já despachante de trânsito pode – e deve – investir em cursos sobre noções técnicas de trânsito e legislação vigente do setor.

Os despachantes aduaneiros precisam ter um ótimo conhecimento em operações logísticas e processos de importação e exportação, por isso, buscar por cursos direcionados aos assuntos é extremamente importante. Além disso, para atuar na área, é fundamental dominar outras línguas, especialmente o inglês.

Quanto ganha um despachante?

Muitas variáveis contribuem para determinar o salário de um despachante, como a forma de atuação, a região em que se localiza ou, em alguns casos, a empresa contratante. A faixa salarial para profissionais atuantes como documentalistas ou no setor de trânsito é, em média, R$ 1.516,19. O despachante aduaneiro, por sua vez, conta com uma média nacional de R$ 2.869,27.

O que influencia nos valores da remuneração?

A remuneração do despachante é influenciada a partir das horas dedicadas ao trabalho, o porte da empresa contratante, a região do país e ainda o setor escolhido para atuação.

Adicionais Salariais

Além de toda as questões acima e a média determinada nacionalmente, o despachante pode também contar com alguns adicionais em sua remuneração:

Adicional Noturno

Baseado nos salários médios da profissão, jornadas noturnas de despachante documentalista podem chegar a R$ 1,45 por hora adicionadas ao salário. Despachantes de trânsito atingem cerca de R$ 1,39 por hora e profissionais do setor aduaneiro podem garantir R$ 2,70 a mais por hora.

Insalubridade e Periculosidade

O adicional de periculosidade é de 30% baseados no salário médio. A de um despachante documentalista atinge uma média de R$ 468,91, a de despachante de trânsito chega a R$ 454,86 e o profissional aduaneiro é cerca de R$ 860,78. Vale destacar que os valores vão de acordo com o salário de cada profissional.

Já o valor adicional referente à insalubridade é dividido em três graus diferentes. Para documentalistas, em níveis de 1ª a 10% atingiriam cerca de R$ 156,30, o 2ª de 20% seria a média de R$ 312,61 e 3ª de 40% chegaria a um valor mensal de R$ 625,22. Despachantes de veículos com 1ª a 10% teria um valor de cerca de R$ 151,62, 2ª de 20% seria de cerca de R$ 303,24 e 3ª grau de 40% chegaria a um valor mensal de R$ 606,48. Aduaneiros com 1ª a 10% recebem cerca de R$ 286,93, 2ª de 20% atingiriam R$ 573,85 e 3ª de 40% chegaria ao valor R$ 1.147,71.

Média Salarial por nível profissional

Despachantes aduaneiros nível I

Média de R$ 2.618,75 mensal ou R$ 31.425,04 anual.

Despachantes aduaneiros nível II

Média de R$ 4.411,04 mensal ou R$ 52.932,46 anual.

Despachantes aduaneiros nível III

Média de R$ 5.783,89 mensal ou R$ 69.406,63 anual.

Média Salarial por porte de empresa

MEI

Contabilizado por hora, sendo R$ 2.789,52 mensal para jornada de 44 horas, R$ 2.869,68 para 40 horas, R$ 1.302,55 para 36 horas e R$ 1.140,00 para 13 horas mensais.

Micro

Média de R$ 2.863,84 para nível I, R$ 3.010,55 para nível II e R$ 3.338,27 para nível III.

Pequena

Média de R$ 2.996,16 para nível I, R$ 4.590,78 para nível II e R$ 5.101,42 para nível III.

Média

Média de R$ 3.751,08 para nível I, R$ 3.943,25 para nível II e R$ 5.102,37 para nível III.

Média Salarial por estado

São Paulo: média de R$ 2.821,86.

Rio de Janeiro: média de R$ 3.046,04.

Paraná: média de R$ 2.390,16.

Santa Catarina: média de R$ 3.176,21.

Minas Gerais: média de R$ 2.348,89.

Rio Grande do Sul: média de R$ 2.526,39.

Ceará: média de R$ 3.748,69.

Pará: média de R$ 1.190,43.

Despachantes documentalista

Média Salarial por nível profissional

Despachantes documentalista nível I

Média de R$ 1.410,00 mensal ou R$ 16.920,00 anual.

Despachantes documentalista nível II

Média de R$ 1.563,04 mensal ou R$ 18.756,50 anual.

Despachantes documentalista nível III

Média de R$ 2.221,15 mensal ou R$ 26.653,76 anual.

Média Salarial por porte de empresa

MEI

Contabilizado por hora, sendo R$ 1.555,45 mensal para jornada de 44 horas, R$ 1.873,94 para 40 horas, R$ 1.131,49 para 36 horas e R$ 1.043,29 para 37 horas mensais.

Micro

Média de R$ 1.483,70 para nível I, R$ 1.559,71 para nível II e R$ 1.812,87 para nível III.

Pequena

Média de R$ 1.751,17 para nível I, R$ 1.844,28 para nível II e R$ 1.961,71 para nível III.

Média

Média de R$ 1.794,05 para nível I, R$ 2.092,66 para nível II e R$ 5.128,27 para nível III.

Grande

Média de R$ 1.605,70 para nível I, R$ 1.687,96 para nível II e R$ 2.431,79 para nível III.

Média Salarial por estado

  • São Paulo: média de R$ 2.251,99.
  • Rio de Janeiro: média de R$ 1.781,51.
  • Paraná: média de R$ 1.662,02.
  • Santa Catarina: média de R$ 1.763,76.
  • Minas Gerais: média de R$ 1.394,21.
  • Rio Grande do Sul: média de R$ 1.781,70.
  • Ceará: média de R$ 1.409,98.
  • Pará: média de R$ 1.369,91.

Despachantes de trânsito

Média Salarial por nível profissional

Despachante de Veículos Nível I

Média de R$ 1.263,90 mensal ou R$ 15.166,77 anual.

Despachante de Veículos Nível II

Média de R$ 1.489,00 mensal ou R$ 17.868,00 anual.

Despachante de Veículos Nível III

Média de R$ 1.892,42 mensal ou R$ 22.708,99 anual.

Média Salarial por porte de empresa

MEI

Contabilizado por hora, sendo R$ 1.552,76 mensal para jornada de 44 horas e R$ 1.562,73 para 40 horas mensais.

Micro

Média de R$ 1.363,92 para nível I, R$ 1.798,20 para nível II e R$ 1.998,22 para nível III.

Pequena

Média de R$ 1.702,90 para nível I, R$ 2.266,76 para nível II e R$ 2.334,96 para nível III.

Média

Média de R$ 1.399,62 para nível I, R$ 1.615,99 para nível II e R$ 2.088,19 para nível III.

Grande

Média de R$ 1.743,24 para nível I, R$ 1.832,55 para nível II e R$ 6.750,29 para nível III.

Média Salarial por estado

  • São Paulo: média de R$ 1.605,22.
  • Paraná: média de R$ 1.383,51.
  • Santa Catarina: média de R$ 1.551,28.
  • Rio Grande do Sul: média de R$ 1.513,41.

Concurso público para despachantes

Assim como em qualquer área do mercado de trabalho, o serviço de despachante também conta com oportunidades de atuar diretamente em órgãos públicos, através dos concursos. Geralmente, as vagas para a função são oferecidas por instituições ligadas aos setores de trânsito, comércio internacional e entidades responsáveis por emissão e regulamentação de documentos.

Como funciona o concurso para despachante?

A maioria dos concursos públicos para despachante exigem apenas o ensino médio completo do candidato, com exceção de vaga direcionadas ao setor aduaneiro, que considera a fluência no inglês um diferencial e, em algumas situações, necessária.

Para passar em concurso público de despachante, é importante que o candidato tenha domínio sobre questões burocráticas e legislativas do setor escolhido. Cada concurso conta com uma estrutura de avaliação, no entanto, boa parte deles consideram avaliar o nível de conhecimento aprofundado na área em questão.

Quantas vagas geralmente são ofertadas nos concursos para despachante?

A quantidade de vagas vai depender de cada entidade e edital. Para o cargo de despachante, os setores de trânsito são os que mais empregam quando a contratação é realizada a partir de concurso público, com uma média de 200 vagas por edital.

Quando será o próximo concurso?

De acordo com o cronograma de concursos previstos para 2020, poucas oportunidades surgiram para o setor. Mas, vale destacar que estamos em um ano atípico e a previsão é de que o próximo ano seja de mais oportunidades para os despachantes de todo o país.

Informações úteis

Agora que te explicamos tudo sobre o setor e você já está pronto para fazer a sua escolha, vamos te ajudar com algumas informações extras!

Código na CBO

Em uma consulta CBO, você pode encontrar cerca de 10 ocupações ligadas ao setor, entre ajudante de despachante e despachante aduaneiro, de bagagens, documentalista, de embarque, de transporte coletivo, tráfego etc.

Normas associadas ao exercício profissional

A profissão de despachante é considerada legal no Brasil e suas vertentes são regulamentadas nacionalmente. Os despachantes documentalistas e de trânsito estão assegurados através do Decreto instituído em 2002, pela lei nº 10.602. Já o profissional do setor aduaneiro é reconhecido desde 1992, pelo Decreto-Lei 2472/88 e do Decreto 646.

Dia do profissional

Despachante também tem um dia para chamar de seu! A profissão conta com datas comemorativas de acordo com o setor de atuação:

  • 25 de abril: dia do despachante aduaneiro.
  • 27 de julho: dia do despachante documentalista.
  • 21 de setembro: dia do despachante de trânsito.
Categoria: PRASABERProfissões

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.