Devo ouvir música enquanto estudo?

Na hora de estudar, muitas pessoas sentem dificuldades para se concentrar e realmente mergulhar de cabeça nas matérias. Mas o que pode ser difícil para você nem sempre é complicado para os outros. Isso porque cada um de nós tem um perfil de estudos. Há pessoas que são mais auditivas e outras que são mais visuais.
Nesse caso, a música pode ser tanto um incentivo quanto uma ferramenta prejudicial. Para o perfil de estudante auditivo, a música é uma excelente forma de concentração, um catalisador que impede que você se distraia com outros detalhes. Já para os estudantes visuais, a música é sinônimo de distração completa. Continue lendo e saiba mais sobre a combinação entre música e estudos!
Então, devo ou não ouvir música enquanto estudo?
Tudo depende do seu perfil e do seu modo de estudo. Às vezes, você consegue até ouvir as músicas e estudar. Assim, a melodia faz com que você entre em harmonia com os estudos, facilitando a absorção do do conteúdo, que é o mais importante. Além das músicas clássicas, as músicas ambientais – que representam o som da natureza, por exemplo – são muito bem-vindas, porque não causam nenhuma interferência na hora do estudo.
O que dizem as pesquisas
Em 2013, uma pesquisa financiada pelo Spotify – serviço de música online que muita gente usa no smartphone – mostrou que os estudantes que ouviam música clássica na hora do estudo conseguiam melhorar o desempenho em até 12% nas provas de matemática. O estudo foi feito na Grã-Bretanha e confirmou que estudar ouvindo música ajuda a aprimorar o aprendizado.
Um fato interessante é a escala tonal das músicas e do compasso usado. Por exemplo, dependendo do número de batidas por minuto, as frequências sonoras ativam regiões do cérebro que promovem o bem-estar, o relaxamento e incentivam até mesmo a liberdade criativa. Alguns especialistas dizem que a música clássica de Beethoven estimula a nossa imaginação e a concentração.
As músicas “We can’t stop”, de Miley Cyrus, e “Mirrors”, de Justin Timberlake, que têm entre 50 a 80 batidas por minuto, produzem um efeito no cérebro que permite ter um raciocínio mais lógico e até promovem a absorção de conteúdo mais rapidamente.
Agora, se você for um estudante de arte, por exemplo, músicas mais agitadas como “Firework” ou “Satisfaction”, da Katy Perry e dos Rolling Stones, respectivamente, conduzem o cérebro para um estágio mais criativo e, portanto, mais libertador!
Conclusão
Como você pode observar, ouvir música na hora dos estudos pode aprimorar o desempenho de um estudante. Entretanto, é preciso sempre observar o perfil do aluno, porque não são todos que ficam confortáveis em ouvir música estudando. Então, faça um teste agora mesmo. Quem sabe você não descobre que tipo de aluno você é?
Se quiser, pode começar com música clássica para se acostumar com a melodia e se concentrar no que está bem à sua frente – isto é, a disciplina. Assim, você se adapta a esse ambiente, trazendo mais agilidade e facilidade a esse momento tão importante, já que não perderá tempo com distrações! O que você acha? Curte estudar ouvindo música? Deixe um comentário!

Pensamos na sua privacidade

Usamos cookies para que sua experiência seja melhor. Ao continuar navegando, você está ciente dos nossos Termos e Políticas.

CONTINUAR