Educação financeira para jovens

Não é porque você é jovem que não precisa pensar no seu futuro. Ainda que tenha muito tempo para juntar dinheiro, tenha em mente que quanto mais cedo você começar, mais simples tende a ser a sua tarefa. E isso não diz respeito somente à aposentadoria, o que seria um investimento de longo prazo. Diz respeito também ao seu dia a dia e a projetos de curto e médio prazo. É por isso que a educação financeira para jovens é tão importante. Ela faz com que você construa uma trajetória de sucesso com maior facilidade.

Quer saber o que fazer para ter uma vida tranquila do ponto de vista financeiro e realizar projetos pessoais? Então siga conosco.

Passo a passo para organizar sua vida financeira

1. Analise

O primeiro passo para a educação financeira é dado quando a pessoa analisa sua própria situação atual. Em função disso, ela tem como traçar um perfil de consumo para elaborar o chamado plano de ação. É o plano de ação que vai definir as formas como a pessoa vai pagar suas dívidas ou construir sua poupança.

2. Planeje

Feito o registro, é hora de agir. Crie planos para curto, médio e longo prazo. É importante você saber o que quer e onde pretende chegar para criar hábitos compatíveis com seus interesses.

Se você tem dívidas, quitá-las deve ser a sua prioridade. Reveja seus hábitos, corte gastos, venda bens se for necessário e somente quando resolver essas pendências, comece a pensar no futuro.

3. Poupe

Quando você consegue rever seus hábitos de consumo, quitar as dívidas e deixar uma sobra no fim do mês, já tem como se planejar em função dos objetivos. Conhecendo as opções que o mercado financeiro oferece, essa busca por ser facilitada.

Ao deixar seu dinheiro na conta-corrente, ele não rende e a tendência é que, com o passar do tempo, desvalorize em função da inflação. Assim, a dica é investir para fazer ele render mais. Além da Caderneta de Poupança, existem outros tipos de investimentos em renda fixa, como o Tesouro Direto e as Letras de Crédito. Para quem tiver o interesse em se aprofundar no mercado de ações, existe também a renda variável, com a compra e venda de ativos na Bolsa de valores.

4. Trabalhe com metas

Pense no curto, no médio e no longo prazo e estabeleça objetivos em função deles. O curto prazo geralmente diz respeito à reserva de emergência, a formação de um montante de cerca de 12 vezes o seu salário. Suponhamos que você receba R$ 1.000. Nesse caso, a sua reserva será de R$ 12.000.

A ideia aqui é ter à sua disposição uma proteção para que, caso você perca sua bolsa de estudos ou o seu emprego, ainda tenha dinheiro disponível por cerca de um ano para se recuperar.

Depois, pense no médio e no longo prazo. Como são objetivos que levarão mais tempo para serem atingidos, você pode recorrer a investimentos com maior rentabilidade e menor liquidez, ou seja, que vão render mais, mas que levam mais tempo para serem resgatados. Fique de olho nas opções que o mercado financeiro oferece e invista com critérios.

5. Tenha critérios

Na prática, atingir objetivos não é tarefa fácil. É preciso criar estratégias para fazer sobrar dinheiro no fim do mês. Uma delas é a regra dos 50/15/35, na qual você destina 50% do que recebe a gastos definidos como essenciais, 15% a suas prioridades financeiras (no caso, pagar dívidas, formar a reserva de emergência ou investir em médio e longo prazo) e 35% ao restante, ou seja, atividades de lazer e entretenimento.

Esse método é interessante, pois caso você tenha que cortar algum gasto, poderá se concentrar nos 35% referentes a despesas não tão importantes para a sua vida.

Jogos de educação financeira para jovens

Independentemente da idade, se está pensando na futura carreira ou se já está inserida no mercado de trabalho, qualquer pessoa pode aprender a se relacionar melhor com o seu dinheiro, mesmo as mais novas. A realidade é que essa questão importante da nossa sociedade é muito pouco valorizada na formação dos estudantes, o que acaba fazendo com que hábitos consumistas saiam de controle.

Para evitar esse tipo de problema é possível usar recursos como jogos e livros. Alguns deles são excelentes para ensinar as pessoas a poupar e investir.

É o caso do Piquenique, um jogo de tabuleiro no qual se simula uma atividade em que são estabelecidas responsabilidades como o pagamento de contas e a tomada de decisão por parte do jogador. É uma maneira lúdica de aproximar as crianças mais novas, entre 6 e 10 anos, da realidade financeira do mundo adulto.

Já o Bons Negócios é indicado para um público entre 10 e 14 anos. É um jogo de cartas que trabalha a arte da negociação e do empreendedorismo, sendo ideal para mostrar para as crianças como funciona o dia a dia do mundo de negócios.

O Monopólio é um jogo de tabuleiro que figura entre os mais conhecidos do mundo. O motivo é que ele funciona como um verdadeiro instrutor para quem quer aprender a ganhar dinheiro com o capitalismo. Embora não tenha sido essa a ideia de seu criador, na prática é exatamente isso o que o jogo faz. Ele exige do jogador capacidade para comprar propriedades e valorizá-las para venda. Do ponto de vista da educação financeira para jovens, o jogo serve para mostrar como enxergar potencial em algo e agregar valor àquilo para ganhar dinheiro.

Livros de educação financeira para jovens

De uma maneira geral, o mais importante é ter a informação ao seu lado para criar hábitos positivos. De nada adianta você economizar durante um mês se na sequência a sua vida voltar a sair dos eixos. Para tanto, indicamos algumas leituras que certamente ajudarão você a repensar a sua vida e, mais importante, encontrar caminhos para se tornar mais produtivo. Confira.

O investidor inteligente, de Benjamin Graham

Para entender sobre o mercado de ações, essa é uma leitura básica. Ela ensina o investidor a pensar no longo prazo e aponta os caminhos para gerar riqueza a partir da educação financeira.

Os segredos da mente milionária, de T. Harv Eker

Uma obra que trata do comportamento ideal para uma pessoa ser bem-sucedida. Trata-se de um trabalho que fala sobre formas de pensar e agir que costumam dar certo entre aqueles que atingiram o topo em suas atividades.

O poder do hábito, de Charles Duhigg

E o que diz a ciência em relação aos hábitos que geram sucesso? É sobre isso que Duhigg se debruça neste conhecido trabalho. Para ele, existem padrões comportamentais que construímos e que fazem com que tenhamos resultados positivos ou negativos em nossas atividades. A questão é saber como lidar com eles para chegar onde desejamos.

Pai rico, pai pobre, de Robert Kyosaki

O que fazer para conquistar a riqueza? Quais são as ações a serem tomadas para sair do zero e chegar ao sucesso? Como extrair o máximo do emprego? É basicamente questões assim que essa obra tenta responder. Ela é interessante para pessoas que buscam desenvolver uma mentalidade empreendedora a partir de lições práticas.

12 meses para enriquecer, de Marcos Silvestre

Pensando na realidade de nosso país, existe um guia completo a respeito de orçamento e planejamento financeiro. É um conteúdo interessante, pois conta com recursos que podem ajudar você a colocar sua vida financeira em dia, como planilhas e simuladores.

Crie o mindset adequado

Toda a teoria que envolve a educação financeira tem o objetivo de construir no leitor um mindset vencedor em relação ao tema. Com abordagens diferentes, as leituras sugerem a criação de uma forma de pensar que permita a você rever sua maneira de se relacionar com o seu dinheiro e fazer ele trabalhar para você.

A questão aqui é ter a disposição necessária para mudar hábitos e começar a investir no seu próprio futuro. Mindset significa mentalidade e diz respeito à predisposição que uma pessoa ou um grupo tem para pensar e agir de uma maneira padronizada.

Quando você começa a mudar o seu mindset, criando um ambiente positivo para si próprio, passa a perceber uma série de mudanças na sua vida com o tempo, o que tende a direcionar você para o sucesso.

A relação entre mindset e educação financeira para jovens

Quando falamos em educação financeira pra jovens, precisamos ter em mente que se trata de um público que tem mais tempo à sua disposição para planejar e executar mudanças. Isso sem falar do acesso às novas tecnologias, que permitem o ensino a distância e recursos como os smartphones. Ainda assim, isso não quer dizer que seja uma tarefa fácil, pois o mindset das pessoas depende de uma série de fatores, como o ambiente em que vivem, as companhias com as quais convivem e toda a sua experiência de vida.

É importante saber lidar com as chamadas crenças limitantes para que elas não impeçam você de chegar onde pretende. Para tanto, não somente as dicas aqui apresentadas como também o pensamento positivo e a busca constante por transformação e evolução, são indicadas.

Comece a planejar sua vida e insira nessa busca a sua formação. Uma boa faculdade ajuda você a criar oportunidades profissionais e gerar satisfação pessoal com seus resultados, por isso, não deixe de pensar na sua graduação para alcançar seus objetivos.

O PRAVALER oferece vantagens para você financiar seus estudos e simplificar essa busca.

Categoria: EconomiaPRASABER

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.