Conheça os Escritores que mais caem nos vestibulares


Os escritores que mais caem nos vestibulares são alguns dos nomes mais importantes da literatura brasileira. A importância da literatura é, entre outros motivos, dar ao indivíduo possibilidades para expandir seus horizontes a partir do ponto de vista de grandes autores.

Esse é o motivo que faz com que os vestibulares brasileiros exijam não só a literatura obrigatória de obras importantes tanto para a cultura nacional quanto universal, mas também a compreensão do pensamento desses autores em temas de suas redações e mesmo em questões pontuais.

Sendo assim, nada mais relevante do que conhecer alguns desses autores e compreender aquilo que fez com que atingissem o sucesso. Confira o nosso guia sobre eles e tenha como criar diferenciais no seu exame.

Machado de Assis

Você certamente conhece Machado de Assis. Ele é um escritor mundialmente conhecido e constantemente trabalhado em escolas de ensino médio, sendo talvez a nossa maior referência em termos de escrita.

Independentemente da obra solicitada, o fato é que Machado de Assis é o autor mais recorrente em grandes vestibulares como o da Fuvest e do Enem. O motivo principal é a sua capacidade de observar o comportamento humano e dela tirar uma interpretação única, rica e ao mesmo tempo precisa, identificando nossas peculiaridades praticamente imperceptíveis mesmo entre as pessoas mais próximas.

Em função disso, verdadeiros clássicos como Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro, ganharam tamanha notoriedade. Mesmo seus escritos tendo sido feitos há mais de um século, sua obra continua tendo valor. Isso faz dela universal, ou seja, não importa quando foi concebida ou o contexto da época, mas sim que ela se perpetue.

Entre outros pontos que podem ser cobrados sobre o autor, podemos destacar que Machado de Assis tem a peculiaridade de estar inserido tanto no realismo quanto no romantismo, o que exige do aluno entendimento a respeito do impacto de seu texto nas diferentes escolas literárias.

Carlos Drummond de Andrade

O poeta mineiro conseguiu, com seu sentimento de mundo, conectar o micro ao macro, ou seja, o local e o universal. Uma peculiaridade na obra de Drummond é o humor utilizado para notar aquilo que é e o que parece ser.

Temas como a monotonia do cotidiano ganham, na obra de Drummond, uma visão maior, mais sofisticada. Sua própria personalidade se confunde com o perfil de sua cidade natal, Itabira. Em função disso, surgiram as maiores obras daquele que é considerado um dos grandes gênios da nossa literatura.

Maior poeta modernista brasileiro e possivelmente o maior poeta do século XX, Drummond é marcado pelo pessimismo e pela maneira irônica com que reflete a respeito dos mais diferentes acontecimentos que fazem parte da vida.

Para não ser surpreendido, procure ler com calma e tentar interpretar o que Drummond pretende em poemas como “No meio do caminho”, “José”, “Poema de sete faces” e “Procura da poesia”. Estes, certamente fazem parte da história da poesia brasileira e costumam ser cobrados nos grandes exames.

Luís Fernando Veríssimo

Temas atuais, geralmente presentes nas provas de redação, costumam trazer textos ou trechos de obras do maior cronista brasileiro da atualidade, Luís Fernando Veríssimo. Conhecido por sua fina ironia e escrita clara, Veríssimo trata de temas que discutem com a realidade do Brasil e do mundo com leveza. Por isso, está entre os escritores que mais caem nos vestibulares.

É possível que as provas tragam publicações do autor em jornais e revistas, exigindo dos candidatos um diálogo com a obra.

A ironia e o bom humor com que encara temas políticos e sociais são a marca registrada do escritor de literatura contemporânea. Entre seus textos mais celebrados e exigidos estão as Crônicas da Vida Privada, onde essa forma de encarar o mundo aparece com bastante força. Alguns textos dessa coletânea são muito frequentes em provas de redação, onde aparecem em forma de fragmentos para que o aluno dê embasamento à sua dissertação. Além disso, o livro “Comédias para se ler na escola” aparece como leitura obrigatória para o vestibular da Universidade Estadual de Londrina (UEL) para a edição de 2019.

José de Alencar

O romantismo é uma das escolas literárias mais recorrentes nos exames do país inteiro. E quando falamos em Enem é importante ficar de olho nas obras de José de Alencar. Suas publicações mais famosas como Iracema de 1865 e Senhora, de 1875, são marcadas por temas nativistas, indianistas e históricos. Como dica, vale a pena estudar como o nacionalismo aparece nesses textos porque o Enem costuma cobrar esse entendimento por parte dos candidatos.

Atenção à maneira como o índio aparece nas obras de Alencar, ou seja, à forma como ele é apresentado ao público, com o protagonismo até então exclusivo ao europeu. Ao dar um caráter heroico para o povo local, Alencar rompe com as práticas tradicionais e se consagra como um dos maiores nomes da literatura brasileira.

É importante saber que José de Alencar é o nosso primeiro grande romancista, o que tem a ver com sua proposta em relação ao indigenismo e também com a sintaxe. Alencar se afasta assim dos moldes portugueses e cria romances nos quais a linguagem se torna preponderante em relação ao enredo. Isso fica particularmente mais claro em obras como Iracema, que é um poema em forma de prosa.

Clarice Lispector

Entre as maiores escritoras brasileiras de todos os tempos, Clarice Lispector deu vida a clássicos como Laços de Família, de 1960 e A Hora da Estrela, de 1977.

Macabéa, personagem de A Hora da Estrela é simplesmente uma das personagens mais conhecidas de toda a literatura brasileira e, muito em função disso, bastante abordada nos exames.

As publicações de Lispector marcaram o modernismo e costumam aparecer em questões dos vestibulares de diferentes tipos. É importante então dominar elementos como as metáforas presentes nas obras e a não linearidade da narrativa.

Como os textos de Lispector são conhecidos por sua profundidade, uma dica para o estudante é procurar as diferentes maneiras de se interpretar os diálogos porque essa capacidade pode ser cobrada nos exames.

Fique atento às características de Macabéa, protagonista de A Hora da Estrela. É a repressão cultural da qual a personagem é vítima um dos elementos centrais para o melhor entendimento da obra. Os exames costumam explorar essa compreensão por parte do aluno. Outro aspecto abordado é a condição de Rodrigo SM, que além de narrar os fatos, também faz uma mediação entre os acontecimentos, seus sentimentos próprios e os de Macabéa, colocando em prática uma abordagem que faz da obra de Clarice Lispector um clássico.

Guimarães Rosa

Grandes personagens da literatura mundial nem sempre seguem o padrão do herói clássico. Esses acabam se tornando interessantes justamente por serem apresentados de forma mais humana, se aproximando da realidade. Nesse sentido, o sertanejo, na forma como é retratado por Guimarães Rosa, torna-se um protagonista dotado de um caráter único e inovador na literatura mundial. Além disso, em termos de inovação, é na linguagem que Guimarães Rosa mais surpreende: seus neologismos, sua ousadia no modo de fazer uso da língua, o tornam uma referência, principalmente por conta de “Grande Sertão: veredas”.

Indo a fundo no grande clássico do escritor, vemos dualidades. O próprio nome sintetiza isso. Sertão é algo seco, enquanto veredas são rios pequenos. Toda a obra apresenta duplicidades. Existe luta e existe amor, existe confusão entre o falso e o verdadeiro, especialmente na mente do personagem Riobaldo.

O livro é uma história contada de maneira oral, na forma de discurso direto e indireto livre. É um homem do sertão contando suas histórias para alguém que as registra. E sua forma de contar traz seus maneirismos e neologismos típicos de sua gente.

Oswald de Andrade

Impossível falar de inovação na literatura brasileira e ignorar o modernismo. E é impossível tratar de modernismo sem destacar Oswald de Andrade, um dos escritores que mais caem nos vestibulares.

Os exames, em especial, o Enem, costumam colocar suas obras como “Manifesto Antropofágico” e “Poesia Pau Brasil” para dialogar com obras de outros autores e, principalmente, outros períodos literários, com o intuito de avaliar do aluno a compreensão a respeito do impacto que o modernismo causou.

Oswald é sinônimo de mudança, de revolução. Assim como o modernismo. Oswald e Modernismo brasileiro se confundem, especialmente porque a sua obra é aquela que engloba todas as características dessa escola, ousando, quebrando paradigmas e gerando reações como poucos.  Fique atento a tudo o que diz respeito a conceitos como a brasilidade, à identidade nacional e assimilação de aspectos culturais de outros povos.

Enfim, esses são alguns nomes que fizeram história na literatura brasileira e mundial a ponto de serem relembrados nas mais diferentes circunstâncias, como os exames vestibulares. Fique atento a eles e às formas como eles podem ser estudados. Com o bom conhecimento a respeito desses autores, você tem como ir bem tanto nas redações como também nas questões objetivas e dissertativas onde eles aparecem. Encare esse estudo como uma oportunidade para ganhar mais pontos se dedicando a um único tema.

Agora que sabe quais são os escritores que mais caem nos vestibulares, confira também quais são os vestibulares abertos no segundo semestre de 2019.

Compartilhar
Categoria: Ajuda nos estudos
Tags: ENEM ENEM 2019

Pesquisar

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.