Como escolher a especialização em Medicina?


Depois de terminar a formação superior em Medicina, muitas dúvidas assolam os recém-graduados, como início de carreira, onde trabalhar, enfim, qual caminho seguir. Um destes questionamentos é qual especialidade escolher para exercer pelo resto da vida. Muitos jovens sofrem com essa situação, visto que têm afinidade com várias áreas; outros não sabem qual escolher porque gostam da ideia de manter-se firme na clínica geral, contudo, entendem que uma especialização é necessária por conta do competitivo mercado de trabalho.

Ao longo dos anos, muitas especializações foram criadas e inúmeras tiveram o seu auge de sucesso, como ginecologia, traumatologia e outras tantas. Algumas mantiveram sempre o mesmo grau de procura, como ortopedia. Tendo em vista que o modismo também afeta a escolha da especialização de uma das mais difíceis e, ao mesmo tempo, mais encantadoras carreiras, dedicamos este texto a esclarecer algumas dúvidas e ajudar você neste caminho rumo à especialização em Medicina.

Atualmente, as especialidades que mais tem chamado a atenção dos jovens formados em Medicina são estas:

  • Pediatria: como responsabilidade básica, o pediatra cuida da saúde infantil desde recém nascidos até adolescentes;
  • Ginecologia: cuida da saúde feminina no que se refere ao sistema reprodutor (útero, vagina e ovários). Para ser ginecologista, é preciso cursar a especialização que dura três anos, aproximadamente;
  • Cardiologia: o profissional com esta especialidade cuida do coração e do sistema circulatório;
  • Urologia: o urologista cuida da saúde do trato urinário tanto de homens quanto de mulheres. Nos homens, trata também a saúde do sistema reprodutor. Quem quiser fazer esta especialidade precisa fazer dois anos de cirurgia e dois anos de urologia, depois de finalizar a graduação em Medicina;
  • Endocrinologia: tem como fundamental responsabilidade o cuidado com as disfunções metabólicas. Cuida das glândulas e de suas funcionalidades;
  • Ortopedia: trata de problemas relacionados ao sistema locomotor. Normalmente, quem conclui esta especialidade acaba fazendo uma subespecialidade, de modo a assumir um nicho dentro desta vasta área;
  • Oftalmologia: é uma especialização da medicina que trata da visão e das suas doenças;
  • Dermatologia: Profissional dedicado a tratar problemas de pele.

Dicas para escolher a sua especialização em Medicina

Os cursos apresentados acima são as especializações em Medicina que mais têm candidatos por vaga oferecida. Sendo assim, a busca por um lugar nestes cursos é uma verdadeira briga. Além destas especializações, há várias outras que exercem fascínio sobre os jovens doutores, tais como geriatria, pneumologia e oncologia.

Se você ainda está indeciso, a dica é pesquisar muito até chegar a alguma conclusão. Com tantas opções disponíveis, é fácil deixar-se levar pela opções menos concorrida ou ainda buscar uma especialização em Medicina que seja mais curta.

Uma opção é realizar um teste vocacional médico. É quase um teste vocacional daqueles que você provavelmente fez quando estava cursando o ensino médio, só que este foi desenvolvido para ajudar a decidir a especialização ideal. Esta modalidade de teste foi desenvolvida por profissionais da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos. O primeiro teste a ser desenvolvido tem 148 questões, todas cuidadosamente criadas por uma equipe especializada em Educação e Medicina. No final da aplicação do teste, é possível verificar se o resultado percentual estava de acordo com a especialização em Medicina pretendida. Ele é bem completo e até agora é considerado o melhor na área.

Após o lançamento deste primeiro teste, outros foram surgindo, como o da Universidade Duke, também nos Estados Unidos. No Brasil, há o teste elaborado pelo doutor Mário Novaes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e o teste vocacional em Medicina da Universidade Federal de Santa Catarina.

Além de fazer um teste vocacional orientado às especializações médicas, uma dica é observar bem quais aptidões você possui e quais são as características pessoais que mais se evidenciam. O fato de você ser mais ativo ou tranquilo é um importante diferencial, por exemplo. Pessoas inquietas sempre podem perfeitamente assumir uma especialização nas áreas de resgate médico, emergência e CTI.

Já pessoas mais tranquilas, que gostem de estar mais sossegadas, podem optar por uma especialização médica nas áreas de endocrinologia e dermatologia, profissões que normalmente não demandam tanto estresse.

Se você lida muito bem com pessoas e tem bastante paciência com elas, pode optar por pediatria, obstetrícia, geriatria e gerontologia.

Algo que você deve tirar completamente de enfoque quando estiver decidindo – mesmo que seja quase impossível – é o emocional. Pense no seguinte: não é porque você tinha problema de asma quando criança que hoje deve decidir fazer uma especialização na área da pneumologia. Tudo bem nutrir certo interesse por algo que causou transtorno à sua vida. No entanto, você não pode deixar que isso se transforme em uma meta de vida. Se investir nesse tipo de decisão, provavelmente em pouco tempo estará frustrado e desejando traçar novos caminhos.

Tenha cautela ao escolher sua especialização em Medicina; procure ser racional e não deixar-se levar pelas emoções. Gostou das dicas? Deixe o seu comentário!

Compartilhar
Categoria: Cursos
Tags: ENEM ENEM 2019

Pesquisar

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.