Fies 2019: Entenda o que mudou no novo FIES


O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa de crédito estudantil oferecido pelo Ministério da Educação. Participando dele, o estudante pode financiar sua graduação ou pós-graduação em uma instituição particular, desde que atenda aos requisitos.

É importante destacar que no Fies o estudante recebe crédito para bancar seus custos estudantis, o que significa que em algum momento ele precisará devolver esse dinheiro emprestado pelo governo. Além disso, o Ministério da Educação, mantém outros programas, como o SiSU e o ProUni, também destinados ao ensino superior, mas que não devem ser confundidos com o Fies, pois seguem outros formatos.

Se você pensa em estudar em uma faculdade particular e precisa de dinheiro para alcançar esse objetivo, saiba mais sobre o Fies na sequência e entenda como se beneficiar de programas de financiamento.

As condições de financiamento do Fies

O Fies impõe 4 condições para os estudantes. São elas:

  • Renda familiar mensal per capta abaixo de 3 salários-mínimos;
  • Escolher um curso presencial em faculdade parceira do programa;
  • Nota no Enem;
  • Indicar fiador na solicitação do financiamento.

Para participar, o estudante precisa estar matriculado em uma instituição privada de ensino superior. Essa instituição deve ter conceito de pelo menos 3 no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Além disso, o candidato também precisa ter participado de qualquer edição do Enem desde 2010, tendo obtido uma pontuação mínima de 450 pontos e não zerado a redação.

Se ao se formar, o estudante tiver uma fonte de renda, as parcelas passam a ser descontadas de maneira automática dela, conforme acordado na assinatura do contrato. Caso o estudante não tenha renda nessa fase, chamada de amortização, serão cobradas prestações mensais referentes ao pagamento mínimo.

O tempo máximo para que o financiamento estudantil seja quitado é de 14 anos.

Onde e como fazer a inscrição

Para fazer o pedido de financiamento é preciso acessar o site para seleção e fazer o seu cadastro. Reúna documentos como CPF, certidão de nascimento e RG e preencha o formulário de inscrição com seus dados pessoais. Como o Fies considera a renda familiar, será necessário também fornecer dados a respeito do grupo familiar, como grau de parentesco, data de nascimento, entre outros.

Feito o cadastro, basta acessar a página “Grupo de Preferência” dentro do site, para informar a respeito do estado, município e curso que pretende fazer. Você também pode selecionar diretamente a instituição de ensino e escolher até 3 opções de curso antes de avançar.

Feito o cadastro, basta acessar a página “Grupo de Preferência” dentro do site, para informar a respeito do estado, município e curso que pretende fazer. Você também pode selecionar diretamente a instituição de ensino e escolher até 3 opções de curso antes de avançar.

O Fies é uma alternativa interessante para quem fez o Enem e não tem como arcar com as despesas de uma faculdade particular. Entretanto, existem outras opções. O PRAVALER, por exemplo, permite que um grupo maior de pessoas tenha acesso ao ensino superior. Saiba como.

PRAVALER e o FIES: entenda as diferenças

Em comum, PRAVALER e Fies permitem o financiamento estudantil por meio da concessão de empréstimos longos aos estudantes, mas existem diferenças importantes entre eles. Enquanto o Fies é uma iniciativa do Governo Federal, o PRAVALER é um financiamento privado. Além disso, as regras dos dois programas são diferentes.

Diferentemente do Fies, o PRAVALER apresenta duas etapas para que seja feito o pagamento. A primeira delas é durante o curso, quando o estudante paga parcelas menores do que as mensalidades da faculdade onde estuda e a segunda começa somente após a sua formação, quando o beneficiário passa a ter o mesmo período de duração do curso para arcar com o restante das parcelas.

Para participar do PRAVALER basta encontrar uma instituição conveniada, comprovar renda mínima de até duas vezes o valor da mensalidade, estar com o nome limpo e se cadastrar no programa. O PRAVALER é válido também para quem possui bolsa de estudos e até para quem já participa do Fies.

O papel do fiador

Fiador é uma pessoa que aceita a responsabilidade sobre o pagamento da dívida contraída. O Fies exige um fiador e faz algumas exigências em relação a quem pode exercer esse papel, como não ter o nome sujo, comprovar os rendimentos mensais capazes de cobrir as despesas, apresentar toda a documentação necessária como nome, CPF e comprovante de residência. Já no PRAVALER, o fiador só é necessário caso o aluno não consiga comprovar renda.

É preciso lembrar que participando de um programa de financiamento, você empresta dinheiro de um ente público ou privado para viabilizar os seus estudos. Consequentemente, esse valor precisará ser devolvido futuramente, e para que aquele que concede o dinheiro tenha garantias de que será ressarcido dentro do prazo, ele pode exigir a figura de um fiador para arcar com as despesas em caso de eventualidades.

Veja como funciona o PRAVALER:

O que é o novo Fies

O Fies 2019 se divide em dois tipos de contrato. No primeiro deles, o chamado Novo Fies apresenta juro zero para quem tiver renda per capta mensal de até 3 salários-mínimos. Nesse contrato, o estudante paga de acordo com o seu limite de renda.

Já na segunda modalidade, o P-Fies, os estudantes precisam ter renda per capta mensal de no máximo 5 salários-mínimos. Trata-se de uma modalidade que conta com recursos dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento, além da participação de bancos privados no projeto.

No ano anterior, de 2018, o governo estabeleceu 3 modalidades, o FIES I, o FIES II e o FIES III. Isso continua valendo, mas, na prática, o FIES I se tornou o FIES, ou seja, a modalidade com juro zero e o P-FIES englobou as modalidades II e III do programa, o que significa que ele compreende as categorias em que o financiamento é concedido mediante definição de condições entre um agente financeiro, a instituição de ensino e o aluno.

Na prática, o Fies 2019 se concentra em isentar da taxa de juros aqueles que mais precisam e criar uma escala de financiamento de acordo com a renda dos demais candidatos.

Mudanças em relação a 2018

As mudanças em relação a 2018 são referentes à nomenclatura e também aos valores. A proposta para o ano é de 100 mil contratos de financiamento, o que corresponde a um orçamento de R$ 500 milhões disponibilizado pelo Ministério da Educação para o ensino universitário, ampliando o alcance do programa.

O Fies 2019 apresenta também aumento de prazo para pagamento e maior transparência tanto no controle dos processos quanto no trato com as informações, a partir da criação do comitê gestor interministerial.

Vagas remanescentes no Fies

Mesmo que a pontuação mínima exigida para o programa seja de 450 pontos no Enem, as notas podem variar de acordo com o curso. Além disso, o Ministério da Educação prioriza quem consegue os melhores resultados. Dessa forma, a tendência é que os cursos mais concorridos apresentem notas mínimas elevadas.

Ainda assim, é possível conseguir vagas remanescentes, que representam as vagas não preenchidas no processo seletivo regular. O Fies cria uma lista de espera automática, que é divulgada alguns dias após o resultado do processo.

Para o candidato que tentou o Fies e não conseguiu, o segredo é ficar de olho na divulgação da lista para tentar uma das vagas remanescentes.

Como é feito o contrato no Fies

Ao ser aprovado, o candidato precisa comparecer à agência do banco escolhido para então formalizar seu contrato. Isso precisa ser feito em até 10 após sua inscrição no sistema. É nesse momento que ele terá que apresentar seu fiador, que não pode ser o cônjuge ou cidadão estrangeiro.

Em seguida, é preciso escolher qual será o tipo de fiança. Ela pode ser convencional ou solidária. A fiança convencional permite até dois fiadores com renda mínima de ao menos 2 vezes o valor da mensalidade. A fiança solidária permite que o estudante escolha entre 3 e 5 pessoas da mesma instituição e período do curso pretendido para serem seus fiadores. Nesse caso, a fiança é em grupo.

Para que o processo tenha validade, o estudante deve aceitar receber três vezes por ano o boleto do Fies. Ele deve chegar com 10 dias de antecedência da data de pagamento com os valores acordados previamente. Os débitos podem ser quitados em unidades da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil, caso o crédito universitário seja realizado por bancos públicos ou nas unidades dos bancos privados que viabilizaram o financiamento.

Não fez o Enem e acha que não vai dar para tentar o Fies? Não tem problema. Faça a sua simulação no PRAVALER e garanta o seu futuro.

Compartilhar
Categoria: Fies
Tags: ENEM ENEM 2019

Pesquisar

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.