Marketing Pessoal: aprenda a se destacar em qualquer situação


Saiba o que é Marketing Pessoal e aprenda a se destacar em qualquer situação

Você já pensou que a maneira como as pessoas o veem é determinante para suas pretensões pessoais e profissionais? Uma pessoa talentosa, mas que não consegue mostrar o seu valor, pode acabar ofuscada por alguém que sabe se promover adequadamente. Pensando nisso, vale a pena se preocupar com o que chamamos de marketing pessoal, pois ele permite a você criar meios para se destacar na sua atividade.

Ficou interessado? Então confira.

O que é o marketing pessoal

Existem diferentes tipos de marketing, como o usado para promover marcas. Todos eles envolvem a criação de estratégias para que o objeto seja visto de maneira mais positiva.

Pense em um mercado em que diferentes produtos disputam espaço na atenção do consumidor. O marketing serve para que um deles se torne marcante a ponto de gerar credibilidade junto àquele público em específico. É isso o que faz com que marcas como Coca-Cola e Bombril sejam referência em seu segmento: elas são mais facilmente lembradas do que as concorrentes em virtude de uma estratégia de marketing que ao longo dos anos as associou à qualidade.

Do ponto de vista pessoal, o raciocínio é parecido. Marketing pessoal é uma forma de atribuir valor a imagem de uma pessoa. Quando você cria estratégias para atribuir valor à sua imagem, a maneira como as pessoas o veem tende a se tornar mais positiva, facilitando sua busca por resultados.

O Marketing pessoal e o profissional

Quando uma pessoa divulga o seu trabalho de maneira a valorizar suas próprias competências, dizemos que ela está fazendo seu marketing pessoal. Já quando ela promove o seu nome como se fosse uma marca, a isso chamamos de personal branding.

É importante estabelecer essa distinção, pois são técnicas que funcionam de acordo com métodos diferentes. O marketing pessoal tem na exposição do indivíduo a sua maior característica, enquanto o personal branding envolve um trabalho voltado para a terceira pessoa.

Ambas são estratégias válidas para que o profissional consiga gerar valor, pois são abordagens que se distanciam da chamada autopromoção. Quando falamos de autopromoção, estamos nos referindo a ações não estratégicas, que em longo prazo tendem a gerar prejuízos para quem as pratica.

Assim, o marketing pessoal e também o personal branding, se diferenciam da autopromoção pois geram o compartilhamento de conhecimento ao contrário de sua retenção, além da valorização do outro em vez do menosprezo.

Como fazer o marketing pessoal

Quando lidamos com o marketing de marcas, costumamos seguir um plano para dar a elas maior visibilidade no mercado em que atuam. No que diz respeito ao marketing pessoal, funciona de maneira parecida, mas com o foco na atuação do indivíduo.

O plano precisa começar com a identificação das qualificações que a pessoa tem e de como elas podem ser úteis no seu segmento. Existem técnicas para potencializar isso. Confira como aplicá-las na sequência.

Saiba o que esperar de si mesmo

É preciso saber exatamente quais são suas características para ter como aperfeiçoar seus pontos fortes e corrigir os fracos. Para tanto, uma dica é fazer a conhecida análise SWOT ou FOFA, siglas para Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Essa análise, quando feita com o máximo de comprometimento, permite a você compreender a sua real situação e, consequentemente, orientar seu desenvolvimento. Basta listar aquilo que considera mais marcante no seu perfil pessoal dentro de cada um desses quadrantes para ter uma visão mais clara do seu estilo.

Essa análise, quando feita com o máximo de comprometimento, permite a você compreender a sua real situação e, consequentemente, orientar seu desenvolvimento. Basta listar aquilo que considera mais marcante no seu perfil pessoal dentro de cada um desses quadrantes para ter uma visão mais clara do seu estilo.

Crie sua missão, visão e valores

É preciso ter um norte para poder progredir profissionalmente. As empresas usam os conceitos de missão, visão e valores para estabelecerem os seus e assim conduzirem os processos corporativos de acordo com princípios.

Você também pode fazer isso. Entenda a missão como aquilo que te move, o que justifica a sua atuação no segmento escolhido. Já a visão é o que você pretende para o longo prazo, é onde você pretende chegar em 5 ou 10 anos. Os valores correspondem a tudo aquilo que você entende por certo e errado e eles devem estar acima de tudo.

Estabeleça seus objetivos

Uma vez determinado o seu perfil e estabelecidos missão, visão e valores, é hora de definir metas para agir de maneira mais precisa.

A ideia é estabelecer aquilo que é mais importante no seu progresso, considerando o curto, o médio e o longo prazo.

Em um primeiro momento, você pode perceber que sua imagem nas redes sociais não está associada à sua atividade profissional ou que sua relação com os colegas de trabalho está longe de ser amigável.

Em função desses problemas, pense no que pode ser feito em curto prazo. Algumas ações podem demorar mais tempo do que outras, por isso, tenha em mente fazer abordagens de médio e longo prazo.

Meça os seus resultados

Identificadas suas forças, fraquezas, ameaças e oportunidades, será possível como trabalhar com estratégias.

Com o tempo, você sentirá a necessidade de conferir os resultados. É preciso saber se seu plano está de acordo com as expectativas. A forma como isso deve ser feito depende daquilo que você estabeleceu. Assim, caso você tenha percebido que não é notado pelos profissionais da sua área, estabeleça como meta a participação em um número X de eventos até o fim do ano ou a criação de um perfil no LinkedIn com ao menos 100 contatos profissionais da sua área.

A questão aqui é estabelecer parâmetros para avaliar se você está progredindo ou não.

Posicione-se com clareza

O processo não tem fim, ou seja, é importante que você esteja sempre se autoavaliando e procurando meios para garantir uma atuação de acordo com suas necessidades. Somente assim você terá como manter uma imagem boa e respeitada pelos seus pares.

Com um posicionamento coerente, você evita contradições que costumam atrapalhar a evolução profissional das pessoas e as impedir de aproveitarem oportunidades. Trabalhe com metas e se esforce para alcançá-las com integridade. Isso certamente fará a diferença na sua vida.

As redes sociais e como utilizá-las

É importante também ter atenção ao que as redes sociais oferecem. Primeiro, do ponto de vista profissional, elas podem ser uma oportunidade ou uma ameaça, dependendo do uso que é feito delas.

Existem inúmeros casos de pessoas que acabaram se prejudicando ao postarem conteúdos avaliados como comprometedores por seus empregadores e até de empresas que perderam mercado por abordagens infelizes. Da mesma forma, também existem casos de profissionais que progrediram na carreira justamente por extraírem o máximo que essas ferramentas podem oferecer.

Ferramentas como o Facebook e o Instagram são excelentes para reunir amigos e postar conteúdos divertidos, entretanto, no contexto profissional é preciso ter um pouco mais de cuidado. Uma pessoa que adiciona seus colegas de trabalho no Facebook pode ter problemas com atualizações polêmicas que envolvam esse universo.

Isso também vale para o Instagram, o Twitter e qualquer outra rede social: lembre-se da importância de agir de acordo com sua missão, visão e valores.

Pensando especificamente na carreira, o LinkedIn acaba sendo a ferramenta mais interessante, uma vez que ela tem foco na questão profissional, permitindo que o usuário participe de grupos, crie conteúdo e estabeleça conexões com outros profissionais da área. Essa é uma maneira eficiente de se aproximar de pessoas e criar uma imagem profissional positiva.

Mesmo o Facebook também pode ser interessante nessa lógica, pois nele você pode criar um perfil profissional e usá-lo para se aproximar de clientes e parceiros.

O mais importante é entender que as redes sociais são canais que aproximam as pessoas, sendo assim, cada postagem deve estar de acordo com aquilo que você pretende que seja visto por elas como a sua verdade. Um profissional requisitado certamente é alguém responsável e que sabe como se comportar, seja em ambiente online, seja no espaço corporativo.

A importância da preparação

Tudo isso depende também de uma formação adequada. O estudante que consegue concluir uma faculdade boa, dá o primeiro passo para criar uma estratégia de marketing pessoal e projetar uma impressão com credibilidade no mercado de trabalho.

Uma imagem ruim pode ser consequência de problemas como a falta de confiança do colaborador em relação ao que faz e da comunicação ineficaz com as pessoas, entre outros. Boa parte dessas limitações diz respeito à formação.

É nesse sentido que a procura por uma instituição de ensino qualificada se faz primordial para o estudante. Faculdades conceituadas e com boa relação com órgãos do governo e a iniciativa privada podem gerar oportunidades diferenciadas já no início da carreira e colocar o profissional mais próximo das vagas mais desejadas.

Para tanto, existem iniciativas como o PRAVALER, um programa privado de financiamento estudantil que oferece soluções vantajosas para os estudantes. Saiba mais sobre como ele funciona e entenda de que maneiras ele pode ajudar você a começar com o pé direito a planejar a sua carreira profissional.

Compartilhar
Categoria: Carreira
Tags: ENEM ENEM 2019

Pesquisar

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.