Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Modernismo no Brasil: principais características, fases e mais! Modernismo no Brasil: principais características, fases e mais!

Modernismo no Brasil: principais características, fases e mais!

O século XX começou com importantes acontecimentos históricos e com mudanças de pensamento dos artistas da época, os quais impactam a sociedade até os dias de hoje. Foi nesse contexto em que o Modernismo do Brasil ocorreu, sendo um movimento caracterizado por novas expressões artísticas e literárias.

Esse assunto é bastante discutido em sala de aula e é cobrado em vestibulares de todo o país. Se você procura um resumo do Modernismo no Brasil, continue acompanhando a leitura deste artigo que preparamos para você com as principais informações sobre o tema!

O que foi o Modernismo?

Considerado como um movimento artístico e literário, o Modernismo ocorreu na primeira metade do século XX, começando primeiramente na Europa e em seguida, alguns anos depois, chegando ao Brasil. Nesse período dos anos 1900 diversos avanços e progressos aconteciam nas sociedades, como o desenvolvimento da indústria e da tecnologia.

Com isso, os pensadores e artistas da época começaram a ação de romper com a tradição atual da época e passaram a ir em busca de novas ideias, de diversas inovações e de diferentes maneiras de se expressarem com mais liberdade criativa. Afinal, queriam encontrar novas formas de marcarem esse recém começado período da história.

O movimento modernista no Brasil ficou marcado por variadas características, como as suas três fases, as quais iremos explicar mais para a frente. O objetivo era que a cultura moderna tivesse mais autonomia de criação do que era comum na época em questão, algo que as personalidades deste período viam como sendo ultrapassado.

Para entender o que foi o Modernismo no Brasil, é importante destacar que havia mais de um estilo dentro deste movimento cultural e que uma das principais particularidades de sua aplicação em nosso país foi a exaltação de tudo o que era nacional, uma característica que ficou conhecida como Nacionalismo.

É sabido que os artistas brasileiros da época se inspiravam na vanguarda da Europa, mas fizeram as devidas adaptações para a arte moderna no Brasil, como com críticas sociais às políticas da época. Afinal, estavam descontentes com o que ocorria no cenário nacional, visto que o contexto histórico do Modernismo no Brasil era a sociedade vivendo o pós-guerra, com a denominada política do café com leite e em plena República Velha. Assim, esse movimento artístico e cultural foi pautado por obras que iam contra esses acontecimentos tradicionais e contra a oligarquia da época.

Quais as características do Modernismo?

As características do Modernismo no Brasil reúnem uma série de fatores, os quais ficaram registrados de acordo com cada uma das três fases do movimento modernista. No entanto, de modo geral, pode-se considerar as seguintes particularidades: quebra com a tradição, reconhecimento da subjetividade, predomínio da ironia e do humor, valorização do Nacionalismo, crítica às tradições e ao passado, entre outras.

O Modernismo no Brasil tem características bastante marcantes, já que por trás das expressões culturais estava justamente a ideia de inovar com o que era feito até então, assim como encontrar o que havia de melhor no solo nacional, como as culturas regionais e suas particularidades.

Com isso, os grandes nomes da época, como Oswald e Mário de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Clarice Lispector, Heitor Villa-Lobos, Mário Quintana, Anita Malfatti, Tarsila do Amaral e outros, se basearam nesses fatores para criarem as obras e publicações modernas.

Além disso, as características deste movimento se fizeram presentes na grande maioria das frentes artísticas, como teatro, literatura (prosa e poesia), música, arquitetura, pintura e outros. Assim, cada artista pôde expressar o que entendia como moderno em sua própria produção cultural.

Entre os principais estilos artísticos que estiveram dentro do movimento moderno estão o Surrealismo, o Futurismo, o Cubismo, o Abstracionismo, o Fauvismo, o Dadaísmo, o Concretismo e o Expressionismo. Assim, as obras produzidas são diferentes em aparência, mas têm elementos semelhantes entre si, o que faz com que pertençam ao modernismo como um todo.

Quais as fases do Modernismo?

Como provavelmente você já sabe, existiram três fases do Modernismo no Brasil. Como o movimento moderno foi amplo e com diferentes estilos culturais acontecendo ao mesmo tempo, as fases delimitam cada período que tem as mesmas características em comum, de forma que também apresente os avanços do movimento. Entenda mais sobre a primeira, a segunda e a terceira fase modernista a seguir.

Primeira fase modernista

A primeira fase do Modernismo no Brasil teve início em 1922 e durou até 1930. Sendo o início do movimento, esse período teve como principal fator a consolidação das novas expressões artísticas, culturais e literárias, mostrando a necessidade da quebra com a tradição e como as ideias da época estavam ultrapassadas. Ficou conhecida como “fase heróica”.

Dessa forma, houve a exaltação da identidade nacional, algo que foi o pano de fundo de diversas obras, como do Manifesto Antropofágico (1928-1929), a fim de mostrar que os brasileiros não eram inferiores aos europeus. Na literatura, por exemplo, também ocorreu a valorização do regionalismo, escrita em versos livres e o uso de uma linguagem informal.

Os principais intelectuais dessa fase foram:

  • Oswald de Andrade
  • Mário de Andrade
  • Alcântara Machado
  • Guilherme Almeida
  • Manuel Bandeira
  • Ronaldo de Carvalho
  • Menotti del Picchia

Segunda fase modernista

Já a segunda fase do movimento modernista em solo nacional durou de 1930 a 1945. Estando mais consolidado, o Modernismo deste período buscou mostrar críticas sociais em romances, principalmente focando em regiões específicas do país, como as interioranas.

Também havia uma maior identificação do público com as obras da segunda fase modernista por elas se basearem em acontecimentos do cotidiano, nos problemas sociais e em situações da realidade da época, além de trabalhar os aspectos psicológicos com mais intensidade.

Os principais intelectuais dessa fase foram:

  • Carlos Drummond de Andrade
  • Jorge Amado
  • Raquel de Queiroz
  • Vinícius de Moraes
  • Graciliano Ramos
  • Cecília Meireles
  • Érico Veríssimo
  • José Lins do Rego
  • Murilo Mendes

Terceira fase modernista

Para concluir, a última fase do Modernismo no Brasil ficou conhecida como terceira fase, a qual foi de 1945 a 1960, também chamada de Geração de 45. Foi quando o movimento moderno passou por mudanças, buscando recursos formais e sérios, fazendo com que esse grupo de intelectuais ficasse conhecido como neoparnasianos.

A literatura de prosa e a poesia estiveram ainda mais presentes nesse período, tendo uma linguagem mais objetiva e uma maior atenção com a estética. A temática das obras continuava focada em assuntos sociais e do cotidiano.

Os principais intelectuais dessa fase foram:

  • Guimarães Rosa
  • Ariano Suassuna
  • Clarice Lispector
  • Mario Quintana
  • João Cabral de Melo Neto
  • Paulo Mendes Campos
  • Lygia Fagundes Telles
  • Nelson Rodrigues

A importância do Modernismo no Brasil

Por ter sido um movimento de amplo alcance e de longa duração, é inegável a importância do Modernismo no Brasil. Esse reconhecimento vem pelo fato das mudanças que as novas formas de criação e expressão artística causaram na sociedade da época, quebrando a tradição e revendo acontecimentos sociais.

Foram anos de obras criticando o que acontecia nesse período da história, assim como representação do cotidiano e a exaltação do Nacionalismo, o que fez com que esse movimento cultural impactasse em diferentes esferas da sociedade, como na reação das pessoas à política tradicional.

Qual foi o marco do Modernismo no Brasil

A importância do movimento também pode ser reconhecida ao descobrir qual foi o marco do Modernismo no Brasil: uma semana voltada para a exibição das novas obras dos artistas modernos, a qual marcou o começo do movimento moderno no país.

Ficando conhecida como Semana da Arte Moderna no Brasil, ou Semana de 22, esse evento aconteceu entre 13 e 18 de fevereiro, no Teatro Municipal de São Paulo e foi o palco para que importantes artistas mostrassem a necessidade que havia de inovar e ir contra as tradições. Essa data foi escolhida por ser o centenário da Independência e funcionou como um marco para mostrar que o movimento moderno já estava presente em solo nacional.

Para compreender o que foi a Semana da Arte Moderna no Brasil, saiba que esse acontecimento foi uma grande referência para toda a arte, literatura e cultura do início do século XX. Ficou marcado como o evento em que os intelectuais nacionais mais relevantes deste período apresentaram as influências oriundas da vanguarda da Europa, trazendo-as como inovações para a identidade brasileira.

Assim, essa grande exposição que marcou o Modernismo no Brasil foi um ponto de partida essencial para a concretização do movimento moderno. Além disso, o seu desdobramento para a cultura nacional continua refletindo até os dias atuais, nas mais variadas formas de criação e expressão artística.

Concluindo, a Semana de 22 serviu como um acontecimento que tinha como objetivo chocar a sociedade da época, então vista como mais conservadora, principalmente pelas políticas que ocorriam durante essa fase, e marcar o começo deste grande movimento cultural no Brasil.

Continue acompanhando o nosso blog para ver artigos que te ajudam nos vestibulares e a fazer parte do mundo universitário. E para ter o melhor financiamento estudantil do mercado, conte com o Pravaler.

Texto escrito por: PRASABER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter