Não consegui FIES. Qual a alternativa?

Não consegui FIES. Qual a alternativa?

As inscrições para solicitar o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) no primeiro semestre do ano acontecem até dia 12 de fevereiro e se você busca um financiamento para a sua graduação, mas não quer comprometer o orçamento pagando as mensalidades, essa pode ser uma boa alternativa.

O FIES é um fundo de crédito que atende estudantes de baixa renda que querem realizar o sonho de fazer o ensino superior em uma faculdade particular. O programa, por ser mantido pelo Governo Federal e Ministério da Educação (MEC), conta com uma lista de exigências para que o candidato esteja apto a participar. Dentre os requisitos, estão a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) a partir de 2010 e uma renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos, para modalidade FIES, ou até cinco salários mínimos, para a modalidade P-FIES.

Por esse motivo, nem todos são contemplados, mas as opções para financiar os estudos estão longe de acabar! Apesar do FIES ser um dos programas mais procurados pelos estudantes, existem alternativas que oferecem créditos estudantis com vantagens similares ao programa do governo e podem ser a melhor opção para a sua realidade financeira.

Conheça o FIES

Com a facilidade no acesso à informação, muitos estudantes de classes sociais baixas estão em busca de uma oportunidade de começar os estudos no ensino superior. O FIES foi criado para possibilitar que esse público conquiste o diploma universitário sem que isso interfira nas suas finanças.

De modo geral, o FIES é um programa governamental que oferece crédito estudantil para alunos que querem iniciar uma graduação em faculdades privadas, mas não tem condições financeiras para arcar com esse investimento agora. O projeto possibilita que o estudante faça a graduação e comece a pagar só depois de sua formatura, com taxa de juros e parcelas abaixo do mercado.

Mas, engana-se quem acredita que todos podem solicitar o financiamento através do FIES. Para ser contemplado, o candidato deve atender a uma série de imposições, como o limite de renda mensal, que não pode ultrapassar três salários mínimos, e a participação no ENEM em edições a partir de 2010, além de ter atingido, pelo menos, 450 pontos na média.

Se o seu perfil não se enquadra para solicitar o FIES e mesmo assim você não pode comprometer sua renda para pagar uma faculdade, outras opções podem ser a solução! Conheça algumas:

Alternativas de financiamento estudantil além do FIES

  1. BANCOS PRIVADOS

Agora, o Novo FIES conta com uma nova modalidade de financiamento que, ao contrário do modelo tradicional, é operacionalizada por bancos privados. O P-FIES atende estudantes com renda familiar que vão de três a cinco salários mínimos e para participar do processo é preciso atender aos mesmos requisitos impostos no FIES. No entanto, diferente do FIES que garante juros zero nos contratos de financiamento, os beneficiários do P-FIES arcam com uma taxa de juros, que varia de acordo com cada banco e pode atingir 2,5% ao mês.

Além disso, também existe a possibilidade de financiar os estudos diretamente com instituições financeiras privadas que contam com esse produto na cartela. Para isso, é preciso ser correntista do banco em questão e, em alguns casos, não estar negativado ou com nome ativo no SPC e Serasa.

Se optar pelo financiamento com bancos, saiba que cada instituição financeira conta com um modelo de crédito estudantil diferente com taxas variadas. E, por ter juros maiores do que outros programas, essa modalidade é mais utilizada para estudantes que já estão encerrando sua graduação e precisam de ajuda para pagar as mensalidades restantes.

  1. BOLSA UNIVERSIDADE

O programa é uma parceria entre o Governo Federal, a Secretaria de Educação e as instituições de ensino privadas. O Bolsa Universidade foi criado com o objetivo de integrar conhecimento e responsabilidade social.

Os estudantes que optarem pelo Bolsa Universidade contarão com um subsídio de 50% da Secretaria da Educação, referente ao valor da mensalidade do curso, desde que não ultrapasse R$500,00 mensais. O restante da mensalidade será custeado pela universidade parceira e o estudante não paga nada para ingressar na instituição de ensino.

Com 100% de bolsa, o contemplado conta apenas com uma exigência. Para garantir a gratuidade nos estudos, o beneficiário deverá desenvolver ações sociais em escolas públicas que fazem parte do Programa Escola da Família. As atividades podem ser compatíveis ao curso superior do bolsista ou de interesses gerais que estejam de acordo com os pilares do programa social – cultura, esporte, saúde e trabalho. Para não atrapalhar a rotina do estudante durante a semana, o desenvolvimento de ações no Programa Escola da Família acontece apenas aos finais de semana.

  1. PROUNI

Criado em 2004 é um programa governamental que oferece bolsas de estudos parciais e integrais em instituições de ensino privada. O Programa Universidade para Todos (ProUni) conta com um processo seletivo semelhante ao do FIES, com obrigatoriedade de comprovar uma renda baixa e ter participado do ENEM a partir de 2010.

Para participar do programa, é necessário que o estudante tenha uma renda máxima de um salário mínimo para solicitações de bolsa integral ou três salários mínimos para bolsas parciais – de até 50% do valor do curso.

No entanto, diferente de outros programas de bolsas de estudos, o ProUni exige que o beneficiário tenha um alto desempenho durante toda a graduação. A diretriz do programa impõe que, se o estudante não for aprovado em, pelo menos, 75% das disciplinas cursadas por período ou ter zerado a redação, terá sua bolsa interrompida imediatamente.

  1. BOLSA DE UNIVERSIDADES PRIVADAS

Em algumas faculdades particulares, o estudante pode solicitar uma bolsa de estudo, sendo ela parcial ou até integral, de acordo a situação de cada candidato.

Os critérios para conquistar a bolsa pela universidade varia de uma instituição para a outra, mas vai desde estudantes com renda familiar insuficiente e parentesco com outro aluno, até ao bom desempenho no vestibular, indicação de alunos e prestação de serviços ou estágios na própria instituição.

Para escolher essa modalidade, o estudante precisa ir até a faculdade de interesse e entender quais são as possibilidades para conquistar o benefício.

  1. FINANCIAMENTO PRIVADO

Existem algumas instituições que são especializadas em financiamentos estudantis e contam com uma flexibilização de pagamento semelhante ao FIES – com juros baixos e condições de parcelamento diferenciadas. O PRAVALER é um dos que mais se aproxima, com financiamento de até 100% da graduação e taxas de juros reduzidas ou até mesmo com juros zero, dependendo da universidade e do contrato estabelecido.

Com cerca de 195 mil alunos beneficiados, o PRAVALER promove a inclusão educacional por todo o país. São mais de 500 universidades parceiras e uma ampla cartela de cursos disponíveis, para começar a graduação com a certeza de que fez a melhor escolha.

O PRAVALER oferece créditos para estudantes que prestaram ou não do ENEM e as parcelas do financiamento são divididas conforme a necessidade do aluno, com aquisição feita totalmente on-line. Faça uma simulação e veja como a mensalidade pode sim caber no seu bolso!

Faça a escolha certa para começar a sua graduação!

Analise todas as alternativas disponíveis e os benefícios que elas podem trazer para que você conquiste o diploma de ensino superior com mais tranquilidade e menos aperto!

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.