1º Enem digital da história tem falhas técnicas no sistema e abstenção alta de 68%

Presidente do Inep disse que 'processo inédito está sujeito a obstáculos' e atribui alta taxa de ausência à pandemia.

1º Enem digital da história tem falhas técnicas no sistema e abstenção alta de 68%1º Enem digital da história tem falhas técnicas no sistema e abstenção alta de 68%

Por PRASABER

A primeira experiência do Enem no formato digital, que tem prazo de cinco anos para atingir 100% dos estudantes, teve menos de 30 mil participantes e problemas técnicos que deixaram candidatos sem prova em alguns locais. A abstenção foi de 68% entre os 96 mil candidatos confirmados.

Ao todo, apenas 29.703 participantes dentre os 93.079 inscritos fizeram o exame. O cenário é semelhante ao da prova feita no papel, que também registrou taxa recorde de ausência de candidatos.

O Enem digital registrou problemas como:

  • Uma espera de duas horas para o início da prova para candidatos de Belo Horizonte. Um dos alunos deixou o exame porque disse que começou a passar mal.
  • Estudantes foram dispensados após erro no sistema em Taguatinga, no Distrito Federal.
  • No Tocantins, dificuldades técnicas foram registradas e alunos foram mandados para casa.
  • No Amapá, um dos locais de prova teve problemas no prédio e foi interditado.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, classificou os erros de operação do Enem digital como “empecilhos” na renovação da forma de se aplicar o exame. “Tivemos alguns problemas? Tivemos, mas todo processo novo, inédito, está sujeito a obstáculos, empecilhos”, afirmou em coletiva de imprensa na noite do domingo (31).

Lopes afirmou que aqueles que não conseguiram fazer a prova poderão, caso desejem, realizar no próximo domingo (7). De acordo com ele, os candidatos também poderão pedir para fazer apenas o primeiro dia do exame na data da reaplicação. A solicitação deve ser feita pela Página do Participante. O prazo ainda será definido.

No primeiro dia de prova, participantes relataram atrasos no início da aplicação das provas por problemas técnicos ou mesmo impedimento.

As provas da versão digital já foram divulgadas no site do Inep. O tema da redação foi desigualdade social entre regiões brasileiras.

Outros números do primeiro domingo de Enem digital:

  • 70 candidatos eliminados (não foram especificados os motivos);
  • 104 municípios realizaram o exame;
  • Foram 1.028 locais de prova.

Segundo o diretor de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais do Inep, Camilo Mussi, isso ocorreu por problemas de um dos servidores na transmissão das provas para os computadores. Os exames foram enviados no domingo, pela internet, pelas máquinas antecipadamente cadastradas para o Enem.

A transmissão atrasou, de acordo com o diretor, até as 1h30. “Gostaríamos que todos tivessem começado as provas às 13h30. Não foi possível. Alguns participantes, pelo tempo, foram embora e terão direito à reaplicação”, afirmou Camilo.

Segundo apurado pelo jornal O Estado de São Paulo, candidatos dos estados do Amapá, Alagoas, Maranhão, Rio Grande do Sul e do Distrito Federal relataram problemas na hora de realizar o exame.  “O sistema parou, não liberou as provas e ficamos esperando sem fazer nada até as 15h30”, disse uma estudante do DF à reportagem. Ela também afirmou que, na sala de aula, disseram que a reaplicação seria “provavelmente só em março.

A abstenção, argumentaram, foi consequência do cenário da epidemia de coronavírus no Brasil – o motivo mais forte pelo qual diversos pedidos de adiamento do exame tramitaram na Justiça nas vésperas e após a primeira aplicação da prova.

“O índice de abstenção continua alto, como também teve no Enem impresso. A gente entende que isso é muito em função da pandemia. Alguns locais estão em lockdown, as pessoas não saíram de suas casas para fazer as provas”, argumentou Alexandre Lopes.

Neste ano, serão três versões diferentes do Enem:

  • impressa, em 17 e 24 de janeiro;
  • impressa, em 23 e 24 de fevereiro, na reaplicação do exame (para candidatos do Amazonas, por exemplo, onde a prova foi adiada; privados de liberdade; afetados por problemas logísticos, como falta de luz no local de prova; e pessoas com doenças infectocontagiosas);
  • digital, em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Compartilhar