Saiba como preparar um currículo estratégico

Economizar no número de páginas e incluir palavras-chave que destaquem habilidades do candidato são algumas dicas da especialista em gestão de pessoas Ana Karla Cantarelli.

Saiba como preparar um currículo estratégicoSaiba como preparar um currículo estratégico

Por PRASABER

Um currículo estratégico é um aliado na busca por oportunidades de trabalho. Essa procura se torna ainda mais desafiante em Pernambuco, o segundo estado brasileiro com o pior índice de desemprego, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada em abril.

A especialista em gestão de pessoas Ana Karla Cantarelli deu dicas para ajudar quem quer voltar ou entrar no mercado de trabalho. “A gente precisa lembrar que currículo é um janela que se abre para você e para a entrevista [de emprego]”, afirmou a especialista.

Ainda segundo Ana Karla, dispensar alguns elementos na hora de montar o currículo e revisá-lo antes de enviar podem ajudar os candidatos.

Economizar no número de páginas e saber selecionar as principais informações com palavras-chave que destaquem habilidades e competências do candidato é, de fato, o que as empresas querem, segundo a especialista.

Ainda de acordo com a especialista, também é importante saber o que não colocar. “Você não precisa detalhar questões relativas a CPF, identidade, esses dados pessoais, até porque a gente tem uma Lei Geral de Proteção de Dados que não permite isso, então não precisa se preocupar”, contou.

Ana Karla também explicou que a área de recursos humanos tem privilegiado a inclusão. “Não interessa qual sua orientação sexual, a cor da sua pele ou o seu gênero. Interessa a contribuição que você vai dar. Então, não precisa de fotos e não precisa de documentos”, explicou.

Jovem aprendiz

Para candidatos que possuem pouca ou nenhuma experiência no mercado de trabalho, uma alternativa para não deixar o currículo vazio é incluir vivências de trabalho em equipe e atividades voluntárias para tentar conquistar uma oportunidade como jovem aprendiz.

“Você pode ter sido voluntário, contado histórias para crianças em uma escola pública, ter trabalhado em um encontro de jovens na igreja da sua comunidade. Essas atividades mostram liderança e iniciativa. Isso conta para entender que você tem disponibilidade para desenvolver essas habilidades na prática”, declarou Ana Karla.

Ainda segundo a especialista, o jovem aprendiz também pode recorrer ao método de utilizar palavras-chave ao redigir o currículo. “Palavras que são importantes: contribuição, disponibilidade, vontade de contribuir. Essas questões falam mais de você do que o que você fez porque, naturalmente, o jovem aprendiz não tem tanta experiência”, disse.

Ela falou também sobre a importância dos cuidados com a gramática e endereços de e-mail mais formais e profissionais, sem a utilização de apelidos. Outra dica para os candidatos é ficar atento nas mensagens e ligações no celular, caso o número tenha sido incluído no currículo.

Ao procurar as vagas na internet, a especialista recomendou que sejam utilizados sites confiáveis e oficiais. “Cuidado com as armadilhas que a própria internet traz de ‘ofertas fáceis’. Procurem sites de empresas que são conhecidas ou até mesmo indicadas pelo Ministério do Trabalho”, indicou.


Fonte: G1

Compartilhar

Fique por dentro!

Assine nossa Newsletter e receba novidades, promoções e tudo relacionado ao Enem, Fies e Sisu! Inscreva-se!

Ao inscrever-se em nossa newsletter, você concorda com a política de privacidade do Pravaler.