Veja a adaptação dos vestibulares 2020/2021 ao cenário do covid-19

Nos dias das provas será obrigatório uso de máscara nos locais e webcam fiscal em casa.

Veja a adaptação dos vestibulares 2020/2021 ao cenário do covid-19Veja a adaptação dos vestibulares 2020/2021 ao cenário do covid-19

Por PRASABER

Para oferecer processos seletivos de forma segura a milhares de candidatos durante a pandemia de Covid-19, as instituições de ensino tiveram que se adaptar.

Na Universidade de São Paulo (USP), maior universidade do país, o processo seletivo remoto, solução encontrada por muitas escolas, nunca chegou a ser uma possibilidade, devido ao grande número de inscritos. “Não dispomos de estrutura de fato segura, que evite fraudes, para aplicar a avaliação online a 130 mil candidatos”, diz Belmira Bueno, diretora-executiva da Fuvest, órgão que organiza a prova da USP.

Mas o dia de vestibular será bem diferente dos outros anos. Em primeiro lugar, haverá o dobro de locais para a realização do exame – cerca de 150 contra 75 no ano passado, para reduzir aglomerações. “Dentro das salas, a Fuvest já não ocupava todas as carteiras, para evitar cópias, mas reduzimos mesmo essa lotação antiga à metade”, diz Matheus Torsani, médico que assessora a Fuvest no desenho do vestibular deste ano.

Máscaras serão obrigatórias a todo momento – à exceção da hora do reconhecimento do candidato -, álcool em gel será distribuído e o distanciamento entre as carteiras será de, no mínimo, 1,5 metro. As salas terão de ser arejadas e o uso de ar-condicionado está proibido.

Os cerca de 16 mil fiscais e outros profissionais que participarão do vestibular terão de usar, além das máscaras, “face shields” e o colaborador que manusear a prova só o fará de luvas. Os alunos terão intervalo maior de tempo para acessar os prédios, para evitar que muitos entrem juntos. “Nos preocupamos também com o pós. Vamos pedir para os cursinhos não promoverem aglomeração na frente dos locais de prova, como costumam fazer”, diz Torsani.

A instituição ainda não tem uma decisão sobre como fica o lanchinho que os alunos levam para o exame. “É delicado. O vestibulando não pode ficar cinco horas sem comer. A equipe médica está se dedicando a uma solução”, afirma Bueno, da Fuvest. Não haverá mudanças no conteúdo da prova.

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) é outra que segue com o modelo presencial. A universidade também aumentou o número de locais de prova, acrescentando duas novas cidades à lista, que agora tem 32 municípios. Além disso, dividiu sua primeira fase em dois dias, reduziu o tempo máximo do exame de cinco para quatro horas e também o número de questões, de 90 para 72.

A Universidade Presbiteriana Mackenzie, por sua vez, terá seleção 100% online. Os vestibulandos resolverão, a partir de seus computadores, 48 questões, além da redação. “O candidato será monitorado a todo momento. Ele tem de manter uma webcam ligada e haverá fiscais o vigiando. Se sai da página da avaliação, o fiscal recebe o alerta na hora”, diz Milton Pignatari, coordenador de processos seletivos. Segundo ele, haverá um fiscal para cada 25 candidatos.

Já a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) não fará a avaliação tradicional neste ano. Para ingressar na instituição, o vestibulando terá de passar por entrevista e depois escrever uma redação, tudo remotamente. “Fazia tempo que queríamos implementar a entrevista, mas não tínhamos um modelo para isso. Com o reforço tecnológico que tivemos de ter pela pandemia, conseguimos”, diz Alexandre Gracioso, vice-presidente acadêmico.

A escola entrevistará todos os inscritos (cerca de 3.500) e para isso, recrutou 150 professores. As conversas, que têm pautas específicas, divulgadas previamente, são agendadas no momento da inscrição. Para a redação, o candidato terá de gravar também um vídeo falando sobre o que escreverá.

Os cursinhos, por sua vez, estão flexibilizando as atividades na reta final. Antes 100% remotos, eles já oferecem opções presenciais – simulados, aulas e plantão-, com limite no número de alunos e observação de protocolos sanitários. No Etapa, Cursinho da Poli e Poliedro, os estudantes podem fazer simulado presencial. Já o Anglo segue só com atividades digitais.

Para quem é vestibulando, o ano é de incertezas. “Quando começou a pandemia, fiquei meio desnorteada, pois não sabia estudar em casa. Tive ajuda e consegui melhorar, mas ainda é difícil ter disciplina para estudar sozinha”, afirma Laura Ferreira da Silva Mateus, 19, aluna do Cursinho da Poli que prestará letras na USP e Unesp, além do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Confira as datas e como serão os vestibulares de cada instituição:

ESPM
Data: 19 e 21 de novembro
Modalidade: online
Exame redação e entrevista em vídeo (agendada)
Inscrições: até 17/11

Taxa de inscrição: R$ 100
Enem: aceita

Faap
Data: 22, 23 e 24 de novembro, dependendo do curso
Modalidade: online (se necessário, é possível usar os computadores da instituição)
Exame: prova de múltipla escolha e redação
Inscrições: até 20/11

Taxa de inscrição: R$ 170
Enem: aceita

FGV-SP
Data: 22 de novembro, com provas de segunda fase em diferentes dias de dezembro, dependendo do curso
Modalidade: online
Exame: prova com questões objetivas, discursivas e redação. Para Administração e Direito, há exame oral
Inscrições encerradas para prova online, abertas até 2/12 via Enem
Enem: aceita

Insper
Data: 11 de janeiro, com segunda fase entre 20 e 26 do mesmo mês
Modalidade: online
Exame: prova de múltipla escolha, com algumas questões de respostas simples (um número ou palavra), redação, dinâmica de grupo e um desafio de design (não avaliativo)
Inscrições: até 7/12

Taxa de inscrição: R$ 170
Enem: aceita (2018 ou 2019)

Mackenzie
Data: 11 de novembro, para o campus Campinas; e 2 e 3 de dezembro, para os campus Alphaville e São Paulo
Modalidade: online
Exame: prova de múltipla escolha e redação
Inscrições: até 20/11

Taxa de inscrição: R$ 100
Enem: aceita

PUC-SP
Data: 6 de dezembro
Modalidade :online
Exame: prova de múltipla escolha e redação
Inscrições: até 16/11

Taxa de inscrição: R$ 140
Enem: não aceita

Unesp
Data: 30 e 31 de janeiro (primeira fase) e 28 de fevereiro (segunda fase)
Modalidade: presencial
Exame: prova de múltipla escolha e redação
Inscrições: até 27/11
Taxa de inscrição: R$ 170 e R$ 42,50 para estudantes da rede pública
Enem: apenas para vagas remanescentes

Unicamp
Data: 6 e 7 de janeiro. A segunda fase será nos dias 7 e 8 de fevereiro
Modalidade: presencial
Exame: prova de múltipla escolha, questões dissertativas e redação
Inscrições: encerradas
Enem: não aceita

USP
Data: 10 de janeiro, com segunda fase nos dias 21 e 22 de fevereiro
Modalidade: presencial
Exame: prova de múltipla escolha, questões dissertativas e redação
Inscrições: encerradas
Enem: aceita


Fonte: DL News

Compartilhar