O que importa mais no trabalho: inteligência lógica ou emocional? O que importa mais no trabalho: inteligência lógica ou emocional?

O que importa mais no trabalho: inteligência lógica ou emocional?

Poucos sabem, mas nosso cérebro não funciona somente no modo lógico. Essa é, sem dúvidas, uma parte bastante importante, porém corresponde a apenas metade da estrutura pensante da nossa mente.
Existem estudos que revelam que a mente humana é constituída por duas mentes: a lógica e a emocional. Essas duas metades costumam funcionar de maneira harmônica; porém, em algumas situações, divergem. Um exemplo disso é quando somos acometidos por impulsos em uma situação que exige cautela e lógica.
Popularmente, a divisão que se faz entre inteligência lógica ou emocional é compreendida como a distinção que se costuma fazer entre razão e coração. Por isso, é importante que essas duas inteligências estejam sempre em harmonia para o nosso bem-estar.
Inteligência lógica, emocional e suas particularidades
De acordo com estudos científicos, o nosso cérebro é formado por duas regiões chamadas de amigdala e hipocampo. A amigdala é responsável pelo armazenamento das emoções e também das percepções; o hipocampo, por sua vez, é o local onde todo o raciocínio se organiza, no sentido mais estrito. Assim se configuram as inteligências lógica e emocional que articulamos diariamente.
Em seus estudos sobre a mente humana, a psicologia ampliou a maneira como se entende o que é a inteligência. Daniel Goleman afirma, em sua obra intitulada Inteligência Emocional, que o nível de intelecto de um ser humano não deve ser medido apenas por sua aptidão racional. Através de estudos muito bem embasados, o autor conseguiu demonstrar que as emoções também são essenciais nas decisões que precisamos tomar.
É fundamental ter um controle sobre as emoções, assim como refrear impulsos. Essas são qualidades importantes para ser bem-sucedido não apenas no trabalho, mas na vida, permitindo estabelecer bom relacionamento com todos que o cercam. Assim é que se começa a estabelecer um equilíbrio entre a inteligência lógica e a emocional, abrindo um maior horizonte para nossa mente.
Em contrapartida, a inteligência racional também é bastante importante. Foi em meados de 1912 que o estudioso William Stern apresentou o termo QI (Quoeficiente de Inteligência) para determinar a razão entre a idade cronológica e a idade mental de um ser humano. Através do QI, também é possível identificar a capacidade de alguém em solucionar questões lógicas. O QI é uma das principais maneiras de avaliar a inteligência humana, mas com a evolução da ciência, o conceito de inteligência se expandiu, dando margem para estudos relacionados à inteligência emocional.
As duas mentes no desenvolvimento do trabalho
É extremamente importante o desenvolvimento das inteligências lógica e emocional no trabalho. Como já dissemos, o equilíbrio é extremamente necessário para se alcançar o sucesso nas atividades do cotidiano. Os dois campos são importantes para se desenvolver um bom perfil de liderança, sempre considerando as vias de modo complementar. A fim de equilibrar o funcionamento da inteligência lógica e da emocional, é bastante válido saber quando e como é mais interessante usar cada uma delas.
No geral, a inteligência racional costuma ser aplicada no ambiente empresarial para resolução de problemas que necessitem de soluções rápidas, lógicas e quantitativas. Como em mapeamentos de lugares, definições de quantidades, mensuração de objetos, etc. Já o uso da inteligência emocional se faz necessário em situações em que é preciso relacionar, identificar e manifestar emoções suas, dos outros ou de uma equipe. Por exemplo, em reuniões de brainstorming para a captação de ideias, relações da empresa com o externo ou a relação coletiva, etc.
Acabamos associando o lado racional às áreas de Ciências Exatas, como matemática, física, engenharia, e o lado emocional às Ciências Humanas, como psicologia, recursos humanos, marketing. Mas em todo o tempo, os lados trabalham em conjunto. Então, independente de que ofício você escolha, é preciso sempre buscar a harmonia. Quem desenvolve um equilíbrio entre as duas áreas estará mais apto a lidar com diversas situações no campo profissional.
Esperamos que esse artigo tenha ajudado você a entender os conceitos de inteligência lógica e emocional, colocando-as em prática no trabalho. Alguma observação? Deixe um comentário!

Categoria: PrasaberProfissões

Pensamos na sua privacidade

Usamos cookies para que sua experiência seja melhor. Ao continuar navegando, você está ciente dos nossos Termos e Políticas.

CONTINUAR