Perdi o Enem 2019! E agora?

Perdi O Enem 2019

Por PRASABER

Perdi o Enem 2019! E agora?

Perder o Enem não é o fim do mundo. Embora o Exame Nacional do Ensino Médio seja um importante mecanismo de acesso ao ensino superior, o fato é que ele não representa a única possibilidade para o aluno. Você também pode recorrer a outras opções, e acredite, elas não são poucas.

Isso vale não somente para quem perdeu o Enem, como também para quem tentou uma nota no exame e não atingiu seu objetivo.

Se um desses é o seu caso, saiba mais sobre o que fazer na sequência e garanta um futuro promissor para a sua carreira.

Conheça suas possibilidades

A primeira atitude a ser feita é procurar se informar a respeito das instituições de ensino que ainda apresentam inscrições abertas para exames vestibulares. É possível que você tenha uma segunda chance na faculdade desejada.

A má notícia é que você precisará pagar por cada inscrição, ao contrário do que acontece no Enem em que uma única inscrição no exame serve para você tentar a vaga em todas as faculdades participantes.

Cursos a distância, em especial, costumam ter vagas abertas ao longo do ano, além de, em alguns casos, poderem selecionar via vestibular agendado, um modelo mais simplificado do que o tradicional.

Fique atento aos vestibulares

Participar do Enem não impede uma instituição de organizar suas próprias provas. E, aliás, boa parte das faculdades que aderem ao Enem conta com uma edição anual do seu vestibular. Optando pelo vestibular agendado, você marca a data da sua prova pela internet e faz o exame em um local previamente determinado.

De qualquer forma, o Enem não pode ser entendido como a sua única opção de ingresso no ensino superior. Ele é, na realidade, um exame facilitador, uma vez que permite que, usando uma única nota, você participe de diversos processos seletivos em todo o país.

Isso vale tanto para instituições públicas quanto privadas. A Universidade de São Paulo, por exemplo, seleciona seus candidatos via Sisu, que é um programa que usa a nota do Enem para preencher vagas em universidades públicas, mas também pelo vestibular da Fuvest, um dos mais tradicionais do país. Assim, neste caso, uma vez inscrito na Fuvest, mesmo tendo perdido a prova do Enem, você ainda tem como ingressar na USP.

O mesmo vale para a Pontifícia Universidade Católica, faculdade privada que permite o ingresso via vestibular tradicional ou por Enem. Neste caso, por se tratar de uma instituição privada, as oportunidades são ainda maiores. Saiba mais sobre elas na sequência.

Saiba como funcionam as bolsas de estudo

Mesmo em relação à participação em programas de bolsa de estudo e financiamento, ficar fora do Enem não precisa representar o fim do seu sonho. O Enem é uma obrigatoriedade para os programas do governo, como o ProUni e o FIES, mas existem inúmeras outras soluções privadas.

Se você almejava tentar o ProUni, saiba que é possível conseguir bolsas de estudo nas próprias instituições de ensino superior. Muitas delas atribuem bolsa por mérito para os candidatos que alcançaram as primeiras posições nos seus vestibulares.

Também existem bolsas auxílio, fundamentais para estudantes com menos recursos. Em todo o caso, procure se informar a respeito das possibilidades que a instituição de sua preferência oferece. É possível saber mais sobre isso em seus sites oficiais.

Conheça melhor as possibilidades de financiamento estudantil

Quanto ao financiamento estudantil, embora o FIES seja muito conhecido, ele, com certeza, não é a única solução que o estudante tem à sua disposição. Isso é muito bom para quem não fez Enem, pois o FIES usa a nota do Enem como requisito para a seleção de candidatos. Assim, existem outros programas que funcionam de maneira diferente e que oferecem possibilidades até melhores.

Vale lembrar que o financiamento estudantil é uma oferta de crédito destinado exclusivamente a estudantes. Isso permite a eles pagarem suas mensalidades em instituições de ensino superior, desde que exista uma parceria entre o programa em questão e a faculdade.

Assim, da mesma forma como é possível financiar bens materiais como móveis e imóveis, você também pode financiar seus estudos, com a diferença de que, neste caso, o objetivo está na sua própria carreira.

O PRAVALER

O maior programa de financiamento estudantil privado do país é o PRAVALER, que não usa a nota do Enem para selecionar seus beneficiários. Para participar do PRAVALER você só precisa estar matriculado em uma instituição de ensino superior participante do programa. E o que é melhor: o PRAVALER contempla não somente estudantes de cursos presenciais, como é o caso do FIES, mas também de cursos a distância e semipresenciais, além de pós-graduações.

Em relação a isso, a vantagem é muito grande, uma vez que o PRAVALER acaba sendo benéfico para um conjunto muito maior de estudantes. Somente no ano de 2018, foram mais de 1,5 milhão de estudantes de cursos EAD no país.

O PRAVALER funciona de maneira muito simples. Basta o interessado fazer uma simulação e conhecer as condições para participar do programa. O grande diferencial do PRAVALER em relação ao FIES é a desburocratização. Enquanto no FIES é preciso seguir um longo caminho até a conquista da vaga, indo desde a inscrição no Enem até a aceitação da instituição de interesse, no PRAVALER é necessário apenas conferir se há a possibilidade de participar do projeto dentro do site do programa e comprovar a sua matrícula.

Porque fazer o financiamento

É natural que o estudante tenha dúvidas a respeito não somente do curso a ser feito, mas também da faculdade ideal ou se deve estudar em uma instituição pública ou privada. Entretanto, é consideravelmente alta a concorrência por vagas nessas condições, o que inviabiliza o acesso de muitos estudantes ou faz com que eles levam anos para conseguirem sucesso nos processos seletivos.

O curso de Medicina, por exemplo, pode superar os 300 candidatos por vaga, como já aconteceu no exame da Unesp em 2018.

Assim, o financiamento estudantil acaba sendo uma solução mais racional para boa parte dos casos. No caso do PRAVALER, por exemplo, a única exigência é o aluno estar matriculado em uma instituição de ensino superior, independentemente de como ele conseguiu a vaga. Assim, você pode acionar o programa tendo feito o Enem, tendo sido aprovado no vestibular tradicional, agendando ou mesmo via segunda graduação.

Na prática, o financiamento acaba sendo muito mais acessível que as demais opções, permitindo o seu ingresso na área escolhida de maneira simples e rápida quando comparada com as outras possibilidades.

O que fazer depois de perder o Enem

Caso o seu problema tenha sido a nota, saiba que ainda é possível recuperar o tempo perdido e se preparar melhor para os vestibulares tradicionais. Para tanto, o ideal é fazer um planejamento. Comece ranqueando as matérias de acordo com o seu aproveitamento. Será em função delas que você terá como montar um cronograma de estudos de curto ou médio prazo e assim conseguir a vaga em outro exame.

Dessa forma, coloque no topo da lista as matérias nas quais teve o pior desempenho. Conte a quantidade de dias até a sua prova e organize a sua programação dando prioridade a elas. A divisão das matérias a serem estudadas precisa considerar as mais difíceis para que você tenha como melhorar sua nota. Esse é o meio mais eficiente de gerar resultados no próximo exame.

Considere utilizar métodos para aumentar a sua produtividade. Existem técnicas como a Pomodoro que são excelentes para ajudar você a produzir mais em menos tempo, algo que será essencial para recuperar pontos perdidos no exame anterior. De qualquer maneira, procure manter a calma para conseguir melhorar seu desempenho.

Como se organizar para o próximo ano

Caso o seu objetivo seja um curso que só é acessível via Enem, a dica é procurar se organizar em relação ao exame. Muitos dos problemas que levam os alunos a perderem a prova têm a ver com a dificuldade de acesso ao local do exame e a confusão com as datas.

Se esse for o seu caso, procure se precaver. Fique mais atento ao edital, pois é nele que são publicadas todas as orientações oficiais a respeito do exame. No site do INEP é possível receber as atualizações a cada nova publicação.

Procure também testar o trajeto até o local da prova no domingo anterior ao do exame e não deixe de se certificar que, caso você precise de ônibus, não haverá uma alteração nos horários em função da prova. Assim você diminui consideravelmente as chances de atraso. Também é interessante conhecer bem o caminho caso o seu deslocamento seja feito de carro ou a pé. Percorra o trecho da sua casa até o local da prova ao menos uma vez antes do exame e evite contratempos.

Enfim, se você perdeu o Enem, não se desespere. Fique atento as outras possibilidades existentes e dê continuidade à sua preparação. Confira também 10 dicas para relaxar antes do Enem.

Compartilhar

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.