Plataforma Lattes – o que é e como funciona? Plataforma Lattes – o que é e como funciona?

Plataforma Lattes – o que é e como funciona?

Quem está no mercado de trabalho, sabe que um currículo bem estruturado pode fazer muita diferença em um processo seletivo. Mas um currículo elaborado não serve só para uma busca profissional, ele é extremamente importante também para o setor acadêmico.

O currículo lattes é um dos formatos mais utilizados pelo meio acadêmico no Brasil e é utilizado para registrar a trajetória de um docente ou até mesmo de um pesquisador. Através do currículo Lattes, o estudante, a universidade ou pessoa envolvida em um projeto de estudo tem acesso a todo o ciclo de vida acadêmica de outros estudantes, professores ou pesquisadores, assim, é possível se atualizar de tudo o que acontece no meio científico e conhecer trabalhos já feitos no país.

Para manter o banco de currículo Lattes padronizado, objetivo e muito claro em todas as informações, foi criada a plataforma Lattes. Se você é do meio acadêmico – seja estudante interessado em iniciar uma pesquisa ou professor – e quer conhecer mais sobre o que é e como funciona a plataforma, vamos te contar tudo neste artigo. Continue acompanhando.

O que é plataforma Lattes?

A plataforma Lattes é um canal criado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que tem como objetivo integrar as bases de dados curriculares para centralizar quaisquer tipos de informações científicas de estudiosos, grupos de pesquisas e instituições de todo o país em um único sistema.

De maneira geral, a plataforma Lattes reúne todos os currículos acadêmicos (ou currículo Lattes) e pesquisas científicas registradas nacionalmente, para ser uma fonte de busca confiável entre os pesquisadores e centros de pesquisas. Além disso, acabou se tornando um ambiente estratégico, não só para o planejamento e gestão científica, mas também para o desenvolvimento das políticas do Ministério de Ciência e Tecnologia e outros órgãos governamentais da área de ciência, tecnologia e inovação, uma vez que através dela é feita a análise de todos os dados reunidos, como ranking de instituições e perfil de doutores e pesquisadores.

Como alternativa para manter um formato padrão de informação acadêmica, o currículo Lattes acabou se tornando o modelo usado por todo o setor no Brasil. Nele, é possível ter acesso à todas as informações sobre determinado perfil, como formações acadêmicas, idiomas de conhecimento, áreas de produção científica, artigos publicados, iniciação científica, participação em projetos e eventos etc.

Manter o currículo Lattes atualizado na plataforma é fundamental para fomentar esse nicho de conhecimento e, além disso, é um ótimo canal para pesquisadores conquistarem novos incentivos à pesquisas que estão relacionados, como bolsas, auxílios, patrocínios e prêmios. 

Como funciona a plataforma Lattes?

A base da plataforma Lattes conta com mais de seis milhões de registros nacionais, desde estudantes de graduação que iniciaram uma pesquisa científica até a professores que compõe equipes de docentes.

Na plataforma, é possível acessar currículos, dados e estatísticas de toda a produção científica do Brasil, podendo ser filtrado por região, instituição, grupos de gênero etc.

Os dados estão distribuídos entre três subconjuntos, são eles:

  • Unidades de análise: que indicam o que você deseja saber;
  • Variáveis de filtro: que sugerem como você segmenta a informação;
  • Variáveis de conteúdo: mostra o nível de detalhamento a ser visualizado.

A tabulação das informações é registrada em sete unidades de análise, que são:

  • Grupos;
  • Linhas de pesquisa;
  • Pesquisadores;
  • Estudantes;
  • Pessoal técnico;
  • Setor produtivo;
  • Produção científica, tecnológica e artística (C,T&A).

Cada unidade conta com variáveis de filtro, como questões geográficas, faixa etária e área de conhecimento. Em algumas unidades, as variáveis já são preestabelecidas, outras são estruturadas de acordo com o conteúdo buscado, como nacionalidade, tipo de produção liderança etc.

Como acessar a Plataforma Lattes?

A plataforma Lattes pode ser acessada por estudantes, para conhecer o perfil de seu corpo docente, por equipe de pesquisadores, para buscar profissionais qualificados para seus projetos, ou ainda por instituições de ensino, para agregar o processo de seleção do corpo docente.

Para acessar a plataforma, basta acessar o portal lattes.cnpq.br/. Lá, você poderá analisar currículos de profissionais cadastrados, instituições, um painel com dados geográficos e evolutivos ou o diretório de pesquisas nacionais.

Como Acessar a plataforma Lattes

Como fazer seu currículo na plataforma Lattes?

Esse formato de currículo é utilizado no setor acadêmico justamente por seu alto nível de detalhamento. Nele, deve ter informações básicas do profissional, como nome, filiação e registros, além da formação acadêmica e atividades desempenhadas no setor educacional ou de pesquisa.

Confira uma lista com itens obrigatórios no cadastro do currículo Lattes:

  • Dados pessoais;
  • Formação acadêmica;
  • Idiomas e competências na fala, escrita e leitura;
  • Área de produção científica;
  • Artigos publicados;
  • Projetos de pesquisa ou de extensão;
  • Grupos de pesquisa que participe ou tenha participado;
  • Bancas que tenha participado.

Para cadastrar o currículo Lattes é muito simples. Basta seguir o passo a passo:

  1. Selecione “Cadastrar novo currículo”.

    Como Acessar a plataforma Lattes passo 1

  2. Preencha seus dados

    Como Acessar a plataforma Lattes passo 2

  3. Ao confirmar, você será direcionado para uma nova página, para preencher todos os dados pessoais obrigatórios. Mas, lembre-se, todas as informações disponibilizadas nessa etapa precisam ser iguais as registradas na Receita Federal.

    Como Acessar a plataforma Lattes passo 3

  4. Informe um endereço, podendo ser residencial ou profissional. Caso indique uma localização profissional, também precisará informar o nome da instituição.

    Como Acessar a plataforma Lattes passo 4

  5. Preencha seus dados acadêmicos, a formação concluída e as que estão em andamento.

    Como Acessar a plataforma Lattes passo 5

  6. Caso trabalhe, preenche as informações sobre a empresa em que atua.

    Como Acessar a plataforma Lattes passo 6

  7. Em seguida, indique sua área de atuação (como Marketing, por exemplo) e nível de conhecimento em outras línguas.

    Como Acessar a plataforma Lattes passo 7

 Pronto! Seu currículo Lattes está pronto e em até 24 horas estará disponível para todo o Brasil.

Como atualizar o currículo na Plataforma Lattes?

Assim que finalizar o cadastro inicial, é possível descrever informações ainda mais detalhadas sobre a vida acadêmica e, além disso, o currículo sempre estará disponível para atualizações, conforme o profissional avança na carreira.

Dentre as informações que pode acrescentar no currículo Lattes, estão:

  • Participação em eventos, congressos, exposições e feiras;
  • Apresentações de trabalhos ou palestra;
  • Artigos publicados;
  • Projetos de extensão;
  • Textos em jornais ou revista;
  • Trabalhos técnicos;
  • Participação em bancas de trabalhos de conclusão de curso.

Como pesquisar um currículo na plataforma Lattes?

Para fazer uma busca simples de currículo, clique em “Buscar currículo”, na página inicial do portal.


Como pesquisar um currículo na plataforma Lattes?


Ao abrir o link, preencha o campo com o nome do profissional ou a palavra-chave da expertise dele (Medicina, por exemplo). Para ter um resultado mais assertivo, você pode selecionar a base, o nível de experiência e a nacionalidade.

Como pesquisar um currículo na plataforma Lattes? 2

Glossário

Agora que já te contamos tudo sobre a plataforma Lattes e como cadastrar o seu currículo acadêmico nela, preparamos um glossário com termos e siglas que frequentemente você poderá encontrar no sistema e nas buscas feitas nele. Veja mais abaixo:

Área predominante do grupo

É a classificação da área que mais se aproxima das atividades de pesquisa de um grupo, determinada a partir de uma lista existente e utilizada pelo CNPq. A partir dessa segmentação, é possível organizar e sistematizar os dados para a elaboração de estatísticas e indicadores sobre as atividades de pesquisa no Brasil.

Assessor

Um profissional que auxilia o Dirigente de Pesquisa na gestão do Diretório, ou seja, nos relacionamentos entre o CNPq e seus líderes e pesquisadores cadastrados. Para desempenhar a função de um assessor, pode-se ser secretário, coordenador, professor, técnico, ou qualquer outro cargo, desde que presente no quadro permanente da instituição.

Atividade do técnico no grupo

Para manter a padronização das atividades exercidas pela equipe técnica no grupo de pesquisa, o Diretório adota a CBO (Classificação Brasileira de Ocupações). Dessa forma, é possível preencher o Formulário do Grupo com a ocupação oficial que mais se aproxima das atividades exercidas pelo técnico.

Base censitária ou censo do DGP

É um registro fotográfico da Base corrente do DGP (Diretório dos Grupos de Pesquisa) tirada periodicamente, a fim de garantir as capacitações e instalações do ambiente de pesquisa no país. Além disso, essa base também contém outras informações, como a do Sistema de Bolsas do CNPq e do COLETA da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES (docentes da pós-graduação), utilizadas como filtros na busca textual dos grupos.

Base corrente do DGP

É a base atualizada do Diretório, com todas as composições de grupos de pesquisa, desde o recurso humano presente, até as linhas de pesquisa, especialidade, setor de aplicação, produção científica, tecnológica ou artística e as parcerias estabelecidas pela pesquisa em questão.

Cadastro de Informações Institucionais – CADI

É uma ferramenta disponível dentro da plataforma Lattes que permite o cadastro de instituições de pesquisa, nacionais ou internacionais. O cadastro pode ser feito por representantes do Lattes ou por pessoas externas e a ferramenta é uma alternativa de busca de centros especializados em pesquisas.

Classificação Brasileira de Ocupações – CBO

É um documento de responsabilidade do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) que identifica e reconhece as ocupações no mercado de trabalho nacional, a fim de padronizar as atribuições, principalmente na carteira de trabalho. Na plataforma Lattes, ela é utilizada para determinar a atividade de um técnico integrante do grupo de pesquisa.

Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE

É a classificação adotada pelos órgãos federais, estaduais e municipais para a padronização nacional dos códigos de atividade econômica. A CNAE é o resultado de um trabalho em conjunto entre Secretaria da Receita Federal e orientação técnica do IBGE, com representantes da União, dos Estados e dos Municípios, na Subcomissão Técnica da CNAE.

Colaborador estrangeiro

Um pesquisador que não reside no Brasil e colabora, eventualmente, com o grupo de pesquisa, sem estar diretamente e permanentemente com a realização da produção. Para contar com o colaborador estrangeiro, é necessário que ele tenha cadastrado seu currículo Lattes, mesmo que com informações mínimas exigidas para a publicação.

Coleta CAPES

Sistema criado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior para coletar informações sobre os programas de pós-graduação Stricto Sensu do Brasil.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES

Agência que fomenta a pesquisa no país, expandindo e consolidando a pós-graduação Stricto Senso, vinculada ao Ministério da Educação.

Currículo Lattes – CV Lattes

Uma relação padronizada com o registro de vida pregressa acadêmica de estudantes e pesquisadores do país. Inicialmente utilizado pelo CNPq, passou a ser ferramenta indispensável para a análise de méritos e competências para o financiamento de pesquisas.

Diretório de Instituições – DI

Uma base de dados cadastrais de todas as instituições que estabelecem um relacionamento com o CNPq, como instituições participantes dos programas de bolsas e fomento do CNPq e do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil (DGP); instituições usuárias de serviços prestados pela Agência, como o credenciamento para importação pela Lei 8.010/90; instituições que pleiteiam participar desses programas e serviços.

Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil – DGP

Inventário dos grupos de pesquisa em atividade no Brasil. Nesse Diretório, é possível encontrar informações sobre os recursos humanos constituintes dos grupos, linhas de pesquisa em andamento, especialidades, os setores de aplicação e o tipo de produção. Com isso, é capas de descrever o perfil geral da atividade científico-tecnológico no país.

Dirigente de pesquisa (ou Dirigente institucional de pesquisa)

Gerente ou superior imediato das pesquisas em uma instituição (pró-reitor, superintendente, diretor, coordenador etc.). É de sua responsabilidade identificar e cadastrar líderes de grupos e determinar a certificação de todos os integrantes.

Para ter acesso ao DGP como Dirigente, é necessário: 

  1. Estar cadastrado como Representante (com o respectivo papel associado) ou, se for o caso, como Titular no Diretório de Instituições-DI do CNPq;
  2. Ter um Currículo Lattes no CNPq, pois a senha de acesso é a Senha CNPq (a mesma do CV Lattes), a exemplo de todos os demais serviços do CNPq.

Egresso dos grupos de pesquisa

Um grupo de pesquisa em que o pesquisador ou o estudante já participou e, por algum motivo, foi excluído. A partir de sua exclusão, é registrado automaticamente como egresso, mantendo o histórico da participação e indicando as datas de inclusão e exclusão no projeto.

Equipamentos e softwares relevantes

Ferramentas de uso exclusivo do grupo de pesquisa, que não são parte da infraestrutura institucional.

Estudante

Bolsista ou não, que está em uma iniciação científica ou em algum curso de pós-graduação e participa ativamente de uma linha de pesquisa desenvolvida por um grupo.

Formulário grupo

Um questionário eletrônico padronizado pelo DGP, para que os líderes compartilhem informações requeridas sobre o grupo de pesquisas que faz parte, como o recurso humano, as linhas de pesquisa, as instituições parceiras, colaboradores estrangeiros etc.

Grupo aguardando certificação

É o status de um grupo de pesquisa que está aguardando análise do dirigente institucional de pesquisa, com vistas à certificação do projeto. Se permanecer mais de 12 meses na situação “Aguardando certificação”, o grupo passa automaticamente para a situação “Excluído”, e não poderá mais ser recuperado pelo Líder ou Dirigente na base de dados.  Os grupos na situação “Aguardando Certificação” não são divulgados pelo CNPq e nem incluídos nos censos do Diretório.

Grupo certificado pela instituição

Status de um grupo de pesquisa que foi reconhecido e certificado pelo dirigente de pesquisa da instituição. A certificação pode ser retirada pelo Dirigente Institucional de Pesquisa e, neste caso, a situação de Grupo altera-se para Certificação negada pela instituição.

Apenas os grupos certificados e atualizados podem participar dos Censos do Diretório.

Grupo com certificação negada pela instituição

Status do grupo de pesquisa que teve a certificação negada pelo dirigente de pesquisa. Caso o grupo permanecer por mais de 12 meses na situação, passará automaticamente para a situação “Excluído” e não poderá mais ser recuperado pelo Líder ou Dirigente na base de dados.

Os grupos de pesquisa com certificação negada não são divulgados pelo CNPq e nem incluídos nos censos do Diretório.

Grupo de pesquisa

Um conjunto de indivíduos organizados hierarquicamente para um projeto de estudo. Essa divisão foi determinada pelo CNPq com as seguintes finalidades:

  • Garantir a experiência profissional e acadêmica, o destaque e a liderança no terreno científico ou tecnológico;
  • Envolvimento profissional e permanente com a atividade de pesquisa;
  • Manter linhas comuns de pesquisa que se subordinam ao grupo (e não ao contrário).

Grupo em preenchimento

Um grupo novo ou já existente, mas com formulário editado pelo líder para atualização e não reenviado. Para sair de tal situação, o líder deve acessar o formulário, preencher com todas as informações, se necessário, e enviar ao CNPq.

O grupo que estiver nessa situação após 12 meses terá a situação alterada para “Excluído” e não poderá mais ser “editado” pelo Líder. Esses não são divulgados pelo CNPq e nem incluídos nos censos do Diretório.

Grupo excluído

Grupo descartado pelo líder ou automaticamente pelo sistema da plataforma Lattes, a partir das regras estabelecidas para cada situação.

O grupo excluído não poderá recuperar seus dados e não ficará acessível ao Dirigente, para eventual mudança de situação. No entanto, é possível retornar ao sistema, inserindo o grupo como um novo grupo de pesquisa.

Grupo não-atualizado

Um grupo certificado que não sofreu com nenhuma atualização nos últimos 12 meses. Um grupo nesse status não participa dos censos do Diretório, mas fica disponível para consultas na busca pública do portal do DGP por um período máximo de 12 meses. Se completar esse tempo sem nenhuma atualização, ele é excluído da base.

Instituição de Ensino Superior – IES

Organização institucional dedicado ao ensino superior, pública ou privada, podendo ser universidade, instituto ou escola.

Instituição parceira

Instituição que tem algum tipo de relacionamento com o DGP. No formulário, ainda, é estabelecido também os tipos de relacionamento dessas instituições com grupos de pesquisa, entidades jurídicas, empresas do setor produtivo, as formas genéricas de remuneração dessas relações etc.

Instituições participantes

São instituições de pesquisa previamente autorizadas pelo CNPq para participar da lista de instituições do Diretório. São consideradas instituições participantes os centros que possuem pós-graduação, e os institutos públicos de pesquisa científica e tecnológica.

Líder de grupo de pesquisa

Um integrante com liderança acadêmica e intelectual no ambiente de pesquisa. Normalmente, é responsável pela coordenação e planejamento dos trabalhos de um grupo de pesquisa.

Um grupo pode admitir até dois líderes. Ambos contam com o mesmo valor e atribuições diante do DGP, a diferenciação é apenas para identificar quem é responsável pelo preenchimento de informações na plataforma.

Linha de pesquisa

São os temas identificados para o estudo científico que se fundamentam em tradição investigativa, ou seja, de onde se origina o projeto cujo resultado possui afinidade entre si.

Um grupo de pesquisa pode ter uma ou mais linhas de pesquisa e elas não precisam, necessariamente, estar ligadas às especialidades de todos os integrantes.

Pesquisa

De acordo com o DGP, são caracterizados como pesquisa para a plataforma os seguintes conceitos:

  • Pesquisa e Desenvolvimento (P&D): consiste em trabalho criativo, empreendido de forma sistemática, com o objetivo de aumentar o acervo de conhecimentos e o uso desses conhecimentos para desenvolver novas aplicações, tais como produtos ou processos novos ou tecnologicamente aprimorados.
  • Investigação Básica:desenvolvimento de trabalhos originais de investigação realizados visando a obtenção de novos conhecimentos orientados para aplicações específicas.
  • Pesquisa Aplicada: desenvolvimento de trabalhos originais de investigação realizados visando à obtenção de novos conhecimentos orientados para aplicações específicas.
  • Desenvolvimento Experimental:trabalhos sistemáticos baseados nos conhecimentos disponíveis, obtidos como resultado das atividades de pesquisa básica ou aplicada, orientada para a produção de novos materiais, produtos ou dispositivos, bem como para a realização ou aperfeiçoamento de novos processos, sistemas ou serviços.

Pesquisador

Um membro, graduado ou pós-graduado, do grupo de pesquisa que está envolvido com a efetivação do projeto e produção científica, tecnológica ou artística.

Produção C,T&A do grupo de pesquisa

Traduzido para produção científica, tecnológica e artística, é a soma de produções presentes no currículo Lattes dos integrantes do grupo de pesquisa.

Redes de pesquisa

Um ambiente dedicado ao intercâmbio de informações e junção das competências de grupos, visando unir esforços em busca de metas em comum e o impulsionamento do processo de inovação.

Representante

É o profissional que representa a instituição que abriga o grupo de pesquisa. Ambos deves estar cadastrados no Diretório do CNPq. O representante tem acesso próprio do DI e todos os outros sistemas que os associados possuem.

Senha CNPq (ou senha Lattes)

O acesso de todos os serviços restritos prestados na plataforma do CNPq, como o formulário de propostas, o Diretório de Grupos de Pesquisa etc. A senha é fornecida quando cadastrado o currículo Lattes no CNPq.

Setor de aplicação (da linha de pesquisa)

Para cada linha de pesquisa, é necessário ter até três setores de atividade econômica onde será possível aplicar o projeto. Para isso, é utilizada a tabela Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE

Setor de atividade econômica

Extraídos do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), são instrumentos de padronização com códigos das atividades econômicas em que a instituição informada pelo líder como parceira atua. 

Técnico

Profissional que auxilia os pesquisadores de um grupo de pesquisa em suas atividades. Suas funções variam de acordo com seu nível de formação e, normalmente, requerem diferentes elementos de capacitação acadêmica. Para identificar as atribuições possíveis, é necessário acessar a CBO.

Titular

É o dirigente máximo de uma instituição de pesquisa (presidente, reitor etc.). É obrigatório que este, assim como a instituição, esteja cadastrado no sistema do CNPq, assim, terá acesso a todas as ferramentas da plataforma.

Gostou das dicas sobre como tornar a plataforma Lattes como sua aliada? Então continue acompanhando nosso blog e confira novos conteúdos para te ajudar, seja em projetos acadêmicos ou de carreira 😉

Categoria: PRASABERDiversos

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.