Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
É preciso fazer Medicina para ser pediatra? É preciso fazer Medicina para ser pediatra?

É preciso fazer Medicina para ser pediatra?

Fazer o curso de Medicina com certeza é o sonho de muitos estudantes, isso porque, além de ser uma das profissões mais valorizadas no mercado, abre boas oportunidades de emprego e possibilidades de carreira com suas especializações, e uma delas é a Pediatria.

Para quem gosta e tem domínio em atendimentos com crianças e adolescentes, certamente vai se encontrar nessa profissão. É uma área muito valorizada, com um dos salários mais altos e com bastante demanda. Além disso, é uma carreira muito desafiadora, onde exige do profissional estudos contínuos, muita dedicação e vontade de fazer a diferença.

No entanto, para se tornar médico pediatra, é necessário realizar a graduação em Medicina, e após a conclusão, buscar a especialização na área ou residência médica de três anos. Quer saber mais sobre como se tornar pediatra? Continue a leitura deste artigo. Aqui iremos tirar todas as dúvidas sobre essa carreira tão promissora.

O que é Pediatria?

Diferente de outros segmentos da Medicina, cujo objetivo é o tratamento e acompanhamento de doenças, como Oncologia, por exemplo, a Pediatria tem um público-alvo específico, você sabia?

A Pediatria é uma especialidade médica voltada ao cuidado de crianças e adolescentes nos mais diversos aspectos, seja para tratamento de doenças crônicas ou para acompanhamento preventivo, com orientações aos pais a fim de garantir um crescimento saudável aos seus filhos. É ele quem vai cuidar de todo o processo, inicial ou não, desses pacientes.

Neste caso, podemos dizer que o médico pediatra é o “clínico médico infantil”, podendo acompanhar a criança desde os primeiros anos até atingir a adolescência, e avaliar todo o seu desenvolvimento físico, mental, cognitivo e imunológico. Este profissional é capacitado a identificar quaisquer consequências de doenças para este público.

O que é preciso estudar para ser pediatra?

Para se tornar pediatra, primeiramente, é preciso fazer a faculdade de Medicina. Na realidade, é esse o pontapé inicial para começar a carreira como médico, independente da especialidade de atuação. São seis anos de curso, em tempo integral, e neste período o aluno vai conhecer um pouco de cada área da profissão e entender por completo o funcionamento do corpo humano.

Nos primeiros semestres do curso de Medicina, o estudante terá contato com disciplinas mais gerais e teóricas, como Anatomia, Fisiologia, Biologia, e vai estudar também sobre todas as doenças e seus tratamentos. O estágio é obrigatório, a partir do 9º semestre. É nesta fase da graduação que o aluno coloca em prática tudo que aprendeu ao longo do curso, e tem contato em diferentes campos para ter uma melhor noção da rotina de um médico.

Após formado em Medicina com um diploma reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação), o profissional poderá atuar como clínico geral em hospitais, unidades básicas e clínicas, e assim, buscar a especialização em Pediatria.

Veja também: Qual curso tem a grade curricular mais parecida com Medicina?

CTA curso de Medicina

Faculdade de Pediatria

Agora está na hora de conhecer o funcionamento dessa especialização profissional, e claro, o dia a dia de um estudante de Pediatria, vamos lá?

Como mencionamos acima, a carreira de Pediatra é totalmente voltada para atendimento e acompanhamento médico a bebês, crianças e adolescentes. Essa profissão é de extrema importância e muito fundamental para a sociedade, visto que, é responsável por cuidar da saúde de uma pessoa nos processos iniciais da vida, a infância.

Diante disso, para se tornar pediatra, é importante ter o bacharelado em Medicina, que ao todo, são seis anos de curso. Após a conclusão, o profissional tem duas possibilidades para se formar nela, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (entidade nacional da categoria), que são a residência médica e a pós-graduação. Vamos explicar um pouco sobre cada uma delas, confira:

Residência em Pediatria

É uma das alternativas mais buscadas pelos recém-formados, isso porque, foge um pouco da rotina que estavam acostumados na sala de aula, pois a residência é feita em um hospital universitário. Suas atividades são totalmente voltadas à prática, que o fazem lidar com situações reais, e por meio disso, adquirir a experiência necessária.

A residência em Pediatria tem a duração de três anos, e é realizada em período integral.

Pós-Graduação em Pediatria

A segunda opção é a pós-graduação em Pediatria, que por sua vez, acontece dentro da faculdade, com a duração de dois a três anos. Nessa categoria, o aluno terá contato prático em salas específicas, mas também em campo, como em ambientes ambulatoriais.

A diferença entre a residência e a pós-graduação, é que a pós não é realizada em tempo integral, e sim semanalmente, mensalmente ou bimestralmente, fica a critério do estudante. Essa alternativa normalmente é escolhida por profissionais formados em Medicina que já atuam na área como clínico geral e buscam a especialização enquanto exercem a função.

No curso de pós-graduação, as principais disciplinas estudadas são:

  • Anatomia
  • Biologia
  • Exame e Análises Clínicas
  • Farmacologia Básica
  • Fisiologia
  • Patologia Infantil
  • Pedagogia
  • Psicologia Infantil Básica
  • Química Básica

Além dessas matérias, o profissional também precisa realizar o estágio. Ele é obrigatório e fundamental para a melhor formação do especialista.

Veja também: Psicologia Infantil – saiba o que é e como atuar na área!

Quantos anos para se formar em Pediatria?

Em média, são de oito a nove anos para se formar em Pediatria, visto que somente a graduação em Medicina dura seis anos, e a depender da escolha entre residência médica em Pediatria ou a pós-graduação, essa duração pode variar.

A residência no modo geral, tem a duração de três anos, e a pós-graduação dois anos. Vale lembrar que as duas modalidades possuem títulos diferentes, por isso, ao optar pela pós, é necessário realizar a prova de títulos para que assim, seja intitulado como especialista. Somente após isso, o profissional poderá solicitar o registro e a inscrição ao CRM (Conselho Regional de Medicina), e atuar definitivamente na área.

Mas não para por aí. Após a especialização, o médico pediatra tem também diversas outras possibilidades de atuação na área, como por exemplo, medicina intensiva pediátrica, alergia e imunologia pediátrica, hematologia, hemoterapia pediátrica, e entre outras que você pode conferir na lista a seguir:

  • Cardiologia pediátrica
  • Endocrinologia pediátrica
  • Gastroenterologia pediátrica
  • Infectologia pediátrica
  • Medicina do adolescente
  • Neonatologia
  • Nutrologia pediátrica
  • Nefrologia pediátrica
  • Neurologia pediátrica
  • Pneumologia pediátrica
  • Reumatologia pediátrica

Todas essas áreas são especialidades médicas que sua única particularidade é o público: crianças e adolescentes. Além disso, a rotina também muda de acordo com o segmento escolhido, como por exemplo, em Neonatologia, o profissional trabalha exclusivamente com plantões em hospitais.

Quanto ganha um médico pediatra?

Não é novidade que, qualquer especialização em Medicina possa trazer bons frutos financeiros, e em Pediatria não é diferente. A faixa salarial de um médico pediatra é de R$ 6.970,43, no entanto, o teto desta profissão pode chegar a R$ 16.366,23.

Todavia, esse status pode variar de acordo com a região, local de trabalho, e entre muitos outros fatores. Visto que, essa especialidade é uma das mais valorizadas e buscadas, o profissional de Pediatria pode atuar em diversos campos, como em serviços de emergência, consultório, hospitais, clínicas e unidades básicas de saúde. No geral, o médico pediatra concentra seu atendimento em casos não urgentes, ou seja, que não oferecem risco imediato à saúde do paciente.

Veja também: Conheça as 10 áreas da Medicina mais bem pagas do mercado!

Especializações relacionadas a Pediatria

Vale ressaltar que a Pediatria não é a única saída para os profissionais da saúde apaixonados por atendimento voltado a crianças e adolescentes. Existem outras especializações nas mais diversas áreas da saúde relacionadas a Pediatria, e nós vamos apresentar três delas, confira.

Odontopediatra

A Odontopediatria é uma especialidade dentro da Odontologia, focada para o cuidado da saúde bucal de bebês, crianças e adolescentes. Este profissional é capacitado para tratar, desde os estágios iniciais, de tudo que envolve o crescimento e a formação dentária das crianças.

Para se tornar odontopediatra, é necessário realizar a faculdade em Odontologia, que tem duração de cinco anos, e a especialização é de 18 a 24 meses, totalizando em média sete anos de estudos.

Enfermagem Pediátrica

Assim como Odontopediatria, porém, em outra carreira, a Enfermagem Pediátrica é uma especialização da Enfermagem. O profissional desta área é responsável por cuidados direcionados às crianças e adolescentes, a fim de prestar auxílio aos médicos pediátricos para o tratamento, procedimentos e monitoramentos.

Para se tornar enfermeiro pediátrico, é preciso fazer o curso de Enfermagem, que tem a duração de quatro a cinco anos, e depois investir na pós-graduação em Enfermagem Pediátrica que possui cerca de 12 meses.

Cirurgia Pediátrica

Por fim, outra especialização relacionada a Pediatria, é a Cirurgia Pediátrica, que, como o próprio nome já diz, é propensa a realização de cirurgias em crianças e adolescentes. Mas, como se tornar um cirurgião pediátrico? Sobretudo, é importante saber de início que este profissional deverá ter o perfil e as características de um cirurgião e de um pediatra.

A Cirurgia Pediátrica é uma subespecialidade dentro da Cirurgia Geral, ou seja, o profissional desta área primeiramente deve fazer a faculdade de Medicina, após a formação, fazer residência médica em Cirurgia Geral de dois anos, e depois em Cirurgia Pediátrica, por mais três anos.

Agora é com você! Se após esse conteúdo você identificar que a Pediatria se encaixa no seu perfil, não deixe para depois a sua especialização. Ah, e se precisar de uma forcinha financeira, conte com o Pravaler. Com o financiamento estudantil privado é possível custear também a sua pós-graduação, demais né?! Confira as melhores condições.

Botao Simule Financiamento 2

Texto escrito por: PRASABER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter