Pretensão salarial no currículo – como calcular e colocar no CV Pretensão salarial no currículo – como calcular e colocar no CV

Pretensão salarial no currículo – como calcular e colocar no CV

Se tem uma questão que traz dúvidas ao profissional é se ele deve colocar ou não colocar a pretensão salarial no currículo ou como deve fazê-lo de forma justa e condizente com sua experiência. É um verdadeiro tabu, já que boa parte das pessoas se sentem desconfortáveis em colocar um “preço” em seu trabalho sem desvalorizar sua trajetória ou superestimar os valores praticados no mercado para determinada profissão. Porém, em algum momento será necessário fazer essa estimativa e você deve estar preparado para informar a sua expectativa de salário de forma objetiva para os recrutadores.

Quer aprender como fazer isso? Continue acompanhando!

O que é pretensão salarial no currículo?

A pretensão salarial é uma parte de seu modelo de currículo dedicada a estimativa de valor que você estabeleceu para aceitar aquela vaga. Mas aqui neste tópico a informação mais importante é: apenas coloque essa informação caso ela tenha sido explicitamente solicitada pelo recrutador. Se ele não tocou nessa questão com você, é porque pretende conversar sobre isso em outro momento mais adequado.

Colocar a pretensão salarial sem que esta tenha sido pedida pode soar muito mal para o contratante e pode até passar uma impressão de que você é ansioso demais ou até mesmo arrogante – o que com certeza não é seu objetivo. De qualquer forma, sempre espere que os recrutadores toquem nesse assunto primeiro, para que depois você possa informá-lo do valor que deseja receber, seja no próprio currículo ou nas outras etapas de seleção.

Por que colocar pretensão salarial no currículo?

Muitas empresas abrem uma vaga sem ter ainda um valor estabelecido para aquela função. Isso pode acontecer por vários motivos, como uma área nova em que ainda não existe esse parâmetro ou mesmo uma questão de postura do contratante, que prefere que o valor do serviço seja especificado pelo próprio trabalhador e a empresa então tem a opção de aceitar ou não a proposta. Mesmo assim, como já falamos no tópico anterior, apenas apresente essa informação no currículo ou pergunte sobre o salário caso o recrutador tenha iniciado essa conversa, combinado?

O que colocar na pretensão salarial no currículo?

A pretensão salarial, quando solicitada, é uma informação valiosa que pode ser o fator decisivo em sua contratação. Por essa razão, muitas vezes é grande a insegurança em idealizar um valor que esteja muito acima ou muito abaixo do que é praticado pelo mercado em determinada área. Mas, pode ficar tranquilo. Nos próximos tópicos vamos te ajudar a elaborar uma proposta salarial que considere fatores como a sua experiencia na área e a média para a profissão. Continue por aqui!

Onde colocar pretensão salarial no currículo?

A pretensão salarial precisa ter um local de destaque em seu CV. Dessa forma, o ideal é que seja colocada logo abaixo do campo de informações pessoais, como nome, endereço e telefone. Essa informação certamente será uma das primeiras que o recrutador irá verificar, então, quando mais clara estiver no documento, melhor.

Como colocar pretensão salarial no currículo?

Antes de montar seu currículo com pretensão salarial, é importante analisar com cuidado o contexto de vida e etapa da carreira profissional em que você está. Nesse vídeo, você vai encontrar muitas dicas para que você possa comunicar a sua pretensão de acordo com a sua realidade. Olha só:


Como calcular a pretensão salarial?

Bom, agora chegamos na parte mais difícil: avaliar o seu “valor” para o mercado. É nesse ponto que as dúvidas surgem e bate uma forte insegurança em relação ao que você mereceria ganhar em um determinado emprego. Sem dúvida, esse é um ponto extremamente delicado, que deve ser avaliado de forma muito realista. Afinal, se você informar um valor muito mais baixo ou muito mais alto em relação ao que é praticado em sua área de atuação com a sua experiência, provavelmente será descartado pelo recrutador.

Por essa razão, existem alguns parâmetros que você deve considerar ao fazer a sua proposta salarial. Acompanhe:

Avalie seu custo de vida: despesas fixas e gastos extras

Quanto você precisa, no momento, para manter suas despesas fixas e outros gastos do dia a dia? Essa é uma pergunta que você deve se fazer para conseguir chegar em um valor mínimo que precisa para manter a sua rotina – e ainda que mesmo assim precise aceitar uma determinada vaga que ofereça menos do que esse valor mínimo, é importante que você tenha esse controle para, eventualmente, fazer alguns cortes de gastos para readaptar o orçamento para essa nova realidade.

Considere suas experiências

Quanto tempo de carreira você tem? Por quantas empresas já passou? Já liderou equipes? Essas e outras vivências agregam habilidades profissionais que podem ser muito importantes para pleitear oportunidades compatíveis com a sua experiência. Faça uma análise da sua carreira acadêmica ou trajetória profissional e liste tudo o que você pode considerar como um diferencial em relação aos concorrentes em uma vaga.

Entenda sua situação atual

Procurar uma vaga enquanto ainda se está trabalhando é completamente diferente do quando estamos sem emprego, isso ninguém discute. Afinal, as contas precisam ser pagas e o senso de urgência muda muito de uma situação para a outra. Nesse caso, o importante é avaliar a sua situação: vale a pena aceitar uma vaga com um salário menor, mas que já está garantido, ou esperar um pouco mais para uma oportunidade melhor? São questões que você deve pesar com muita calma, já que influenciam bastante em sua proposta de salário.

Último salário é referência para quem está desempregado

Uma boa forma – talvez a mais simples e eficiente – de traçar uma boa proposta de salário é se basear pelo valor que recebia no emprego anterior. Caso você seja questionado pelo recrutador sobre o montante, terá essa carta na manga para justificá-lo e assim não parecerá que você estabeleceu um valor aleatório. Dependendo do tipo de vaga, avalie a possibilidade de alterar a proposta para mais ou para menos, dentro da média que você já recebia antes.

Ajustes em momentos de crise

Em períodos de recessão econômica, é comum que a demanda de profissionais em busca de trabalho aumente significativamente em decorrência das taxas de desemprego que tendem a crescer em momentos assim. Nesse caso, avalie como está a concorrência para as vagas em sua área de atuação e avalie como está o seu piso salarial para entender se a sua proposta está coerente ao que vem sendo praticado.

Nada de valores estratosféricos

Propor um valor muito alto e fora da realidade do mercado visando negociar depois é uma estratégia que nem sempre funciona, já que a empresa pode detectar essa intenção e descartar a sua candidatura ou ainda nem tentar negociar o que você pediu, considerando que você dificilmente poderá se contar com um valor inferior.

Pesquise a média salarial

Essa é a chave. Antes de se candidatar, já esteja ciente do que vem sendo praticado no mercado e na função que você vislumbra. Assim, você terá muito mais segurança para propor um valor que seja justo para ambas as partes e até mesmo poderá negociar um valor mais atrativo para você.

Salários variam muito para o mesmo cargo

Um cargo de analista pleno, por exemplo, pode sofrer grande variação dependo do estado de atuação ou do tamanho da empresa. Considere esses fatores, que inclui o custo de vida do local da vaga, para montar uma pretensão salarial mais consistente.

Para identificar sua ocupação no mercado de trabalho e entender qual o nível você se encaixa – e, assim, ter uma noção mais realista da média praticada em sua área, você pode fazer a consulta CBO (Classificação Brasileira de Ocupações) e ter acesso a todas as informações sobre a sua profissão.

Atenção para não ficar abaixo do valor de mercado!

A oferta salarial é regulada pelo mercado de acordo com a demanda por profissionais – e por esse motivo, se os profissionais passarem a pedir um valor muito abaixo do que média praticada, os salários para determinada área podem cair também, prejudicando o setor. Além disso, propor um valor muito abaixo não garante a vaga e ainda pode te prejudicar em processos seletivos.

Analise os benefícios

Além do salário em si, é preciso analisar os benefícios oferecidos pela empresa, como vale refeição, vale transporte, plano de saúde e outros auxílios. Nesse caso, você deve calcular se o seu salário líquido somado ao valor dos benefícios gera um montante suficiente para as suas despesas. Muitas vezes, o salário oferecido em uma empresa é menor do que é oferecido em outra, mas concede mais benefícios que podem ser convertidos para os gastos na sua rotina – como o vale alimentação, por exemplo, o que faz dela uma escolha mais vantajosa.

Aliás, aqui vale um aparte para explicar a diferença entre salário bruto e salário líquido. Salário bruto é aquele que será registrado em sua carteira de trabalho, com o ganho total do trabalhador. O salário líquido, por sua vez, é o que a pessoa recebe, realmente, a cada mês, já com os descontos programados pela CLT, como o INSS, IRRF e outros descontos referentes a planos de saúde, vale transporte, pensão alimentícia, entre outros. Na prática, é o valor que o funcionário tem o total controle e é sobre este montante que deverá planejar seus gastos.

Pretensao Salarial Como Calcular

Quando falar sobre pretensão salarial?

Como já falamos nos tópicos anteriores, a pretensão salarial só deve ser abordada por iniciativa do potencial empregador, e ele deverá orientar essa conversa, que poderá acontecer já no anúncio da vaga ou durante o processo seletivo. O mais indicado é que, antes de falar sobre o salário, candidato e recrutador conversem sobre a atuação da empresa e objetivo da vaga, benefícios oferecidos e oportunidades de crescimento.

Como negociar o salário numa entrevista?

Cedo ou tarde, o momento de falar sobre a pretensão salarial vai chegar – e pode ser que ela esteja de acordo com suas expectativas ou não. Caso você precise negociar esse valor, fique atento a essas dicas que podem ajudar você a negociar o salário numa entrevista.

Seja firme ao falar

Firmeza e objetividade são fundamentais neste momento e são transmitidas, em grande parte, através da sua forma de falar. Não faça muitos rodeios e nem seja evasivo em suas respostas. Converse sobre isso de forma natural, com uma postura e entonação que não pareça prepotente ou retraída demais.


Não dê valores fechados

Para dar uma margem de negociação entre ambas as partes, evite informar um número exato. Nesse caso, o ideal é informar a faixa salarial que você se enquadra (entre 4 e 6 salários mínimos, por exemplo), para que seja possível estabelecer um valor vantajoso para você e para a empresa contratante.


Não aceite menos

Se você já calculou e organizou suas despesas mensais, já sabe mais ou menos qual seria o mínimo que precisa para manter suas despesas. É importante que você tenha esse valor como base e não aceite menos do que isso, já que certamente em pouco tempo estará insatisfeito e procurando por outra oportunidade. Apenas aceite um valor menor em último caso, caso não seja possível esperar por outra vaga.


Fique atento(a) a oportunidades de crescimento

Claro que o salário é um dos fatores mais importantes no momento de aceitar uma vaga. Mas, nem sempre deve ser o seu único critério de escolha, já que uma posição que ofereça um valor um pouco menor, mas dispõe de benefícios e melhores oportunidades de crescimento deve ser considerada em sua decisão. Aliás, é esse critério que você deve sempre priorizar em sua conversa com o recrutador, para que ele perceba que seu interesse na empresa vai além do valor do salário.

Como deixar seu currículo mais interessante?

Bom, antes de falar sobre pretensão salarial, você deve se preocupar em deixar seu CV interessante para que ele se destaque entre os outros candidatos e te garanta convites para processos seletivos. Dá uma olhada nessas dicas para deixá-lo mais atrativo!

Mantenha os dados pessoais atualizados

Isso é fundamental. Muitas vezes, os dados que constam no currículo são as únicas informações que o recrutador tem de você – e você não quer perder uma oportunidade incrível de trabalho por ter colocado um telefone ou e-mail desatualizado em seu CV. Fique atento!

Apresente seu objetivo

Ao se candidatar a uma vaga, deixe seu objetivo bem claro para o recrutador em poucas linhas. Esse texto deve ser atualizado de acordo com a descrição da posição e a empresa que pretende trabalhar todas as vezes que tentar participar em um processo seletivo.

Para chamar a atenção do recrutador, procure estabelecer metas compatíveis com a vaga pretendida em um texto curto, que evidencie o seu preparo e interesse para desenvolver a área em questão. Veja este exemplo:

“Aspiro fazer parte do setor de engenharia para colaborar com melhorias na elaboração e execução de projetos e construir uma relação de confiança e parceria com a equipe.”

Evidencie suas habilidades e qualificações

Destaque em seu currículo suas habilidades e experiências que reuniu ao longo da sua carreira. Isso vale para suas qualificações em um segundo idioma, conhecimentos de softwares e programas que se relacionam ao trabalho que você irá executar na empresa, além de experiência em liderança de equipes e projetos, entre outras.

Valorize sua trajetória

O seu currículo é o seu cartão de visita e, em muitos casos, é a primeira impressão que o recrutador tem de você. Nesse sentido, fazer uma boa propaganda é fundamental – desde que você apresente informações verdadeiras e que possa comprovar, caso isso seja solicitado.

Coloque em seu CV a sua formação, trabalhos acadêmicos realizados, cursos, eventos e palestras que participou, conquistas profissionais, intercâmbios e projetos dos quais participou em sua carreira e que podem fazer a diferença no dia a dia do trabalho que você almeja.

E aí, gostou dessas dicas? Em nosso blog você sempre encontra dicas para crescer na carreira profissional e se capacitar cada vez mais para enfrentar dos desafios do mercado de trabalho. Continue com a gente por aqui a até a próxima!

Categoria: PRASABEREconomia

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.