Proclamação da República – tudo o que você precisa saber Proclamação da República – tudo o que você precisa saber

Proclamação da República – tudo o que você precisa saber

Época de vestibular, Enem ou provas finais pode ser um desafio e tanto. Além da pressão natural, as diferentes matérias para estudar faz bater aquele desespero, não é mesmo?! Mas fica tranquilo, nós estamos aqui para te ajudar a se sair bem!

Um dos assuntos abordados com frequência nessas avaliações é a Proclamação da República. Isso porque esse foi um acontecimento muito importante – se não o maior – para a criação e desenvolvimento do Brasil. Então, nada mais justo do que explorar o conhecimento dos estudantes também sobre esse tema tão necessário.

Mas, conhecer sobre a Proclamação da República não é importante só para as provas, é também uma rica fonte de conhecimento histórico para entender sobre como Brasil funciona.

Agora vamos para o que interessa! Acompanhe neste artigo tudo sobre essa data memorável para a história do nosso país.

O que é Proclamação da República?

Para compreender esse acontecimento no Brasil, precisamos entender primeiro o que é a tão conhecida Proclamação da República.

A expressão “República” nasceu na Roma antiga com a ideia de significar algo público, ou seja, é a intenção de manifestar uma comunidade política organizada e participativa. A Proclamação da República, então, tem como propósito ser uma ação onde torna-se possível que todos os cidadãos de uma nação participem da escolha de seus representantes políticos.

É a partir da existência da República que a participação popular em determinar a estrutura governamental do país existe. De maneira mais clara, foi após a Proclamação da República do Brasil que toda a população brasileira teve a possibilidade de escolher o corpo e vereadores, senadores, governadores, prefeitos e até mesmo a presidência.

Como aconteceu a Proclamação da República no Brasil?

O Brasil passou por quase 70 anos por uma época de regime monárquico, ou seja, um regime político cujo chefe de Estado não era determinado democraticamente, mas sim através de uma linhagem hereditária ou por votação de parlamentares.

Durante a monarquia, o país foi governado por dois imperadores, Dom Pedro I e Dom Pedro II. Mas, ao longo dos anos, tal regime passou a ser questionado pelos cidadãos, pois não atendia mais as necessidades do povo e, além disso, tirava poder de decisão do baixo clero, da igreja e dos militares.

E foi com a exigência de uma política mais democrática e menos autoritária, muito embasada pelo Iluminismo e suas características de liberdade econômica e política, que no dia 15 de novembro de 1889 foi proclamada a República Federativa do Brasil.

Qual foi o objetivo da Proclamação da República?

Com a grande pressão de movimentos contra o governo monárquico, um golpe militar começou a ser articulado. Isso porque a última década do segundo império – de 1870 a 1880 – foram de intensas discussões e desacordos entre o governo de D. Pedro II e esses movimentos.

Um deles foi a igreja católica, que, na época, sofria com a falta de independência que o Poder Moderador e a instituição do catolicismo, presente na Constituição Brasileira, empunham. De modo geral, as determinações vindas do Papa para as igrejas católicas brasileiras passavam por aprovações do império. Após uma recusa de D. Pedro II, bispos se rebelaram e acabaram presos, o que enfraqueceu a relação entre a igreja e o governo monarca.

Outro movimento que teve grande influência para a Proclamação da República foi a abolicionista. A elite agrária tradicional brasileira, contrária a extinção do regime escravista, se impôs contra a decisão do império de não indenização pela perda de sua mão-de-obra. Com a recusa de D. Pedro II em atender à solicitação, suas bases de apoio da elite acabaram de dissipando, passando a defender o regime republicano.

O terceiro e um dos mais ativos movimentos na mudança de regime político no Brasil foi o movimento militar. Desde a Guerra do Paraguai (1864-1870) o exército brasileiro, muito fiel ao império, passou a se sentir desvalorizado e com pouca participação no governo. Se sentindo traídos, muitos militares passaram a defender o regime republicano e o positivismo, que passou a ser uma forte influência na pós-proclamação.

O objetivo do golpe militar para a Proclamação da República era trazer ao Brasil mais disciplina, ordem e democracia com um poder executivo forte. No início, os militares desejavam derrubar o gabinete do imperador, pensando que haveria represálias do governo. No entanto, sem nenhuma reação de D. Pedro II, o movimento exigiu que o então líder do golpe, Marechal Deodoro da Fonseca, assinasse um documento declarando, enfim, a extinção da monarquia.

Nesse vídeo, você consegue entender de uma maneira mais profunda e didática como foi a Proclamação da República no Brasil. Confere só:


Quem foi o responsável pela Proclamação da República no Brasil?

Decididos em derrubar o poder de D. Pedro II, o movimento de militares reuniu forças para atacar o gabinete do império, liderado então por Visconde de Ouro Preto. Para comandar a ação, nomearam, então, um dos principais chefes do exército brasileiro da época, Marechal Deodoro da Fonseca, que, mesmo amigo do imperador e adepto ao regime monarca, aceitou a oferta.

Quem foi Marechal Deodoro da Fonseca

Alagoano nascido em 1827, Marechal Deodoro da Fonseca foi o militar político brasileiro que proclamou a República e primeiro presidente do Estado Federativo do Brasil.

Membro da artilharia da Escola Militar do Rio de Janeiro, Marechal Deodoro teve forte atuação em importantes batalhas do exército brasileiro, como a Revolta Praieira, a Guerra do Prata e a Guerra do Paraguai. Apesar de não ser um republicano convicto, foi escolhido para comandar o golpe militar para a Proclamação da República por sua extensa carreira militar e posição no exército brasileiro.

Com a República proclamada, o período entre a data do ocorrido e as eleições para um novo presidente foi caracterizada como a República da Espada, uma vez que o controle da nação era realizado por membros do exército e seu então chefe do governo provisório, Marechal Deodoro.

Durante o governo provisório, Deodoro da Fonseca organizou a criação dos principais símbolos da nação, como o Hino Nacional Brasileiro e a Bandeira do Brasil. Sua atuação como presidente foi marcada pelo alto nível de autoritarismo, com a ideia de resolver problemas causados pelo fim da Monarquia, reconhecido, então, como um momento da história de movimentos militares duros e ditatoriais.

Nesse mesmo período, Marechal Deodoro da Fonseca também comandou a formação da Assembleia Constituinte, a primeira Constituição Republicana do Brasil e a implantação de um sistema político que separou, efetivamente, o Estado e Igreja.

Retrato de Marechal Deodoro

Marechal Deodoro da Fonseca (1827-1892)

Onde foi proclamada a República do Brasil?

A Proclamação da República aconteceu na Praça da Aclamação – ou, atualmente, Praça da República, no Rio de Janeiro, capital do Império do Brasil na época.

Qual o dia, mês e ano da Proclamação da República?

Inicialmente, o golpe militar tinha previsão de acontecer em 20 de novembro de 1889. No entanto, conspiradores divulgaram boatos de que o governo imperial havia ordenado a prisão de líderes do movimento, incluindo Deodoro da Fonseca.

Por conta dos boatos, o movimento decidiu antecipar as ações do golpe militar e Deodoro aceitou a oferta de liderar as tropas do exército que colocariam fim ao regime monárquico brasileiro. Com isso, a Proclamação da República aconteceu oficialmente no dia 15 de novembro de 1889.

Quais foram as principais consequências da Proclamação da República?

A Proclamação da República chegou com a esperança de resolver questões que a Monarquia deixou como rastros, modernizar a política nacional e eliminar a herança colonial. Com um discurso liberal e democrático, de fato, a ação fez com que o controle político fosse descentralizado, fazendo com que a população tivesse a oportunidade de ter mais espaço na política brasileira, e a escravidão foi oficialmente abolida.

Entretanto, as mudanças de regime caminharam, inicialmente, por um percurso autoritário e ditatorial. A população de escravos recém-libertados teve uma inserção social dura e sem qualquer auxílio da república. A marginalização de homens do interior brasileiro e de famílias pouco renomadas na sociedade causou intensos confrontos e genocídios, como Canudos. Além de tudo isso, ganhava-se espaço político quem herdava poder social, ou seja, a política e economia eram comandadas por barões do café e a elite agrária.

Com tantas mudanças e consequências pós-proclamação da República, o Brasil acabou passando por uma crise econômica e institucional, a conhecida crise do encilhamento.

Qual é a importância da Proclamação da República?

Mesmo com um regime inicial marcado pelo autoritarismo, a República abriu as portas para o regime democrático no Brasil. Seu significado foi caracterizado pela liberdade de expressão e o direito da população ao voto para decidir quem governará o país, fatores que antes não eram executados pela Monarquia.

Retrato da Proclamação da República

Algumas obras retrataram os fatos históricos que ocasionaram a Proclamação da República no Brasil. O retrato reconhecido como imagem oficial da ação liderada por Marechal Deodoro da Fonseca e pelo exército brasileiro foi o quadro pintado por Benedito Calixto de Jesus, um dos maiores expoentes da pintura brasileira do início do século XX.

Retrato da Proclamação da Republica

Retrato da Proclamação da República, pintado por Benedito Calixto em 1893.

Curtiu o conteúdo? Neste ano, a comemoração é por completarmos 131 anos desde a Proclamação da República. Desde então, aconteceram muitas mudanças no cenário econômico e político do Brasil, mas foi a partir desse marco na história que conquistamos forças para alcançar a liberdade e democracia no país.

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.