Recolocação profissional – o que é, quando e como fazer? Recolocação profissional – o que é, quando e como fazer?

Recolocação profissional – o que é, quando e como fazer?

Com a atual instabilidade econômica que o país enfrenta, o número de empresas que tiveram que reduzir o quadro de colaboradores é alto. Ficar desempregado pode ser um baque, mas com um pouco de organização e estratégia, se recolocar no mercado de trabalho pode não ser tão difícil quanto parece.

Apesar de alguns encararem esse momento como um fim de um relacionamento, outros enxergam como uma oportunidade de crescimento. Por um lado, é difícil deixar um local que estamos habituados e, às vezes, até acomodados, mas por outro, vale a pena experimentar novos lugares, respirar ares diferentes e ter um novo desafio para se motivar.

A recolocação profissional fica mais fácil e rápida quando você mantém o foco nas atitudes certas e traça um plano detalhado para voltar a trabalhar. Continue a leitura que iremos falar mais sobre isso!

O que é recolocação profissional ?

É uma estratégia individual pelo qual o profissional passa para ir em busca de uma oportunidade de trabalho, utilizando recursos como: revisão do currículo, treinamento para entrevistas, saber como utilizar o networking e outras ações relacionadas com os métodos para se recolocar no mercado de trabalho.

Durante esse processo, existe o serviço de recolocação profissional oferecido ao trabalhador pela empresa que o demitiu, conhecido como outplacement. A técnica funciona da seguinte maneira: a empresa contrata um especialista no assunto, que será responsável por encontrar uma vaga que atenda às expectativas do colaborador desligado.

A estratégia outplacement é tornar o processo de demissão mais humanizado, minimizando o impacto para a empresa e tornando o momento mais amigável para o trabalhador. E como fazer isso? Com base em treinamentos, juntamente com ações que possam orientar o profissional após o desligamento da empresa. Além disso, visa o apoio emocional do profissional para que ele consiga seguir a carreira após a demissão, ajudando a melhorar sua autoestima e a potencializar seus pontos fortes.

Como pedir recolocação profissional?

As formas mais comuns para ir em busca de recolocação profissional envolve os seguintes métodos:

  • Através de um amigo ou de uma rede empresarial, rede pessoal ou rede social;
  • Site de emprego;
  • Motores de pesquisa de listagem de empregos (Google Jobs, por exemplo);
  • Agência de emprego ou recrutador público ou privado;
  • Site de uma empresa específica, na seção vagas abertas, normalmente em seu sistema de acompanhamento de candidatos;
  • Orientação profissional, coach de carreira, consultoria de carreira;
  • Visita direta a uma empresa.

Qual a importância da recolocação profissional? 

Com o avanço da tecnologia e a era da informação, atualmente as pessoas acreditam que, para procurar uma nova oportunidade, é só publicar o currículo em um site de vagas, o que nem sempre é uma opção de sucesso. Afinal, quantas pessoas não fazem o mesmo e precisam contar com a sorte para ser convidado a participar de um processo seletivo?

A recolocação profissional é importante, pois auxilia na reinserção no mercado de trabalho, direcionando o trabalhador na busca por uma nova vaga, fazendo sua própria gestão da carreira. Com isso, existe a preocupação em ativar o networking, projetar o nome para se destacar na área de atuação, entre outras estratégias que facilitam a contratação por uma empresa.

Por que as pessoas buscam a recolocação profissional?

O momento de recolocação não é de descanso e sim de trabalho e a busca pela especialização. Um profissional pode recorrer à recolocação profissional por diversos motivos. Vamos conhecer alguns deles:

Busca de novos desafios na carreira

Diante de um cenário cada vez mais competitivo, é necessário se reinventar e ser protagonista da própria carreira. Uma das alternativas praticadas pelos profissionais é a busca por novos desafios.

Demissão

Essa talvez seja a razão principal que faz com que as pessoas saiam em busca de uma oportunidade de trabalho, mas é uma realidade no mercado de trabalho e deve ser encarada com maturidade.

Desejo de ascensão profissional

Você já parou para pensar se está feliz com seu atual momento de carreira? Poderia afirmar que já realizou tudo o que almejou para ela? Difícil ter essa resposta! Mas, um dos motivos que leva o profissional a recolocação no mercado pode ser a busca por uma promoção, um cargo em uma empresa mais reconhecida ou algo que traga maior prestígio.

Excesso de viagens

Pode ser vantajoso para a empresa, mas passar dias ou semanas fora de casa a trabalho pode ter efeitos negativos para a saúde física e mental do funcionário, fazendo com que ele busque um novo emprego que não exija esse tipo de função a ele.

Falta de investimento em capacitação

A capacitação profissional é um dos caminhos para assegurar a qualidade dos profissionais, assertividade e produtividade. Quando falta investimento neste recurso, muitas vezes também falta interesse por parte do colaborador.

Falta de perspectiva profissional

Muitos brasileiros querem mudar de emprego por falta de perspectiva de desenvolvimento profissional. Entre os principais motivos de insatisfação estão a busca por melhor remuneração, procura por maior equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, além de desentendimentos com os gestores.

Insatisfação profissional (salário ou problemas com gestores)

Ter salário abaixo do mercado e não ser valorizado no ambiente de trabalho pode fazer com que o profissional vá em busca de uma recolocação. A relação com o chefe também costuma ser um ponto importante na permanência ou não de um emprego. Entre as características que são mais incômodas, destacam-se falta de liderança, falha de caráter, que é obter os créditos para ele e destinar as críticas somente aos subordinados, e ser grosseiro/estressado demais.

Mudança de cidade

Mudanças são parte da vida e muitas delas são radicais, como mudar de cidade. E esse pode ser um dos motivos pelo qual o profissional tenha que trocar de emprego e se realocar no mercado de trabalho.

Processos que marcam a transição de carreira

A transição de carreira é uma opção a ser considerada por quem não está satisfeito com os rumos da sua vida profissional. Pode ser porque as coisas não vão bem na área em que a pessoa atua ou, então, porque está em processo de recolocação no mercado.

Podemos dividir esse momento em três estágios:

Sentimento de desconforto

Esse primeiro pode ter relação com a área de trabalho, o mercado, as descobertas pessoais ou inúmeros outros fatores. Nesse momento, é preciso ter muita firmeza para não se deixar abalar por sentimentos negativos, como decepção e baixa autoestima.

Em vez disso, encare com entusiasmo a oportunidade de um novo mundo de possibilidades que existe para ser explorado. E é a partir daí que entramos na próxima etapa, de separação.

Decisão de abandonar seu emprego

É quando o trabalhador toma a decisão de abandonar seu emprego e não retornar à mesma área de atuação. Nesse processo de transição, a decisão já está tomada.  Exige muito desapego, pois, por mais insatisfeito que a pessoa esteja, nunca é fácil tomar uma decisão e encarar mudanças. Afinal, por um período, houve experiências profissionais valiosas em sua caminhada.

Explorar o novo mercado de trabalho

O último estágio da transição de carreira inicia quando o trabalhador começa a explorar o novo mercado de trabalho. Ele se matricula em cursos, começa a se candidatar em vagas de trabalho ou começa seu próprio negócio no novo ramo em que deseja atuar.

Como funciona o serviço de recolocação no mercado?

Ao contratar um serviço de recolocação no mercado, o profissional é assessorado para a transição de carreira de forma personalizada. Basicamente, é montado um plano estratégico de acordo com o perfil com um objetivo específico e com ações direcionadas à sua realização.

Qual o papel das empresas de RH na recolocação profissional?

As empresas de recursos humanos especializadas em recrutamento e seleção têm um papel importante no processo de recolocação profissional. A procura por esse serviço, que antes era valorizado apenas por executivos de alto escalão, vem aumentando e sendo aplicado na carreira de profissionais de outros níveis.

Com o auxílio de especialistas dessas empresas, o trabalhador tem uma visão completa de suas competências, da demanda do mercado e, também, uma ideia das profissões que ganham bem. Assim, conseguem se adaptar a essas necessidades e encontram um novo emprego em menos tempo.

Além disso, essas assessorias oferecem um trabalho mais próximo do profissional, ajudando no contato com empresas que podem auxiliar no sucesso da sua carreira profissional. Muitas vezes, organizações que estão em busca de um perfil específico entram em contato com parceiras especializadas em recrutamento. Quando elas também fazem um trabalho de recolocação profissional, conseguem unir as duas frentes e indicar as pessoas que estão no seu escopo de orientação.

Quanto custa a recolocação profissional?

No mercado brasileiro é possível encontrar grandes e médias consultorias e profissionais autônomos ou empresas que oferecem serviços de outplacement. Geralmente, no caso das consultorias de carreira, as empresas que demitem pagam pacotes que podem variar de 3, 6 ou 12 meses de assessoria para o funcionário demitido – os serviços podem variar de acordo com o cargo que ele exercia na empresa.

Uma consultoria grande pode cobrar da empresa entre 10% a 17% do salário anual bruto. Isso significa que um processo de outplacement pode chegar a valores altos para a empresa que contrata o serviço, dependendo do nível do cargo ou da duração. Isso também vai depender da negociação da empresa com a consultoria.

Com o aumento do desemprego no país, profissionais demitidos que não receberam o pacote de outplacement começaram a pagar esse processo do próprio bolso, já que ajuda a se recolocar mais rapidamente no mercado de trabalho, tendo orientações personalizadas em todo o período. Durante a sua aplicação, são realizados treinamentos e direcionamentos, como análise de um novo modelo de currículo, dicas para melhorar o desempenho, workshops, palestras de capacitação e até a redefinição de metas para a carreira.

Neste caso, a procura por uma recolocação profissional assessorada por um consultor de carreira ou pelo processo de outplacement pode custar pelo menos R$ 200 por sessão, que também vai depender muito da negociação e empresa que você optar para fechar negócio.

Quanto tempo leva para uma recolocação profissional?

O tempo médio de permanência do brasileiro no seu emprego é de um pouco mais de 3 anos. Ser um profissional determinado e comprometido, fazer parte da história da empresa e acreditar no lugar onde atua são um dos motivos para trabalhar em uma empresa por muitos anos.

Por outro lado, o tempo que um profissional leva para uma recolocação no mercado de trabalho é de, em média, 14 meses. No desespero por não conseguir emprego, a maioria acaba aceitando ganhar menos que o último salário e até atuar fora do ramo.

Estratégias para a sua recolocação profissional

Estratégias para conseguir uma recolocação profissional

Analise sua carreira


Aproveite a demissão para dar uma revisada em sua vida profissional. Agora é o momento de olhar para a sua carreira, avaliar as condições atuais do seu trabalho, definir suas metas e, quem sabe, organizar seus estudos.

O que pode ser mudado? Existe algo que está faltando? Será que vale a pena explorar outro segmento?

Defina seus objetivos


Analise as oportunidades no mercado de trabalho e defina quais são seus objetivos profissionais. Para fazer isso, é importante levar em conta seu aprendizado, experiências, pontos positivos, pontos de melhorias e outros fatores, e aí sim, estabelecer objetivos e metas que servirão para te recolocar no caminho que você deseja seguir em sua carreira.

Avalie o impacto da sua decisão


Impacto financeiro

Uma demissão pode desestabilizar o profissional, não apenas emocionalmente, mas também gerar um impacto financeiro. Por isso, organize suas contas de forma racional e esteja preparado para ficar um período maior do que o esperado desempregado. Dessa forma, você correrá menos riscos de entrar em desespero e terá mais tranquilidade e estabilidade para enfrentar a fase após o seguro-desemprego.

Impacto familiar

Ser sincero sobre seus desejos e expectativas com a sua família é muito importante. Fale sobre os problemas que está enfrentando e como isso tem afetado a sua qualidade de vida e poderá ter impacto na deles também.

Impacto profissional

Analise sua carreira como um todo. Aproveite a demissão para dar uma revisada em sua vida profissional, pois talvez seja o momento para você olhar para a sua carreira e, com cautela e planejamento, adequá-la ao cenário atual.

Atualize seu currículo e redes sociais


Manter seu currículo sempre atualizado é fundamental nesse período de recolocação profissional. O currículo é o seu cartão de visitas e deve estar sempre impecável e otimizado. Aproveite para verificar se está com a carteira de trabalho em dia ou se precisa tirar uma nova, não deixe isso para a última hora, pois a oportunidade pode aparecer a qualquer momento.

Além disso, é importante estar em dia com os perfis de suas redes sociais de negócio, como o LinkedIn, para que assim os recrutadores tenham conhecimento sobre a sua experiência. Participar de grupos de vagas de emprego também pode ser um bom caminho para ser visto.

Atualmente as empresas utilizam diversas ferramentas de comunicação e a troca de experiência pelas redes sociais também pode ajudar nesse processo. Portanto, ter um perfil atualizado no LinkedIn e estar atento as vagas de emprego no Facebook, grupos de WhatsApp e postagens no Instagram é essencial.

Faça um mapeamento de vagas


Estar na internet é fundamental nesse período onde, cada vez mais, as empresas preferem o meio digital para sondar, conhecer, abordar, se conectar e recrutar novos colaboradores. Então, cadastrar seu currículo em sites de vagas de emprego é uma das melhores formas de conseguir trabalho atualmente e ser encontrado pelos recrutadores.

Faça seu marketing pessoal


No atual cenário corporativo, não adianta apenas ser um bom profissional com uma formação reconhecida. O marketing pessoal faz a diferença. A dica aqui é: crie a sua própria marca e seja o maior defensor dela.

Desenvolva estratégias para que você tenha visibilidade e influência e atue como sendo você a sua própria empresa. Mostre suas habilidades, competências e diferenciais, pois algumas características pessoais são muito valorizadas no mundo corporativo, como por exemplo, proatividade e respeito.

Mantenha-se atualizado


Aproveite o momento para fazer cursos em sua área e frequentar palestras que irão te agregar. Utilize o tempo livre ao seu favor, dedicando-se ao seu desenvolvimento, pois além de aumentar sua rede de contatos, estudar durante o período em que estiver fora do mercado demonstra que você não ficou parado e é um profissional dedicado a aprender sempre mais.

Busque o networking e a troca de experiências


Cuide da sua rede de relacionamentos e mantenha contato com pessoas que acrescentam na sua carreira. Uma boa oportunidade é fazer cursos presenciais, nos quais você tem a oportunidade de se relacionar pessoalmente com pessoas que tem o mesmo interesse que você.

Sabe aquele ditado “quem não é visto não é lembrado”? Ligue para os seus conhecidos com frequência, se conecte nas redes sociais, exponha seu interesse profissional. Cultivar sua rede de contatos profissionais e pessoais é algo que deve ser feito constantemente, não apenas quando for demitido. Por isso, mesmo quando conseguir voltar ao mercado, mantenha contato com a sua rede.

Esteja preparado para uma entrevista


Antes da entrevista, pesquise e leia bastante sobre a empresa contratante. Além disso, trabalhe todo o seu potencial de comunicação para se dar bem na entrevista com o recrutador. Confie no seu potencial para transmitir esse sentimento durante a conversa.

Pontos importantes: vista-se adequadamente, seja pontual, prepare-se para possíveis perguntas difíceis, treine sua postura e não minta, pois os recrutadores conseguem identificar quando um candidato está faltando com a verdade. Fique tranquilo, mantenha a calma e seja sincero, isso fará total diferença na hora de conquistar a tão almejada vaga.

Veja também outros conteúdos relacionados ao mercado de trabalho como:

Categoria: PRASABERProfissões

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.