Vantagens de fazer um intercâmbio para o mercado de trabalho Vantagens de fazer um intercâmbio para o mercado de trabalho

Vantagens de fazer um intercâmbio para o mercado de trabalho

Passar um tempo fora do país, seja para estudar ou trabalhar, é uma oportunidade incrível para se desenvolver pessoal e profissionalmente. Isso porque, além de ganhar conhecimentos que contribuem para o crescimento de carreira, o intercambista tem contato com diferentes culturas, pessoas, hábitos e idiomas.

Se esse é um assunto que você se interessa e está afim de desmistificar tudo sobre o intercâmbio, fique com a gente e acompanhe o artigo a seguir. Vamos falar sobre todas as vantagens de fazer um intercâmbio para o mercado de trabalho!

Tipos de intercâmbio

Apesar de intercâmbio referir-se a qualquer período em que uma pessoa passa em outro país para estudar ou trabalhar (ou os dois ao mesmo tempo), nem todos os programas são iguais. Dá uma olhada nos principais:

Cursos de idiomas

Nesse tipo de programa, o objetivo do intercambista é se desenvolver em um novo idioma nativo de um determinado país. Ele funciona como um curso de língua normal, porém o foco na questão prática é muito maior e a vivência com pessoas que falam a língua nativa proporciona uma experiência totalmente diferente. Veja a seguir os mais procurados:

Inglês

Dominar a língua inglesa deixou de ser uma habilidade extra para o mercado de trabalho. Hoje em dia, saber se comunicar no idioma chega a ser um pré-requisito para as melhores vagas, uma vez que ele é falado no mundo interno e facilita a troca de informações entre quaisquer países, já que é universal.

Sendo assim, estudar inglês é importante para todas as pessoas e o intercâmbio para países nativos da língua, como EUA, Inglaterra ou Canadá, é uma ótima opção para quem busca de desenvolver.

Espanhol

Outra língua bastante falada em todo o mundo, principalmente na América Latina, é o espanhol. Por conta disso, muitas pessoas escolhem fazer o intercâmbio para um país de língua espanhola nativa, aprofundando-se no idioma, conhecendo demais culturas e enriquecendo o currículo para o mercado.

Entre os países mais escolhidos por quem decide estudar espanhol, a Espanha e a Argentina ganham maior destaque.

Francês

Além de ter aumentado consideravelmente o número de falantes da língua francesa por todo o mundo e, com isso, contribuído para que as pessoas busquem mais pelo estudo do idioma, fazer um intercâmbio para a França é encantador pela beleza, história, cultura e gastronomia do país. Engana quem acha que a França é só Paris, basta passar alguns meses estudando ou trabalhando por lá para se apaixonar por demais cidades, como Lyon, Marseille e Nice.

Além da França, porém, há também quem busque estudar francês no Canadá. Isso mesmo: em cidades como Montreal e Quebec, os canadenses são bilíngues, o que torna uma ótima oportunidade para quem deseja fazer um intercâmbio e se aprofundar nessas duas línguas. Incrível, né?

Cursos de idiomas com trabalho temporário

Também há a alternativa de fazer um intercâmbio para estudar e trabalhar ao mesmo tempo. Há diversos programas que oferecem cursos de idiomas com a possibilidade de uma atividade remunerada junto, principalmente durante as férias – de 3 a 6 meses, basta que o seu visto possibilite o trabalho temporário em outro país.

Essa opção é bastante procurada por universitários que não querem adiar a conclusão do curso, mas desejam ter uma experiência fora do país para incrementar o currículo e dar início à carreira dos sonhos com ainda mais habilidades.

Nos Estados Unidos, esse tipo de programa, que inclui estudo e trabalho, é permitido pelo governo e facilitado por agências de intercâmbio aqui no Brasil. Geralmente, enquanto estudam, os intercambistas podem trabalhar em hotéis, restaurantes, parques e demais locais que contribuam para o desenvolvimento do idioma no dia a dia.

Cursos de férias para teens

Com o mundo cada vez mais globalizado e diante da importância do domínio da língua inglesa para o desenvolvimento das crianças e dos adolescentes, há muitos pais que já optam por enviar os filhos para um intercâmbio de férias, geralmente nos Estados Unidos.

Essa é uma ótima oportunidade para que os teens estudem inglês e se divirtam ao mesmo tempo. Os programas ocorrem, em grande maioria, em janeiro e julho (período de férias no Brasil) e são intermediados por agências parceiras e escolas especializadas.

Nesse tempo, os alunos aprendem e conhecem a cultura de um país diferente, têm a oportunidade de realizar passeios, atividades recreativas e excursões – com todo o translado, alimentação e estadia já inclusos no pacote da agência de viagens.

Porém, apesar de ser uma oportunidade única para os filhos, nem sempre o curso de férias em outro país é barato. Por isso, cabe avaliar bem se essa opção está dentro do orçamento da família, além de pesquisar bastante a respeito das melhores agências e/ou escolas de idiomas que possibilitam o melhor custo-benefício desse programa de intercâmbio.

Cursos de graduação

Outro tipo de intercâmbio bastante conhecido e desejado pelos estudantes é o de curso de graduação no exterior. Nessa modalidade, porém, há alguns pré-requisitos para que o aluno realize a viagem e faça parte do programa:

  • é preciso passar em uma prova de nível do idioma, que testa a habilidade do estudante e o domínio da língua do país de destino (Ex.: Toefl, para os Estados Unidos);
  • também é necessário avaliar se o curso de graduação tem parceria com instituições de ensino fora do país e como se dá o programa de intercâmbio na faculdade;
  • geralmente, os alunos passam por avaliações e processos seletivos para que a faculdade selecione os que possuem melhores desempenhos acadêmicos – isso, caso haja a disponibilidade de bolsas de estudo para o intercâmbio.

High School

Como já dissemos acima, diversas agências de viagens disponibilizam o intercâmbio de curso de idiomas. Além disso, muitas delas também oferecem pacotes para que alunos façam o ensino médio fora do país. Essa modalidade de intercâmbio é chamada de high school e é bastante procurada por pais que podem investir nos estudos dos filhos em um país estrangeiro.

Ao fazer o high school nos Estados Unidos, por exemplo, o aluno pode se aprofundar na língua inglesa, mas também conhecer outra cultura, outra rotina e demais alunos, o que contribuirá para o seu crescimento pessoal e fará com que ele aprenda a cuidar de si mesmo, sem os pais presentes no dia a dia.

No pacote oferecido pelas agências de viagens para o high school, alguns itens já vêm inclusos: o valor do curso em si, a hospedagem em hotéis ou casas de família, a alimentação, a passagem, entre outros. Na verdade, existem diversos pacotes e cabe aos familiares decidirem o que é melhor para o filho e o quanto podem investir.

O que considerar na hora de escolher o intercâmbio

Ao considerarmos estudar ou trabalhar fora, falamos bastante sobre qual universidade escolher, quais as oportunidades de bolsas de estudos e como será a experiência do aluno no exterior. Isso não deixa de ser importante, é claro. Mas ainda existem outros critérios a serem considerados na hora de escolher o intercâmbio. Veja alguns deles abaixo!

Melhor câmbio

Qual o seu orçamento para estudar em outro país? Sim, o bolso não precisa ser um fator limitante, uma vez que há diversas possibilidades para pagar o intercâmbio por meio de bolsas ou financiamentos. Entretanto, não podemos esquecer do câmbio e do custo de vida dos países na hora de escolher o destino da viagem.

Por isso, avalie o seu estilo de vida aqui e projete como ele será fora do país, como será a sua locomoção, sua alimentação e demais gastos do dia a dia. É sempre bom ficar de olho no câmbio para escolher o país com melhor custo-benefício.

Idioma

A língua tá ok? Esse é um fator determinante na hora de escolher o país do seu intercâmbio. Isso porque é imprescindível que o aluno tenha conhecimento básico no idioma falado no país para conseguir de comunicar no início, mesmo indo viajar para um curso de idiomas.

Caso tenha decidido fazer uma graduação fora, dominar o língua do país é ainda mais importante, uma vez que o conhecimento é testado nos processos seletivos realizados pelas universidades. Por isso, grande parte dos estudantes opta por algum país anglófono, ou seja, que possui a língua inglesa oficial ou dominante, por já terem conhecimento prévio do idioma.

Qualidade de vida

Já sabe como é o dia a dia das pessoas no país que deseja ir? Saber da qualidade de vida, da segurança, da rotina e dos costumes de um determinado lugar é muito importante para escolher o seu intercâmbio.

O motivo é claro: você vai passar meses – até anos, em alguns casos – nesse país de destino e precisa ter a garantia de que vai viver tão bem como vive aqui ou, inclusive, melhor. Não dá para passar sufoco fora, né?

Pense que será um momento da sua vida em que você vai precisar focar nos estudos e em coisas boas, como conhecer novos lugares e pessoas, e ter a certeza de que a sua saúde está garantida, assim como a sua segurança, é imprescindível para essa fase longe de casa.

Perfil dos brasileiros intercambistas

Independentemente da modalidade, uma coisa é fato: os brasileiros têm feito mais viagens para intercâmbio a cada ano que passa. Prova disso é uma pesquisa da BELTA, que apontou 302 mil estudantes fora do país em 2018 e, em 2019, um aumento para 365 mil alunos buscando experiências em outro país.

Essa mesma pesquisa aponta também os principais países de destino: EUA, Reino Unido, Austrália, Irlanda, Malta e Canadá, sendo que, este último, lidera o ranking de preferência há 13 anos.

A modalidade do intercâmbio mais procurada também foi analisada na pesquisa. Os brasileiros buscam, em primeiro lugar, por cursos de idiomas (principalmente de língua inglesa), seguido por programas de intercâmbio que aliam o estudo da língua com algum tipo de trabalho temporário. Em terceiro lugar da lista, estão os cursos de férias voltados para o público teen, seguido dos cursos de graduação – com a possibilidade de bolsa de estudos – e, logo após, o programa conhecido como High School, programa voltado para alunos do ensino médio, conforme já falamos um pouco acima.

Nesse mesmo relatório, há um dado super importante: o maior número de intercambistas são mulheres. Isso mesmo: elas representam 60% do público que busca por um programa de intercâmbio em alguma fase da vida e, muitas, vão para fora do país sozinhas.

Esse é um grande avanço tanto para a educação das mulheres como para o mercado de trabalho, uma vez que indica que elas estão cada vez mais buscando conhecimento e conquistando novos patamares (antes não imagináveis para o público feminino).

Vantagens do intercâmbio

Além de todos os benefícios já citados acima, há alguns importantes de serem citados e levados em consideração na hora de decidir viajar para um intercâmbio. Por isso, decidimos listar as principais vantagens de ser um intercambista e o quanto isso pode agregar tanto para a vida pessoal como para a carreira do estudante:

  • Experiência de vida: passar um tempo fora do país fará com que você traga na bagagem de volta muito mais que o idioma na ponta da língua. Isso porque essa será uma oportunidade única na vida, na qual você vai poder viver dias e momentos inesquecíveis;
  • Amadurecimento: principalmente para quem faz intercâmbio em época de escola (ou mesmo nos primeiros anos de graduação), o amadurecimento é inevitável. Viver longe dos familiares, amigos próximos e de toda a comodidade que o país de origem oferece, fará com que você amadureça e crie coragem para outros desafios pela frente;
  • Desenvolvimento de soft skills: sem dúvidas, fazer um intercâmbio é uma chave importante para o autoconhecimento. Morando fora do país e tendo que enfrentar novos desafios e seus próprios medos, você vai poder se desenvolver e aprimorar comportamentos e competências essenciais para a sua vida pessoal e para a sua carreira.
  • Aprender sobre flexibilidade e independência: sabe a tão falada “resiliência”? Fazendo um intercâmbio e tendo que conviver com coisas totalmente diferentes da sua rotina e cultura, você vai aprender a ser mais flexível em situações embaraçosas e, claro, conseguir maior independência para as suas escolhas.
  • Descobrir novos interesses: cada país tem sua cultura e, dependendo do local que você escolher para o seu intercâmbio, ela acaba sendo bem diferente do Brasil. Por isso, conhecendo hábitos novos e se permitindo fazer coisas diferentes, é possível descobrir interesses nunca antes imagináveis para você.
  • Amigos: sem dúvida, essa é uma fase que você fará muitos amigos de vários países, já que os programas de intercâmbio acabam contribuindo para que os intercambistas do mundo todo fiquem juntos e aproveitem ao máximo para se conhecerem;
  • Cultura: é sempre bom conhecer novos hábitos, não é? Morando fora do Brasil, você terá contato com uma realidade bem diferente da que a gente vive e vai poder aproveitar toda a cultura que o país escolhido tem para oferecer.
  • Aprimore suas habilidades em outro idioma: por mais que você tenha certo conhecimento prévio da língua do país, ao conviver com pessoas será possível dominar o idioma ainda mais;
  • Certificado internacional: os cursos de idiomas, os programas de graduação e demais tipos de intercâmbio disponibilizam o certificado internacional, que é válido aqui no Brasil e, claro, vai incrementar ainda mais o seu currículo;
  • Novas habilidades: ter contato com profissionais no exterior fará com que você tenha contato com profissionais da área que desenvolvem determinada atividade de diferentes maneiras, contribuindo ainda mais para o seu crescimento de carreira;
  • Melhorar autonomia: assim como na vida pessoal, sua autonomia também terá ganho do lado profissional, uma vez que será você quem decidirá muita coisa a respeito da sua carreira durante o intercâmbio;
  • Networking internacional: imagine ter as portas abertas em outro país para voltar em uma nova oportunidade? Morando fora, você cria um networking vasto que pode ser imprescindível em um outro momento da sua carreira;
  • Oportunidades profissionais: algumas vezes, os intercambistas encontram oportunidades de trabalho durante o período fora, principalmente nos programas de graduação, nos quais o aluno acaba realizando um estágio e, posteriormente, é efetivado na empresa. E tem mais: a experiência fora também vai valer muito e será o diferencial nas entrevistas de emprego aqui no Brasil, fazendo com que você ganhe destaque entre os demais.

Destinos mais procurados

Agora que você já tem um ótimo panorama sobre todos os tipos de intercâmbio e as vantagens deles para o mercado de trabalho, vamos listar alguns destinos mais procurados com dicas valiosas sobre cada um. Se liga abaixo:

Canadá


Canadá - Destino de intercâmbio

Precisa de visto? Sim

Que tipo de visto eu devo tirar? Visto de turista para intercâmbios de até 6 meses e visto de estudante para programas com mais de 6 meses.

Idioma: inglês e francês

Moeda: dólar canadense

Custo de vida: para fazer um bom curso, o investimento é de cerca de R$ 6276,00 (de entrada) + 12x parcelas de R$ 906,00

Previsão do tempo: o clima que predomina é o temperado e, no inverno, as temperaturas são bem baixas e rigorosas

Segurança: um dos melhores países para o intercâmbio, com educação, higiene e segurança sempre tratadas com prioridade

Alimentação: a gastronomia é multicultural e os hábitos se assemelham muito com os dos americanos.

Estados Unidos


Estados Unidos - Destino de intercâmbio

Precisa de visto? Sim.

Que tipo de visto eu devo tirar? Visto de estudante F-1.

Moeda: dólar americano.

Custo de vida: para fazer um bom curso, o investimento é de cerca de R$ 4531,00 (de entrada) + 12 parcelas de R$ 678,00.

Previsão do tempo: grande parte do país encontra-se na Zona Climática Temperada.

Segurança: muito seguro (mas depende muito de onde você vai morar, já que as leis são estaduais e podem variar de um lugar para outro do país).

Alimentação: clássica cultura fast food – hambúrguer, pizza, batata frita, refrigerantes etc.

Reino Unido


Reino Unido - Destino de intercâmbio

Precisa de visto? Sim.

Que tipo de visto eu devo tirar? Visto de estudante ( Point Based Tier 4 Student Visa).

Idioma: inglês.

Moeda: libra esterlina.

Custo de vida: vai depender da cidade; porém, um intercâmbio de 3 a 4 semanas para Londres, por exemplo, fica em média de R$2.200 (sem passagem, moradia e demais custos).

Previsão do tempo: o verão é bem curto e agradável (mas o céu permanece encoberto); o inverno é longo, com bastante frio e ventos fortes; as chuvas também são predominantes.

Segurança: por conta de muitas cidades turísticas, é preciso ficar um pouco mais atento com a segurança.

Alimentação: a culinária é considerada uma soma de hábitos e tradições.

Irlanda


Irlanda - Destino de intercâmbio

Precisa de visto? Sim.

Que tipo de visto eu devo tirar? Visto de estudante.

Idioma: irlandês (gaélico).

Moeda: euro.

Custo de vida: para fazer um bom curso, o investimento é de cerca de R$ 4633,00 (de entrada) + 12 parcelas de R$693,00.

Previsão do tempo: o sol nem sempre aparece, é bom para quem curte dias cinzas, com vento e chuva do tipo garoa.

Segurança: está entre os 10 países mais seguros do mundo

Alimentação: entre as comidas típicas, estão: dublin coddle (batata, bacon e linguiça), beef and guinness stew (tradicional cozido feito de carne e bastante temperado), porridge (mingau de aveia, quinoa ou milho) e boxty (panqueca frita e feita com batatas).

Austrália


Austrália - Destino de intercâmbio

Precisa de visto? Sim.

Que tipo de visto eu devo tirar? Visto de estudante.

Idioma: inglês.

Moeda: dólar australiano.

Custo de vida: para fazer um bom curso, o investimento é de cerca de R$ 5605,00 (de entrada) + 12 parcelas de R$ 809,00.

Previsão do tempo: clima bem parecido com o do Brasil.

Segurança: um dos países mais seguros do mundo.

Alimentação: influência de vários países, como asiáticos (pela proximidade) e britânico (por conta da colonização). Alguns alimentos típicos são: pies (tortas), molho barbecue, barbie (churrasco), peixe com fritas, bush food (carnes e frutas silvestres) etc.

Malta


Malta - Destino de intercâmbio

Precisa de visto? Sim.

Que tipo de visto eu devo tirar? Visto de estudante (para mais de 90 dias).

Idioma: inglês e maltês.

Moeda: euro.

Custo de vida: para um curso de intercâmbio de 1 mês, o valor investido é cerca de R$ 4.379,00 (com tudo incluso, na opção mais barata).

Previsão do tempo: o verão é extremamente quente, com temperaturas que passam os 30º (com sensação térmica de 40º) e o inverno é ameno, diferente de outros países da Europa.

Segurança: é um dos lugares mais seguros da Europa.

Alimentação: entre os pratos típicos, estão: carne de coelho, carne de cavalo, estufado de polvo e muita pesca local.

E aí, gostou do nosso conteúdo? Agora, chegou o momento de saber como conseguir uma bolsa de estudos para o intercâmbio. Continue com a gente no blog! 🙂

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.