Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Entenda como funciona o financiamento estudantil Entenda como funciona o financiamento estudantil

Entenda como funciona o financiamento estudantil

Trabalhar e fazer um curso universitário ao mesmo tempo já é um desafio e tanto. Ainda mais quando bancar as mensalidades da faculdade comprometem boa parte ou até toda a renda do estudante. A solução, então, é recorrer ao financiamento estudantil, uma espécie de empréstimo pessoal para pagar os estudos.

No entanto, é normal que o estudante sinta-se perdido ao falar de financiamento estudantil. Afinal, são tantas opções que é mesmo difícil saber qual delas é a melhor. Nesse artigo, você entenderá o que é e como funciona o empréstimo pessoal voltado a universitários. Assim, certamente saberá fazer a melhor escolha.

O que é financiamento estudantil?

O estudante brasileiro sem recursos para pagar uma faculdade tem duas opções para viabilizar seus estudos no ensino superior: tentando entrar em uma universidade pública ou procurando meios para custear o financiamento estudantil em instituições de ensino particulares.

Para tanto, existem agentes como o Ministério da Educação (MEC) e organizações particulares que trabalham com a concessão de crédito estudantil, ou seja, eles emprestam dinheiro para que o estudante conclua a sua formação. Posteriormente, já no mercado de trabalho e com condições financeiras, o aluno arca com essa dívida de maneira parcelada e com juros baixos.

Qual é o objetivo do financiamento estudantil?

O financiamento estudantil tem como principal objetivo facilitar o acesso à universidade. Portanto, é ideal para estudantes que precisam de ajuda para bancar as mensalidades do curso.

Basicamente, há dois tipos de financiamento estudantil disponíveis para os estudantes: financiamento público, que é concedido pelo Ministério da Educação, o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), destinado a estudantes de instituições privadas de ensino superior. O Fies se divide em três módulos, cada um destinado para um tipo de público em função de sua renda.

Já os financiamentos privados podem ser concedidos por meio de bancos ou instituições como o Pravaler.

O que diferencia cada uma das modalidades são as taxas de juros e a facilidade de contratação. Veremos com mais detalhes abaixo.

Financiamento estudantil público

Com o financiamento estudantil público, o estudante poderá solicitar o crédito através de programas como o Fies e o P-Fies. O Fies é o Fundo de Financiamento Estudantil, um programa do governo federal administrado pelo Ministério da Educação (MEC). É um financiamento que contempla estudantes de cursos superiores em faculdades privadas, ou seja, é um projeto dedicado aos estudantes de baixa renda que não têm condições de arcar com os custos das mensalidades de uma graduação privada, mas desejam ingressar no ensino superior.

Funciona da seguinte maneira: ao ser aprovado na instituição de ensino privado e no Fies, o estudante paga as despesas da faculdade com os recursos subsidiados pelo governo federal e pode devolver o dinheiro depois de sua formação. Ele precisa arcar com os valores do empréstimo e também com juros e correção monetária dentro de um prazo previamente estabelecido em contrato.

Como requisitos para conseguir o Fies, é preciso que o candidato tenha feito a prova do Enem, pois a nota do exame é considerada como classificatória no processo de seleção. Além disso, o programa é dividido em categorias, de acordo com a renda familiar do participante.

Assim, Fies é destinado para para estudantes com renda familiar bruta de até três salários mínimos por pessoa, enquanto o P-Fies é destinado para estudantes com renda familiar bruta de até cinco salários mínimos por pessoa.

Financiamento estudantil privado

Com o financiamento estudantil privado, é possível financiar até 100% do curso. E, normalmente, a matrícula deve ser feita em faculdades conveniadas com a instituição financeira.

Nessa modalidade, o estudante faz uma contratação semestral. Ou seja, cada semestre do curso pode ser pago em até um ano. Assim, quem financia 100% de um curso de 4 anos, terá 8 anos para pagar o financiamento. Diferentemente do Fies, o crédito privado não exige que o estudante tenha feito o Enem. As etapas são:

Quem pode contratar o financiamento estudantil?

O financiamento estudantil é ideal para qualquer pessoa que precisa de ajuda para pagar mensalidades e não abre mão de fazer faculdade. Serve também para quem quer cursar uma pós-graduação ou um curso técnico.

Além disso, enquanto o Fies financia apenas cursos de graduação presenciais, o financiamento estudantil privado vale para modalidade a distância (EAD). Ou seja, é perfeito para quem precisa conciliar trabalho e estudos, mas não consegue estar todos os dias na universidade.

Sem contar que o financiamento estudantil pode ajudar quem ficou de fora do Fies por não atender algum requisito. Inclusive, é possível até mesmo obter crédito com juro zero, igual ao programa do governo.

Afinal, financiamento estudantil vale a pena?

Se encarar uma mensalidade de uma graduação não é pra você agora, uma alternativa pra você não deixar de começar seus estudos mesmo com a grana curta é o financiamento estudantil.

Muitas pessoas sonham em fazer uma graduação para conquistar um certificado que garanta seu futuro promissor. No entanto, nem todos têm condições financeiras para investir ou para arcar com todos os custos que a faculdade traz junto com a mensalidade (como materiais, transporte etc), o que faz com que essas pessoas desistam ou optem por um curso mais baratos – que nem sempre é a da área ou função sonhada. E é nesse momento que o financiamento estudantil vale a pena e entra para ajudar muita gente!

Pravaler e empréstimo pessoal: há diferença?

A maior diferença entre os dois é sua finalidade. Enquanto o empréstimo pessoal pode ser utilizado para qualquer fim, o financiamento estudantil pelo Pravaler é exclusivo para pagar a faculdade. Além disso, para fazer um empréstimo pessoal em um banco é preciso ter uma conta na instituição. O contratante também deve comparecer à agência para preencher uma proposta, levar documentos e fechar o contrato.

Veja também: Como financiar a faculdade? Veja 3 alternativas para conseguir dinheiro!

Por outro lado, todas as etapas do financiamento pelo Pravaler são realizadas online. Ou seja, o estudante pode fazer tudo sem sair de casa, e sem necessidade de abrir uma conta em um banco específico. Com o crédito aprovado, o valor vai direto para a universidade, sem burocracia. Além disso, os juros do Pravaler são menores: variam entre 0% e 2,19% ao mês, dependendo do curso e da faculdade.

É tudo tão fácil que você pode fazer uma simulação agora mesmo! Simule e veja o valor da mensalidade que você poderá financiar pelo Pravaler.

Botao Simule Financiamento 2

Texto escrito por: PRAVALER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter