Financiamento estudantil vale a pena? Financiamento estudantil vale a pena?

Financiamento estudantil vale a pena?

As aulas já começaram em Fevereiro, mas é no mês de Março que os programas de financiamento estudantil do governo que usam a nota do Enem começam a divulgar os resultados. Se você tentou, mas não conseguiu nenhum desses modelos de créditos para começar sua graduação e viu que as mensalidades da faculdade privada não cabem no seu orçamento, saiba que existem muitas alternativas nessa missão, como o PRAVALER!

Para te ajudar a entender como funciona um financiamento e as vantagens de financiar os estudos, a Mafê Borsatto, do Canal Descomplica, conversou com a Pati Riviti, especialista na experiência do aluno do PRAVALER. Confere só o vídeo na íntegra:

Afinal, financiar os estudos vale a pena?

Encarar uma mensalidade de uma graduação não é pra você agora? Uma alternativa pra você não deixar de começar seus estudos mesmo com a grana curta é o financiamento estudantil. Mas você sabe o que é e como funciona?

O que é financiamento estudantil?

O financiamento estudantil é um modelo de crédito que tem como objetivo facilitar o acesso das pessoas às universidades particulares a partir do subsídio temporário da graduação. De modo geral, um financiamento é uma espécie de empréstimo para estudantes que não conseguem arcar com as mensalidades no momento.

Muitas pessoas sonham em fazer uma graduação para conquistar um certificado que garanta seu futuro promissor. No entanto, nem todos têm condições financeiras para investir ou para arcar com todos os custos que a faculdade traz junto com a mensalidade (como materiais, transporte etc), o que faz com que essas pessoas desistam ou optem por um curso mais baratos – que nem sempre é a da área ou função sonhada. E é nesse momento que o financiamento entra para ajudar muita gente! O crédito assume o pagamento das mensalidades e o estudante paga depois de um período, que será determinado em contrato.

O aluno interessado em financiar sua graduação poderá solicitar em programas públicos, subsidiados pelo governo federal, ou privados, através de bancos e instituições privadas. Mas, você sabe as principais diferenças entre os dois formatos?

Financiamento público: o candidato pode financiar os estudos em uma universidade particular através e programas promovidos pelo governo federal, como o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), que oferece crédito para pessoas de baixa renda que tenham prestado o Enem. O contrato do FIES é sem juros adicionais e o estudante poderá pagar depois que se formar na graduação. Saiba tudo sobre o FIES em um outro artigo do blog, onde contamos tudo sobre o programa.

Financiamento privado: com crédito privado é possível financiar 100% do curso presencial ou EAD. Ao contrário dos programas governamentais, não é necessário que o candidato tenha prestado o Enem para adquirir o financiamento, no entanto, os contratos contam com taxas de juros que variam de acordo com cada contrato e instituição.

Quem pode solicitar um financiamento?

Basicamente, o perfil ideal para solicitar um financiamento estudantil é quem não abre mão de fazer uma faculdade ou pós-graduação, mas precisa de uma ajuda para pagar as mensalidades. As exigências variam de cada programa e contrato.

Vale ressaltar que quem busca financiar cursos a distância só poderá solicitar o crédito via instituições financeiras privadas, já que os programas do governo só financiam cursos presenciais. Além disso, os financiamentos públicos contam com limite de vagas, ao contrário das companhias privadas, que oferecem contratos ilimitados.

Financiamento estudantil com o PRAVALER

O PRAVALER é a maior instituição financeira que oferece o financiamento estudantil como solução. Com mais de 150 mil alunos beneficiados, a empresa incentiva o ingresso na universidade a partir de condições diferenciadas de pagamentos, com mais facilidade e juros abaixo do mercado ou até zerados.

Como funciona

O PRAVALER divide a mensalidade em parcelas menores e dá mais tempo para o aluno ir pagando a faculdade, sem que isso pese no bolso. Por exemplo, um semestre que tem 6 mensalidades, o aluno poderia pagar em, pelo menos, 10 parcelas.

Existem algumas diferenças entre financiar os estudos com o PRAVALER e com bancos privados. Dentre elas estão as taxas de juros do contrato do crédito. Com mais de 500 universidades parceiras, o PRAVALER oferece taxas menores que o mercado no geral e, em alguns casos, a taxa do financiamento é paga pela faculdade, ficando completamente sem juros para o aluno que fechar com o PRAVALER.

Outra diferença é que com o PRAVALER a contratação é totalmente on-line e pode ser feita direto do celular – através do APP, desde a simulação até o envio de documentos e assinatura do contrato.

Tem algum pré-requisito?

Qualquer pessoa pode fazer uma simulação com o PRAVALER e conferir as formas de financiamento disponíveis para seu perfil. É importante ressaltar que para solicitar o crédito, não é necessário ter prestado o Enem e nem ter vínculo com algum banco ou cartão de crédito. Basta preencher os dados pessoais básicos, como RG e CPF, as informações do curso que tem interesse em fazer e qual a faculdade desejada.

Além das informações do estudante, o PRAVALER também pede alguns dados do garantidor, que é uma espécie de fiador que te apoiará na decisão de estudar.

Faça uma simulação

Para simular um financiamento com o PRAVALER, basta o estudante baixar o APP, disponível para Android e IOS, e preencher as informações solicitadas. O resultado com o tipo de financiamento e as condições de pagamento saem em minutos.

Além disso, também é possível simular através do próprio site do PRAVALER. A simulação é grátis, você não precisa se preocupar com cobranças e nem fechará nenhum contrato nela. A ferramenta existe para que o interessado em financiar os estudos tenham noção das opções disponíveis no PRAVALER.

Passo a passo para ter um financiamento com o PRAVALER

O primeiro passo é fazer uma simulação no aplicativo ou no site, para fazer uma análise de crédito. Em caso de aprovação, o solicitante deve fazer a matrícula na instituição de ensino que escolheu estudar para que seu contrato seja gerado. Após esse processo, basta o estudante enviar os documentos requeridos que o PRAVALER emitirá um contrato para assinatura, onde deverá ter o aceite do estudante, da instituição e do PRAVALER.

Assim que terminar o semestre, na época de rematrícula, o aluno deve dizer se quer recontratar o financiamento ou não, já que o contrato do PRAVALER também tem vigência semestral.

Mas, se dividir a mensalidade em mais parcelas que a quantidade de meses do semestre e for recontratar o PRAVALER, vou ter mais boletos em aberto e acumular a dívida?

Isso não acontece com o PRAVALER! O aluno só começa a pagar o segundo contrato de financiamento depois que terminar o primeiro, ou só começa a pagar o terceiro quando acabar o segundo e assim sucessivamente. Dessa forma, as parcelas nunca se acumulam e as parcelas não pesam no bolso do estudante.

Só membros da minha família (pai e mãe) podem ser garantidor do contrato de financiamento?

Não! Com o PRAVALER não é preciso que o garantidor seja pai ou mãe ou ter qualquer vínculo familiar. Por isso, vale pedir para um amigo, colega ou até um vizinho com mais de 18 anos e que tenha renda comprovada acima de um salário mínimo para ser seu garantidor.

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.