Renegociação do FIES é prorrogada para até 10 de outubro. Saiba tudo!

Renegociação Do FIES 800x533


Se você está passando por dificuldades financeiras que te impedem de arcar com suas despesas, saiba que a renegociação é sempre uma alternativa válida. Você pode procurar o banco e tentar rever sua situação. É assim também em relação à educação, com a renegociação do FIES.

As dívidas envolvendo o programa costumam ser uma dor de cabeça aos participantes. De acordo com o MEC, em 2019, são mais de 500 mil estudantes que se encontram em situação de inadimplência, o que representa uma dívida total de R$ 11,2 bilhões. Justamente para ter como reaver esse dinheiro ou parte dele e permitir a continuidade dos estudos dos participantes do FIES, o Ministério da Educação criou a renegociação do FIES.

Saiba mais sobre o tema na sequência e veja como se beneficiar dessa iniciativa.

O que é o FIES

O FIES é o programa de financiamento estudantil organizado pelo MEC em nome do governo federal. Anualmente, o FIES viabiliza o acesso ao ensino superior de milhões de brasileiros. Para participar é preciso atender a requisitos como a participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a comprovação de renda. Uma vez beneficiado, o estudante pode dar início a seus estudos em faculdades particulares com crédito concedido pelo governo.

Esse financiamento oferece condições diferenciadas, com taxas reduzidas de juros em relação à prática de mercado. A ideia é que o estudante tenha como criar meios para conquistar acesso ao mercado de trabalho, seja fazendo estágio, seja ocupando cargos mais elevados, para então ter recursos para pagar sua dívida com o governo.

O problema

Acontece que em um cenário de alto desemprego e de ausência de sinais de recuperação econômica, alguns estudantes não conseguem se inserir no mercado de trabalho, principalmente aqueles que fazem cursos em período integral.

Nessa realidade, mesmo sob juros baixos, o financiamento estudantil do governo pode se transformar em uma bola de neve na vida do estudante, uma vez que quando não são quitadas, as parcelas se acumulam, fazendo com que as dívidas se tornem inviáveis.

Esse problema prejudica não somente o estudante, que fica sem ter como dar continuidade à sua formação profissional, mas também o governo, que não recebe o dinheiro investido, a faculdade, que perde potenciais ativos para atestar sua qualidade acadêmica e força no mercado de trabalho e a sociedade como um todo, que não receberá os impactos que uma boa formação costumam gerar.

A renegociação do FIES

Esse quadro mostra que, ainda que existam condições diferenciadas no financiamento estudantil, muitos não conseguem lidar com as exigências. Por isso, o FIES oferece uma oportunidade aos estudantes em atraso para quitarem suas dívidas. Esse benefício é destinado a quem está há mais de 90 dias em situação irregular nos contratos de financiamento.

Em 2019, o prazo se encerra no dia 10 de outubro. Inicialmente, a data estabelecida era o dia 29 de julho, mas foi prorrogada. Dessa forma, uma quantidade maior de estudantes passa a ter como renegociar suas dívidas.

A ideia do MEC é permitir a um número maior de estudantes a participação no projeto, uma vez que até pouco tempo antes da data limite inicialmente estabelecida, uma quantidade menor do que a desejada havia demonstrado interesse.

Quem pode renegociar

Não são todos os estudantes em condição irregular que podem fazer a renegociação. Existem regras estabelecidas que contemplam um período definido. Por isso, caso você esteja em busca de uma renegociação, fique atento às informações que serão apresentadas na sequência:

  • a renegociação abrange os contratos inadimplentes firmados até o segundo semestre do ano de 2017;
  • é necessário que o aluno esteja em estágio de amortização e acima do limite de 90 dias para o pagamento;
  • não serão renegociados contratos de estudantes que são objeto de ação judicial.

Atendendo a esses requisitos, o estudante pode se dirigir a uma central de atendimento e então iniciar a renegociação. É preciso comparecer ao local exato em que o contrato foi firmado.

Como é feito o cálculo

A dívida renegociada será acrescida de juros e encargos, podendo ser dividida da seguinte forma:

uma taxa de entrada com o maior valor entre 10% da dívida ou R$ 1.000; ao menos 48 parcelas mensais com o mínimo estipulado em R$ 200.

Para poder renegociar, é preciso fazer o pedido junto a um canal de atendimento da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil, de acordo com o prazo.

Feita a renegociação, tanto o estudante quanto o fiador se tornam adimplentes em relação ao programa do governo e, dessa forma, os agentes financeiros podem efetuar a baixa da restrição nos órgãos de proteção ao crédito.

Exemplo de renegociação

Imagine um estudante que tenha uma dívida de R$ 10.000 e se enquadra em todas as condições para fazer a sua renegociação.

Assim, como entrada, ele precisará pagar R$ 1.000, valor correspondente a 10% do total. Dessa forma, ainda restarão R$ 9.000 para arcar com a dívida. De acordo com as regras da renegociação do FIES, esse valor restante poderá ser parcelado em no mínimo 48 vezes, o que significa que, se o estudante optar por esse caminho, ele terá que arcar com 48 parcelas de R$ 187,50.

O máximo de parcelas permitidas nesse caso é de 54. Assim, caso opte por pagar os R$ 9.000 em 54 vezes, o estudante terá que pagar R$ 166 por mês.

Assim, de acordo com o que for combinado na renegociação do FIES, o estudante pode ter que arcar com uma dívida maior ou menor ao longo dos meses, dependendo do que conseguir pagar como entrada.

Passo a passo para fazer a renegociação

Fique atento: a renegociação do FIES não chega a ser complexa, mas ela exige que você esteja munido de toda a documentação necessária e esteja dentro das exigências estabelecidas pelos órgãos responsáveis. Para simplificar sua ação em relação a isso, preparamos um breve passo a passo. Basta seguir esse caminho e dar sequência a seus estudos com maior tranquilidade.

  • Passo 1: dentro do SisFies, existe um espaço destinado à renegociação. Acesse essa página e preencha as informações necessárias.

  • Passo 2: na página da renegociação do FIES, escolha um novo prazo para fazer o pagamento.

  • Passo 3: defina o total de meses para fazer a simulação.

  • Passo 4: imprima os documentos exigidos.

  • Passo 5: compareça ao local onde o contrato foi firmado e assine os termos de renegociação.

Por se tratar de um processo que começa em ambiente online, a renegociação do FIES é bastante fácil de ser feita, mas é importante que você se organize financeiramente para garantir que não perderá o controle sobre seus novos gastos e assim conseguirá arcar com essas despesas. Sendo assim, o passo 0 nessa jornada seria a sua reorganização financeira.

Alternativas ao Fies

Se você ainda não começou a sua faculdade e pensa em fazer o financiamento, o mais importante é ter cuidado para não fazer dívidas que possam comprometer a continuidade de seus estudos futuramente. Para tanto, o primeiro passo é pensar na sua educação financeira, pois dessa forma, você adquire hábitos saudáveis para fazer bom uso do seu dinheiro.

Além disso, existem opções interessantes, como prestar vestibular para faculdades públicas ou participar de outros programas, como o ProUni que oferece bolsas de estudo para os contemplados. Verifique também se a faculdade onde pretende estudar conta com programas próprios. Outra opção que precisa ser destacada é o PRAVALER, que se apresenta como uma solução para FIES como programa de crédito estudantil particular. Saiba mais sobre ele na sequência e de que formas você pode participar.

O PRAVALER

Um dos motivos que faz com que a quantidade de inscritos em situação irregular no FIES seja alta é justamente a burocracia que envolve o programa. Como vimos, muitas vezes, o acúmulo de parcelas faz com que a dívida se torne uma bola de neve para o estudante, o impedindo de resolver sua pendência financeira, e o pior, de se concentrar nos seus estudos.

Então o que dizer de um programa de financiamento estudantil que oferece acesso a grandes instituições do ensino superior brasileiro e que tem como diferencial justamente simplificar aquilo que o FIES complica?

É por isso que o PRAVALER se apresenta como uma alternativa mais interessante do que o FIES. Como programa privado, o PRAVALER é muito mais simples e prático para o estudante. Nele, além do acesso simplificado (sem a necessidade da participação no Enem), o beneficiado só paga uma parcela quando quita a anterior, ou seja, não há risco de ele acumular dívidas e gerar o famoso efeito bola de neve.

Conheça melhor o programa. Acesse o site, faça a sua simulação e comece a estudar em uma instituição de ensino de qualidade, com a tranquilidade necessária para construir a sua trajetória. Confira também quais são as instituições parceiras e seus resultados nos mais diferentes rankings de qualidade realizados pelo MEC e por outras instituições.

Entendeu como funciona a renegociação do FIES? Então confira também como deve ser o Enem em 2020.

Compartilhar
Categoria: Fies
Tags: ENEM ENEM 2019

Pesquisar

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.