Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Matemática financeira: qual a sua importância e como calcular? Matemática financeira: qual a sua importância e como calcular?

Matemática financeira: qual a sua importância e como calcular?

Quer entender mais sobre a gestão das suas finanças pessoais ou de sua empresa e não sabe como? Você veio ao lugar certo!

A Matemática Financeira possui grande importância para quem deseja enxergar formas de multiplicar os valores disponíveis, com diferentes graus de organização e eficiência na gestão do dinheiro.

Neste artigo, você será apresentado às principais definições de Matemática Financeira, os conceitos mais importantes, além de dicas para começar a compreender tudo sobre essa área. Queremos te ajudar a cuidar dos seus negócios com maior propriedade!

Vem com a gente? Boa leitura!

O que é Matemática Financeira?

A Matemática Financeira é uma subárea da matemática, focada em teorias, técnicas e prática de organização de cálculos e controle dos recursos monetários. Em outras palavras, é o ramo da matemática que diz respeito às gestões financeiras.

Com um conjunto de definições, palavras-chave e fórmulas, quem estuda Matemática Financeira desenvolve habilidades visionárias a respeito de finanças, utilização de dinheiro e minimização de riscos e prejuízos.

Todo mundo exercita pensamentos similares ao contratar financiamentos, empréstimos e realizar a economia doméstica, ainda que não tenha os conhecimentos específicos para maximizar os ganhos.

Dessa maneira, o estudo da Matemática Financeira é indicado para quem deseja compreender tudo sobre modelos de investimento e gestão de recursos, e não mais deixar esse assunto na mão de terceiros. Esse caminho é, também, uma busca por independência e maior autonomia na hora de tomar decisões difíceis sobre o futuro dos recursos ao seu alcance.

Qual a importância da Matemática Financeira?

O conhecimento sólido em Matemática Financeira têm importância tanto na esfera pessoal, quanto na lógica da gestão empresarial.

Para muitos gestores, a compreensão da matemática é dificultosa, principalmente pelo formalismo que as disciplinas acadêmicas carregam, mas o estudo da Matemática Financeira é democrático e recomendado mesmo para quem avalia não compreender bem a área. Basta entender como algumas fórmulas ajudam a realizar tarefas.

Quem tem uma pequena empresa, por exemplo, deve entender como funciona o fluxo de caixa, e qual o capital necessário para que as atividades da empresa continuem mesmo sem a entrada de lucro imediata, o famoso capital de giro. Essas concepções básicas são fundamentais para o início da carreira de gestor, mas não são as únicas.

Continue a leitura esse artigo para conhecer mais detalhes sobre a Matemática Financeira.

Quais são os principais conceitos básicos da Matemática Financeira?

A melhor forma de inserir o conhecimento da Matemática Financeira no seu dia-a-dia é conhecer os conceitos mais básicos dessa subárea.

Vamos lá?

Capital

O Capital representa uma quantidade de valor chamada de valor atual, basicamente a quantia inicial que um investidor coloca num negócio ou tem disponível, ou então o valor de um produto.

Para ilustrar esse raciocínio, alguns passos são importantes:

  1. Uma escola deseja renovar a linha de computadores para aulas de informática. O custo total da reforma é de R$3.500,00. Esse custo significa o capital.
  2. A escola não deseja investir todo esse capital na atualidade, e decide parcelar a reforma. Em 10 vezes de R$360,00, sabe-se que o valor final da compra será de R$3.600,00, 100 reais a mais que no início.
  3. Assim, no exemplo da escola, ao final do investimento terá sido empreendido o capital e mais R$100,00.

É importante compreender que as modalidades de compra flexíveis podem conter juros, que acrescentam ao valor final de um investimento.

Acréscimo

No exemplo anterior, ficou claro que o objeto de interesse da escola, no formato de um produto, se tornou mais caro que o pretendido. Ou seja, onde havia capital para se gastar R$3.500,00, empregou-se R$3.600,00.

Ao valor adicional, não previsto no início do investimento, damos o nome de Acréscimo. Esse valor não representa um retorno imediato e palpável, e sim representa uma quantia adicional que é imposta a um serviço ou produto.

Muitas vezes, acréscimos são necessários para se buscar um aumento no lucro, expansão ou simplesmente assunção de riscos.

Desconto

Tomando o mesmo exemplo, podemos entender o conceito de Desconto. Cada vez que uma quantia é retirada do capital de um serviço ou produto, podemos dizer que um valor foi descontado.

Assim, se o pagamento à vista dos computadores da escola resultasse em R$3.350,00, poderia dizer que houve um desconto de R$150,00 no gasto do capital, um valor que sobra no aporte financeiro.

Se considerássemos que, nesse exemplo, 100% do capital fossem os R$3.500,00 de custos da reforma da escola, o desconto de R$150,00 equivaleria a aproximadamente 4,3% do valor.

Lucro

O Lucro, uma das partes mais populares das buscas pela Matemática Financeira, é toda a quantia que é recebida após uma negociação comercial, em que se excluem o valor de compra de um serviço ou produto.

Sendo assim, no mesmo exemplo da escola, caso fossem comprados novos computadores no valor de R$3.500,00, mas, após um tempo, eles fossem vendidos por R$3.800,00, poderíamos afirmar que o lucro era a diferença entre o valor de compra e de venda, neste caso, R$300,00.

Os lucros ajudam a investir na expansão do negócio, e são parte da base que mantém empresas e demais negócios funcionando.

Montante

Um dos termos mais comuns nos estudos de Matemática Financeira é o Montante, que significa a quantia total que se paga numa operação.

Sendo assim, se numa compra há acrescido o valor de juros, o Montante considera o valor capital mais os juros, para chegar num total gasto.

Juros

Os Juros são valores recebidos e pagos sobre o capital.

No caso de um empréstimo, é cobrada uma taxa que reflete o tempo com que o cliente fica com o valor cedido pela instituição financeira. A quantia advinda dessa taxa corresponde aos juros.

Há uma importante diferença entre juros simples e compostos. No caso do rendimento de uma aplicação financeira, a taxa de juros simples é aplicada no primeiro mês, e a taxa de juros compostas é aplicada a partir do valor total com o acréscimo dos juros simples, sendo assim, ela se atualiza e cresce mês a mês.

Taxa de Juros

A já mencionada Taxa de Juros é uma porcentagem calculada de acordo com o capital que foi emprestado ou utilizado para investimentos, sendo assim, representa o acréscimo ou a dívida.

Uma taxa de juros é frequentemente mencionada com as terminações “a.a” ou “a.m”, que indicam a cobrança anual ou mensal, ou o rendimento nas mesmas especificações.

Quais são as fórmulas da Matemática Financeira?

As fórmulas da Matemática Financeira são expressões numéricas utilizadas no cotidiano para facilitar o trabalho prático com as informações. Algumas delas são de extrema importância.

Vamos conferir essas fórmulas?

Juros simples

Nesse caso, aplica-se uma correção de acordo com o valor inicial, o capital (C), o valor a ser acrescido, os juros (J), o tempo de cobrança (t) que é expressa em meses, e a taxa percentual fixada (i).

Sendo assim, chega-se à fórmula: J = C * i * t.

Juros compostos

Os juros compostos são os famosos juros sobre juros, ou seja, são aplicados sobre o valor total que rende após os Juros Simples, um montante (M).

Assim, as variáveis anteriores sofrem uma correção, compondo a fórmula: M = C * (1+i) * t.

Geralmente, a atenção aos Juros Compostos ajuda quem deseja cultivar uma carteira de investimentos, visto que esses valores têm o potencial de criar um efeito bola de neve de crescimento.


Cálculo percentual

O cálculo percentual é importante para entender qual a natureza dos acréscimos e decréscimos em uma análise da Matemática Financeira.

Além disso, muitos materiais, gráficos e análises do mercado trabalham com a convenção percentual, sendo necessário entender corretamente esse tipo de cálculo.

Dessa maneira, a porcentagem pode ser considerada uma razão centesimal, em que há uma proporção entre valores com o denominador comum 100.

Pode-se calcular a porcentagem (P) de acordo com a fórmula: % * V = R / 100, em que determinada porcentagem, ao ser multiplicada por um valor, dá um resultado que deve ser dividido por 100.

Ficou confuso? Nós explicamos! Se você quer descobrir quanto equivale 20% do valor 200, basta substituir:

20 * 200 = 4.000 / 100 = 40. Ou seja, 20% de 200 equivale a 40.

Com isso, apresentamos as principais variáveis da Matemática Financeira, dando detalhes de cada uma para te fornecer conhecimento e informação, dois passos importantes para o início dos estudos nessa subárea do conhecimento matemático.

Aí vai uma dica: comece a estudar com maior aprofundamento o seu foco de interesse, já conhecendo todos esses termos. Se você deseja trabalhar no mercado de investimentos, busque cursos de curta duração e materiais sobre o assunto. Se você só deseja gerir seu negócio, não deixe de se aprofundar nos temas sugeridos

E aí, agora você consegue conversar melhor sobre Matemática Financeira? Não deixe de treinar seus conhecimentos com exercícios práticos do dia-a-dia, e compartilhar este artigo com quem também precisa embarcar nesse rico universo!

Agradecemos pela leitura. Até a próxima!

Texto escrito por: Prasaber
x

Estude o que sempre sonhou com o financiamento estudantil.

Faça faculdade pagando menos por mês com o Pravaler.

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter