Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Conheça o P-FIES, a nova modalidade de financiamento do FIES Conheça o P-FIES, a nova modalidade de financiamento do FIES

Conheça o P-FIES, a nova modalidade de financiamento do FIES

Já falamos por aqui que o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é uma das opções de financiamento que existem no país e que atende, prioritariamente, estudantes que querem realizar o sonho de uma graduação em faculdade particular, mas não têm condições financeiras para isso.

Dentre as mudanças das regras do Fies, está a inclusão de uma segunda modalidade de financiamento.

Pensando em expandir o perfil de estudante contemplado pelo programa, o Novo Fies implantou a modalidade P-Fies, uma alternativa para estudantes com renda familiar bruta mensal superior a três salários mínimos, contratado junto de bancos privados da escolha do candidato, condição que não acontece no Fies tradicional.

Quer entender como funcionar o P-FIES e se o seu perfil encaixa na modalidade? Acompanhe abaixo tudo sobre o tema!

Você sabe o que é o FIES?

Como já abordamos por aqui, o Fies é um programa de financiamento estudantil com fundos constitucionais direcionado a estudantes de classe social baixa que já concluíram o ensino médio e que desejam ingressar no ensino superior.

Promovido pelo Governo Federal e Ministério da Educação (MEC), o Fies atende apenas instituições de ensino privadas e, para participar, o candidato precisa atender a uma série de requisitos mínimos. Como benefício, o aluno que for contemplado pagará sua faculdade apenas quando formado e inserido no mercado de trabalho, com condições flexíveis e juros zero para pagamento em até 14 anos.

Como escolher entre Fies e P-Fies?

De modo geral, estudantes de baixa renda podem participar do processo seletivo do Fies e P-Fies, no entanto, algumas exigências e processos mudam de uma modalidade para outra.

Uma das principais diferenças entre Fies e P-Fies são os requisitos para solicitar o crédito estudantil. Enquanto os candidatos aptos para o Fies devem comprovar renda familiar de até três salários mínimos, solicitantes do P-Fies podem ter renda familiar de até cinco salários mínimos por pessoa.

Ainda é importante destacar que, por ser uma categoria sustentada por bancos privados, quem optar pelo financiamento estudantil P-Fies arcará com uma taxa de juros que varia de 1,9% a 2,5% ao mês, de acordo com o contrato estipulado do empréstimo, e não serão isentos de taxas como beneficiários do FIES.

Veja também: Como conseguir o Fies?

Apesar disso, contemplados pelo P-Fies também possuem condições diferenciadas de pagamentos, com taxas mais reduzidas em comparação a um financiamento diretamente com a instituição financeira privada.

Apesar de quesitos socioeconômicos diferentes, em ambas as modalidades o estudante precisa ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), prova que avalia o nível educacional das escolas em todo o país, em edições que aconteceram a partir do ano de 2010. Além de prestar a prova, o estudante que quiser solicitar o financiamento pelo FIES deve ter atingido, pelo menos, 450 pontos na avaliação objetiva e não ter zerado a redação.

Quantas vagas o P-Fies tem?

A quantidade de vagas disponíveis nas modalidades é o total do programa Fies e pode variar em cada edição lançada. Em 2018, quando o P-Fies foi introduzido, o Governo Federal disponibilizou 75 mil vagas. Para 2020, 100 mil vagas estavam à disposição dos estudantes. Nos anos seguintes, a tendência é de que o número diminua, contemplando cerca de 50 mil beneficiários por ano.

Como funciona o processo seletivo do P-Fies?

O processo para solicitar o P-Fies é o mesmo para candidatos do Fies. Quando estiver realizando a inscrição, o candidato deverá selecionar três opções de curso, o turno e instituição de ensino escolhida. Veja o passo a passo para se inscrever no Fies aqui.

A seleção acontecerá por quantidade de vagas disponíveis para as opções selecionadas e por nota de corte, a partir da classificação do aluno no ENEM. De maneira simplificada, quanto maior for a pontuação nas provas do ENEM, maior será a chance de o candidato estar pré-selecionado no programa.

Ao localizar o nome na lista de pré-selecionados, o estudante deverá ir até a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da universidade escolhida e levar a documentação solicitada na aprovação para finalizar o processo.

A única diferença entre Fies e P-Fies no momento da conclusão é que, para a modalidade tradicional, existe a lista de primeira chamada e a lista de espera, onde constam nomes que serão incluídos na lista de selecionados caso alguém não conclua o processo de inscrição. Já para a modalidade de P-Fies, a lista de chamada é única e não conta com nomes em espera.

Documentação para o P-Fies

A documentação para o P-Fies é a mesma exigida para o Fies. A única diferença é a operacionalização, que será feita por bancos privados. Os candidatos do P-Fies deverão comprovar renda familiar mensal entre 3 e 5 salários mínimos para serem elegíveis ao financiamento.

Em quais universidades posso utilizar o financiamento do P-Fies?

O critério para saber se a universidade é aceita pelo P-Fies, assim como o Fies, é a sua avaliação no MEC. Assim, além de garantir seus estudos em uma instituição certificada por órgãos governamentais, o estudante tem a certeza de que vai investir em uma formação de qualidade e com diploma válido em todo o país.

A lista de faculdades privadas que aceitam o P-Fies muda a cada temporada e fica disponível para a consulta do estudante no edital do Fies.

Quero financiar a segunda graduação. Posso solicitar o P-Fies?

Seja primeira ou segunda graduação, se o candidato atender a todos os requisitos estipulados, poderá financiar seus estudos pelo P-Fies. Vale ressaltar que tanto o Fies quanto o P-Fies atendem apenas financiamentos de graduação presencial, e não contemplam solicitações para EAD (ensino a distância).

Como funciona o pagamento e taxas de juros do P-Fies?

Por ser um programa governamental, a inscrição para o P-Fies é totalmente gratuita. No entanto, por ser operacionalizado por bancos privados, é cobrado uma taxa de juros mensal por coparticipação.

Já para quitar o empréstimo, a modalidade é um pouco diferente do Fies. O aluno inicia o pagamento assim que que é feita a aprovação do crédito, ou seja, começa a pagar ainda estudando.

Quem tem bolsa parcial pode solicitar o P-FIES?

Sim! Se o bolsista foi contemplado pelo Prouni (Programa Universidade Para Todos) ou por bolsa parcial da própria universidade e ainda assim não conseguir arcar com a outra parte da mensalidade, pode solicitar o financiamento do P-Fies, desde que atenda às exigências estabelecidas pela modalidade.

 

Se você precisa de mais informações sobre o FIES e as suas modalidades, acesse o portal oficial do MEC e tire todas as suas dúvidas.

Texto escrito por: PRAVALER
Categoria: FIESPrasaber
Tags:
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter