FIES e financiamento estudantil privado


FIES e financiamento estudantil privado

FIES ou financiamento estudantil privado? Essa é uma dúvida muito comum entre os estudantes que desejam fazer uma faculdade e até mesmo entre os que já estão cursando uma graduação.

Além do FIES, existem disponíveis no mercado, hoje, diversas formas do aluno financiar seu curso. Cada uma com seus critérios, taxas e formas de pagamento.

Descubra, a seguir, quais são as melhores maneiras de obter um empréstimo estudantil que caiba no seu bolso.

Qual a diferença entre o FIES e o financiamento privado?

Existem algumas diferenças importantes entre o FIES e financiamento estudantil privado. As principais são:

  • ENEM: ter feito o ENEM, obtendo uma nota mínima e não zerar a redação são requisitos para o FIES. No financiamento privado não existe essa exigência;
  • Forma de pagamento: dependendo do financiamento privado, o estudante começa a pagar o montante da dívida enquanto ainda está estudando. No FIES ele só pagará uma taxa trimestral e a amortização do valor financiado começará apenas depois de formado;
  • Juros: no FIES, dependendo da renda per capita do estudante, ele não paga juros sobre a dívida. No financiamento privado os juros vão depender da instituição financeira contratada;
  • Modalidade EAD: o FIES ainda não abrange os cursos EAD, enquanto no financiamento privado não existe essa limitação;

Como funciona o FIES?

O FIES abre inscrições no início de cada semestre letivo. Os alunos selecionados passam a contar com a ajuda financeira do Governo Federal, que pagará as mensalidades do curso, até a conclusão do mesmo.

Para ter direito ao FIES o estudante deverá ter feito a prova do Enem, obtendo nota mínima de 450 pontos e nota superior a zero na redação.

Cumpridos estes requisitos, o candidato será enquadrado em uma das modalidades de financiamento, considerando sua faixa de renda:

  1. FIES: essa modalidade é para os candidatos com renda familiar per capita de até 3 salários mínimos. Após a contratação, o aluno pagará, durante o curso, uma taxa mínima, referente aos encargos operacionais fixados em contrato. O pagamento do valor financiado só ocorrerá após o término da faculdade. Nessa modalidade, não há cobrança de juros.
  2. P-FIES: essa modalidade conta com a parceria de instituições financeiras privadas e é destinada aos candidatos com renda familiar per capita de 3 a 5 salários mínimos.

As condições do financiamento e formas de pagamento são definidas em conjunto com a instituição de ensino e os juros variam, podendo, inclusive, chegar a zero.

A seleção leva em consideração diversos critérios, além da nota do ENEM, como curso escolhido, local e quantidade de vagas disponíveis.

As parcelas serão descontadas diretamente na folha de pagamento do estudante. Caso ele ainda não possua renda para o desconto ser realizado, o financiamento deverá ser quitado em prestações mensais equivalentes a um pagamento mínimo.

Como funciona o financiamento estudantil privado?

Uma alternativa ao FIES é o financiamento estudantil privado. Ele é oferecido por diversas instituições financeiras privadas, com diferentes prazos, condições e taxas.

Após a contratação, a instituição financeira repassa o valor financiado das mensalidades diretamente para a faculdade. E o estudante assume o compromisso de efetuar, posteriormente, o pagamento do montante acrescido de juros e correção monetária.

Os juros variam de acordo com a instituição financeira. Por exemplo, se o crédito for contratado diretamente no banco, as taxas cobradas costumam ser menores do que outras linhas de crédito pessoal, mas são mais altas que as do FIES.

Para solicitar essa linha de crédito estudantil é preciso que a faculdade do seu interesse tenha parceria com a instituição que oferece o crédito. O produto pode ser contratado por quem já cursa o ensino superior ou por quem acabou de ingressar.

Onde conseguir financiamento estudantil privado?

Veja algumas instituições financeiras privadas que oferecem este tipo de serviço:

Bancos

Os bancos que oferecem linhas de empréstimo estudantil são o Bradesco e o Santander, sendo que este último só financia cursos de pós-graduação e MBAs.

Para o aluno contratar o financiamento é necessário possuir uma conta no banco específico e a faculdade onde deseja cursar também deve ser conveniada.

Os bancos arcam com os valores das mensalidades, parcialmente ou em sua totalidade, e o estudante passa a ter um contrato com a instituição financeira.

Os pagamentos são realizados diretamente ao banco, podendo ser feitos ainda durante o curso ou somente após seu término.

Crédito Estudantil Privado

As regras para entrar no Novo FIES são rígidas e nem todos os estudantes conseguem ser selecionados para o programa.

Quem ficar de fora terá que procurar outras saídas para continuar estudando. Uma delas é o crédito estudantil privado. A boa notícia é que hoje já existem instituições financeiras privadas que oferecem financiamento com taxas tão atrativas quanto as do FIES.

Essas instituições são especializadas em empréstimo universitário e possuem convênios com diversas faculdades particulares. Além disso, suas regras de contratação costumam ser mais flexíveis do que as regras do FIES.

Conheça agora o maior programa privado de financiamento estudantil do nosso país.

O Programa PRAVALER

O PRAVALER tem 12 anos de experiência em empréstimo estudantil e neste período já ajudou mais de 130 mil alunos a realizarem o sonho de estudar. Possui mais de 500 instituições de ensino conveniadas.

O aluno pode usar o financiamento para cursos presenciais e a distância, podendo utilizar o crédito em conjunto com outros benefícios, como o PROUNI e bolsas de estudo das faculdades.

Para os cursos de Graduação, é permitido financiar apenas um semestre de cada vez, mas o aluno pode recontratar a cada novo semestre, até financiar o curso integralmente.

O processo de contratação é muito simples, realizado pela internet, com envio de documentação totalmente online.

A aprovação do financiamento exige comprovação de renda mínima equivalente ao valor de 2 mensalidades da faculdade. Além disso, o aluno e o seu fiador não podem ter restrições no CPF.

Estas são as principais linhas disponíveis de financiamento estudantil privado, além do FIES.

Graças a elas, a falta de recursos financeiros não é mais um obstáculo para que estudantes de baixa renda conquistem o sonho de se formar e crescer profissionalmente.

Compartilhar
Categoria: Fies
Tags: ENEM ENEM 2019

Pesquisar

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.