Iluminismo – o que foi, principais pensadores e características Iluminismo – o que foi, principais pensadores e características

Iluminismo – o que foi, principais pensadores e características

O Iluminismo surgiu logo após o Renascimento Cultural e, se você está se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou para o vestibular, é importante entender como esse movimento influenciou a Revolução Francesa e a Independência dos Estados Unidos e se preparar para possíveis questões sobre o tema. Preparado? Vem com a gente nessa! 😊

O que foi o Iluminismo?

O Iluminismo foi um movimento intelectual, filosófico e cultural que surgiu durante os séculos XVII e XVIII na Europa e defendia o uso da razão contra o antigo regime e pregava maior liberdade econômica e política. Este movimento promoveu mudanças políticas, econômicas e sociais, baseadas nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade.

Os filósofos e economistas que difundiam essas ideias julgavam-se propagadores da luz e do conhecimento, sendo, por isso, chamados de iluministas.

Qual o contexto do Iluminismo?

Chamado de “século das luzes”, o Iluminismo pode ser entendido como uma ruptura com o passado e o início de uma fase de progresso da humanidade. Essa fase é marcada por uma revolução na ciência, nas artes, na política e na doutrina jurídica, por exemplo.

Nessa época, o mundo começava a passar por transformações. O Renascimento permitiu o desenvolvimento cultural e intelectual baseado nos ideais de liberdade política e econômica defendidos pela crescente burguesia. O poder das monarquias passou a ser criticado, os valores da igreja foram questionados e o Antropocentrismo colocou o homem como centro das questões.

O Iluminismo trouxe consigo grandes avanços econômicos, a Revolução Industrial abriu caminhos para a produção e expansão dos mercados e mudanças políticas que acabaram na Revolução Francesa. O Mercantilismo característico da época anterior deu lugar para a liberdade econômica sem a intervenção do Estado.

Como surgiu o Iluminismo?

O Iluminismo surgiu como uma reação ao Absolutismo que dominava a Europa até então. No Absolutismo todo o poder se concentrava na figura do rei, que vivia com luxos pagos pela classe mais pobre através de impostos.

Os pensadores iluministas queriam trazer a humanidade para a luz da razão, iam contra o domínio da igreja católica e da monarquia absolutista, defendendo o uso da ciência e da razão, assim como maior liberdade nos campos da política e economia. Muitos deles eram contra a religião instituída, mas não eram ateus, eles acreditavam que o homem chegaria a Deus por meio da razão.

Ao contrário do que pregava a religião, os intelectuais iluministas defendiam que o homem era o detentor do seu próprio destino e que a razão deveria ser utilizada para a compreensão da natureza humana. A razão era, portanto, elemento central dos ideais iluministas, afinal, somente a racionalidade poderia validar o conhecimento. Eles acreditavam que a educação, a ciência e o conhecimento eram a chave para essa libertação.

Durante a Idade Média, entre os séculos V e XV, a sociedade europeia foi marcada por forte influência da igreja católica, que defendia uma visão teocêntrica da sociedade e boa parte do conhecimento era fruto das crenças religiosas, de profecias e do próprio imaginário das pessoas. Entre o final deste período e início da Idade Moderna, o progresso da ciência começou a colocar em questão muitos conhecimentos e o próprio entendimento do mundo proposto pela religião.

A descoberta de que a Terra não era o centro do universo, por exemplo, abalou a supremacia do conhecimento eclesiástico. O regime absolutista também era outro fator de insatisfação de boa parte da população, onde as sociedades eram divididas em diversas classes sociais (estamentos) e o clero e a nobreza – que estavam no topo da pirâmide social, que eram sustentados com os impostos do povo.

Esse conjunto de descontentamentos por parte da população levaria à Revolução Francesa, que foi inspirada nas ideias iluministas e representa o principal marco desse movimento intelectual.

Quais as principais características do Iluminismo?

O Iluminismo gerou grandes transformações durante os séculos que o movimento esteve presente. Suas principais características foram: 

  • A razão era considerada o fator primordial e legítimo para o alcance da verdade e do conhecimento;
  • Avanço da ciência;
  • Ignorava qualquer crença religiosa que fosse contrária à evidência científica;
  • Oposição ao Absolutismo, ao Mercantilismo, as vantagens da nobreza e a igreja católica;
  • Defesa de maior liberdade política e econômica (sem interferência do Estado);
  • Alguns cientistas acreditavam que a natureza era capaz de explicar o comportamento da sociedade;
  • Predomínio da burguesia;
  • Deus está presente na natureza e no próprio homem;
  • O questionamento das coisas e das verdades era valorizado. Também era imprescindível realizar a investigação com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre a política, economia e sociedade.

O que influenciou o Iluminismo?

Uma das influências do Iluminismo foi a ciência, pois foi um período marcado por novas descobertas e invenções em todo o continente europeu. O avanço científico dessa época colocou à disposição do homem informações como a descrição da órbita dos planetas e do relevo da lua, a descoberta da existência da pressão atmosférica e da circulação sanguínea e o conhecimento do comportamento dos espermatozoides.

A Astronomia foi um dos campos que deu margem às maiores revelações. Foi quando Newton elaborou um novo modelo para explicar o universo. Além disso, anunciou ao mundo a lei da gravitação universal, que explicava desde o movimento dos planetas até a simples queda de uma fruta. Newton foi ainda responsável por avanços na área do cálculo e pela decomposição da luz, mostrando que a luz branca, na verdade, é composta por sete cores, as mesmas do arco-íris.

Os campos da Biologia e da Química também tiveram influência durante o movimento. A Biologia progrediu também no estudo do homem, com a identificação dos vasos capilares e do trajeto da circulação sanguínea. Nesse período, descobriu-se também o princípio das vacinas.

Na Química, a figura mais destacada foi Antoine Lavolsier, famoso pela precisão com que realizava suas experiências. Essa característica auxiliou-o a provar que, “embora a matéria possa mudar de estado numa série de reações químicas, sua quantidade não se altera, conservando-se a mesma tanto no fim como no começo de cada operação”. Atribuiu-se a ele igualmente a frase: “Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”.

Quais os principais pensadores do Iluminismo?

Os filósofos iluministas começaram a surgir na França em meados do século XVII. A palavra iluminismo remete ao movimento que desejava clarear, iluminar a sociedade europeia que, para os pensadores da época, encontrava-se nas trevas, principalmente por causa de crenças religiosas da igreja católica.

Acreditando que o pensamento racional deveria substituir a religião e o misticismo, alguns nomes tomaram a frente do movimento iluminista. Conhecer um pouco desses pensadores vai ajudar a entender as razões pelas quais surgiram o Iluminismo.

Veja quais foram os principais pensadores iluministas, seus ideais e principais obras:

John Locke (1632-1704)


Iluminismo Principais Pensadores John Locke

John Locke foi um filósofo inglês que defendia a liberdade de expressão, um dos mais importantes filósofos iluministas e fundador do empirismo e do que hoje chamamos de liberalismo. Como representante do individualismo liberal, defendeu a monarquia constitucional e representativa, que foi a forma de governo estabelecida na Inglaterra, depois da Revolução de 1688.

Locke afirmava que o conhecimento era proveniente da experiência, tanto de origem externa, nas sensações, quanto nas internas, através das reflexões. Ou seja, defendia a ideia de que homem era uma folha em branco, que se preenchia apenas com as experiências, pois depois que começamos a perceber tudo em volta, surgem as ideias sensoriais.

Essas sensações são trabalhadas pelo pensamento, pelo conhecimento, pela crença e pela dúvida, resultando no que Locke chamou de reflexão. A mente não é um mero receptor passivo. Ela classifica e processa todas as sensações à medida que vai formando nossos conhecimentos e nossa personalidade.

Principais Obras

  • Cartas sobre a tolerância (1689)
  • Ensaio sobre o entendimento humano (1690)
  • Pensamentos sobre a educação (1693

Voltaire (1694-1778)


Iluminismo Principais Pensadores Voltaire

Voltaire, pseudônimo literário de François Marie Arouet, foi um filósofo e escritor francês que tem sua imagem marcada como símbolo do Movimento Iluminista. Defensor das liberdades individuais e da tolerância, foi uma das principais inspirações da Revolução Francesa. Para ele, deve ser garantido às pessoas o direito à liberdade de expressão, a liberdade religiosa e a liberdade política. Para o pensador, o progresso da sociedade somente viria com o reconhecimento dessas liberdades individuais e com o respeito e a tolerância a todas as formas de pensar.

Os ideais de Voltaire estão bem alinhados com os de outros iluministas franceses, mas com ênfase na questão da liberdade. Voltaire acreditava que o ser humano deveria ser livre para expressar sua vida criativa, sem interferências de cunho moral e religioso. Ele era contra o absolutismo e a favor da separação entre igreja e Estado.

Voltaire também era totalmente a favor da liberdade de imprensa e da liberdade de expressão, além da liberdade religiosa e da tolerância. Para o pensador, o progresso da sociedade somente viria com o reconhecimento dessas liberdades individuais e com o respeito e a tolerância a todas as formas de pensar.

O pensador escrevia muito. Foram mais de 70 obras em forma de livros, peças de teatro, romances, poemas e outros.

Principais Obras

  • Édipo (1718)
  • Cartas Filosóficas (1734)
  • Conselhos a um jornalista (1737)
  • Cândido, ou O Otimismo (1759)
  • Dicionário Filosófico (1764)

Jean-Jacques Rousseau (1712-1778)


Iluminismo Principais Pensadores Jean Jacques Rousseau

Filósofo suíço mais popular da Revolução Francesa, defendia a democracia direta onde cada indivíduo seria capaz de participar de todas as decisões políticas, ou seja, fazer prevalecer a soberania popular. Jean Jacques Rousseau foi um dos principais influenciadores da formação do pensamento político e educacional moderno.

Ao contrário de todos os outros iluministas, Rousseau não acreditava no individualismo, indo contra as teorias liberalistas da época. Para ele, com a igualdade não seria possível que as pessoas tivessem propriedades privadas, e que o bem estar social só seria possível se a posse de bens acabasse. Ou seja: nada de bens próprios para ninguém, todo mundo deveria ter as mesmas coisas, ser tratado da mesma forma, ter o mesmo poder.

Principais Obras

  • Sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade Entre os Homens (1755)
  • Discurso Sobre as Ciências e as Artes (1755)
  • Julie ou a Nova Heloísa (1761)
  • O Contrato Social (1762)

Montesquieu (1689-1755)


Iluminismo Principais Pensadores Montesquieu

Conhecido principalmente pela sua teoria de separação de poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário), como é hoje no Brasil, esse filósofo francês fez parte da primeira geração de pensadores iluministas e atuou principalmente no ramo da política e da psicologia.

Montesquieu foi um dos mais importantes filósofos e pensadores do iluminismo francês. Além disso, foi um crítico do absolutismo e do catolicismo e defensor da democracia, sendo sua obra mais destacada O Espirito das Leis, um tratado de teoria política, no qual aponta para a divisão dos três poderes.

Principais Obras

  • Cartas Persas (1721)
  • Considerações sobre as Causas da Grandeza dos Romanos e de sua Decadência (1734)
  • O Espírito das Leis (1748)

Denis Diderot (1713-1784)


Iluminismo Principais Pensadores Denis Diderot

Sabe a enciclopédia (aquela que existia antes de existir o Google)? Devemos a este escritor e filósofo iluminista francês a criação da primeira enciclopédia do mundo. Como um grande defensor da expansão do conhecimento, o escritor passou boa parte da sua vida organizando pensamentos e conhecimentos da época, para divulgar a filosofia iluminista no mundo.

Denis Diderot consagrou-se como um grande escritor e fez da literatura o seu ofício, o que valeu uma vasta produção literária. Acreditava na razão como guia, da qual a filosofia deveria se alicerçar para desvendar a verdade e constituir um sólido conhecimento. Ele elaborou sua metodologia segundo os moldes e informações das ciências exatas, de acordo com o materialismo científico.

Principais Obras

  • Pensamentos Filosóficos (1746)
  • As Joias Indiscretas (1748)
  • Encyclopédie (1751-1772)
  • A Religiosa (1760)
  • O Sobrinho de Rameau (1762)
  • Jacques, o Fatalista e Seu Mestre (1773)

Adam Smith (1723-1790)


Iluminismo Principais Pensadores Adam Smith

Considerado o pai da economia moderna, Adam Smith foi um filósofo e economista escocês e o nome mais importante quando se trata de liberalismo econômico. Publicou sua principal obra, A Riqueza das Nações, que teve importância fundamental para o nascimento da economia política liberal e para o progresso de toda a teoria econômica.

Pregava a não intervenção do Estado na economia e um Estado limitado às funções de guardião da segurança pública, mantenedor da ordem e garantia da propriedade privada.

Principais Obras

  • Teoria dos Sentimentos (1759)
  • A Riqueza das Nações (1776)
  • Ensaio sobre Temas Filosóficos (1795)

Qual a importância dos filósofos iluministas?

O Iluminismo foi um movimento que contou com a participação de diversos pensadores. Mesmo compartilhando de noções e princípios semelhantes, os teóricos do iluminismo trouxeram as mais diferentes contribuições em suas obras. Eles se apropriaram de assuntos diversos para tratar de questões morais, religiosas e políticas.

Foram os filósofos iluministas que deram base às ideias iluministas, mudando assim a concepção antiga do absolutismo. E, como vimos, os principais foram Rousseu, Montesquieu e Voltaire, que influenciaram ativamente a forma de governo da época.

Quais os movimentos sociais que foram influenciados pelo Iluminismo?

Já sabemos que o Iluminismo surgiu na França e rapidamente seus ideais se espalharam por todo o continente. Mas, o que você também precisa saber é que não foi só a Europa que teve influências iluministas. O continente americano, que vivia sob o domínio do sistema colonialista europeu (britânicos), foi o que mais recebeu influências iluministas. A ideologia iluminista chegou com força, principalmente, nos políticos e intelectuais americanos, que começaram a organizar movimentos de contestação ao colonialismo e ao controle das metrópoles europeias, dando início a Guerra de Independência dos Estados Unidos.

Os ideais de liberdade de expressão e autodeterminação, presentes na ideologia iluminista, foram os mais presentes na segunda metade do século XVIII em grande parte da América. Além disso, o Iluminismo também esteve em movimentos de contestação ao regime absolutista, que vigorava em vários países da Europa. A Revolução Francesa, que derrubou o absolutismo, foi o principal desses movimentos.

Veja os principais movimentos sociais influenciados pelo Iluminismo:

  • Independência das Trezes Colônias da América do Norte;
  • Revolução Francesa;
  • Inconfidência Mineira;
  • Movimentos de independência da América Espanhola;
  • Independência do Brasil.

O que o Iluminismo influenciou no Brasil?

As ideias iluministas chegaram ao Brasil no século XVIII. Muitos brasileiros de classes mais altas da sociedade iam estudar em universidades da Europa, onde tinham contato com as teorias e pensamentos que se desenvolviam em território europeu. Ao retornarem ao país, após os estudos, estas pessoas divulgavam as ideias do Iluminismo, principalmente, nos centros urbanos.

A principal influência iluminista pôde ser notada no processo de Inconfidência Mineira (1789) – um dos mais importantes movimentos sociais da história do Brasil. Esse movimento significou a luta do povo brasileiro pela liberdade, contra a opressão do governo português no período colonial. Alguns inconfidentes conheciam as propostas iluministas e usaram como base para fundamentar a tentativa de independência do Brasil.

As principais ideias iluministas que influenciaram os inconfidentes – grupo liderado por Tiradentes – foram:

  • Fim do colonialismo;
  • Fim do absolutismo;
  • Substituição da monarquia pela República;
  • Liberdade econômica (liberalismo);
  • Liberdade religiosa, de pensamento e expressão.

Mesmo não obtendo o sucesso desejado, que seria a Independência do Brasil, os inconfidentes conseguiram difundir ainda mais as ideias do iluminismo entre as camadas urbanas da sociedade brasileira. Os ideais iluministas foram de fundamental importância na formação política do Brasil.

Agora que você já sabe o que foi o iluminismo, conheça também:

Quero receber notícias do Pravaler

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o Pravaler em primeira mão.