O que é crônica e suas características? O que é crônica e suas características?

O que é crônica e suas características?

Muito utilizada em textos do cotidiano publicados por revistas, jornais ou blogs, a crônica faz parte de uma escrita simples e de fácil compreensão. Além disso, torna o texto mais próximo ao leitor. Mas, você sabe o que é crônica, quais são suas características e seus tipos? Você sabe como utilizá-la?

Nesse texto vamos te apresentar um pouco mais sobre esse gênero contextual. Acompanhe!

O que é crônica?

Crônica é o tipo de texto que aborda acontecimentos do dia a dia em uma narração curta e situa-se entre o jornalismo e a literatura. Muito encontrada nos meios de comunicação como revistas, jornais e rádios, tem como objetivo fazer uma análise crítica das situações cotidianas, possibilitando ao leitor uma reflexão sobre aquele assunto.

Por ter um texto mais simples e ser utilizada para descrever fatos do cotidiano, a crônica facilita a aproximação do leitor, como uma conversa entre amigos, tornando a leitura leve e divertida. Em geral, as crônicas tratam de temáticas comuns sobre assuntos que estão na “boca do povo”, apresentando uma crítica de forma objetiva, sem muitos detalhes e, muitas vezes, fora dos padrões textuais que estamos acostumados.

Em resumo, a crônica pode ser entendida como um retrato verbal particular dos acontecimentos urbanos e, embora não seja uma regra, a crônica relata de forma diferenciada as ocorrências, seja de forma artística, em tom crítico ou com humor.


Quais as características da crônica?

Por tratar de assuntos cotidianos e factuais, a crônica tem “vida curta”. Isso quer dizer que o assunto em pauta hoje não será o mesmo de amanhã, aspecto similar ao jornalismo, já que os dois buscam inspiração nos acontecimentos do dia a dia.

Geralmente, as crônicas apresentam linguagem simples e espontânea, situada entre a linguagem oral e a escrita. Isso contribui para que o leitor se identifique com o cronista, que acaba se tornando o porta voz daquele que lê. Veja quais são as principais características da crônica:

  • Escrita em textos curtos e de fácil compreensão;
  • Possui linguagem despojada e simples;
  • Narra situações do cotidiano;
  • O uso de poucos personagens (às veze, nenhum);
  • Caráter crítico sobre comportamentos e situações;
  • O uso do humor crítico, irônico e sarcástico;
  • Segue um tempo cronológico determinado.

Para que serve uma crônica?

Por ter caráter jornalístico e apresentar textos que narram e refletem o cotidiano, as crônicas servem para fazer uma crítica com a intenção de causar reflexão no leitor sobre determinado assunto. Os bons cronistas são aqueles que conseguem perceber, no dia a dia de suas vidas, impressões, ideias ou visões da realidade que não foram percebidas por todos.

Tipos de crônica

Crônica descritiva

Como o próprio nome já diz, a crônica descritiva expõe de forma mais detalhada os atributos de pessoas, animais ou objetos. Em geral, é um artigo descritivo sobre situações corriqueiras com uma linguagem dinâmica e conotativa, dando características sobre o local e/ou personagens que aparecem.

Crônica narrativa

A crônica narrativa apresenta elementos da narração em sua estrutura, que pode ser feita na 1ª ou 3º pessoa do singular. Nesse caso, a crônica pode ser definida como um gênero literário marcado pela narração de situações cotidianas sob uma ótica individual.

Nessas crônicas não há longos trechos reflexivos ou argumentativos. Como a tipologia predominante é a narrativa, o texto apresenta um enredo com personagens, tempo e espaço. Suas principais características são humor, ação e crítica.

Crônica dissertativa

A apresentação explícita da opinião do autor sobre determinado assunto do cotidiano é a principal característica desse tipo de crônica, que pode ser escrita em 1ª do singular ou 3ª pessoa do plural.

Crônica narrativo-descritiva

Apresenta características narrativas e descritivas de maneira intercalada no decorrer do texto, com acontecimentos retratados em uma sequência temporal.

Crônica humorística

A crônica humorística utiliza a ironia, o humor e o sarcasmo para tratar assuntos que impactam a sociedade, como por exemplo, política e economia. O uso da ironia, de comparações inusitadas ou a utilização de temas cômicos são algumas das técnicas usadas pelos cronistas.

Para atingir esse grau de comédia, cada cronista adota um estilo particular – há aqueles que usam da ironia para marcar sua linguagem, há outros que abordam assuntos cômicos por natureza, ou ainda os cronistas que constroem discursos engraçados por meio de associações inusitadas. Quanto mais original e criativa, melhor será a crônica.

Crônica lírica

A crônica lírica apresenta uma linguagem poética e metafórica que demonstra emoções como nostalgia, saudade e paixão. Ou seja, o texto escrito deve expressar sentimentalismo.

Crônica poética

Podemos dizer que a crônica poética flerta com o literário, pois apresenta versos poéticos em forma de crônica, expressando sentimentos e reações de um determinado assunto.

Crônica jornalística

Esse tipo de crônica mistura tipologias textuais narrativa e argumentativa, apresentando notícias ou fatos baseados no cotidiano. Então, a crônica jornalística pode ser caracterizada como um gênero que mistura fragmentos narrativos – em geral, pequenos fatos cotidianos são contados para, em seguida, promover-se uma reflexão sobre eles – e trechos mais longos de reflexão e argumentação sobre o fato narrado.

É esperado que o tema da crônica jornalística seja de interesse de um grupo social e não apenas do cronista. Normalmente, os principais acontecimentos do dia ou da semana anterior são os assuntos redigidos nas crônicas jornalísticas.

Crônica histórica

A crônica histórica é baseada em fatos ou fatos históricos, com personagens, tempo e espaço definidos e com uma linguagem leve e coloquial.

Crônica-ensaio

Aqui o cronista faz duras críticas a instituições de poder e das relações sociais, de maneira irônica e sarcástica.

Crônica filosófica

A crônica filosófica traz uma reflexão sobre um fato ou evento.

Principais cronistas brasileiros

Machado de Assis


Sobre

Um dos mais renomados escritores brasileiros, Machado de Assis é autor de diversas crônicas. Considerado, equivocadamente, como alienado das questões sociais de seu tempo, ele abordou, ironicamente, temas como a política, a escravidão e as diferenças sociais do século XIX.

É importante ressaltar que o autor está entre as exigências básicas para as provas do Enem e da Fuvest.

Clarice Lispector


Sobre

Foi uma das mais importantes escritoras brasileiras, marcando a literatura do século XX e, com seu estilo intimista, popularizou as narrativas psicológicas no Brasil. A escritora é um marco no Modernismo e suas obras continuam até hoje entre as mais lidas do Brasil.

Clarice Lispector é considerada uma das primeiras autoras a ganhar notoriedade no país, tendo um papel fundamental para desconstruir preconceitos e ampliar o horizonte para tantas outras mulheres na literatura. Além dos diversos romances publicados, a também jornalista dedicava seu tempo a produzir crônicas como: “Aprendendo a viver” e “A descoberta do mundo”.

Nelson Rodrigues


Sobre

Reconhecido como um dos mais importantes autores do teatro brasileiro, Nelson é, também, um dos mais inspirados cronistas tanto no campo dos costumes, da cultura quanto do futebol. Dramaturgo da cabeça aos sapatos, ele promove uma mistura de drama e humor em suas obras. Ele inovou o gênero ao inventar personagens ilustres, como O Idiota da objetividade, O Cretino Fundamental, A Grã-fina com Narinas de Cadáver, o Sobrenatural de Almeida e o Gravatinha.

João do Rio


Sobre

Seu nome verdadeiro era João Paulo Emílio Cristóvão dos Santos Coelho Barreto e atuava como repórter no Rio de Janeiro. As suas crônicas são carregadas de finas observações e lirismo requintado.

Paulo Mendes de Campos


Sobre

Nascido em Belo Horizonte (MG), Paulo Mendes de Campos era cronista e poeta e sua obra destacou-se pela simplicidade com que tratou temas como o mar, a vida carioca, conversas de bar etc., com textos fluídos e líricos. Escreveu suas primeiras crônicas no Diário Carioca e manteve por muitos anos, uma coluna semanal na revista Manchete.

Carlos Drummond de Andrade


Sobre

Você já deve ter ouvido falar do mais importante poeta brasileiro, certo? A sua produção é vasta e única! Ele guardava o essencial para a poesia, mas escreveu belíssimas crônicas, em textos que mesclavam o moderno com o clássico. O estilo poético de Carlos Drummond de Andrade ficou caracterizado por observações do cotidiano misturadas a traços de ironia, pessimismo e humor.

Vinicius de Moraes


Sobre

Além de um dos mais famosos nomes da Música Popular Brasileira (MPB), foi escritor, poeta, jornalista, crítico de cinema, diplomata e muito mais. Em síntese, foi um dos grandes nomes da cultura do Brasil no século XX. Conhecido por ser o autor de Garota de Ipanema, Vinicius de Moraes escreveu crônicas para garantir a sobrevivência. Sem chegar a ser um cronista original, ele desfilou a condição de craque com um estilo impecável, combinando leveza, senso de humor e lirismo.

Cecília Meireles


Sobre

Foi a primeira mulher que conquistou destaque e prestígio na literatura brasileira, publicando mais de 50 obras. Realizou diversos trabalhos como poetisa, professora, jornalista e pintora, deixando em suas obras características como ritmo, musicalidade e lirismo. Sua última crônica foi publicada em 1964, ano do seu falecimento.

Lima Barreto


Sobre

Lima Barreto assumia a condição de “mulato, pobre e livre”, sendo um anti-Machado de Assis. Além de seu trabalho como jornalista, em suas crônicas adotava um estilo direto e coloquial, criticando as desigualdades sociais do século XIX. Seus trabalhos já foram reunidos e publicados por grandes editoras.

Rubem Braga


Sobre

O jornalista promoveu sozinho uma espécie de Semana de Arte Moderna na crônica ao inventar novas maneiras de cultivar o gênero. Tornou-se famoso como cronista de jornais e revistas de grande circulação no país e suas crônicas tinham um tom lírico, humorístico e extremamente irônico.

Dicas de como fazer uma boa crônica

Escolha um fato: É muito importante escolher um fato do cotidiano que chame a atenção do leitor e do próprio autor, já que a crônica será publicada em jornais ou revistas o tema escolhido fará toda a diferença.

Tempo e organização: Separe um tempo, se organize. Isso te ajudará a ter mais foco na hora de criar uma crônica.

Leitura sobre o tema: É necessário ler sobre o tema escolhido e ter opiniões sobre ele para colocá-las no seu texto, pois esta é a principal característica da crônica.

Seja observador: Faça observações sobre o ponto de vista de outras pessoas, e se for o caso aponte uma solução.

Clareza e objetivo: Quando começar a escrever, é importante sempre deixar bem clara a sua opinião, relacionando o tema com você, com o que você pensa sobre o assunto. Coloque-se na situação sobre a qual está falando e o que sente diante disso.

Cuidado com a escrita: Estude bastante gramática, concordância e ortografia, um texto tem de ser claro e objetivo.

Revisão: Depois de terminar o texto, lembre-se de conferir consigo mesmo se o texto que você escreveu é, de fato, uma crônica. Há personagens demais? Falta opinião? Reflita sobre essas questões! Leia, faça correções do mesmo e altere o que for necessário, não só erros gramaticais, mas também verifique a fluidez do texto. Outra dica importante é pedir para outra pessoa corrigir para você, outra opinião é sempre importante.

Exemplos de crônicas

  1. Furto de flor – Carlos Drummond de Andrade
  2. O primeiro beijo – Clarice Lispector
  3. O escrete de loucos – Nelson Rodrigues
  4. Aquarelas – Machado de Assis
  5. A casa materna – Vinícius de Moraes

Você pode se interessar por outros conteúdos como:

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.