Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Para ser policial federal precisa de faculdade de Direito? Para ser policial federal precisa de faculdade de Direito?

Para ser policial federal precisa de faculdade de Direito?

Estabilidade e altos salários. É o que uma carreira como policial federal promete para quem se aventura pela profissão, uma das mais disputadas nos concursos públicos. Mas uma dúvida muito comum para quem se interessa pelo cargo é se, para assumir a profissão de policial federal, precisa fazer o curso de Direito.

De imediato, a resposta é: depende. Afinal, a Polícia Federal oferece diversos cargos, e vamos contar aqui em que momento ter uma formação em Direito é de fato importante. Continue a leitura!

O que faz um policial federal?

Segundo o artigo 144 da Constituição Federal, a Polícia Federal (PF) é responsável por investigar e resolver casos de infração contra a ordem política e social do Estado, como casos de terrorismo, violações a direitos humanos e crimes de corrupção. Também é responsável por conduzir operações de teor interestadual ou que possam ter desdobramentos a nível internacional, além de combater o tráfico de entorpecentes e o contrabando de mercadorias.

Dessa forma, um policial federal vai ter uma atuação ampla. Pode atuar em rodovias, fronteiras, aeroportos e rodoviárias, para o combate de crimes ambientais, crimes contra o patrimônio histórico, crimes de tráfico, entre outros, até a atuação em serviços de inteligência, para o combate de casos de corrupção e de crimes cibernéticos, por exemplo.

Policiais federais também podem ser responsáveis pela segurança de autoridades do Estado, de chefes de outras nações e de organizações internacionais em eventos oficiais do governo. Para a população, também presta serviços de expedição de passaportes, fornecimento de registro de antecedentes criminais, conduz processos de adoção internacional e de imigração.

O que é necessário para entrar na Polícia Federal?

Em primeiro lugar, para entrar na Polícia Federal é necessário passar em um concurso público. Como já adiantamos para você, o policial federal é um dos cargos mais desejados pelos brasileiros, e a prova para tentar uma vaga na PF costuma ser uma das mais concorridas.

Para entrar na Polícia Federal, é necessário ter a nacionalidade brasileira ou portuguesa, estar em dia com obrigações eleitorais, obrigações militares (para candidatos do sexo masculino), ser maior de 18 anos, possuir categoria de habilitação na categoria B e ter formação em ensino superior.

Passar em um concurso público para a Polícia Federal não é fácil. É preciso ter uma rotina organizada de estudos e muita disciplina, além do preparo físico para os testes de aptidão.

O concurso público para Polícia Federal é composto por uma prova objetiva e uma prova discursiva (que são eliminatórias e classificatórias), um teste de aptidão física (eliminatório), avaliação médica (eliminatório), avaliação psicológica (eliminatória), exame de títulos (classificatório), além de investigação social, que é o momento em que há a avaliação dos antecedentes e da conduta social do candidato.

Candidatos ao cargo de delegado também devem passar por uma prova oral (de caráter eliminatório e classificatório), e quem deseja tentar o cargo de escrivão também deve se preparar para uma prova prática de digitação (eliminatória).

Além das provas exigidas, os pré-aprovados no concurso devem realizar um curso de formação na Academia Nacional de Polícia, de caráter eliminatório, e que dura cinco meses (850 horas no total) e uma remuneração de 50% para os candidatos.

No concurso público para a Polícia Federal, a prova objetiva é composta por 120 itens, que devem ser assinalados com certo ou errado. Para candidatos ao cargo de delegado da Polícia Federal, a prova objetiva tem a duração de 3h30. Já os candidatos aos demais cargos (agente, escrivão, papiloscopista e perito), realizam a prova objetiva com a discursiva, e têm 4h30 para todo o processo.

Para candidatos ao cargo de delegado, a prova discursiva é composta por três questões dissertativas, de até 30 linhas, além de uma peça profissional de noventa linhas. A duração da prova é de cinco horas. Já para os candidatos aos demais cargos da Polícia Federal, a prova discursiva é composta por um texto dissertativo de 30 linhas, realizado em conjunto com a prova objetiva.

Precisa ter faculdade de Direito para ser policial federal?

Conforme já adiantamos, depende. Apenas o cargo de delegado exige o curso superior em Direito. O cargo de perito também exige um curso superior específico, dependendo da área em que o profissional for atuar com perícia, conforme contaremos mais adiante. Para os demais postos da Polícia Federal, basta ter um curso de ensino superior em qualquer área, conforme comentaremos a seguir.

600x158 Direito

Quais cursos superiores são aceitos na Polícia Federal?

A seguir, vamos contar qual é o perfil necessário para os principais cargos na Polícia Federal e quais cursos são necessários para tentar uma vaga, além dos conteúdos específicos exigidos na prova para cada cargo.

Curso superior para delegado

O delegado é um dos postos mais avançados da Polícia Federal. É ele quem vai iniciar e conduzir todas as etapas das investigações policiais, além de ser responsável por liderar o planejamento de operações de segurança e missões sigilosas.

Para ser delegado na Polícia Federal, é necessário ter o curso superior em Direito, e ter no mínimo três anos de atuação jurídica/policial, tempo que precisa ser comprovado assim que o candidato passa no concurso e é convocado para assumir a vaga.

Na prova, são exigidos conhecimentos amplos de Direito Administrativo, Constitucional, Civil, Processual Civil, Empresarial, Internacional Público e Cooperação Internacional, Penal, Processual Penal, Previdenciário e Tributário, além de Criminologia.

Curso superior para escrivão

O escrivão da Polícia Federal é responsável em fazer os registros formais dos processos policiais, como lavrar termos, autos e mandados. Também atua no acompanhamento da autoridade policial em etapas policiais de investigação, é responsável por receber fianças e objetos de apreensão, além de outras demandas de ordem administrativa.

Para o cargo de escrivão da Polícia Federal, candidatos podem ter formação em qualquer curso de ensino superior. Na prova, são exigidos conhecimentos em Português, Noções de Direito Administrativo, Constitucional, Penal, Processual Penal, Estatística, Informática, Contabilidade e Arquivologia.

Além disso, candidatos ao cargo de escrivão também devem realizar uma prova prática de digitação.

Curso superior para papiloscopista

Na Polícia Federal, o cargo de papiloscopista tem a função de conduzir a coleta, análise e revelação de impressões digitais de pessoas vivas ou mortas nos locais dos crimes, além de realizar o laudo dessa análise. É este profissional que realiza o retrato falado de suspeitos, realiza a gestão de bancos de dados de identificação civil e criminal, sendo responsável por identificar dados e documentos que possam ser úteis para as investigações.

Candidatos ao cargo de papiloscopista da Polícia Federal podem ter formação em qualquer curso de ensino superior. Na prova, caem questões de Português, Noções de Direito Administrativo, Constitucional, Penal, Processual Penal, Estatística, Raciocínio Lógico, Informática, Biologia, Física e Química.

Curso superior para agente da PF

O agente da Polícia Federal é responsável por executar ações policiais, que podem ser ordens de prisão, busca e apreensão de objetos ilícitos, investigações penais, segurança, atividades administrativas. Também são os responsáveis por zelar identificação, arquivamento, recuperação e a produção de documentos importantes para investigações.

Agentes podem atuar na fiscalização da Polícia Federal nas fronteiras do país, ou em aeroportos, portos e rodoviárias. Entre os departamentos da Polícia Federal que um agente pode atuar, estão o de crimes contra o patrimônio público, apreensão de entorpecentes, tráfico de drogas.

Candidatos ao cargo de agente da PF podem ser formados em cursos de ensino superior de qualquer área. No entanto, é importante conhecer as disciplinas que caem na prova objetiva do cargo: noções de Direito Administrativo, Constitucional, Penal e Processual Penal. Tem também Português, Contabilidade, Estatística e Raciocínio Lógico.

Curso superior para perito criminal

Sabe aquela equipe de pessoas que aparecem logo após que um crime é descoberto? É a equipe de perícia criminal. Na Polícia Federal, o cargo de perito criminal pode assumir diversas facetas.

O perito pode realizar exames nos locais de infração penal, realizar pesquisas de interesse da Polícia Federal, ser responsável pela coleta de dados necessários a realização de exames durante investigações, além de cumprir demandas administrativas da polícia.

A formação do ensino superior depende do campo de atuação, que pode ser:

    Área 1: Ciências Contábeis ou Ciências Econômicas;
    Área 2: Engenharia Elétrica, Engenharia Eletrônica, Engenharia de Redes de Comunicação ou Engenharia de Telecomunicações;
    Área 3: Ciências da Computação, Informática, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou Engenharia de Redes de Comunicação;
    Área 4: Engenharia Agronômica;
    Área 5: Geologia;
    Área 6: Engenharia Química, Química ou Química Industrial;
    Área 7: Engenharia Civil;
    Área 8: Biomedicina ou Ciências Biológicas;
    Área 9: Engenharia Florestal;
    Área 10: Medicina Veterinária:
    Área 11: Engenharia Cartográfica;
    Área 12: Medicina;
    Área 13: Odontologia;
    Área 14: Farmácia;
    Área 15: Engenharia Mecânica ou Engenharia Mecatrônica;
    Área 16: Física;
    Área 17: Engenharia de Minas;
    Área 18: Engenharia Elétrica;
    Área 19: Biomedicina, Ciências Biológicas, Farmácia ou Medicina Veterinária.

Se interessou por um desses cursos? Faça o financiamento estudantil privado do Pravaler e pague as mensalidades sem sufoco!

CTA Simule seu Financiamento Estudantil

Texto escrito por: PRASABER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter