Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Saiba tudo sobre a Era Vargas Saiba tudo sobre a Era Vargas

Saiba tudo sobre a Era Vargas

Quem estuda História certamente já ouviu falar na Era Vargas, presente em quase todas as edições das provas do Enem e vestibular. Mas, para além do contexto escolar, esse período compreende uma parte muito importante da história brasileira.

Pensando nisso, preparamos esse artigo para te apresentar tudo sobre a Era Vargas. Assim, você vai conhecer um pouco mais da História do Brasil, e, de quebra, se preparar ainda mais para as provas de ingresso ao ensino superior.

Vem com a gente? Boa leitura!

Quem foi Getúlio Vargas?

Getúlio Dornelles Vargas é um dos principais nomes da história recente do Brasil, natural de São Borja, no Rio Grande do Sul, e nasceu no dia 19 de abril de 1882.

Descendente de uma família muito rica, Getúlio Vargas vêm de uma linhagem de atores políticos com influência na própria cidade natal, e em outros lugares do Brasil.

Aos 16 anos, Getúlio começou a carreira militar ao atuar no batalhão de São Borja, sendo expulso 2 anos depois. Em 1911, aos 28 anos, casou-se com Darcy Lima Sarmanho.

A vida política de Getúlio Vargas começou a partir do ingresso dele na Faculdade de Direito de Porto Alegre, aos 22 anos. Durante o curso, envolveu-se em política, sendo parte do Bloco Acadêmico Castilhista, que o aproximou do Partido Republicado Rio-Grandense (PRR). Tendo uma participação efetiva na eleição de Carlos Barbosa Gonçalves pro governo do Rio Grande do Sul, Vargas começou a se estabelecer como força política.

Em 1908, Vargas foi eleito como deputado estadual do Rio Grande do Sul, e em 1913 e 1921 foi reeleito. Em 1926, a partir da vitória de Washington Luís para presidência da República, Vargas foi nomeado para o Ministério da Fazenda.

Retornando ao Rio Grande do Sul, Vargas foi eleito para o governo do Estado em 1928. A nível federal, imperava um acordo da política do café-com-leite, com alternância de poder entre um presidente mineiro e um paulista. Washington Luís, ainda presidente, decidiu quebrar o acordo ao indicar o paulista Júlio Prestes para a sucessão.

Getúlio Vargas foi lançado como candidato à presidência na chapa concorrente, a Aliança Liberal, e perdeu para Júlio Prestes. Tal fato gerou revolta e conspiração, que cresceu após o assassinato de João Pessoa, vice de Vargas, em Recife.

Começou, então, o processo da Revolução de 1930, um golpe de Estado, em que Washington Luís renunciou à presidência, Júlio Prestes foi impedido de assumir e uma junta controlada por Getúlio Vargas tomou o controle do Brasil.

Como foi a Era Vargas?

A Era Vargas se iniciou em 1930, e foi um período em que, na maior parte do tempo, estabeleceu-se um regime ditatorial centrado na figura de Getúlio Vargas.

Pai do trabalhismo no Brasil, Vargas atuou para consolidar o poder no seu entorno em distintas fases.

Quais são as fases da Era Vargas?

Não se tinha ideia de que o governo de Vargas duraria uma década e meia (15 anos), e hoje em dia os historiadores dividem o tempo de Vargas no poder em três fases dentro desse período.

Governo Provisório

O Governo Provisório de Vargas começou em 1930, com o pretexto de que Vargas assumiria o poder de forma provisória para a organização de uma Assembleia Constituinte e a convocação de novas eleições presidenciais.

Contudo, Vargas não estava alinhado com a junta que o alçou ao poder, pois diferentemente desse grupo, desejava centralizar o poder e impor um regime ditatorial. Nesse contexto, o presidente dissolveu o poder legislativo, como forma de desarticular correntes de oposição em âmbito regional e nacional, além de ter retardado o processo da constituinte.

Dessa maneira, Getúlio Vargas atuou para reformar o sistema político, enfraquecer as elites e consolidar o poder. Algumas revoltas foram registradas por grupos que resistiam à ditadura, como a Revolução Constitucionalista de 1932 ocorrida em São Paulo, que foi uma revolta vencida por Vargas.

Ainda assim, os ecos da revolução fizeram o governo autoritário realizar uma série de concessões, como:

  • Convocação de uma Assembleia Constituinte
  • Formação da Assembleia Constituinte
  • Promulgação da Constituição de 1934

Apesar da nova Constituição ter saído do papel, Vargas conseguiu se manter no poder de maneira indireta para um novo mandato de quatro anos.

Governo Constitucional

Com um ar democrático, pois se tratava de um governo Constitucional, Getúlio Vargas assumiu o poder em 1934 a partir de eleições parlamentares indiretas.

Neste período, o mecanismo de consolidação do poder e do autoritarismo se tornou ainda mais radical, com o flerte de Getúlio Vargas por grupos integralistas e o fascismo, inspirado nos casos europeus de regime ditatorial.

Como, segundo a Constituição, seu governo terminaria em 1938, Vargas armou um plano para a tomada do poder, denunciando uma suposta intentona comunista, ao acusar grupos de tentarem tomar o Brasil. Assim, estaria justificado um “auto-golpe” para conter as supostas ameaças inventadas.

Este plano ficou conhecido como Plano Cohen, contendo documentos falsificados em que continham supostos planos para uma revolta comunista. Em 1937, Vargas anulou as eleições de 1938, impôs uma Constituição ainda mais autoritária e iniciou a ditadura do Estado Novo.

Estado Novo

A ditadura do Estado Novo foi a fase de consolidação do autoritarismo na carreira de Getúlio Vargas, sendo até hoje o único civil a comandar o país durante uma ditadura. Este regime era apoiado pelo exército, e tinha inspirações e toques do fascismo italiano.

Algumas medidas se destacaram durante o período ditatorial:

  • plano de modernização do país, por meio do incentivo às indústrias de base
  • repressão violenta aos tipos de oposição
  • censura ferrenha aos meios de comunicação, com a criação do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP)
  • criação de um canal de diálogo direto com os trabalhadores

Nesta fase, para sustentar a ditadura, Vargas investiu na imagem de representante da classe operária, e estabeleceu direitos como carteira de trabalho e o descanso remunerado, além dos desfiles de propaganda aos dias 1º de Maio.

Durante esse período, eclodiu a Segunda Guerra Mundial, e o Brasil primeiramente se manteve neutro. Mas a posição de Vargas mudou quando navios brasileiros foram afundados por submarinos alemães em 1942, além disso, a população interna se manifestava contra a neutralidade na guerra.

Em 1943, no meio das tensões da guerra, criou-se a Força Expedicionária Brasileira (FEB), que lutou junto aos aliados para derrotar os nazistas. Os soldados que lutaram na FEB ficaram conhecidos como pracinhas e voltaram para a casa como heróis. A luta contra o nazifascismo criou paradoxos no exército brasileiro por o governo ainda estar sendo governado por um ditador.

O que marcou o fim da Era Vargas?

O fim da Era Vargas e da ditadura do Estado Novo, a censura ditatorial começou a perder a força em 1945. O Correio da Manhã, jornal carioca tradicional da época, publicou uma entrevista a Carlos Lacerda com várias críticas ao governo.

Intelectuais mineiros, nessa toada, lançaram um manifesto em favor da democracia, e o governo autoritário enfraqueceu.

Apesar das demandas por mudanças, Vargas ainda resistiu mobilizando as suas bases de apoio em movimentos para a manutenção do sistema, como o queremismo, inspirado em “Queremos Getúlio”. Com a pressão militar forte, esses movimentos não resistiram às demandas democráticas.

Em 29 de outubro de 1945, Getúlio Vargas renunciou ao poder e foi eleito senador. O ex-ministro de guerra de Getúlio, o marechal Eurico Gaspar Dutra foi eleito presidente da república com o apoio do ditador.

Mesmo eleito, Vargas se manteve por pouco tempo no poder, pois renunciou e migrou para uma fazenda particular. Ele voltaria ao poder cinco anos depois, eleito presidente para o seu primeiro e único mandato a partir do voto popular.

Quais são as leis trabalhistas da Era Vargas?

Apesar da marca ditatorial, o regime de Getúlio Vargas se valeu da política trabalhista para manter o controle social e político. A aproximação com essa numerosa classe criou a imagem de “pai dos pobres” que persiste até o dia de hoje, e ajudou a consolidar a figura de Vargas como controversa.

A principal política de trabalhadores ficou conhecida como A consolidação das leis trabalhistas (CLT), que foi decretada em 1º de Maio de 1943. As leis, à época bastante abrangentes, fixavam:

  • unificação de leis
  • registro trabalhista/carteira de trabalho
  • jornada de trabalho instituída
  • férias
  • medicina do trabalhador
  • condições de saúde no trabalho
  • organização sindical
  • justiça do trabalho
  • categorias especiais dos trabalhadores

Essas leis garantem a proteção dos direitos do trabalhador.

Mapa Mental sobre a Era Vargas

Mapa Mental é um método de estudo que pode te ajudar a memorizar os principais acontecimentos de um período histórico. É uma técnica visual onde você pode destacar datas, consequências, nomes que estiveram envolvidos nesse momento histórico e diversos detalhes importantes. Confira abaixo um exemplo de mapa mental sobre a Era Vargas.

Prv Seo Mapa Mental Era Vargas

E aí, conseguiu aprender tudo sobre a Era Vargas? Nesse artigo, te apresentamos um resumo dos principais pontos desse período da história brasileira. Recomendamos, agora, que você amplie seus conhecimentos buscando novas leituras em diferentes mídias. Uma dica legal é verificar documentários, ouvir músicas da época, assistir filmes biográficos ou vídeo-aulas sobre o assunto!

Mais uma coisa: não deixe de compartilhar esse artigo com quem você conhece e precisa entender mais sobre a Era Vargas. Assim, você contribui para o compartilhamento e a disseminação de conhecimentos importantes tanto para a provas de vestibular e o Enem, quanto para o conhecimento da história do Brasil.

Obrigado pela leitura deste artigo. Nos vemos na próxima!

Texto escrito por: Prasaber
x

Estude o que sempre sonhou com o financiamento estudantil.

Faça faculdade pagando menos por mês com o Pravaler.

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter