Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Saiba como a reserva de emergência pode te ajudar Saiba como a reserva de emergência pode te ajudar

Saiba como a reserva de emergência pode te ajudar

Fato é que imprevistos acontecem e ninguém gosta de ser pego de surpresa, principalmente quando o assunto se refere às finanças, não é mesmo? É nesse cenário que a reserva de emergência se faz importante.

No Brasil, a educação financeira não é uma das áreas mais exploradas, prova disso é que mais da metade dos brasileiros não tem uma reserva, e milhares de brasileiros pagam suas contas no aperto, recorrendo, quase sempre, a créditos, empréstimos, financiamentos e cartão para quitar suas dívidas.

Se você ainda não tem uma reserva de emergência ou não sabe como começar a criar uma, esse conteúdo é para você. Entenda por que a ausência dessa ferramenta pode ser um erro fatal para sua vida financeira. Boa leitura!

O que é reserva de emergência?

A reserva de emergência é nada mais nada menos que um fundo de dinheiro economizado, mantido para ser usado em casos emergenciais. Essa ferramenta atua como segurança financeira, que permite ter tranquilidade em tempos de crise.

Ela é, portanto, projetada para cobrir despesas inesperadas, como gastos médicos, desemprego, carro quebrado, entre muitos outros eventos não planejados que podem afetar suas finanças.

Uma das características da reserva de emergência é a sua liquidez. Seus fundos devem estar facilmente acessíveis e disponíveis quando necessário. Isso significa que você deve manter esse dinheiro em contas bancárias, conta poupança ou conta corrente.

É possível que neste momento você se pergunte “quanto deve ser a reserva de emergência?”. A verdade é que esse fundo varia de pessoa para pessoa, pois depende de diversas circunstâncias individuais. No entanto, é recomendado que essa reserva seja o equivalente a três a seis meses de despesas básicas. Ou seja, esse valor deve ser capaz de cobrir todas as despesas essenciais que você teria ao longo desse período, caso perca sua principal fonte de renda.

Apesar de ser um dinheiro seu em que você pode, sobretudo, gastá-lo como bem entende, é importante destacar que a reserva de emergência existe, única e exclusivamente para casos emergenciais, e não para gastos regulares ou despesas já planejadas.

Vale lembrar que uma vez utilizado parte ou a totalidade dessa reserva, você deve reabastecê-la assim que possível.

Qual a importância da reserva de emergência?

Ter uma reserva de emergência é fundamental para evitar a necessidade de recorrer a empréstimos ou outras fontes para enfrentar as dificuldades financeiras. Ela oferece segurança e tranquilidade, mas não só isso, como também permite que você tenha uma independência financeira, dessa forma, você se torna menos dependente de terceiros ou de crédito para enfrentar uma dificuldade nessa categoria.

Além disso, a reserva financeira desempenha um papel essencial no controle financeiro. Ela ajuda a manter a gestão das suas finanças para seguir um orçamento adequado, evitando gastos impulsivos e desnecessários.

Como montar uma reserva de emergência?

Montar uma reserva de emergência não é algo complicado e tampouco impossível. Basta que você crie uma base sólida e tenha, sobretudo, comprometimento e disciplina.

O primeiro passo para o seu fundo financeiro é definir sua meta. Determine o valor que você deseja economizar em sua reserva de emergência. Essa quantia pode ser equivalente de três a seis meses de despesas básicas, mas lembre-se de que esse valor pode variar com base nas suas circunstâncias pessoais e financeiras.

Depois, você deve listar todos os seus gastos mensais, incluindo despesas essenciais como moradia, alimentação, contas, transporte e dívidas. Some tudo isso e determine, a partir disso, um valor inicial para sua reserva.

Neste momento é hora de escolher onde manter sua reserva de emergência. O ideal é que você coloque seu fundo em contas de fácil acesso e alta liquidez, como conta poupança ou corrente, como mencionamos.

À medida que você atinge a meta inicial, permanece economizando para aumentar o valor da sua reserva de emergência. Caso precise usar parte do seu fundo, devolva o valor assim que possível, afinal, nunca sabemos quando esses imprevistos irão aparecer novamente.

Verificar sua reserva periodicamente é outro passo que não pode ficar de fora. Assim, você garante que ela continue sendo suficiente para suas necessidades – se houver.

Vale lembrar que montar uma reserva de emergência requer tempo e disciplina, portanto, não se cobre tanto. Mas saiba que é um passo fundamental para proteger suas finanças e ter uma vida financeira mais tranquila para eventos emergenciais.

Como calcular a reserva de emergência? 

Para calcular a sua reserva de emergência, você deve considerar suas despesas mensais básicas e determinar a quantia necessária para cobrir um período específico, que pode ser, por exemplo, a perda do seu emprego.

Como já mencionamos logo acima, esse valor deve ser de três a seis meses de despesas básicas. Por exemplo, se seus gastos básicos somam R$ 3.000 por mês e você deseja ter um fundo de emergência de três meses, o cálculo deve ser:

R$ 3.000 (despesas mensais) x 3 meses = R$ 9.000

Neste exemplo, a sua reserva de emergência deve ser de R$ 9.000.

Lembre-se que esse cálculo não precisa ser o seu, pois a quantidade ideal varia com base em suas circunstâncias pessoais. Se você tem um emprego instável, pessoas que dependem de você, altos custos com saúde e outros eventos especiais, é necessário que você economize mais.

Onde guardar a reserva de emergência? 

Onde guardar a reserva de emergência é uma das dúvidas mais comuns entre os que querem começar a ter esse fundo. O ideal é que esse local de armazenamento ofereça alta liquidez, segurança e disponibilidade. Ou seja, você deve ter acesso a esse dinheiro sempre que precisar.

As contas poupança são uma escolha comum para guardar a reserva de emergência. Elas são seguras e oferecem liquidez imediata. Contas correntes também são líquidas e permitem fácil acesso ao dinheiro, entretanto, elas podem não render tanto comparado a uma poupança, por exemplo.

Entre essas duas opções, também pode ser uma alternativa conta do mercado monetário, conta de corretagem, carteira digital, entre muitos outros.

Independentemente do local escolhido para colocar a sua reserva de emergência, é importante destacar que ele deve permitir fácil acesso, de preferência sem restrições. Certifique-se de que seu fundo esteja seguro e protegido, especialmente se sua escolha for instituições financeiras.

E aí, que tal começar a guardar a sua reserva de emergência? Conte com a gente!

Texto escrito por: Prasaber
x

Estude o que sempre sonhou com o financiamento estudantil.

Faça faculdade pagando menos por mês com o Pravaler.

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter