Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Mercado de Trabalho em Economia: saiba como trabalhar na área Mercado de Trabalho em Economia: saiba como trabalhar na área

Mercado de Trabalho em Economia: saiba como trabalhar na área

Você tem dúvidas sobre como anda a empregabilidade para os economistas? O mercado de trabalho em economia é amplo e constante. Além de poder trabalhar em diversos âmbitos, como na iniciativa privada e na pública, esses profissionais ainda podem trabalhar na docência e com o empreendedorismo.  

Mesmo com as crises econômicas que acontecem ao redor do mundo nos últimos anos, a demanda por economistas ainda é alta e oferece boas oportunidades para quem pretende se especializar na área. 

Quer entender mais qual é a função de um economista, qual é a média salarial e como está o mercado de trabalho na área? 

Então é só continuar lendo este artigo! 

Como está o mercado de trabalho em Economia?

Por ser muito amplo, o mercado de trabalho para economistas oferece diversas possibilidades de atuação para os profissionais. Algumas áreas assumem destaque, oferecendo mais oportunidades, mas, de maneira geral, a carreira de economista ainda é estável e oferece bons cargos para quem se especializa na área.

Além disso, para ficar por dentro dos rumos do mercado, é essencial acompanhar as projeções de crescimento para o Brasil, seja em termos econômicos, seja em termos políticos. Isso repercute em todos os setores do país e movimenta produtos, serviços e consumo brasileiro, influenciando na oferta de vagas para profissionais que buscam uma oportunidade.

Qual é a função de um economista?

Ao contrário do que muitos pensam, o curso de Ciências Econômicas não é de exatas, mas sim de humanas. Isso significa que além de domínio da matemática, o estudante também precisa cursar disciplinas relacionadas à sociologia, contabilidade, filosofia, história e ciências políticas. 

Esse conhecimento é importante pois, ao realizar análises e observar o cenário econômico e mundial, é preciso ter noção também das variáveis políticas e sociais que impactam no contexto. Além disso, um economista também tem como objetivo prever tendências, realizar análises estratégicas e definir projetos e atitudes com foco na administração de empresas e órgãos públicos. 

Os profissionais da economia são preparados para trabalhar com mercado financeiro, investimentos, administração econômica de empresas e organizações, elaboração de estudos de mercado, comércio exterior e até auditoria e fiscalização. 

O mercado de trabalho para os profissionais da área é amplo e permite diversos caminhos profissionais a partir dos objetivos e especialização dos profissionais. Confira algumas possibilidades de trabalho para economistas:

  • Assessoria econômico-financeira;
  • Auditoria e fiscalização;
  • Consultoria e pesquisa;
  • Estudos de mercado e de viabilidade econômica;
  • Análise e elaboração de cenários econômicos;
  • Planejamento estratégico em Economia e Finanças;
  • Estudos de índices de preços;
  • Formulação e implementação políticas tributárias e financeiras;
  • Avaliação patrimonial de empresas;
  • Análise financeira de investimentos;
  • Análises estatísticas em Economia e Finanças;
  • Elaboração de orçamentos públicos e privados;
  • Implementação de estratégias empresariais;
  • Análise de relações econômicas internacionais, aduanas e comércio exterior;
  • Docência;
  • Tecnologia;
  • Políticas públicas;
  • Bancos e corretoras

Qual é o salário de um economista?

Graças à diversificação da área de atuação, a remuneração do economista também é bastante variável. O salário final dependerá da cidade em que o profissional está empregado, do porte da empresa ou instituição em que está empregado e do nível em que atua, se o profissional é júnior, pleno ou sênior.

Segundo dados da Tabela de Salários no Brasil, elaborada pela consultoria Robert Half e publicada pela revista Exame, o salário inicial de um economista é de R$3.000, podendo chegar a R$40.000. Confira a remuneração de acordo com o nível de atuação:

  • Economista Júnior: R$3.000 a R$6.000;
  • Economista Pleno: R$6.000 a R$10.000; 
  • Economista Sênior: R$10.000 a R$20.000;
  • Economista Chefe: R$20.000 a R$40.000;

Vale ressaltar que ainda não há piso salarial para a área da Economia. Segundo o Conselho Federal de Economia (Cofecon), a regulamentação do salário mínimo para a área da economia ainda está sob negociação, mas é possível encontrar o piso básico de acordo com o estado em que você vive. Graças a negociações e acordos feitos pelo setor, é possível entender o que esperar do salário de economista. Confira:

  • Bahia: R$3.208;
  • Distrito Federal: R$8.846;
  • Espírito Santo: R$4.066;
  • Goiás: R$6.028;
  • Pará: R$8.289;
  • Pernambuco: R$4.289;
  • Paraná: R$5.766;
  • São Paulo: R$5.892;

Quais as principais áreas de atuação em Economia?

Apesar da diversidade de opções de áreas para se atuar na economia, algumas delas têm ganhado bastante destaque no mercado. Confira algumas das principais áreas da Economia.

Mercado Financeiro

O setor financeiro é uma das áreas mais promissoras dentro da Economia. O profissional de economia que escolher trabalhar nessa área pode trabalhar com negociação, análise de investimentos, orientação financeira, estudo de mercado, avaliação da concorrência, planejamento econômico, administração de fundos, acompanhamento de fluxo de caixa, análise de projetos e muitas outras opções.

Essa é uma área com demanda constante por profissionais qualificados em instituições financeiras, empresas de investimento e consultorias financeiras. No entanto, é importante notar que o mercado financeiro pode ser altamente competitivo e exigente, com expectativas de conhecimento técnico sólido, habilidades analíticas avançadas e capacidade de tomar decisões sob pressão.

Economia Internacional

Uma área dinâmica e com muita perspectiva de crescimento, a economia internacional envolve o estudo das interações econômicas entre países e regiões. O economista que optar por essa área pode atuar diretamente com governo e política, trabalhando em órgãos governamentais, empresas e instituições financeiras multinacionais, consultoria empresarial e até em pesquisa acadêmica, onde ele trabalha em universidades em projetos de pesquisa sobre temas como comércio internacional, integração econômica regional, fluxos de capital internacional.

Com o aumento da complexidade das relações econômicas internacionais e dos desafios globais, como mudanças climáticas, migração e pandemias, a tendência é que a necessidade de especialistas em economia internacional continue a crescer.

Economia Ambiental

Quem quer crescer no mercado precisa ter em mente soluções sustentáveis que permitam o lucro sem os prejuízos resultantes do descaso com a sustentabilidade. Por isso, a economia ambiental é uma das áreas em constante crescimento.

Veja também: Você sabe qual área da Economia que ganha mais? Veja 5 exemplos!

A análise de oportunidades e custo-benefício da sustentabilidade dentro de empresas é uma área que tem chamado a atenção de profissionais, principalmente em relação ao mercado internacional, já que as leis e regulamentações em relação à sustentabilidade diferem de país para país. Assim, para garantir a conformidade, é preciso ter um consultor ou setor de sustentabilidade dentro das organizações.

Economia do Desenvolvimento

Uma área que se concentra no estudo dos processos econômicos relacionados ao crescimento e desenvolvimento econômico de países e regiões, a economia do desenvolvimento tem como objetivo entender e promover o bem-estar econômico e social.

O economista que escolher trabalhar nessa área pode trabalhar em órgãos governamentais, ONGs, com pesquisa acadêmica, entendendo melhor os desafios que um país pode ter para crescer e se desenvolver economicamente e também no setor privado, em empresas que se envolvem em atividades de desenvolvimento econômico, incluindo investimentos em infraestrutura, agricultura, energia renovável e tecnologia em países em desenvolvimento.

Vale lembrar, porém, que oportunidades em posições executivas estão sempre em alta, assim como posições em instituições públicas que trabalham com o desenvolvimento de políticas públicas. A docência, pesquisa e cargos advindos de concursos públicos também permanece uma opção estável de carreira na economia. Para conquistar uma boa vaga, entretanto, é preciso se destacar entre a concorrência, mantendo no currículo experiências relevantes para a vaga, domínio de línguas, como o inglês e o espanhol, e experiência internacional. 

Onde conseguir vagas na área de Economia?

Chegou a hora de buscar vagas na área da Economia! Sabemos que esse momento pode dar um certo frio na barriga, mas não se preocupe, com a preparação certa e tranquilidade, é possível alcançar sua vaga dos sonhos! 

Vagas de Economia no setor público

Tem interesse em conquistar uma vaga na área de economia no setor público? Em 2024, diversos editais de concursos públicos estão previstos para a publicação, como o concurso da Caixa Econômica Federal, Controladoria Geral da União e no próprio Ministério da Economia. 

Veja também: Teste seus conhecimentos com o simulado para o Concurso Público Unificado!

Se você deseja buscar uma carreira no serviço público, a dica é começar a se preparar o quanto antes, já que as provas são bastante concorridas! 

Vagas de Economia no setor privado

Já se a sua ideia é conquistar uma vaga no setor privado, não desanime! Uma boa maneira de procurar por vagas é utilizar a busca de palavras-chave do Google para encontrar oportunidades sendo divulgadas. Outra opção é fazer a mesma busca no Linkedin. Por lá, também é possível ativar as notificações – dessa maneira, assim que o sistema encontrar uma oportunidade que se assemelha ao que você busca, você receberá um e-mail convidando-o a se inscrever. 

Veja também: Entrevista de emprego, saiba como se sair bem! 

Além disso, é possível encontrar vagas no setor privado ficando de olho na divulgação da sua instituição de ensino. É muito comum que ex-alunos divulguem em painéis ou listas de transmissão da universidade vagas na área. Fique atento(a) em grupos de estudantes e ex-estudantes e painéis de notícias da própria instituição. 

Está sem condições financeiras para arcar com a mensalidade do seu curso de Economia? Não se preocupe! Com o Pravaler, você pode financiar a sua mensalidade com a menor taxa de juros do mercado, em um processo sem burocracia e 100% digital. Escolha entre as mais de 500 universidades parceiras do Pravaler e faça uma simulação!

Prv_novos_ctas_veteranos_1

Texto escrito por: Prasaber
x

Estude Economia pagando menos por mês com o Pravaler.

Aproveite as vantagens do financiamento estudantil e faça o curso que você sempre sonhou.

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter