Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Curso de Economia: saiba como se tornar um economista Curso de Economia: saiba como se tornar um economista

Curso de Economia: saiba como se tornar um economista

Tem vontade de se tornar um economista? A profissão tem ampla atuação e prepara os formandos para lidar com a utilização dos recursos econômicos, como bens, serviços e produtos. É possível trabalhar no setor privado ou no setor público, em diversas áreas. Mas para chegar lá, é necessário cursar a graduação em Economia ou em Ciências Contábeis.

O curso de Economia é composto de disciplinas como história da economia, macroeconomia, microeconomia e matemática financeira. Ao longo da graduação, os estudantes são preparados para conhecer e aplicar diversas escolas de pensamento econômico, realizar análises de mercado, prever flutuações econômicas no mercado e desenvolver estratégias financeiras.

Tem interesse em se tornar um economista? Então continue lendo este artigo e descubra mais sobre como funciona a graduação em Economia, quanto tempo dura, como cursar e qual o valor médio das mensalidades.   

Como funciona o curso de Economia?

Para se tornar um economista, é necessário se graduar em Economia ou em Ciências Econômicas. O curso de Economia analisa a produção, a distribuição e consumo de bens e serviços, além de compreender os processos que influenciam o comportamento das pessoas, empresas e governos. A área abrange uma ampla gama de tópicos do conhecimento, como teorias econômicas, matemática, política econômica e finanças. 

Ao final do curso, os estudantes adquirem compreensão sobre os sistemas financeiros e dos mercados de capitais, investimentos, gestão de riscos, análise de portfólio, estratégias de negociação, políticas governamentais e teorias econômicas. 

Além disso, os formados em Economia podem atuar em diversas áreas após a graduação, como no setor privado (instituições financeiras, empresas, bancos, consultorias) e no setor público (órgãos governamentais, instituições de pesquisa e organizações internacionais). O economista pode se especializar em consultoria financeira, orçamentária, planejamento de políticas públicas, pesquisa acadêmica, docência e muitas outras áreas.

Veja também: Você sabe qual área da Economia que ganha mais? Veja 5 exemplos!

Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ministério da Educação (MEC), o curso de Economia deve, obrigatoriamente, incluir três tipos de conteúdo na estrutura curricular:

  • Conteúdos de Formação Geral (Ciência Econômica e outras Ciências Sociais, Ciência Política, Administração, Direito e Contabilidade);
  • Conteúdos de formação teórico-quantitativa (Matemática, estatística, macroeconomia, microeconomia, desenvolvimento sócio-econômico);
  • Conteúdos de formação histórica (Posicionamento crítico a respeito da História econômica brasileira e de outros países).

O curso também pode investir em ampliar os requisitos do MEC, oferecendo uma formação completa, interdisciplinar e prática. 

Além disso, um estudante recém formado em Economia, segundo o MEC, deve estar preparado para: 

  • Entender as questões econômicas no seu contexto histórico-social;
  • Tomar decisões e resolver problemas numa realidade diversificada e em constante transformação;
  • Desenvolver raciocínios logicamente consistentes;
  • Ler e compreender textos econômicos;
  • Utilizar formulações matemáticas e estatísticas na análise dos fenômenos socioeconômicos;
  • Diferenciar correntes teóricas a partir de distintas políticas econômicas;
  • Utilizar adequadamente conceitos teóricos fundamentais da ciência econômica;
  • Ler e compreender textos econômicos.

Graduação em Economia

A graduação em Economia pode ser dividida em duas modalidades: bacharelado e licenciatura. O bacharelado é para quem pretende atuar com sistemas econômicos e seus agentes e recursos de maneira direta. O bacharelado ensina os estudantes como as decisões econômicas são tomadas e quais são as repercussões delas na política nacional e global. O aluno formado nessa modalidade poderá trabalhar em instituições financeiras, órgãos públicos, empresas privadas e mais. 

Já a licenciatura é a opção escolhida por quem pretende atuar na área da docência, se tornando professor(a). Para se formar em licenciatura, é preciso escolher, durante o percurso, disciplinas que preparem o estudante para a formação pedagógica. Além disso, é bem comum que seja necessária a continuidade de estudos em uma pós-graduação stricto-sensu, cursando um mestrado e/ou doutorado para seguir na área da docência. 

A grade curricular da graduação em Economia pode variar de acordo com a instituição de ensino escolhida, mas, geralmente, inclui, entre outras, disciplinas como:

  • Macroeconomia;
  • Microeconomia;
  • Matemática financeira;
  • Estatística;
  • Princípios da economia;
  • Finanças;
  • Economia Internacional;
  • Introdução geral à administração;
  • Desenvolvimento econômico;
  • Economia brasileira;
  • História econômica geral;
  • História das relações econômicas internacionais;
  • Economia e gestão do meio-ambiente;
  • Contabilidade social e ambiental;
  • Planejamento financeiro e orçamentário;
  • Modelos de gestão.

Inicialmente, as disciplinas são mais gerais. À medida que o estudante avança no curso, as disciplinas se tornam mais específicas e o aluno pode escolher em que área quer se especializar e criar seu próprio percursos acadêmico.

Pós-graduação em Economia

Se você finalizou uma graduação em Ciências Contábeis, Administração, Ciências Econômicas e outras áreas correlatas, pode se matricular em uma pós-graduação em Economia para se especializar e desenvolver habilidades em gestão financeira, economia industrial, pública, gestão de investimentos e outras. É possível cursar a pós-graduação tanto em modalidade presencial como em modalidade EAD ou híbrida

Algumas das opções disponíveis de especialização para quem é formado em Economia são:

Comércio exterior

Quem se especializa em comércio exterior trabalha com a troca, venda e compra de produtos e serviços através de fronteiras internacionais ou territórios. Essa área exige fluência em inglês e bastante conhecimento em política.

Economia ambiental

A economia ambiental é uma área em amplo crescimento que exige que o profissional encontre e desenvolva soluções econômicas sustentáveis e lucrativas para a sociedade.

Estudos de mercado

A área de estudos de mercado é a área que avalia a concorrência, identifica novas oportunidades, planeja estratégias financeiras e econômicas para instituições ou organizações, além de ficar à frente de decisões estratégicas na administração da organização.

Mercado financeiro

O mercado financeiro é uma das áreas mais promissoras da carreira da economia, já que permite que o profissional trabalhe como orientador financeiro, gestor de investimentos, economista especializado em estratégias financeiras para empresas privadas e mais.

Carreira acadêmica

O profissional especializado em carreira acadêmica se torna pesquisador e/ou professor, contribuindo para a criação de conhecimento científico brasileiro.

Orçamento

A área de orçamento oferece demanda constante para os profissionais da economia, já que tanto instituições privadas como organizações públicas precisam de definição, elaboração e avaliação de orçamentos anuais, semestrais, mensais e por projeto.

Agrobusiness

A área de agrobusiness envolve o planejamento econômico, estratégico e de vendas de serviços e produtos provenientes do agronegócio. O agronegócio é responsável por grande parte do PIB brasileiro, sendo uma área promissora para se investir e se especializar.

Quanto tempo dura o curso de Economia?

A faculdade de Ciências Econômicas tem duração de, em média, quatro anos. É possível estender o curso ao cursar mais disciplinas ou encurtar o percurso acadêmico ao aproveitar disciplinas iniciais, do currículo básico. Durante esse período, os estudantes são expostos a diversas disciplinas, citadas anteriormente, com o intuito de formar profissionais que dominem tópicos essenciais da área econômica.

Além das aulas teóricas, muitos programas de economia também oferecem oportunidades de estágio e projetos de pesquisa para permitir aos alunos uma experiência prática e uma compreensão mais profunda dos conceitos aprendidos em sala de aula.

CTA Faca O Curso Que Sempre Sonhou Sem Pesar No Bolso Pravaler

Qual o valor de um curso de Economia?

O custo para fazer a faculdade de Economia vai variar de acordo com a instituição de ensino escolhida, com a modalidade de ensino (EAD, presencial, híbrido) e outros critérios específicos da instituição. Além dos custos da mensalidade, é preciso levar em conta outros custos no decorrer da formação, como transporte, alimentação e moradia, caso a instituição seja em outra cidade da cidade natal do estudante.

É possível encontrar mensalidades desde R$270 até R$3500. Por isso, é essencial essencial pesquisar e comparar preços e instituições antes de tomar uma decisão sobre onde estudar Economia.

Aproveite, e conheça os cursos de Economia mais procurados:

Como cursar Economia pagando menos?

Quem não tem condições econômicas para arcar com a mensalidade do curso de Economia não precisa se preocupar. Afinal, existem vários tipos de bolsas de estudos disponíveis que diminuem muito o valor das mensalidades e permitem que o estudante banque os custos sem dificuldades. 

Existem bolsas da própria instituição de ensino, parciais ou totais, opções de bolsas de estudos de instituições privadas, como é o caso do Amigo Edu e programas de governo, como o Prouni que também oferece bolsas parciais e integrais com base no desempenho do estudante no Enem e critérios socioeconômicos.

Além disso, o estudante também pode contar com o financiamento estudantil privado e público. Quem opta pelo financiamento público, pode se inscrever no Fies, já quem opta pelo financiamento privado precisa conhecer o Pravaler, financiamento para calouros e veteranos, 100% digital, sem burocracias e que não depende da nota do Enem.

Veja também: Pravaler ou Fies: afinal qual a melhor opção? 

O Pravaler tem parceria com mais de 500 grandes instituições de ensino brasileiras em todos os estados do país, para você escolher qual a melhor opção para você. Em diversas faculdades ainda é possível conciliar a bolsa de estudos com o financiamento do Pravaler, pagando ainda menos na mensalidade.

Qual a diferença entre Economia e Ciências Econômicas?

Economia e Ciências Econômicas são a mesma coisa? Em muitos lugares, é tudo uma questão de terminologia. A confusão vem do termo em inglês, que utiliza “economy” para se referir às disciplinas do assunto.

Em geral, a economia é uma área das ciências econômicas, mas ambas as áreas se relacionam ao estudo dos fenômenos econômicos, abrangendo temas como teorias econômicas, política, macroeconomia, comportamento do consumidor, microeconomia, etc. 

Para garantir que o curso escolhido é realmente o que você deseja cursar, não se esqueça de comparar as grades curriculares de cada curso. Na maioria dos casos, a diferença da terminologia será apenas uma questão de semântica. Mas, para evitar confusões, analise cuidadosamente os detalhes do curso escolhido antes de se matricular.

Prv_novos_ctas_veteranos_2

Texto escrito por: Prasaber
Categoria: ProfissõesPra saber
Tags:
x

Estude Economia pagando menos por mês com o Pravaler.

Aproveite as vantagens do financiamento estudantil e faça o curso que você sempre sonhou.

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter