Problemas financeiros – como acabar com as dívidas e guardar dinheiro Problemas financeiros – como acabar com as dívidas e guardar dinheiro

Problemas financeiros – como acabar com as dívidas e guardar dinheiro

A falta de planejamento financeiro é um dos grandes responsáveis pelo alto índice de inadimplência no país. A dificuldade de controlar o orçamento faz com que as pessoas enfrentem créditos com altas taxas de juros e se percam na hora de pagar as contas. Ao se deparar com essa situação, a preocupação é: como acabar com as dívidas e guardar dinheiro?

Estamos sempre com contas para pagar e coisas para comprar. Mesmo os que gastam pouco podem acabar endividados. Mas, como evitar problemas financeiros? O segredo está em se organizar e planejar seus gastos. Pensando nisso, neste artigo vamos te mostrar algumas medidas práticas para te ajudar nessa organização e gerenciar o seu orçamento com sabedoria!

O que fazer para resolver problemas financeiros?

Equilibrar as finanças está se tornando um desafio para boa parte das famílias brasileiras, mas é importante acreditar que há solução. Felizmente, nunca é tarde demais para organizar a vida financeira e, mesmo que você esteja cheio de dívidas, há formas de evitar que sua situação financeira prejudique sua saúde mental.

Quando se tem um problema, é bom resolvê-lo, né?! E quando se trata de um problema financeiro, tentar esconder ou ignorar pode ser pior e causar a famosa bola de neve – os especialistas adoram se referir às dívidas como uma “bola de neve” para demonstrar a perda de controle de muitos e seu efeito.

Pensando nisso, veja alguns passos para você resolver seus problemas financeiros – seja lá quais eles forem.

  1. Pesquise as causas do seu endividamento

A primeira atitude a ser tomada é tentar entender como seu endividamento começou. Pense nas atitudes que você teve e reflita sobre isso. Depois, junte todas as suas dívidas e calcule para saber o quanto você deve. Veja também para quem você está devendo.

Saber o valor total da sua dívida e para quais empresas e/ou pessoas você deve lhe ajudará a ficar um pouco mais tranquilo. Isso porque com essas informações bem claras você poderá entender o que fez e conseguirá pensar em alternativas para se livrar dessas despesas.

  1. Encare o problema como solução

No Brasil, por conta dos juros altos, é muito comum os problemas financeiros crescerem exponencialmente. Mas, se você foi capaz de criar um problema, também será capaz de encontrar uma solução. Ao olhar o problema como algo sem solução, a acomodação passa a ser vista como aceitável e a passividade se transforma em uma desculpa natural e perigosa.

A verdade é que dependendo da quantidade de dinheiro envolvido em um problema, não existe solução fácil e rápida. Existirá momentos de dúvidas, sacrifícios e decisões extremamente difíceis, mas a determinação em seguir o plano precisa ser maior do que tudo. Acabar com o problema precisa ser sua prioridade número um.

  1. Assuma as responsabilidades

Em situações complicadas, como no caso das dívidas, é muito comum mascararmos a real fragilidade trazida pelos problemas. Eleger um culpado que não nós mesmos (o cartão de crédito, o cheque especial ou a “super liquidação”) é muito cômodo e faz com que nosso sono seja mais tranquilo.

No entanto, precisamos parar de nos enganar e aprender que as ferramentas de crédito são apenas ferramentas, mas seu uso foi originado de uma decisão pessoal – alguém foi lá e a usou. Esse, sim, é o verdadeiro responsável.

  1. Use técnicas para evitar gastar seu dinheiro

Ter atitudes que lhe ajudarão a não gastar dinheiro em supérfluos ou em momentos que você está fora de casa não só evitará que você gaste mais e fique mais endividado, como também lhe deixará mais aliviado.

Por isso, quando sair, deixe seu cartão em casa e saia com uma quantidade limitada de dinheiro que seja somente para emergências, cancele os demais cartões de crédito e evite ir a lugares tentadores. Ou seja, evite locais que você sabe que vai querer comprar algo que não seja de extrema necessidade.

No início pode ser difícil, mas depois de alguns meses se torna um bom hábito, que você leva para a vida toda.

  1. Aprenda novos hábitos

Para não se endividar de novo você precisa rever seus hábitos. O processo de sair das dívidas envolve abandonar antigos hábitos que prejudicam sua vida financeira e aprender aqueles que lhe ajudarão a ter uma vida financeira melhor. Logo, você precisa entender quais são as atitudes ruins que você tem e o que precisa adotar para melhorar.

  1. Comece a estudar sobre finanças

Procurar a educação financeira para adquirir visão crítica e ajudar você a melhorar sua situação é uma boa alternativa. Isso porque você começa a entender que o dinheiro é um recurso que uma hora acaba e que deve ser utilizado com responsabilidade.

No avançar dos estudos, você aprenderá a utilizar seu dinheiro melhor, saberá lidar com suas despesas, descobrirá formas de eliminar e negociar dívidas e ainda saberá como fazer o dinheiro render.

Uma dica é dar-se pequenas metas para eliminar suas dívidas e guardar dinheiro. Conforme você for alcançando esses objetivos pessoais estabelecidos, você se sente mais confiante, com mais autoestima e força para conseguir chegar até o objetivo final: que é ficar livre de dívidas e com uma vida financeira estável.

Essas dicas são um bom caminho para você resolver seus problemas financeiros. Mas, se mesmo assim você não conseguir sozinho, peça ajuda! Conselhos ou ideias de amigos e familiares e, principalmente, de profissionais podem te ajudar.

O que causa a falta de dinheiro?

A falta de organização e gerenciamento dos gastos são um dos motivos da falta de dinheiro de grande parte das pessoas. Indisciplina no controle, padrão de vida elevado, compras por impulso e despesas extraordinárias são algumas das causas do descontrole financeiro.

O desequilíbrio financeiro aparece quando se nota a incapacidade de organizar o orçamento e dificuldade em resistir às compras que não são realmente necessárias. Apesar da importância e necessidade do dinheiro, ele não deve ser o centro das preocupações. Caso contrário, as chances de prejudicar a saúde física e mental são grandes.

Veja a seguir algumas possíveis causas de falta de dinheiro.

  • Gastar mais do que o orçamento permite: é importante sempre lembrar que o limite do cartão de crédito não é uma renda adicional e, por isso, é preciso se controlar ao ver promoções ou opões de parcelamento atraentes;
  • Falta de conhecimento para planejar o orçamento: você nota que isso acontece quando chega o final do mês e você não sabe para onde foi o dinheiro;
  • Dificuldades em guardar dinheiro devido a gastos extras como questões médicas ou desemprego: razões como essas fazem com que dinheiro não planejado tenha que ser gasto.

Qual a importância da educação financeira?

A educação financeira é um conjunto de conhecimentos e conceitos que ajudam uma pessoa a entender e melhorar sua relação com o dinheiro. O objetivo é que você, depois de aprender, possa passar todo mês sem dificuldades, avaliando como algumas despesas afetam seu orçamento no longo prazo e o que pode ser feito para minimizar seu impacto negativo.

Independência financeira é o sonho de muita gente. E isso não é à toa! Imagine ter dinheiro o suficiente para conquistar uma vida confortável, um futuro bem sucedido e sem depender de ninguém para tudo isso. Vamos mais além, já pensou você precisar de um alto valor em dinheiro e, mesmo sem contar com esse gasto, sabe de onde tirar sem que isso comprometa outras despesas?

Parece difícil de alcançar esse nível de independência, mas é exatamente por isso que se deve a importância da educação financeira. Afinal, com ela esse futuro pode ser possível para qualquer um. E é comprovado! Pessoas com educação financeira conseguem ter mais consciência e pé no chão quando o assunto é orçamento pessoal e, por esse motivo, vivem uma vida sem preocupações financeiras e lidam com seu dinheiro de maneira que ele não controle as suas ações.

Para chegar nesse patamar, mudar a mentalidade sobre o uso do dinheiro é mais do que importante, é fundamental. Engana-se quem acha que para garantir a independência financeira é só guardar um dinheirinho na poupança ou cortar aquela pizza do final de semana. É claro que isso pode ajudar, mas é preciso uma série de práticas para mudar a sua situação financeira. E é nesse momento que exercitar a educação financeira entra na sua vida.

Educação financeira para jovens

Não há idade certa para aprender sobre finanças, isso é fato. Porém, uma educação financeira para jovens resulta em adultos empoderados sobre o próprio dinheiro, o que reflete não só na vida pessoal, como na sociedade como um todo, já que esses jovens aprenderão e se interessarão mais sobre economia e política, tornando-se cidadãos criticamente ativos.

Além disso, quanto mais cedo se aprende sobre o controle de gastos e finanças, melhor uma pessoa consegue enfrentar uma crise ou pequenas situações financeiras adversas do dia a dia. Uma coisa é fato: é preciso desmistificar de que dinheiro é um problema, um assunto complicado ou uma pauta somente para empresários e políticos. O tema é necessário a todos.

Além de inúmeros cursos gratuitos – online ou presencial – sobre o assunto, é possível encontrar diversas dicas na internet sobre como ser mais organizado com o próprio dinheiro. Mesmo se você for jovem, tire um tempinho para buscar sobre isso também!

O que são os investimentos financeiros?

Em economia, investimentos financeiros é uma operação de compra e venda de um ativo financeiro: ações, moeda estrangeira etc. Essa é uma área específica de investimentos destinada às finanças pessoais e são buscadas não só por pessoas físicas, mas também por empresas como bancos e corretoras de valores.

Os investimentos financeiros são alternativas para aqueles que desejam guardar algum dinheiro e realizar poupança para a aposentadoria, uso futuro em caso de necessidades, entre outros. Seu principal objetivo é repor o valor de compra da moeda perdido com a inflação.

O hábito de investir não é tão grande no Brasil, geralmente temos hábitos de fazer empréstimos e financiamento e não o contrário. Mas há inúmeras opções de investimentos financeiros com bons resultados e para todos os perfis, seja ele moderado, conservador ou agressivo.

Como se organizar para sair das dívidas?

Para encerrar o ciclo de endividamento de uma vez por todas, é preciso aprender a equacionar melhor os gastos partindo do quanto você recebe mensalmente e o quanto possui de dívidas. Separamos algumas dicas que irão te ajudar nessa questão. Confira:

1: Saiba o quanto você ganha e o quanto você gasta


Antes de mais nada, é importante conhecer os seus gastos e quanto você ganha. Só assim saberá até quanto você pode gastar no mês. Organizar o seu orçamento é fundamental para sair das dívidas.

Além disso, manter o orçamento dentro do limite de 30% do que você ganha é uma boa prática que pode evitar criar novas dívidas. Sim, sabemos que falar é fácil, mas criar esse hábito também pode ajudar a usar melhor seu dinheiro.

2: Negocie com os credores


Uma saída para regularizar sua situação é negociar com quem você deve. Mostrar para empresa que você deseja pagar a dívida ajuda na hora de renegociar. Após conhecer o tamanho da sua dívida e conseguir identificar a sua capacidade de pagamento mensal, é muito mais fácil negociar os débitos mais caros e antigos com as instituições credoras.

A dica é: antes de fazer esse contato, estabeleça um limite de quanto pode destinar aos débitos. Peça uma proposta de pagamento dessa dívida em condições melhores e verifique no seu orçamento se o valor sugerido pela operadora está em conformidade com o que você definiu.

3: Pense nos seus planos


Planejar e tentar antecipar os gastos é outra dica de ouro! Quer viajar no final do ano? Que tal então começar a pesquisar as passagens e estadia desde agora? Vai fechar um pacote de viagens? Então, negocie e comece a pagar antes. Com isso, não só irá saber quanto gastará, como também poderá economizar dinheiro por fazer a reserva com antecedência.

4: Passe a controlar os seus gastos


Todas as dicas que estamos citando só funcionam quando você passa a adotar novos hábitos de consumo. Isso não quer dizer que você deve parar de consumir, mas sim assumir um compromisso consigo mesmo para sair das dívidas e criar metas financeiras mais rigorosas com o seu dinheiro.

Por isso, faça uma autoavaliação sobre seus hábitos de consumo e veja se todos são realmente fundamentais para o seu momento. Falando nisso, você sabia que existem aplicativos de finanças que podem te auxiliar na hora de controlar os gastos e dar os primeiros passos em investimentos? Busque ajuda da tecnologia pode te ajudar no controle de gastos.

5: Anote todos os seus gastos


Além do uso de aplicativos, uma outra forma de controlar o orçamento é anotar todos os gastos. Assim, é possível identificar o seu perfil financeiro de maneira mais clara, bem como entender quais são os pontos focais que estão impactando a sua saúde financeira.

Vale usar um caderno ou uma planilha. O importante é conseguir mapear todos os gastos mensais, incluindo os menores. Para facilitar, montamos um exemplo de planilha para você colocar em prática esse hábito agora mesmo. Clique abaixo e faça o download da planilha de gastos pessoais!

Download da
Planilha

6: Busque mais conhecimento sobre educação financeira


Uma das principais formas de sair das dívidas é ter o conhecimento necessário para evitá-las. Por essa razão, é fundamental que você busque conhecimento sobre como se educar financeiramente. Seja por meio de aplicativos, canais no Youtube ou blogs especializados, é importante que você tenha cada vez mais habilidade para organizar seus recursos.

Para ficar mais fácil, listamos alguns canais com especialistas que possuem conhecimento do mercado financeiro e explicam o assunto – que pode parecer chato – de uma forma mais fácil e simples. Vale a pena conferir!

  • Me poupe!, por Nathalia Arcuri;
  • Primo Rico, por Thiago Nigro;
  • Dinheiro a dois rende muito mais, por Gustavo Cerbasi;
  • Sociedade Milionária, por Rafael Seabra;
  • EconoMirna, por Mirna Borges.

E aí, gostou do que viu por aqui? Para ajudar ainda mais, confira o vídeo abaixo para ajudar a fixar dicas úteis para acabar de vez com as dívidas e você conseguir guardar mais dinheiro. É só clicar abaixo e aproveitar! 😊


Quero receber notícias do Pravaler

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o Pravaler em primeira mão.