Processo seletivo em faculdade privada – como funciona e as 20 melhores instituições do país Processo seletivo em faculdade privada – como funciona e as 20 melhores instituições do país

Processo seletivo em faculdade privada – como funciona e as 20 melhores instituições do país

O sonho da maioria dos estudantes que conclui o ensino médio é entrar em uma boa faculdade. Muitos dedicam todo o seu tempo nos estudos para garantirem uma vaga em universidades públicas, no entanto, com a grande concorrência, acabam não passando ou até mesmo desistindo do processo seletivo.

Mas isso não é motivo para desistir! O Brasil conta com centenas de universidades privadas com alta qualidade no ensino e que oferecem possibilidades de flexibilizar pagamentos das mensalidades ou, ainda, contam com programas de bolsa de estudos. E engana-se quem acredita que é fácil passar no vestibular de faculdade particular. É preciso também dedicar-se ao máximo para conquistar um espaço no curso desejado e ter a possibilidade de negociar bolsas de estudos parciais ou integrais.

Quando falamos em processo seletivo de faculdade privada, já logo nos vem na mente o temido e tradicional vestibular, mas nem sempre é necessário passar por essa etapa para começar uma graduação. E, além disso, com a evolução do mundo da educação, outras formas de avaliação foram introduzidas para ingressar na faculdade.

Continue por aqui e conheça tudo sobre os processos seletivos para cursos de ensino superior em faculdade particular!

Vestibular

No final das contas, para fazer uma faculdade precisa fazer vestibular? Apesar de não ser mais a única alternativa, a maioria das instituições ainda contam com o formato para a aprovação dos candidatos. No entanto, hoje, novos formatos de aplicar a avaliação no processo seletivo foram implementados, beneficiando tanto a instituição quanto o aluno, que não ficam sobrecarregados com um processo único. Entenda logo abaixo como funcionam os vestibulares de faculdades particulares e os modelos mais conhecidos atualmente para prestar vestibular:

Vestibular tradicional

Os alunos que concluírem o ensino médio ou profissionais que desejarem ingressar em uma graduação precisam fazer o vestibular para entrar na faculdade, na maioria das vezes. O vestibular tradicional tem uma lógica simples de aprovação: quanto maior a pontuação do candidato, maiores são as chances de conquistar uma vaga. A quantidade de acertos necessários varia de acordo com o número de questões aplicadas por cada instituição, além disso, a forma em que as perguntas são apresentadas também pode mudar, podendo ser de múltipla escolha, dissertativa ou redação.

Geralmente, os vestibulares tradicionais abordam temas estudados no ensino médio e o objetivo é analisar se o nível de conhecimento do aluno está de acordo com o mínimo exigido pela instituição. Vale destacar que, quanto maior for o número de inscritos no vestibular, maior será o grau de dificuldade para passar na prova.

Para se inscrever no processo seletivo para faculdade, é publicado um edital, informando o cronograma completo, o local e o horário de aplicação da prova, além do valor da taxa de inscrição e outras informações importantes para os candidatos.

Vestibular seriado

Esse modelo ainda é considerado novo no mercado e nem todas as universidades aderiram a ele. O vestibular seriado acontece quando o aluno ainda está no ensino médio. A ideia é que o candidato não fique sobrecarregado, já que a avaliação acontece por etapas.

Normalmente, o vestibular seriado pode ser solicitado nos três anos de ensino médio e as questões são elaboradas a partir de matérias estudadas no ano em que o candidato está. Mas, se você se pergunta se esse tipo de vestibular de faculdade particular é fácil, saiba que o nível de dificuldade é o mesmo que o tradicional, a diferença é a flexibilização ao aluno e a aplicação das questões conforme o seu grau de conhecimento.

Vestibular agendado e prova eletrônica

O vestibular agendado foi criado para os candidatos com conflitos de agenda, para aqueles que já estão no mercado de trabalho ou não têm disponibilidade de realizar a prova na data do vestibular tradicional.

Para optar por essa alternativa, o estudante precisa apenas confirmar a possibilidade de datas e horários com a universidade e agendar a prova, que pode acontecer de maneira presencial ou, ainda, como vestibular on-line. Vale destacar que, para que não aconteça fraudes, as faculdades costumam elaborar vários modelos diferentes, mudando as questões e a ordem das perguntas.

Você deve estar se perguntando qual nota mínima para passar no vestibular, mas essa questão não tem resposta certa. Tudo vai depender da quantidade de vagas e das inscrições para o curso desejado e, além disso, do número de questões da prova. No entanto, não existe formato simples de vestibular, portanto, é importante se dedicar aos estudos para garantir uma boa colocação – ou pelo menos uma vaga – no curso desejado.

Transferência

Muitos alunos também se questionam se é preciso de vestibular para fazer a transferência para outra faculdade. A resposta é não! E, ainda, dependendo da grade curricular, o aluno ainda pode reaproveitar as matérias feitas na universidade anterior para não precisar começar o curso do zero. As transferências podem acontecer entre faculdades privadas ou entre uma faculdade privada e uma faculdade pública.

Para solicitar uma transferência de faculdade, não existe prazo e nem período determinados. O estudante pode solicitar a troca de instituição desde o primeiro ano até os semestres finais. No entanto, é mais difícil e burocrático a mudança no meio de um semestre. Portanto, se o seu desejo for fazer a transferência, se programe para que isso aconteça no início de um período.

Vagas remanescentes

As vagas remanescentes também são outra forma de ingressar na faculdade particular. Basicamente, esse modelo se dá da seguinte forma: as vagas que sobraram depois do vestibular e da divulgação da lista de aprovados são disponibilizadas aos alunos interessados. A opção pode ser válida para quem perdeu o prazo de inscrição ou até mesmo para aquele aluno que foi mal no vestibular. A dica é não apostar suas fichas nesse tipo de ingresso, já que nem sempre terá vaga sobrando no curso que deseja.

O processo seletivo universitário de vagas remanescentes acontece, normalmente, entre dezembro e fevereiro, ou no período em que a faculdade encerra a chamada de aprovados no vestibular.

Diploma IB (International Baccalaureate)

O Diploma IB, ou bacharelado internacional, é uma espécie de certificação educacional que pode ser emitida por escolas do ensino médio. Com reconhecimento no mundo todo, o diploma pode facilitar a transição entre o nível médio e superior, fazendo com que as provas para entrar na faculdade não sejam necessárias. Isso porque o IB conta com uma boa reputação internacional e garante a qualificação do estudante, pautada em imersões em português e inglês.

Essa opção é uma ótima alternativa para quem pensa em estudar fora do país de origem, mas vale destacar que não são todas as escolas que oferecem o diploma de ampliação acadêmica. No mundo, cerca de 3.500 instituições de nível médio contam com IB. É importante conferir se a sua escola conta com a qualificação.

Diploma ABITUR

Uma certificação que também é concedida pelas escolas de ensino médio. A diferença é que essas instituições contam com grades de cursos específicos na própria escola, também como forma de potencializar a sua qualificação para o ingresso na faculdade.

Com o diploma ABITUR, o estudante passa a ter mais facilidade de entrar em universidades da Europa e América Latina, além de conseguir créditos para instituições Norte-Americanas, podendo conquistar até bolsas estudantis parciais ou integrais.

Certificação Cambridge (exame CAE)

Uma das faculdades mais importantes e renomadas do mundo, a Universidade de Cambridge, conta com um exame de certificação com validade mundial, onde o estudante comprova seu alto nível de inglês para conquistar, com mais facilidade, o visto e o ingresso no ensino superior em instituições no exterior.

O objetivo da certificação é aferir o desempenho do aluno para a imersão em uma área profissional e desenvolvimento das habilidades linguísticas. Com a CAE, o estudante consegue, com mais facilidade, garantir uma vaga em instituições internacionais de curso superior.

Enem

Você pode se perguntar “se eu não passar no vestibular posso fazer faculdade?” E, de fato, essa questão é um grande medo dos estudantes. Mas saiba que, como já vimos um pouco acima, existem alternativas para ingressar os estudos em uma universidade: o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é uma delas. Hoje, a função do Enem vai além de analisar o nível de ensino das escolas do Brasil, sendo também uma maneira de contribuir para que o aluno tenha acesso à graduação com a sua nota no exame.

Entenda que não é preciso de Enem para fazer faculdade, mas o seu resultado no exame pode facilitar – e muito – o ingresso direto em uma instituição particular. Para que o estudante faça o processo de ingresso direto, basta apresentar a nota do Enem na faculdade. Se ela atingir o mínimo necessário – determinado de acordo com cada instituição – o candidato poderá fazer a matrícula normalmente e começar o curso desejado.

No entanto, as regras variam bastante de faculdade para faculdade. Algumas pedem uma média de pontuação e usam a nota de corte do Enem no processo seletivo, outras só exigem nota maior do que zero na redação. Inclusive, dentro de uma mesma instituição, os critérios podem ser diferentes para cada curso. A melhor forma do aluno saber se a nota do ENEM pode ser usada para entrar na faculdade particular é consultando o edital do processo seletivo ou falar diretamente com a secretaria da instituição.

Transferência externa

A transferência externa é quando o aluno decide, voluntariamente, mudar de universidade. As regras para esse processo variam de acordo com a faculdade atual e de destino, sendo que a maioria delas aceita a nota do Enem como vantagem para facilitar essa aceitação.

Reingresso

Para quem parou o curso superior, mas deseja retomar os estudos, utilizar a nota do Enem para essa finalidade também é uma forma de facilitar o processo.

Outras formas de acesso com a nota do Enem

“Quanto precisa tirar no Enem para passar em Medicina?”, “quantos pontos precisam para passar em Direito no Enem?”. Seja qual for o curso desejado, existe uma grande dúvida entre os estudantes sobre qual fase e quantos pontos são necessários para fazer do Enem um aliado para o ingresso na faculdade.

A boa notícia é que a nota do exame pode ser usada de formas diferentes, sempre visando beneficiar o aluno e impulsionar os seus estudos no ensino superior. É justamente por esse motivo que fazer o Enem é fundamental para o estudante.

Primeira fase do vestibular

Assim que as inscrições do Enem começarem, o estudante que se inscrever na avaliação e, em seguida, em um certame de universidade, a taxa de inscrição é menor – ou rebaixada para zero – para prestar o vestibular na instituição, desde que o candidato comprove a sua participação no exame.

Fase única

Algumas universidades usam a nota do Enem como classificatória para o ingresso do aluno na graduação. Ou seja, quanto maior for a pontuação no exame, maiores são as chances de o candidato garantir uma vaga nessas instituições.

Parte da nota final

Existem universidades, ainda, que fazem a correção da 2ª etapa do processo seletivo contando com a nota do Enem para compor a pontuação final do candidato.

Bonificação

A nota do Enem também pode ser usada para conseguir vantagens diferenciadas em uma universidade privada. Algumas instituições oferecem descontos na matrícula ou nas mensalidades a partir da nota conquistada no exame nacional, outras possuem programas de bolsa de estudos que usam essa pontuação como etapa classificatória.

Alternativas para custear o ensino particular

Muitos estudantes, ao se perguntarem como funciona o pagamento da faculdade particular, acabam desistindo ou estendendo o sonho de começar o curso superior. Porém, isso não é preciso! Existem algumas formas de fazer faculdade de graça ou, ainda, de facilitar o pagamento das mensalidades. Confira:

Ensino superior com bolsas de estudo

As bolsas de estudos são as maneiras mais buscadas pelos estudantes que querem fazer uma faculdade particular sem peso no bolso. Isso porque é a partir delas que as instituições privadas custeiam uma parte ou o total dos estudos do aluno, sem que ele precise devolver nenhum valor.

No entanto, quem optar por uma bolsa de estudos deve atentar-se: é possível perder o benefício caso atrase uma parcela – em caso de bolsas parciais, se o desempenho for abaixo da média, o aluno corre o risco de ter o curso trancado pela instituição.

Confira algumas alternativas de bolsa de estudos para faculdade privada:

Bolsa de iniciação científica

Um auxílio dedicado aos alunos que estão desenvolvendo pesquisas em prol de beneficiar a sociedade. Essa bolsa geralmente é para estudantes que já se graduaram e precisam de ajuda na pós-graduação. Com duração de um ano, pode ser prorrogada, dependendo da situação do aluno, para mais um ano.

A bolsa de iniciação científica pode ser oferecida pela própria universidade como também por programas que incentivam as pesquisas científicas, como a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) ou a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Bolsa de auxílio docente

Oferecida por algumas instituições, esse tipo de bolsa é concedido para alunos que auxiliam os professores em diversas atividades, como na preparação das matérias, cópia de documentos ou até mesmo no momento de tirar dúvidas de alunos. Basicamente, suas funções são como a de um monitor. A bolsa auxílio docente é semestral e só pode ser oferecida para matérias que já foram cursadas pelos estudantes.

Bolsa estágio

Ao contrário das outras modalidades, a bolsa estágio não é oferecida pelas faculdades, mas por empresas que buscam profissionais para contratar. O valor da bolsa varia de acordo com a companhia, a carga horária e o tipo de trabalho desenvolvido pelo estagiário.

É possível conquistar a bolsa em qualquer período da faculdade, no entanto, as empresas contratantes preferem alunos que estão no terceiro ano de graduação para preencherem as vagas.

Além de todas essas opções, existem programas governamentais, como o Prouni, que ofertam vagas para cursos de nível superior para universidades privadas sem que o estudante tenha que investir algum valor nisso. Esses programas são dedicados, principalmente, para pessoas com baixa renda familiar.

Preparamos um infográfico para você entender melhor todas as possibilidades para bolsa de estudo:

Bolsa De Estudos

Fies

Se o estudante não quiser – ou não conseguir – passar pelo processo de bolsa de estudos para o ensino superior, não precisa desanimar! Existe a opção de financiamento estudantil, que são programas que facilitam e prorrogam o pagamento das mensalidades do curso de graduação.

Dentre as opções de financiamento, a iniciativa do governo é uma das mais buscadas pelos estudantes. O Fies ou P-Fies é a linha de crédito oferecida aos estudantes de baixa renda familiar que desejam ingressar os estudos em uma universidade privada. Para participar do processo seletivo, o candidato precisa se enquadrar em alguns requisitos mínimos, além de, obrigatoriamente, apresentar a comprovação de renda baixa e participar de uma edição do Enem, sendo classificado com pontuação mínima de 450 e não ter zerado a redação.

Financiamento por meio da universidade

Existem universidades que contam com programas dedicados a ajudar o estudante a concluir seus estudos. As diretrizes dessa modalidade variam de acordo com cada instituição, bem como o valor dos juros e o período contemplado para o financiamento. Vale ressaltar que não são todas as faculdades que possuem esse tipo de auxílio, cabe ao aluno conversar com a administração e conhecer as possibilidades de facilitar o pagamento das mensalidades.

Financiamento por meio de bancos

As instituições financeiras também chegaram até o mercado de financiamento estudantil, oferecendo oportunidades para graduação, pós-graduação e MBA. Para contratar esse serviço, o estudante precisa ter uma conta ativa no banco em questão e, normalmente, a faculdade em que está matriculado também precisa ser conveniada.

O financiamento varia de acordo com cada contrato, que vai ser projetado a partir das condições financeiras do aluno, podendo contemplar o valor total ou parcial das mensalidades, acrescido de juros que também variam conforme o contrato e o banco.

A vantagem dessa modalidade é que os estudantes podem ter a opção de começar a pagar o financiamento durante ou após o término da graduação.

Pravaler

Uma alternativa boa para o financiamento dos estudos é por meio de empresas privadas de crédito universitário, como o Pravaler. Com um processo menos burocrático e com juros mais flexíveis – ou até zerados, essa modalidade não exige que o aluno tenha baixa renda e nem que ele tenha prestado o Enem.

Além disso, o financiamento privado pode ser ideal para quem não quer ter esse serviço vinculado ao banco, para quem não tem conta corrente ou, ainda, para aqueles que decidiram ingressar os estudos no meio do semestre letivo.

Prouni

O Programa Universidade para Todos (Prouni) é uma iniciativa do governo federal que concede bolsas de estudos para estudantes de baixa renda cursarem faculdades particulares. Para concorrer a uma bolsa Prouni, o estudante deve ter concluído o ensino médio e ter feito a última edição do Enem, obtendo a nota mínima estabelecida pelo MEC (Ministério da Educação). Deve, também, ter renda familiar de até três salários mínimos por pessoa.

Os processos seletivos ocorrem semestralmente e quem cumprir os critérios de participação pode se inscrever pela internet, escolhendo até duas opções de curso entre as vagas ofertadas. Quem for selecionado no Prouni precisa comparecer à faculdade para apresentar todos os documentos necessários (certificado de conclusão do ensino médio, comprovante de endereço etc.) e fazer a matrícula.

Outros auxílios da faculdade

Além de todas as possibilidades que mostramos por aqui, existem muitas universidades que possuem programas específicos que contribuem para que o estudante conquiste o diploma universitário. Algumas contam com setores de auxílio ao estudante que ajudam no processo de identificar moradia e até mesmo transportes mais acessíveis para chegar até a universidade.

Converse com os representantes da sua faculdade e conheça todas as opções de benefícios disponíveis para você ?

As melhores universidades particulares

Agora que você conheceu todas as formas de ingresso em uma faculdade privada e entendeu a diferença entre bolsa e financiamento estudantil, vamos ajudar na busca pela universidade perfeita! A Folha de São Paulo divulga anualmente uma lista com a classificação de faculdades do país, a RUF (Ranking Universitário Folha). A pesquisa analisa todas as 197 universidades registradas e reconhecidas pelo MEC em quesitos como ensino, inovação, internacionalização e mercado.

Confira as 20 melhores universidades privadas:

As 20 melhores universidades particulares do Brasil

Posição RUF

Universidade

UF

18º

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

RS

19º

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUCRJ)

RJ

30º

Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

PR

34º

Universidade Presbiteriana Mackenzie

SP

36º

Universidade Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

RS

42º

Universidade Caxias do Sul (UCS)

RS

49º

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

MG

56º

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

SP

57º

Universidade Católica de Brasília (UCB DF)

DF

63º

Universidade de Fortaleza (UNIFOR CE)

CE

66º

Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC Campinas)

SP

67º

Universidade Nove de Julho (UNINOVE)

SP

69º

Universidade Feevale

RS

70º

Universidade de Passo Fundo (UPF)

RS

72º

Universidade de Franca (UNIFRAN)

SP

73º

Universidade Católica de Pelotas (UCPel)

RS

74º

Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)

SC

77º

Universidade Paulista (UNIP)

SP

78º

Universidade Positivo (UP)

PR

79º

Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP)

SP

Fonte: RUF 2019 (Ranking Universitário Folha)

Categoria: FaculdadePRASABER

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.