Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Quem criou o Sisu? Conheça a história do programa! Quem criou o Sisu? Conheça a história do programa!

Quem criou o Sisu? Conheça a história do programa!

O Sisu é um programa do governo federal criado para simplificar, como o próprio nome já diz, o acesso de estudantes às universidades públicas através do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Toda a seleção dos candidatos acontece de forma sistematizada, e é através da plataforma digital que os alunos interessados em participar do programa escolhem o curso e a universidade. Mas, você sabe quem criou o Sisu e quando ele surgiu? Continue a leitura e veja aqui!

Quem criou o Sisu?

O Sisu (Sistema de Seleção Unificada) foi criado pelo Ministério da Educação (MEC), e na época, o responsável pela pasta era o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que idealizou o projeto em 2009 junto ao governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Veja também: Quem criou o Fies? Conheça a história do programa!

Em 2010, ano em que o programa passou a funcionar, a taxa de juros do Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior) foi baixada de 6,5% para 3,4%. Algumas mudanças no programa também foram feitas, como o prazo de carência para início do pagamento que passou para 18 meses e o prazo de quitação das mensalidades, que se estendeu para três vezes o tempo de duração do curso.

Quando surgiu o Sisu?

O Sisu surgiu no ano de 2009. No primeiro semestre de 2010, a plataforma de seleção passou a funcionar e ofertou 47 mil vagas em diversas universidades públicas por todo o país. Este ano foi um grande marco na história para os jovens que sonhavam com o diploma no ensino superior e também passou a dar mais importância ao Enem.

Para a edição deste ano 2022/1, o programa ofertou mais de 220 mil vagas para o ingresso em instituições da rede pública para o ensino superior, sendo 84,5% das vagas para universidades federais, diferente do ano passado que disponibilizou apenas 206.609 vagas.

Em qual governo foi criado o Sisu?

Foi durante o governo do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva que o Sisu foi criado, e como citamos acima, este período foi marcado por grandes conquistas para a educação, como o aprimoramento do Fies, que permitiu o acesso de jovens de baixa renda às universidades.

O governo do ex-presidente é reconhecido como o mandato que mais contribuiu pela democratização do acesso à educação no Brasil, pois prezou pela ampliação do número de vagas nas instituições federais.

Requisitos para participar do Sisu

Assim como para os outros programas do governo que facilitam o acesso ao ensino superior, basicamente para participar do Sisu o estudante precisa ter realizado a prova do Enem na última edição anterior ao ano em que o aluno pretende participar. Além disso, deve tirar a nota mínima de 450 pontos e não pode ter zerado na redação.

O que é a nota de corte?

A nota de corte é a menor nota do último candidato classificado em um determinado curso. Ela serve para que o aluno tenha um parâmetro, pois através dela é possível saber se a média parcial do Enem é o suficiente para ingressar na graduação desejada.

Durante as inscrições, o candidato pode acompanhar a nota de corte do Sisu para o curso e universidade escolhida. Vale a pena lembrar que, o acompanhamento da nota de corte do Sisu aumenta suas chances para garantir o benefício, embora a nota seja parcial, o aluno consegue fazer alterações quantas vezes quiser até o término do processo seletivo.

Fique atento: a nota de corte parcial não é a classificação final.

O Ministério da Educação lançou um simulador que auxilia os candidatos e interessados a terem uma noção das notas de corte dos cursos, confira clicando neste link.

Como funciona o Sisu?

Além de ter todas as informações sobre como funciona o Sisu, é importante estar ciente sobre alguns requisitos.

Para participar do programa, os candidatos podem se inscrever em qualquer região do Brasil, desde que tenham o interesse de ingressar em uma universidade pública. O processo acontece de forma totalmente virtual, facilitando a participação de pessoas de todas as idades.

Cada candidato tem até duas opções para escolher o curso e a universidade, desde que a instituição tenha vínculo com o programa. A sua primeira escolha sempre será a preferência. Se o aluno atingir a nota de corte exigida com a sua primeira opção, a segunda escolha será automaticamente excluída. Isso também vale no inverso, caso a primeira escolha não tenha a pontuação suficiente para a vaga, a segunda passa a ser concorrida. Nesse meio tempo, o estudante pode alterar suas opções até o período válido das inscrições.

Algumas das vagas disponíveis no Sisu são para cotas, como previsto na Lei n° 12.711/2012. A abertura para as inscrições do programa acontece a cada semestre, mas fique atento, pois nem todos os cursos estão disponíveis no segundo semestre.

Caso não consiga a bolsa através do Sisu, não se desespere. As universidades que participam do programa possuem seus próprios vestibulares e ofertam vagas para este tipo de seleção. Então, nem tudo está perdido.

Como estudar em faculdades públicas sem vestibular

Uma das particularidades do Sisu que faz com que o programa seja um diferencial na vida do estudante, é o fato de não precisar de vestibular para concorrer a uma vaga, e sim utilizar a nota do Enem mais recente realizado.

Optar por cursos menos concorridos no Sisu pode ser uma forma de ingressar na faculdade de forma mais fácil, mas isso não quer dizer que eles também sejam os mais fáceis para se concluir, por isso, não utilize este critério para escolher o curso que deseja estudar na faculdade.

Mas se está em busca de algo que não exija uma nota de corte muito alta, esse método pode ser válido. A seguir, listamos os cursos menos procurados no Sisu baseados nas últimas edições do programa:

  • Química
  • Física
  • Matemática
  • Ciências Biológicas
  • Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia
  • Ciências Exatas
  • Ciências da Natureza
  • Letras – Português
  • Letras – Português e Espanhol
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  • Mineração
  • Gestão Hospitalar
  • Zootecnia
  • Turismo
  • Computação
  • Pedagogia
  • Geografia
  • Hotelaria

Não foi convocado na primeira chamada? Não desanime.

Fique de olho na segunda chamada, pois ao término das inscrições, começa o período de matrículas. Caso a instituição convoque o aluno em uma determinada data e horário e ele não compareça, uma nova chamada será feita, e essa pode ser a sua chance.

As instituições também costumam fazer uma chamada oral para preencher as vagas remanescentes. Para participar, o aluno deverá fazer uma solicitação no portal do Sisu e informar que deseja fazer parte da lista de espera.

É muito importante ficar atento tanto às convocações quanto às datas e prazos para fazer a inscrição e matrícula do Sisu. Um deslize pode causar o fim de um sonho acadêmico.

O Sisu é coisa séria, e é preciso saber direitinho todas as regras e as melhores estratégias para conseguir sua vaga. O Pravaler te ajuda com isso e oferece um simulador para você ficar por dentro das chances de aprovação de acordo com a nota de corte do Sisu. É de graça, e você pode usar quantas vezes quiser!

Cta Simulador Sisu

Texto escrito por: PRASABER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter