SisFies conheça o sistema do MEC

Por PRAVALER

SisFies conheça o sistema do MEC

Para participar do FIES e obter financiamento estudantil, o estudante precisa conhecer o SisFies, que é o sistema informatizado próprio para o programa. Por meio dele, todos os processos relativos ao Fundo de Financiamento Estudantil são sistematizados, facilitando a ação dos candidatos, das instituições participantes e também dos profissionais do Ministério da Educação.

O SisFies centraliza o funcionamento do FIES, tornando simplificados os procedimentos para todos os envolvidos. Se você quer saber mais detalhadamente sobre como ele funciona, como se inscrever, além de conhecer outras informações relevantes sobre o tema, então siga conosco e confira.

O financiamento estudantil

O estudante brasileiro sem recursos para pagar uma faculdade tem duas opções para viabilizar seus estudos no ensino superior: tentando entrar em uma universidade pública ou procurando meios para custear o financiamento em instituições particulares.

Para tanto, existem agentes como o Ministério da Educação (MEC) e organizações particulares que trabalham com a concessão de crédito estudantil, ou seja, eles emprestam dinheiro para que o estudante conclua a sua formação. Posteriormente, já no mercado de trabalho e com condições financeiras, o aluno arca com essa dívida de maneira parcelada e com juros baixos.

Esse processo pode ocorrer de maneiras distintas. No caso do programa do governo, ele se dá por meio do FIES, sigla para Financiamento Estudantil. O FIES se divide em três módulos, cada um destinado para um tipo de público em função de sua renda. Já os financiamentos privados variam de acordo com o propósito de cada empresa.

Em resumo, é preciso saber como funciona cada programa para se adequar a ele. No caso do FIES, boa parte do processo pode ser feita online, no site do MEC. Ao sistema damos o nome de SisFies, sobre o qual falaremos mais detalhadamente na sequência.

Como o SisFies funciona

É no SisFies que as entidades aderem ao projeto. Ele também funciona como plataforma de acesso para os estudantes se inscreverem e para que o Ministério da Educação gerencie as diferentes ações que compreendem o programa.

O SisFies é dividido de acordo com o ente envolvido no processo de financiamento estudantil, com o SisFies Aluno e o SisFies Mantenedor.

Para o candidato, o SisFies funciona como um portal onde é possível se inscrever, conhecer as possibilidades e detalhes do financiamento, além de conferir quais são as instituições e os cursos participantes.

Dentro desse portal, existe o SisFies Aluno, espaço onde o estudante efetivamente se candidata a uma vaga no Fies e pode conferir seus dados, além de fazer renegociações.

Já o SisFies Mantenedor é voltado para as instituições de ensino e entidades mantenedoras do FIES. É o espaço de adesão, atualização de dados e consultas. Nesse espaço também é possível pagar tributos e acompanhar diferentes operações envolvidas no projeto.

Nesse mesmo ambiente, as instituições participantes do FIES podem viabilizar seu cadastro, habilitar o acesso a pessoas autorizadas, validar inscrições dos alunos, bem como os aditamentos, emitir documentos e acompanhar toda a questão legal envolvida no projeto.

Um exemplo do que pode ser feito no SisFies é a renegociação. Quando o aluno percebe que não terá como fazer o pagamento do FIES dentro do prazo estipulado, ele pode entrar no sistema, realizar uma simulação de uma nova prestação e fazer o pedido. Posteriormente, ele precisa ir até o banco parceiro e fazer a requisição do “Termo Aditivo ao contrato de financiamento” para gerar novas condições de pagamento, evitando assim o cancelamento de sua participação no programa.

Em resumo, o SisFies é um recurso pensado para simplificar a vida do estudante e demais envolvidos no financiamento estudantil, evitando que questões burocráticas consumam seu tempo.

O SisFies e a burocracia

O intuito do MEC com a criação do SisFies é diminuir a burocracia envolvida na concessão de crédito universitário a partir da criação de processos mais ágeis tanto para o credenciamento das instituições quanto para a ação dos estudantes.

Como o FIES abre inscrições duas vezes por ano, semestralmente inúmeros candidatos precisam se cadastrar no sistema e comprovar as informações prestadas, num processo que envolve os documentos dos estudantes, a ação das faculdades participantes e também dos bancos, uma vez que a assinatura dos contratos de financiamento será realizada neles.

Sem um sistema moderno e centralizador, todas as etapas do processo tendem a se tornam ainda mais longas, como acontecia antes do SisFies. Na prática, o SisFies é uma solução que veio para fazer da tecnologia uma aliada no financiamento estudantil.

Como se inscrever no SisFies

Fique atento às datas do FIES. A participação no programa é aberta aos interessados duas vezes por ano.

  1. Acessando o site do FIES e clicando em “Saiba como fazer sua inscrição”, você será redirecionado ao SisFies. Surgirá um espaço no SisFies Aluno para que você informe seus dados pessoais em um cadastro rápido. Caso você seja selecionado, será preciso acessar o SisFies novamente para assim efetivar a inscrição no programa.
  2. Uma vez dentro do SisFies é necessário apresentar os dados do financiamento que você deseja. Para tanto, clique em “Complementar Minha Inscrição”, preencha os espaços relativos aos valores semestrais do curso e do valor financiado pelo FIES.
  3. Faça a simulação na modalidade desejada e informe os dados referentes à sua localização e agência bancária.
  4. Determine qual será o tipo de fiança e conclua o processo. O cadastro será finalizado quando o sistema gerar o comprovante para comparecimento do interessado à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento, conhecida como CPSA.

Vale lembrar que, uma vez aprovado, o estudante precisa também validar as informações inseridas no sistema na CPSA da instituição de ensino. Posteriormente, ele deve ir a um dos bancos credenciados e viabilizar o financiamento.

Aditamento FIES 2019

O sistema de aditamento do FIES é o processo de renovação do financiamento realizado pelo estudante. Ele pode ser classificado como simplificado ou não simplificado. No caso da primeira categoria, não existe alteração nas cláusulas do contrato, permanecendo conforme determinado no ato da assinatura, ao contrário do que acontece na segunda categoria, na qual ocorrem mudanças para a sequência do financiamento.

A ideia por trás do processo de aditamento é garantir que o estudante esteja regularizado dentro do programa e permitir aos envolvidos revisarem os dados de contrato quando necessário.

O estudante precisa ficar atento aos prazos de aditamento, sob risco de perder os benefícios do programa. Assim, para o primeiro semestre, a renovação deve ser feita entre os dias 1 de dezembro e 31 de março. Para o segundo semestre, entre 1 de julho e 31 de agosto, sempre considerando o período anterior ao ano vigente.

Fique atento às datas e esteja sempre com os documentos organizados para evitar atrasos ou erros. Isso certamente facilitará a sua vida e tornará o processo de renovação simplificado.

As exigências do FIES

O FIES é um programa do Ministério da Educação, destinado ao financiamento estudantil. Participando dele, você tem como custear os seus estudos em instituições privadas, por meio de um empréstimo a juros baixos, podendo pagar a sua dívida depois de formado. É uma boa opção para quem precisa de uma oportunidade para se graduar.

Para fazer parte do FIES é preciso atender às exigências do projeto. E elas costumam ser rigorosas, Entre outras, podemos citar a participação no Enem, com nota mínima de 450 pontos, comprovação de renda abaixo do limite e a restrição ao ensino presencial, o que elimina a possibilidade de o aluno obter financiamento para cursos a distância.

Além disso, o FIES também limita a inscrição a quem jamais participou do programa anteriormente e quem está na primeira graduação.

Por se tratar de um programa de financiamento público e de alcance amplo, é natural que o FIES apresente um rigor maior, já que assim seleciona os candidatos que realmente precisam do benefício. Por outro lado, isso dificulta muito a ação de muitos estudantes, que podem ter na burocracia um impedimento.

Alternativas ao FIES

Diante de tantas exigências, boa parte dos interessados acaba sendo afastada da possibilidade de contar com o FIES antes mesmo de chegar ao SisFIES. É o caso de quem não prestou a prova do Enem ou de quem já está na segunda graduação. Para situações assim, vale a pena conferir opções de financiamento privado, como é o caso do PRAVALER.

O PRAVALER é um programa que concede crédito universitário para diversas instituições privadas do país a juros baixos, podendo chegar a zero em determinadas circunstâncias.

Conheça mais sobre o PRAVALER

Um diferencial em relação ao FIES está justamente nas exigências. Você pode participar do PRAVALER mesmo sem a nota do Enem ou já tendo um diploma de ensino superior. Além disso, caso o seu interesse seja fazer um curso na modalidade EAD, o PRAVALER também aparece como uma opção, pois não há exigência para cursos presenciais.

Em suma, o PRAVALER é uma alternativa ao FIES bastante vantajosa para quem pretende chegar ao ensino superior, mas não conta com recursos para custear esse investimento antes de formado.

Enfim, se a sua ideia é participar do FIES, saiba que o SisFies é o sistema que facilita muito as suas ações. Agora, fique atento às exigências que o programa do governo faz para os candidatos. Existem situações que restringem a sua participação. Caso você se enquadre em alguma delas, não deixe de considerar alternativas, como o PRAVALER.

Para simular valores e conhecer as vantagens do programa, não deixe de conhecer o site do PRAVALER.

Compartilhar
Categoria: Fies

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.