Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Como renegociar dívidas? 6 estratégias para fazer acordos financeiros Como renegociar dívidas? 6 estratégias para fazer acordos financeiros

Como renegociar dívidas? 6 estratégias para fazer acordos financeiros

Renegociar dívidas é uma das formas de sair do vermelho e ter uma vida financeira mais tranquila e saudável, afinal, esses débitos são capazes de tirar noites de sono, além de atrapalharem nosso dia a dia, gerando algo que vai muito além de um nome sujo. Mas afinal, como fazer esses acordos financeiros e se livrar, de uma vez por todas, dessas dívidas?

No conteúdo de hoje você vai descobrir como renegociar seus débitos em aberto, seja ele com banco, programas governamentais, entre outros. Além disso, vai aprender estratégias inteligentes para evitar possíveis complicações durante sua trajetória de quitação de débitos. Vamos nessa? Boa leitura!

Como renegociar dívidas?

Não pense que deixar de cumprir com os termos originais de um acordo, ou seja, não estar em dia com as suas contas, seja algo fora do comum. Renegociar dívidas é o primeiro passo para sair do vermelho e, finalmente, começar a ter uma vida financeira mais tranquila e estável.

Existem algumas abordagens eficazes para lidar com as obrigações financeiras. Uma delas é fazer uma análise completa da sua situação. Calcule a capacidade de pagamento e identifique as dívidas que precisam ser renegociadas.

O próximo passo é entrar em contato com o banco e instituições financeiras em que está devendo, seja por telefone, e-mail ou indo pessoalmente em uma das agências bancárias. Explique sua situação, procure ser honesto quanto ao seu orçamento, e se por acaso existir uma razão específica, como perda de emprego ou emergência médica, não deixe de mencionar.

Com base na sua condição e capacidade para pagamento, proponha uma alternativa viável, isso pode incluir a redução de parcelas mensais ou da taxa de juros. Uma vez que o acordo seja firmado, procure cumprir rigorosamente com os termos, isso mostrará que você está totalmente comprometido com o plano acordado, e passará uma certa confiança para o credor.

Por que é importante renegociar dívidas?

Renegociar dívidas é importante por diversas razões, pois oferece benefícios significativos a médio e longo prazo.

A renegociação pode ajudar a evitar a inadimplência, assim, você consegue impedir que consequências negativas, como multas, juros e danos à sua pontuação de score de crédito, prejudiquem a sua saúde financeira.

Além disso, renegociar suas dívidas permite que você recupere o controle de suas finanças, pois, ao adaptar os termos da dívida ao seu orçamento, você passa a criar planos e metas de pagamentos realistas que caibam no seu bolso.

Evitar processos judiciais, preservar a classificação de crédito, aliviar o estresse financeiro e restaurar a saúde financeira são alguns dos principais motivos que justificam o porquê da renegociação de dívidas ser uma ferramenta valiosa.

Mas você deve estar se perguntando se a renegociação de dívidas se aplica a qualquer tipo de débito, certo?

A resposta é sim! Seja para pagamento de dívidas relacionadas a empréstimo, cartão de crédito, financiamento e outros. É claro que o processo, acordo e termos podem variar de uma cobrança para outra, mas no geral, é possível recorrer a um plano que seja realista tanto para os devedores quanto para os credores.

Um exemplo claro é o de renegociação de dívida do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), famoso programa do governo federal que facilita o acesso de jovens ao ensino superior, permitindo que a graduação seja quitada apenas após a formação. Neste caso, vale destacar que nem todos os devedores do financiamento estudantil são elegíveis para a renegociação. Normalmente, essa ferramenta é oferecida para os estudantes com pagamentos em atraso há pelo menos 90 dias.

Assim como qualquer outra negociação, neste caso, o aluno deve entrar em contato diretamente com a instituição financeira que detém a dívida do Fies, pois somente ela poderá fornecer informações sobre as opções de negociação disponíveis.

Dicas para renegociar dívidas

Renegociar dívidas pode ser uma tarefa um tanto desafiadora, mas com planejamento, estratégia, foco e comprometimento, você pode chegar a acordos que sejam totalmente vantajosos para você. A seguir, você confere 6 dicas para fazer acordos financeiros eficazes.

Entenda sua situação financeira

Antes de iniciar sua renegociação, avalie por inteiro a sua situação financeira. Calcule seu orçamento, identifique suas dívidas, taxas de juros e prazos de pagamento. Veja quais são suas despesas e analise sua renda mensal. A partir disso, você conseguirá determinar quanto você pode pagar e quais dívidas deve priorizar.

Entre em contato com os credores

É hora de entrar em contato com os credores. Mas se aqui cabe uma dica: procure antes das contas entrarem em atraso. Isso torna a negociação mais fácil. Assim, eles perceberão que você terá dificuldades para fazer o pagamento, e podem estar dispostos a te ajudar a não entrar em inadimplência.

Esteja preparado para negociar

Antes de procurar os bancos e instituições financeiras para renegociar suas dívidas, esteja preparado e saiba, sobretudo, quais são suas metas de negociação, bem como a redução de taxas, extensão do prazo, aumento do número de parcelas ou plano de pagamento alternativo. A verdade é que quanto mais claro você for sobre o que deseja e suas condições, maiores serão suas chances de obter um acordo favorável.

Mantenha uma boa comunicação

Seja educado e persistente. Manter uma comunicação respeitosa com os credores é crucial. Lembre-se que eles estão ali para recuperar o dinheiro que você pegou emprestado. Portanto, caso o atendente não consiga te ajudar, verifique a possibilidade de conversar com um supervisor ou gerente.

Negocie taxas de juros

Tente, ao longo da renegociação, obter taxas de juros mais baixas, isso consequentemente irá reduzir o valor total das dívidas e nos pagamentos mensais.

Tenha o acordo por escrito

Não confie apenas em acordos verbais. Tenha todos os termos acordados em negociação por escrito. Esse documento deve ter o reconhecimento de ambas as partes.

A renegociação de dívidas requer muita paciência e, sobretudo, persistência. Pode ser que os credores não concordem com os termos que você propõe, mas estão dispostos a negociar e manter uma comunicação clara e aberta para alcançar um plano que seja bom para as duas partes. Lembre-se de cumprir rigorosamente os prazos estabelecidos no acordo para evitar futuros problemas financeiros.

Até a próxima!

Texto escrito por: Prasaber
x

Estude o que sempre sonhou com o financiamento estudantil.

Faça faculdade pagando menos por mês com o Pravaler.

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter