Bombeiros: saiba tudo sobre a profissão Bombeiros: saiba tudo sobre a profissão

Bombeiros: saiba tudo sobre a profissão

Ser bombeiro e salvar vidas é o sonho de muitas crianças. Essa é uma das profissões com mais credibilidade entre a população e, por ter caráter desafiador e a possibilidade de prestar serviços voltados para o bem estar das pessoas, faz com que se torne o sonho profissional desde os primeiros anos de infância de muita gente.

Contudo, para quem leva esse desejo para a fase adulta, é comum surgirem muitas dúvidas a partir do momento em que chega a hora da decisão de dar o primeiro passo efetivo em direção a uma profissão. Por isso, preparamos esse artigo, pensando em tirar as principais dúvidas daqueles que se encontram nesse momento.

É o seu caso? Continue a leitura e descubra tudo o que você precisa saber para seguir a carreira de bombeiro!

O que faz um(a) bombeiro(a)?

A palavra bomba veio do latim bombus, que significa algo como ruído grave e forte. Trata-se de uma expressão de origem onomatopeica que surgiu dos barulhos que as pessoas faziam ao representá-la (no caso, “bum”). A palavra bombeiro é de 1844 e, quase 50 anos antes disso, os encanadores eram chamados de bombeiros, pois usavam bombas de água para desentupir canos. Mesmo chegando depois, o apagador de incêndios ficou tão popular que tomou esse nome para si. E assim, surgiu o termo bombeiro para esses profissionais.

Qual é a função de um(a) bombeiro(a)?

Embora as pessoas sempre relacionem bombeiros ao combate a incêndios, eles também são responsáveis por prevenir as situações de risco e por agir quando casos emergenciais ocorrem. Ele passa por um intenso treinamento para atuar em ocorrências como incêndios, desabamentos, afogamentos, explosões, acidentes e demais eventos em que a vida humana, a natureza e o patrimônio estejam em perigo.

Entre suas funções, está a fiscalização prévia de ambientes abertos ou fechados com o objetivo de eliminar ameaças, atender ocorrências emergenciais, como: acidentes de trânsito, afogamentos, deslizamentos de terra, grandes enchentes, capotamento de veículos com vítimas presas em ferragens, entre outros. Ele também pode realizar cursos e campanhas educativas de primeiros socorros e de segurança no trabalho.

Qual é a rotina de trabalho do bombeiro militar?

Quem opta por essa carreira pode seguir alguns caminhos diferentes. Um deles é o de bombeiro militar, que é o profissional contratado pelo órgão de segurança do Estado e que fica à disposição da população em geral para atendimento e suporte.

Essa é a opção mais tradicional e no Brasil são militares estaduais, como a polícia militar, e devem seguir a rígida rotina e hierarquia da corporação. Além disso, por serem militares dos estados, os salários, gratificações e demais características podem variar de estado para estado.

As jornadas de trabalho também variam de acordo com o estado. Em geral, na escala de prontidão, bombeiros que estão a postos para atender qualquer ocorrência, trabalham escalas de 24×48, ou seja, trabalham um dia inteiro e folgam dois dias seguidos, ou 24×72, neste caso, trabalhando 24 horas e folgando três dias. Há também escalas de serviço que em alguns casos utilizam uma jornada de 12 horas trabalhadas por 36 horas de folga e o efetivo administrativo que segue uma jornada de trabalho regular, de segunda a sexta, das 9h às 18h, porém com meia folga uma vez por semana.

Basicamente, a rotina é dividida em:

  • Cerimonial de passagem de serviço de uma equipe de prontidão para a outra. Neste momento são passadas informações gerais, novidades, alguma situação específica dos equipamentos ou viaturas, entre outros;
  • Após o cerimonial, é feita a checagem das viaturas, dos materiais de salvamento, de combate a incêndio, atendimento de primeiros socorros e é dada uma volta com as viaturas para verificações gerais, como freio e suspensão, além da bomba-armar, que é a montagem de sistema de combate a incêndio, das ligações e linhas de mangueira;
  • Em seguida é feito o café da manhã, lembrando que em qualquer situação de ocorrência, os bombeiros interrompem sua rotina para atendê-la prioritariamente;
  • É feita a chamada leitura de ordem ou instrução;
  • Horário de almoço;
  • Os bombeiros seguem a rotina com uma prática esportiva, algo recreativo ou como forma de atividade física, dependendo das ordens dadas pelo comandante de plantão;
  • Depois é feita a manutenção do quartel, para garantir a ordem e a limpeza;
  • Seguem para o jantar e com um tempo livre que poderá ir até as 22h, quando começa o horário de silêncio;
  • O dia seguinte começa com o despertar às 6h para que até às 7h30 seja feita uma limpeza para receber a próxima turma.

Bombeiros podem dar voz de prisão?

Segundo o artigo 301 do Código Penal brasileiro, qualquer cidadão tem o poder de anunciar a prisão de uma pessoa que cometa flagrante delito. Não é necessária a presença da autoridade no momento do flagrante, basta o simples anúncio. O mais prudente é esperar pela chegada da polícia. Afinal, nenhum cidadão comum tem a obrigação de agir, com o fim de evitar um delito, quando essa ação possa colocá-lo em situação de risco.

No caso de bombeiros, apenas bombeiros militares podem dar voz de prisão a qualquer pessoa em atitude suspeita ou a algum criminoso que seja reconhecido por ele e já declarado como fugitivo da justiça, pois neste caso, além de atuar no Corpo de Bombeiros, também faz parte da Polícia Militar.

Quem pode se tornar bombeiro(a)?

Antes de mais nada, o interessado precisa ter coragem! Parece óbvio, mas nem sempre as pessoas lembram que, nessa profissão, você tem que estar disposto a arriscar sua vida em prol de salvar outra. Então, reflita muito antes de entrar nessa profissão.

Requisitos básicos para ingressar no Corpo de Bombeiros

Para algumas funções são exigidas habilidades específicas, como saber dirigir ou saber nadar. Além da prova teórica, normalmente são feitos exames de saúde, aptidão física, psicotécnico e investigação social. As demais exigências são diferentes para cada tipo de carreira.

Independentemente da careira que for seguir, para ser bombeiro os pré-requisitos são:

  • Ser brasileiro nato ou naturalizado;
  • Ter idade entre 18 e 30 anos;
  • Estatura mínima de 1,55 cm (para mulheres) e 1,60 cm (para homens);
  • Não ter tatuagem que faça referência a ideologia terrorista ou extremista, discriminação ou preconceito, ato libidinoso e ideia ofensiva aos direitos humanos;
  • Estar em dia com obrigações eleitorais e militares;
  • Ter concluído ensino médio ou equivalente;
  • Ser habilitado para condução de veículo motorizado entre as categorias B e E (específico para concurso de soldado);
  • Estar em condições físicas compatíveis com a profissão.

Como se tornar um(a) bombeiro(a)?

Bombeiro civil

Para ser um bombeiro civil é necessário fazer um curso de formação de bombeiro profissional civil em instituições, obrigatoriamente, credenciadas ao Corpo de Bombeiros do seu estado. Para conferir se a instituição está regularizada e se os instrutores são certificados, é só confirmar no site do Corpo de Bombeiros da sua região.

O curso é dividido em módulos com aulas teóricas e práticas, totalizando três meses (aproximadamente 200 horas/aula). As avaliações também são divididas em teóricas e práticas e para retirar o certificado é necessário ter um aproveitamento de no mínimo 80% em cada módulo.

Após a conclusão do curso, a instituição irá credenciar o aluno ao Corpo de Bombeiros em até 30 dias, para que ele possa dar início ao seu sonho e atuar na área. Os pré-requisitos para a matrícula são: ter 18 anos, ter concluído o ensino fundamental e apresentar atestado médico recente que declare plenas aptidões físicas para exercer a profissão.

O bombeiro civil, como o próprio nome já diz, não é vinculado à polícia militar e trabalha em empresas privadas, ou como voluntário em ONGs. A aprovação no curso permite atuar como bombeiro civil no nível básico.

O bombeiro de nível básico é aquele que combate direta ou indiretamente o fogo, mas existem outras divisões. O classificado como “líder” é aquele que é formado como técnico em prevenção e combate a incêndio, que atua como comandante de guarnição. O bombeiro “mestre” é graduado em engenharia com especialização em prevenção e combate a incêndio, responsável pelo Departamento de Prevenção e Combate a Incêndio.

A presença deste profissional é obrigatória em eventos grandes com grande número de participantes, para assegurar a prevenção de incêndios e orientação das pessoas em caso de situações de perigo. Sua presença também é requisitada em shopping centers e prédios comerciais. Estes profissionais são imprescindíveis para garantir a segurança de nossos patrimônios e do nosso bem estar, trazendo mais tranquilidade para o nosso dia a dia.

Estrutura de carreira

O bombeiro civil pode trabalhar em indústrias, edificações, empresas e eventos, sejam públicos ou privados. Na maioria das vezes, atuará inspecionando tecnicamente pontos críticos e orientando as pessoas de forma a minimizar ou inibir os riscos de segurança, especialmente contra incêndios. Portanto, o crescimento profissional vai variar de acordo com a escolha de carreira que cada profissional seguir e o tempo de atuação na área.

Bombeiro militar

Para se tornar bombeiro militar é necessário passar por um concurso público realizado pelas instituições de Corpo de Bombeiros do governo. Os requisitos, normalmente, são: não ter antecedentes criminais e não ter sido responsabilizado por ato contra o patrimônio público nos últimos cinco anos antes do concurso.

Alguns concursos públicos de formação de oficiais das Academias de Polícia Militar podem exigir ensino médio completo ou superior, dependendo da vaga desejada. Nesses cursos, a dedicação é integral, recompensada com uma remuneração mensal aos aprovados.

A etapa seguinte é se tornar um “praça” ou um “oficial”. Essas são as duas formas para se tornar um bombeiro militar, sendo o concurso a fase anterior aos cursos:

  • Curso de Formação de Praças: depois de aprovados no concurso para soldados, todos devem passar por esse curso para entrar na corporação, o qual costuma durar até um ano. No curso, são vistas diversas disciplinas militares e técnico-profissionais, onde o soldado deverá aprender desde a prestar continência até combater incêndios em condições de extremo risco. Após a formação, o soldado passará a atuar e concorrer à carreira de praça combatente. Depois de todas estas graduações, alguns ainda ingressam no quadro de oficiais (em alguns estados, a legislação permite que se chegue até o posto de tenente-coronel).
  • Curso de Formação de Oficiais: aqui, o aluno já ingressa como cadete ou aluno-oficial, possuindo graduação superior à do subtenente. O curso não é obrigatório, mas é uma oportunidade para o bombeiro não ficar estagnado na carreira. As atuais tendências são de formar o oficial em um tempo de, mais ou menos, dois anos, exigindo, em contrapartida, o nível superior como pré-requisito, obrigatório para o ingresso dos cadetes. Após formado, o aspirante a oficial passará por um estágio de seis meses e seguirá sua carreira de oficial combatente.

As opções de especialização operacional são muitas dentro da profissão, e vão desde o combate a incêndio urbano e florestal até atendimento pré-hospitalar, salvamentos, fiscalização de edificações, dentre muitas outras áreas. A carreira de bombeiro é muito rica e cheia de possibilidades.

Estrutura de carreira

Confira a estrutura de hierarquia para bombeiro militar:


Bombeiro Estrutura Carreira

Onde atua um(a) bombeiro(a)?

Combate a incêndio

Foi a primeira área de atuação desenvolvida pelo Corpo de Bombeiros e é tratada como uma das de maior risco. É necessário utilizar vestimentas específicas (EPI – Equipamento de Proteção Individual), suprimento de ar respirável (EPR – Equipamento de Proteção Respiratória), técnicas de combate, táticas de extinção de chamas, viaturas, suprimento de água e trabalho em equipe.

Atualmente, está dividida em:

Combate a incêndio urbano (ou estrutural)

Residências, comércios e edificações.

Combate a incêndio especial

Aeroportos, portos e locais de permanência e circulação restrita.

Combate a incêndio florestal

Matas, florestas e áreas verdes em geral.

Busca e salvamento

É a área de atuação com atendimento mais diversificado, pois suas ocorrências estão relacionadas a situações emergenciais com pessoas, animais, meio ambiente e bens materiais. Os profissionais que trabalham nesta área de atuação buscam especializações direcionadas, uma vez que existem diversas frentes operacionais. São elas:

Salvamento terrestre

Atividades que os bombeiros realizam em ambiente terrestre, como resgate veicular, busca terrestre, captura de animais e busca e resgate em estruturas colapsadas.

Salvamento aquático

É o serviço de guarda vidas, que atua em atividades relacionadas na superfície da água, como por exemplo, no salvamento de afogados.

Resgate em altura

Atividades de grande risco que são desenvolvidas em locais com diferença de altitude, tanto em pontos elevados (prédios, torres, morros), como locais profundos (valas, abismos, crateras).

Mergulho

Área que exige grande treinamento, disciplina e seriedade, uma vez que é executada em meio aquático profundo.

Intervenção em incidentes com produtos perigosos

Para que as operações para o atendimento a incidentes com produtos perigosos não façam com que o profissional se torne mais uma vítima, este deve estar preparado para o atendimento à situação e utilizar os procedimentos de segurança adequado para evitar os danos que poderiam ocorrer das características do produto.

Atendimento pré-hospitalar

O serviço é popularmente conhecido como “resgate” e suas ações são padronizadas por manuais e procedimentos que possuem certificações internacionais. O APH, como é chamado pelos socorristas, presta atendimentos a situações emergenciais que envolvam traumas e emergências.

Serviços técnicos

Essa é a mais recente atividade desenvolvida pelo Corpo de Bombeiros e está relacionada a análise de projetos, vistorias e certificações de edificações comerciais, concentração de público e multifamiliares.

Corporações

Conforme a Norma Técnica NBR 14.608, os bombeiros civis presentes nas corporações são treinados para executar funções e atribuições profissionais específicas de acordo com a sua área de atuação. Essa norma surgiu da necessidade de se padronizar a qualificação, a aplicação e as atividades do bombeiro profissional civil, contendo apenas padrões mínimos, ficando as organizações livres para agregar outros, de acordo com as suas necessidades e/ou riscos envolvidos.

Curso de formação de bombeiros

Para ser bombeiro não é necessário ter ensino superior, basta ter o ensino médio ou equivalente. Em São Paulo, por exemplo, o curso de formação para alunos-oficiais da PM ocorre na Academia do Barro Branco, no entanto, é um bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública.

Como são os cursos de formação para bombeiro?

Como falamos, na profissão de bombeiros existem duas subdivisões que diferem a formação do profissional. São elas: bombeiros civis e militares. Para ser bombeiro civil é necessário realizar um curso de bombeiro em instituição credenciada ao Corpo de Bombeiros.

Durante o curso o aluno vai aprender sobre atividades operacionais da profissão, análise de riscos, produtos perigosos e inflamáveis, uso de EPI’s e EPR’s, entre outros. Após conclusão, o profissional estará apto para atuar em instituições privadas com prevenção de acidentes, combate de incêndios, inspeção de equipamentos e primeiros socorros.

Já os bombeiros militares precisam, primeiro, passar em um concurso público. Após o concurso, podem optar por dois tipos de cursos: para soldado ou para oficial.

No primeiro, o interessado aprende diversas disciplinas técnico-profissionais e militares e, após a formação, o soldado passa a atuar e concorrer à carreira de Praça Combatente. O curso para oficial exige uma rotina intensa de treinamentos, estudos e atividades, funcionando de forma integral e em regime de internato, onde o candidato é liberado apenas aos finais de semana. Neste curso, o aluno já ingressa como cadete (graduação superior ao subtenente) e, após formado, deve passar por um estágio de seis meses como aspirante-a-oficial.

Qual a duração média de um curso de formação para bombeiro?

O curso de formação da Escola de Bombeiros tem duração de dois anos, sendo necessário morar na instituição durante esse período. Para quem optar em seguir como militar, o curso de soldado tem duração máxima de um ano e o de formação de oficiais dura cerca de três anos, sendo necessário possuir ensino médio completo.

Diploma / certificado

No curso para se tornar bombeiro civil, os candidatos que concluírem cada um dos módulos com aproveitamento mínimo de 80% nas avaliações poderão receber o certificado de formação. Nele, deve constar, no mínimo, os seguintes dados: nome completo e RG do aluno; carga horária; período de treinamento; nome completo, formações, RG e CPF do instrutor; data da expedição; citação de que o certificado está em conformidade com a norma ABNT NBR 14.608.

Já no curso de formação de bombeiro militar para oficial, ao final é emitido um diploma de ensino superior. Oficiais e praças são certificados com o diploma de bombeiro padrão, que visa reconhecer o trabalho, seja na área operacional ou administrativa, prestado pelo bombeiro militar.

Onde fazer cursos de formação para bombeiros?

O curso de formação de bombeiro civil pode ser feito em Centros de Formação de Bombeiro Civil, devidamente autorizados e credenciados para ministrar cursos na área. O centro de formação escolhido deve ser capaz de atender aos requisitos da Norma Técnica NBR 14.608 e o curso deve ser ministrado por profissionais capacitados em Escola de Bombeiros que tenham nível escolar igual ou superior ao ensino médio, curso de técnicas de ensino de 40 horas e formação em cada tema conforme carga horária descrita na Norma ABNT NBR 14.608.

Além disso, o centro de formação deve possuir instalações adequadas, que possibilitem o ensino das aulas teóricas e práticas de acordo com as normas técnicas referente a cada módulo do curso.

Onde fazer?

  • Senac – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
  • Instituto Polígono de Ensino
  • Academia de Bombeiros Civil Arco de Fogo
  • Curso de Bombeiro Civil – CFAB

Para fazer parte do Corpo de Bombeiros é necessário passar por um concurso público realizado pelos estados, divulgados em sites oficiais, como o da Polícia Militar, no Diário Oficial ou em portais de imprensa. Após concluir todas as etapas, o aprovado inicia o curso de formação, realizados nos centros de formação e aperfeiçoamento da Polícia Militar da sua região.

Possibilidades de especialização técnica

Após concluir sua formação, os bombeiros podem fazer cursos de especialização técnica em instituições credenciadas. Normalmente, os centros de formação que formam bombeiros civis também oferecem cursos de especialização nas áreas de resgate e segurança.

Onde fazer uma especialização?

Quanto ganha um(a) bombeiro(a)?

O que influencia nos valores da remuneração?

Os bombeiros civis são contratados por instituições privadas, enquanto os bombeiros militares fazem parte da organização militar (Corpo de Bombeiros) de cada estado. Os salários de bombeiro militar e de bombeiro civil variam conforme o estado e, no caso dos bombeiros militares, o salário também depende do cargo (soldado, oficial ou capitão, por exemplo).

Adicionais salariais

Adicional noturno

O adicional noturno é um direito dos trabalhadores brasileiros que garante condições diferenciadas de trabalho e de salário para aqueles profissionais que precisam executar suas funções no período da noite. Numa jornada de trabalho noturna, o valor do adicional do bombeiro civil por hora seria de cerca de R$ 1,86. Assim, se o profissional cumprir todas as horas do mês como noturna, seu salário terá um valor adicional de cerca de R$ 376,17 mensais.

Para quem segue carreira militar, os direitos são diferentes, pois como não são registrados como CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), estes profissionais não têm direito a adicional noturno.

Insalubridade e periculosidade

A legislação trabalhista protege, por meio de normas, todo trabalhador que executa suas funções em atividades insalubres ou perigosas, de forma a amenizar o impacto destas atividades na saúde do trabalhador. São periculosas as atividades ou operações onde a natureza ou os seus métodos de trabalhos configure um contato com substâncias inflamáveis ou explosivas, substâncias radioativas ou radiação ionizante, energia elétrica, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem risco acentuado.

O valor do adicional de periculosidade para o cargo de bombeiro civil com base no salário médio seria de R$ 564,25 mensais (30%). Já o adicional por insalubridade é dividido por graus. A 1ª de 10% teria um valor de cerca de R$ 188,08, a 2ª de 20% seria de cerca de R$ 376,17 e a 3ª de 40% chegaria a um valor mensal de R$ 752,33.

Segundo o Ministério do Trabalho (MTE) a caracterização e classificação da insalubridade e da periculosidade do bombeiro civil, devem ser feitas através de perícia do médico ou engenheiro do trabalho. Já para quem presta serviço militar, esse direito não á válido.

Bombeiro civil

Um bombeiro civil ganha, em média, R$ 1.880,83 no mercado de trabalho brasileiro para uma jornada de trabalho de 41 horas semanais. A faixa salarial do bombeiro CBO 5171-10 fica entre R$ 1.716,61 (média do piso salarial 2020 de acordos, convenções coletivas e dissídios), R$ 1.827,34 (salário mediana da pesquisa) e o teto salarial de R$ 3.113,05, levando em conta profissionais com carteira assinada em regime CLT de todo o Brasil.

O perfil profissional mais recorrente é o de um trabalhador com 37 anos, ensino médio completo, do sexo masculino que trabalha 44h semanais em empresas do segmento de outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas. A cidade com mais ocorrências de contratações e por consequência com mais vagas de emprego é São Paulo (SP).

Média salarial por nível profissional

Bombeiro civil nível I: até 4 anos De R$ 1.770,00 a R$ 2.157,80
Bombeiro civil nível II: de 4 a 6 anos De R$ 2.501,90 a R$2.623,00
Bombeiro civil nível III: acima de 6 anos na empresa até sua demissão De R$ 2.780,18 a R$ 3.677,00

Os salários por níveis no cargo são referentes somente ao histórico do profissional naquela empresa até ser demitido. Esses dados não levam em consideração a vida profissional completa no cargo, por isso o salário de um bombeiro civil nível 1 pode ser maior que um nível 3, por exemplo.


Média salarial por porte de empresa

MEI – Micro Empreendedor Individual
Micro De R$ 1.770,70 a R$ 2.780,00
Pequena De R$ 1.858,06 a R$ 2.333,00
Média De R$ 1.922,60 a R$ 2.151,33
Grande De R$ 2.157,82 a R$ 2.677,95

Média salarial por estado

UF

Média salarial

Alagoas

R$ 1.255,36

Amazonas

R$ 1.723,45

Bahia

R$ 1.710,47

Ceará

R$ 1.512,86

Distrito Federal

R$ 2.774,56

Espírito Santo

R$ 1.797,46

Goiás

R$ 1.446,38

Maranhão

R$ 1.446,94

Mato Grosso

R$ 1.575,52

Mato Grosso do Sul

R$ 1.652,93

Minas Gerais

R$ 1.603,99

Pará

R$ 1.654,73

Paraíba

R$ 1.164,53

Paraná

R$ 2.141,62

Pernambuco

R$ 1.377,00

Piauí

R$ 1.463,56

Rio de Janeiro

R$ 1.487,64

Rio Grande do Norte

R$ 1.396,41

Rio Grande do Sul

R$ 1.857,76

Roraima

R$ 1.041,00

Santa Catarina

R$ 1.873,68

São Paulo

R$ 1.968,36

Sergipe

R$ 1.665,65

Bombeiro militar

Média salarial por nível profissional

Salários para soldados (“praças”)
Subtenente R$ 4.253,84
1º sargento R$ 3.899,26
2º sargento R$ 3.585,48
3º sargento R$ 3.307,78
Cabo R$ 3.062,04
Soldado 1ª classe R$ 2.784,48
Soldado 2ª classe R$ 2.452,06
Aluno oficial 4ª cfo R$ 3.243,48
Aluno oficial 3ª cfo R$ 2.956,74
Aluno oficial 2ª cfo R$ 2.636,90
Aluno oficial 1ª cfo R$ 2.404,24
Salários para oficiais
Comandante geral R$ 13.831,61
Coronel R$ 11.396,75
Tenente coronel R$ 10.246,59
Major R$ 9.129,66
Capitão R$ 8.441,98
1º tenente R$ 7.819,68
2º tenente R$ 6.013,58
Aspirante a oficial R$ 5.684,46

Média salarial por estado

A lista abaixo foi elaborada a partir dos vencimentos iniciais informados em editais de concursos para bombeiro militar divulgados em anos recentes, para os cargos de soldado e oficial.

UF

Média salarial

 

Acre

Soldado: R$ 2.244
Oficial: R$ 4.622

Alagoas

Soldado: R$ 3.633
Oficial: R$ 6.714

Amazonas

Soldado: R$ 3.737,43
Oficial: R$ 8.258,90

Bahia

Soldado: R$ 2.585
Oficial: R$ 2.157

Ceará

Soldado: R$ 2.638
Oficial: R$ 4.121

Distrito Federal

Soldado: R$ 5.108
Oficial: R$ 9.945

Espírito Santo

Soldado: R$ 2.778
Oficial: R$ 5.823

Goiás

Soldado: R$ 1.500
Oficial: R$ 5.401

Maranhão

Soldado: R$ 2.240,00
Oficial: R$ 5.818,87

Mato Grosso

Soldado: R$ 4.639
Oficial: R$ 11.597

Mato Grosso do Sul

Soldado: R$ 3.352
Oficial: R$ 7.089

Minas Gerais

Soldado: R$ 3.506
Oficial: R$ 8.874

Pará

Soldado: R$ 2.521
Oficial: R$ 5.469

Paraíba

Soldado: R$ 3.202
Oficial: R$ 5.187

Paraná

Soldado: R$ 7.069
Oficial: R$ 4.139

Pernambuco

Soldado: R$ 2.319
Oficial: R$ 8.576

Piauí

Soldado: R$ 3.100
Oficial: R$ 3.897

Rio de Janeiro

Soldado: R$ 3.143
Oficial: R$ 5.577

Rio Grande do Norte

Soldado: R$ 2.904
Oficial: R$ 6.161

Rio Grande do Sul

Soldado: R$ 3.700
Capitão: R$ 11.620

Rondônia

Soldado: R$ 3.182
Oficial: R$ 5.480

Roraima

Soldado: R$ 2.598
Oficial: R$ 6.493

Santa Catarina

Soldado: R$ 3.842
Oficial: R$ 5.583

São Paulo

Soldado: R$ 3.049
Oficial: R$ 2.988

Sergipe

Soldado: R$ 3.370
Oficial: R$ 9.236

Tocantins

Soldado: R$ 4.872
Oficial: R$ 8.136

Concurso público para bombeiros

Como funciona o concurso para bombeiro militar?

Para passar em concurso público, os candidatos precisam encarar a prova teórica, exame de saúde, exame psicotécnico e investigação social. Em alguns editais, é necessário inicialmente incorporar o Corpo Policial. Embora os editais possam variar, normalmente os concursos possuem quatro fases:

  1. Prova objetiva e dissertativa de conhecimentos gerais, específicos e uma redação. Geralmente, a prova teórica aborda, o conteúdo do ensino médio.
  1. Os aprovados são submetidos a uma avaliação física que incluem corrida, flexões, abdominais, natação, e outros exercícios relacionados. Por isso, é de suma importância que o candidato a bombeiro esteja com a saúde em dia e pratique exercícios regularmente.
  1. Nesta etapa ocorre uma investigação social do candidato, com o objetivo de verificar se ele possui antecedentes criminais ou algo que comprometa sua idoneidade. Na carreira militar, envolvimentos com crime não são admitidos. No entanto, para ser desclassificado é levada em consideração a condenação por algum ato e não o processo em andamento.
  1. Na última fase, o candidato passa por uma avaliação médica na qual é feita uma série de exames para verificar suas condições físicas e mentais. Os testes psicotécnicos irão avaliar o perfil psicológicos e, além disso, o IMC (Índice de Massa Corporal) é calculado e quem estiver acima do peso não é admitido.

Após concluir todas as etapas, o aprovado inicia o curso de formação. Esse curso acontece em regime integral, sob sistema de internato durante dois anos, com remuneração mensal, estabelecida pela Lei de Remuneração do Corpo de Bombeiros Militar de cada estado.

Quantas vagas geralmente são ofertadas nos concursos para soldados e oficiais?

Nos últimos concursos em São Paulo, por exemplo, foram ofertadas 190 vagas para alunos-oficiais e 2.700 para soldados da Polícia Militar. Mas, esses números variam de acordo com o ano e região em que o concurso será realizado.

Quando será o próximo concurso?

Para conferir quando terá um novo concurso na sua região, a quantidade de vagas disponibilizadas e os salários, confira o edital de concursos públicos do seu estado. No nosso blog, você encontra um artigo completo com os concursos previstos para 2020!

Mulheres no Corpo de Bombeiros

Você pode estar se perguntando se mulher pode ser bombeira, né? A resposta é sim! Com as conquistas femininas, pelo menos 10% das vagas dos concursos são reservadas para mulheres. Essa iniciativa foi tomada com o objetivo de promover a igualdade de gênero na corporação.

Há algumas restrições, como de idade e altura mínima necessária, que podem sofrer variações de acordo com os editais e se diferenciar das estabelecidas para os homens. Por isso, é importante ler com atenção antes de fazer inscrição.

De soldado a capitã, confira o vídeo e veja a atuação das mulheres no Corpo de Bombeiros!


Informações úteis

Código na CBO

Sempre que o profissional for admitido, deve ter o código CBO (Classificação Brasileira de Ocupações) da sua função apontado na carteira de trabalho. Isso porque é através dessa informação que o governo atribui os benefícios previdenciários e outros direitos trabalhistas.

Normas associadas ao exercício profissional

A lei que regulamenta o bombeiro civil é a Lei Federal nº 11.901, que diz que bombeiro civil é aquele que, habilitado nos termos desta Lei, exerça, em caráter habitual, função remunerada e exclusiva de prevenção e combate a incêndio, como empregado contratado diretamente por empresas privadas ou públicas, sociedades de economia mista, ou empresas especializadas em prestação de serviços de prevenção e combate a incêndio.

Dia do profissional

O dia do bombeiro brasileiro é comemorado em 2 de julho. É uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro. Oficialmente, o dia deste profissional foi instituído através do decreto de lei nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios.

Sites dos corpos de bombeiros

DF

Acesse o site

GO

Acesse o site

MG

Acesse o site

MS

Acesse o site

PE

Acesse o site

PR

Acesse o site

RJ

Acesse o site

RS

Acesse o site

SP

Acesse o site

Categoria: PRASABER

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.