Enem PPL – o que é e como funciona Enem PPL – o que é e como funciona

Enem PPL – o que é e como funciona

Para quem está saindo do ensino médio regular, o assunto Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é bastante frequente nas rodas de conversa. Isso porque é através dele que muitos estudantes conquistam a oportunidade de ingressar em uma universidade com benefícios diferenciados, como bolsas integrais ou parciais.

O propósito principal do Enem é, além de avaliar o ensino nacional, proporcionar aos alunos das escolas públicas e privadas a chance de continuar seus estudos e, consequentemente, encontrar melhores vagas no mercado de trabalho. Mas, pensando em tornar o exame ainda mais democrático, criou-se uma modalidade diferenciada: o Enem PPL.

O formato é dedicado a pessoas que estão em privação de liberdade, como em penitenciárias ou sob medida socioeducativa, e surgiu com o intuito de ser mais uma ferramenta para integrar esse público a sociedade e facilitar seu acesso ao ensino superior.

Neste artigo, vamos te contar tudo sobre o Enem PPL. Confira mais abaixo ?

O que é Enem PPL?

Antes de entender o que é essa modalidade, vamos conhecer um pouco mais sobre como surgiu o Enem. O exame foi criado em meados de 1998, com o interesse do Ministério da Educação (MEC) e INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) em avaliar o nível e qualidade do ensino médio por todo o Brasil.

No entanto, com o passar dos anos sentiu-se a necessidade de também incluir um público pouco visto pelos programas educacionais: presos e jovens em medidas socioeducativas que fazem parte do sistema carcerário brasileiro.

De modo geral, o Enem PPL é um programa do Enem voltado a aplicação das provas em unidades prisionais para presos que já tenham concluído o ensino médio. O intuito é avaliar o desempenho desses estudantes e contribuir para que eles também tenham acesso ao ensino superior com mais facilidade.

O que significa PPL?

Mas, afinal, você saber o que é PPL? O significado da sigla é para caracterizar Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade.

Essa modalidade também é organizada pelo INEP?

O INEP desenvolveu uma Política de Acessibilidade e Inclusão que proporciona mais possibilidades de acesso à programas educacionais para todos os grupos sociais do país. Por conta disso, assim como acontece com o Enem, a aplicação das provas do Enem PPL também acontece em parceria com o Instituto.

A diferença é que, para isso, além do Ministério da Educação, o INEP fechou acordo junto do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) para que as provas sejam realizadas. Para executar os procedimentos de aplicação das avaliações, O MJSP disponibiliza o auxílio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Quando surgiu o Enem PPL?

O Exame Nacional do Ensino médio foi criado em meados de 1998, no entanto, engana-se quem acredita que quando surgiu o Enem, o PPL também foi concebido. O projeto só começou a fazer parte da avaliação anual 12 anos depois, em 2010, após o INEP levar em consideração a legislação da Portaria 807/10, que determina o direito de acesso à educação para todos, inclusive, para pessoas inseridas em unidades prisionais.

Como funciona o ENEM PPL?

Toda unidade prisional ou socioeducativa possui um responsável pedagógico que lida com os detentos locais. Será ele quem acompanhará as inscrições, determinará as salas para aplicação da prova e ainda tem o poder de transferir o candidato de unidade prisional, caso necessário, ou ainda vetar a participação de presos com liberdade já decretada.

O responsável pedagógico é quem acessa o resultado do Enem de todos os candidatos do programa PPL e ainda pode abrir a solicitação de participação do detento no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) ou outros programas de acesso ao ensino superior. Vale destacar que todos os passos dados pelo profissional são alinhados e acompanhados pelos detentos que querem ou estão participando do Enem PPL.

Quem pode se inscrever?

Todo jovem ou adulto que tiver o certificado de conclusão ou está no último ano do ensino médio regular pode participar da prova PPL do Enem, desde que manifeste o seu interesse e solicite sua inscrição para o responsável pedagógico da unidade prisional em que está cumprindo pena.

Como se inscrever?

Como comentamos logo acima, para se inscrever no Enem PPL, o detento deve conversar com o responsável pedagógico da unidade prisional para que ele possa fazer a inscrição do candidato.

Através do sistema especial dedicado (imagem abaixo) no site do Enem, o responsável pedagógico poderá efetivar as inscrições de cada candidato, além de acompanhar o processo, conferir o cartão de confirmação, determinar a sala que o candidato fará as provas do Enem PPL e terá acesso ao resultado. No entanto, para confirmar a inscrição e ter acesso às informações, o encarregado pedagógico deverá ter um Termo de Adesão, Responsabilidade e Compromisso assinado pelo candidato.

Enem PPL - Como se inscrever

Quando acontece?

Desde sua criação, o Enem PPL acontece 15 dias após a versão tradicional do Enem, que geralmente acontece no mês de novembro do ano. No entanto, com o adiamento das provas regulares em 2020, ainda não há previsão das provas PPL acontecerem.

O edital do PPL costuma ser divulgado em agosto e não está prevista mudança até o momento. Além disso, ao contrário do Enem convencional, a versão PPL não acontece aos domingos, mas sim durante a semana e em dias consecutivos.

Em um vídeo do Conexão Cultura, você pode acompanhar algumas histórias de candidatos que fizeram a prova do Enem PPL. Confere só:


Prova do ENEM PPL

A prova do Enem PPL não é mais fácil ou difícil do que a avaliação convencional. As provas, com cinco horas de duração média, são divididas por caderno, com peso variado em cada questão, existem critérios estabelecidos e os candidatos do PPL ainda contam também com uma redação.

Aplicação da prova

Talvez, a única diferença entre o Enem comum e o Enem PPL é no momento de aplicação da prova. Isso porque na modalidade comum, os candidatos realizam a avaliação em escolas e universidades conveniadas ao INEP em dois domingos seguidos. Já as pessoas com privação de liberdade contam com determinações diferentes.

Onde é aplicado?

As provas do Enem PPL acontecem nas próprias unidades prisionais que contam com candidatos e estão registradas junto ao INEP, podendo ser penitenciárias, cadeias públicas, centros de detenção provisória e instituições de medidas socioeducativas. Quem determina o local exato de aplicação são os responsáveis pedagógicos por cada instituição.

Caso a instituição não tenha um ambiente adequado para a realização da prova, o responsável pedagógico pode solicitar a transferência temporária dos candidatos para uma outra unidade.

O que é necessário para realizar a prova?

Para estar apto a participar do Enem PPL, o detento que deseja se candidatar deve, assim como pessoas que prestarão a modalidade tradicional, ter concluído ou estar no terceiro ano do ensino médio. Com essa confirmação, basta solicitar sua inscrição ao responsável pedagógico, que dará andamento em todos os processos.

Vale destacar que, além do requisito acima, o candidato deve confirmar se a instituição em que cumpre pena adere ao exame e estão cadastrados ao INEP.

Reaplicação da prova

A reaplicação é direito dos candidatos de todas as modalidades do Enem, uma vez que identificado algum erro em alguma questão ou empecilho de organização quando estão acontecendo a avaliação.

Como funciona a reaplicação?

O INEP determinou um prazo para que os estudantes registrem reclamações sobre a prova aplicada ou ocorrências de acontecimentos que atrapalharam o andamento da avaliação. Todas as solicitações serão analisadas e, caso a organização entenda que o fato atrapalhou o desempenho do estudante, pode solicitar a reaplicação.

Quais os critérios para realizar a reaplicação?

São muitos os critérios estabelecidos para a reaplicação das provas do Enem. Para a modalidade PPL, questões como falta de energia, rebelião, erro em procedimento do aplicador ou desastres naturais são alguns dos motivos pelos quais pode se solicitar a reaplicação.

Prova

A prova do Enem PPL conta com o caderno normal, o mesmo aplicado para a modalidade tradicional do Enem. São 45 questões em cada caderno, mais a redação, e a duração vai de 5 horas a 5h30.

Qual a estrutura da Prova?

A estrutura do Enem PPL segue o seguinte formato:

  • 45 questões no caderno de Ciências Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia);
  • 45 questões no caderno de Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física);
  • 45 questões no caderno de Matemática;
  • 45 questões no caderno de Linguagens e seus Códigos (Língua Portuguesa e Estrangeira – inglês ou espanhol, Literatura, Artes, Educação Física, Tecnologias da Informação e Comunicação);
  • Redação em Língua Portuguesa, com tema escolhido exclusivamente para a modalidade. Os critérios para correção seguem as mesmas determinações que a versão tradicional.

Grau de dificuldade do Enem PPL

O Enem PPL possui o mesmo grau de dificuldade do Enem padrão, bem como também seguem os mesmos critérios avaliativos. Se fôssemos analisar a fundo, pode-se afirmar que o Enem PPL é ainda mais difícil, uma vez que as provas acontecem em dias seguidos, e não com uma semana de respiro, como a versão comum.

O que cai no Enem PPL 2020?

As matérias que caem no Enem PPL não são diferentes da modalidade convencional. Para estudar para prova, o candidato deve estar atento às normas gramaticais e ortográficas atuais, interpretação textual, vocabulário estrangeiro, escolas literárias, estruturas genéticas, fatos históricos nacionais e mundiais, geopolítica, meio ambiente, assuntos filosóficos e sociais, cálculo e fenômenos científicos.

Temas de redação de edições anteriores

A redação possui temas diferenciados, mas seguindo o padrão de abordar assuntos da atualidade ou que estão em debate. Confira todos os temas de redação do Enem PPL:

  • 2010: Ajuda humanitária;
  • 2011: Cultura e mudança social;
  • 2012: O grupo fortalece o indivíduo?
  • 2013: Cooperativismo como alternativa social;
  • 2014: O que o fenômeno social dos “rolezinhos” representa?;
  • 2015: O histórico desafio de se valorizar o professor;
  • 2016: Desperdício de alimentos;
  • 2017: Consequências da busca por padrões de beleza idealizados;
  • 2018: Formas de organização da sociedade para o enfrentamento de problemas econômicos no Brasil;
  • 2019: Combate ao uso indiscriminado das tecnologias digitais de informação por crianças.

Resultado do Enem PPL

Os resultados do Enem PPL poderão ser utilizados como ferramenta única ou complementar para ingresso em uma graduação de ensino superior, como concorrer em bolsa integral e parcial ou até mesmo desconto na matrícula. No entanto, essa possibilidade só se aplica para candidatos com idade a partir de 18 anos. Menores de 18 anos são considerados “treineiros”, ou seja, só poderão fazer o Enem como um exercício de autoavaliação de conhecimentos.

Como utilizar a nota?

O candidato que prestou o Enem PPL pode utilizar de sua nota para pleitear bolsas de estudos ou até mesmo descontos especiais nas universidades. Além disso, pode participar também de programas governamentais que oferecem mais facilidade no acesso ao ensino superior.

SiSu

Ou Sistema de Seleção Unificada, é um programa que oferece vagas para estudantes em universidades públicas de todo o Brasil a partir da nota adquirida no Enem. Vale destacar que para participar do SiSu, o candidato não pode zerar a redação e deve atingir uma pontuação mínima em cada caderno, que varia de acordo com o curso escolhido.

ProUni

O Programa Universidade para Todos tem como propósito oferecer bolsas integrais ou parciais para estudantes de baixa renda em universidades particulares. Para participar, o candidato deve atingir, pelo menos, 450 pontos na prova objetiva e não ter zerado a redação do Enem.

FIES

O Financiamento Estudantil promovido pelo governo é um programa que ajuda estudantes de baixa renda a pagarem a mensalidade da faculdade particular. O modelo é uma espécie de empréstimo, onde o beneficiário começa a pagar após a sua formação na universidade. Assim como no ProUni, o FIES exige que o candidato atinja a pontuação mínima de 450 no Enem, além de não ter zerado a redação.

É possível realizar curso superior regularmente dentro da unidade prisional?

Tudo vai depender da escolha do candidato e do estágio que sua pena se encontra. Caso o detento for aprovado em uma universidade, seja ela privada ou pública, poderá optar pelos cursos que oferecem uma grade na modalidade EAD, ou a distância. Boa parte das instituições prisionais contam com uma estrutura dedicada ao estudo dos detentos, como bibliotecas, para que possam acessar o computador e sites de aprendizagem.

Caso o detento escolha por um curso na modalidade presencial deve estar em regime semiaberto, que possibilita a saída durante o dia, ou pedir autorização a um juiz, que, se permitir a saída, solicitará escolta e uso de tornozeleira eletrônica.

Após concluir a graduação, o aluno (na qualidade de detento) receberá diploma e terá acesso aos direitos destinados àqueles que possuem nível superior?

Caso o estudante que está em uma unidade prisional conclua todas as etapas da graduação, sendo elas a grade curricular de todos os semestres e a entrega do trabalho de conclusão de curso, ele receberá normalmente seu diploma.

Com certificado em mãos, o estudante, agora profissional graduado, poderá buscar novas oportunidades profissionais com benefícios e posições dedicadas a pessoas com curso superior completo.

Categoria: ENEMPRASABER

Quero receber notícias do PRAVALER

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o PRAVALER em primeira mão.