Investimentos financeiros – entenda o que é e onde investir Investimentos financeiros – entenda o que é e onde investir

Investimentos financeiros – entenda o que é e onde investir

Investir nem sempre é um tema presente na vida financeira dos brasileiros. Boa parte das pessoas está acostumada a lidar com empréstimos bancários que, apesar de serem viáveis naquele momento, são alternativas opostas ao do investimento financeiro, que pretende garantir recursos a um prazo mais estendido, e não de imediato.

De modo geral, as pessoas procuram uma instituição financeira quando há a necessidade de conseguir verba para quitar dívidas ou adquirir bens de consumo. O mundo de investimentos ainda é considerado um “bicho de sete cabeças” para muitos, mas pode ser a opção que fará muita diferença no seu planejamento financeiro, podendo garantir até um futuro mais bem sucedido.

Neste artigo, além de contar como a educação financeira pode transformar sua vida, vamos te explicar como funciona, quais são os tipos de investimentos e como a prática de investir pode ajudar a melhorar sua vida financeira!

O que são os investimentos financeiros?

Tecnicamente, investimento financeiro é a prática de operações de compra e venda de algum ativo financeiro – como uma ação – com o propósito de aumentar o patrimônio, manter participação no mercado e gerar lucro sob esse investimento.

Para entender melhor, os investimentos financeiros são operações para poupar ou multiplicar o dinheiro, visando garantir um futuro próspero. Com certeza, em algum momento da vida, você já deve ter ouvido a frase “vou investir para fazer meu dinheiro trabalhar por mim”, não é mesmo?! É isso que o investimento faz, se mantém ativo no mercado para gerar mais recursos financeiros.

Quando se fala em investimentos, muita gente acredita na necessidade de contar com uma boa quantia para investir. Contudo, hoje é possível realizar bons investimentos financeiros sem ter de contar com uma soma alta de dinheiro. Além disso, existem muitas plataformas que podem te ajudar a escolher a melhor opção de investimento de acordo com suas finanças. No entanto, antes de qualquer passo rumo ao investimento, é preciso trabalhar a reeducação financeira.

Qual a importância da educação financeira?

Conquistar a independência financeira é o que todo mundo deseja. Mas, conseguir a garantia de um futuro confortável e bem sucedido pode parecer um verdadeiro desafio para muitos. Isso porque temos contas para pagar todo o mês, como água, luz, aluguel, internet, e, fora isso, precisamos manter um fundo de emergência e ainda ter aquele dinheirinho separado para a pizza do final de semana. Com tudo isso, como conseguir lidar e manter o orçamento pessoal positivo?

A
educação financeira é peça-chave para isso! Ela nada mais é do que a maneira como uma pessoa entende o universo do dinheiro e usa as ferramentas possíveis para lidar com ele. Construir patrimônios, ter boas condições no futuro, honrar o compromisso das despesas regulares e evitar o superendividamento é possível com o exercício de educação financeira na vida de qualquer um, independentemente da sua situação financeira.

Educação financeira para jovens

Se na vida adulta, falar sobre – e fazer – planejamento financeiro já é um grande desafio, quando jovens é ainda maior. Isso porque é nesse período que a independência chega e os gastos começam a ser de responsabilidade própria, e não mais dos pais.

É comum encontrarmos pessoas que começaram a se endividar na juventude. Por isso, aprender a lidar com o dinheiro já nessa época é muito importante, assim, é possível fazer a gestão dos recursos de maneira eficiente desde cedo, evitando endividamento na vida adulta e fazendo com que os retornos financeiros venham antes do esperado.

De modo geral, a
educação financeira para jovens é a etapa inicial para começar a valorizar, de fato, os recursos conquistados e como administrá-los da melhor forma para conseguir ter estabilidade nas finanças hoje e no futuro.

Como entender mais sobre investimentos?

É claro que todo mundo quer fazer com que o seu dinheiro renda ou até mesmo se multiplique. O desafio é saber como fazer isso! Existem influenciadores digitais e especialistas na área de finanças que oferecem conteúdos dedicados a quem quer aprender a investir. Nesses canais, online ou presencial, além de conhecer as possibilidades de investimentos do mercado, é possível acompanhar quase que instantaneamente as alternativas que estão em alta.

Também é possível ter ajuda e acompanhar diariamente o mercado financeiro através de aplicativos online. Hoje, existem várias plataformas que além de organizar seus investimentos e até indicar a melhor opção para seu perfil, atualizam e compartilham diariamente as informações desse setor.

Cada investimento conta com uma plataforma de acesso. Para acompanhar da maneira certa, tudo vai depender de qual ativo você escolher, podendo ser em sites de corretagem financeira, bancos ou portais especializados.

Quais são os tipos de investimento?

Existem muitas maneiras de investir, vale estudar ou até buscar profissionais experientes para entender qual é o melhor formato para o seu perfil. Por aqui, vamos te apresentar as principais e mais buscadas opções de investimentos no Brasil. Confira:

Ações

Basicamente, ações são porcentagens de uma empresa que podem ser adquiridas e negociadas através da Bolsa de Valores e corretoras especializadas. Ou seja, investir em ações é ter uma porcentagem e se tornar sócio de alguma companhia e, quanto mais ações comprar, mais porcentagem em cima da instituição terá.

Esse formato de investimento é de alto risco e precisa ser acompanhado diariamente, pois sofre com constantes variações de mercado, podendo aumentar ou diminuir o valor da ação a partir do lucro mensal da empresa ou também por fatores econômicos externos.

Fundos de investimento

Os fundos estão na lista dos investimentos financeiros mais solicitados nas instituições financeiras. Neste caso, várias pessoas se unem com a finalidade de conseguir acesso às aplicações financeiras com menores custos. A grande incerteza está em que nem sempre é possível receber um ganho financeiro. Há diferentes tipos de fundos de investimentos e eles variam conforme o risco e o prazo da aplicação. Um dos mais requisitados é o fundo imobiliário, que reúne empreendimentos imobiliários e os ganhos com os aluguéis são divididos entre os cotistas.

Títulos públicos

É o famoso Tesouro Direto. Eles são importantes investimentos financeiros, principalmente se prestamos atenção na perspectiva do governo. Os títulos públicos são mecanismos do qual o governo consegue captar recursos. Essa modalidade está em alta entre os investidores, pois não exige um alto valor para investir, tem uma rentabilidade a médio prazo maior que a poupança e é considerado um investimento seguro, já que são títulos do Governo Federal.

LCI e LCA

Apesar de aparecerem juntas na maioria das vezes e ambos serem investimentos de renda fixa, as siglas são dedicadas a segmentos diferentes. LCI, ou Letras de Créditos Imobiliários, são títulos que os investidores compram de incorporadoras, construtoras ou instituições de financiamento imobiliário a fim de direcionar recursos para o setor de compra e venda de imóveis. Já o LCA, ou Letras de Crédito do Agronegócio, é o investimento aplicado em títulos do mercado de Agronegócio, ou seja, quem recebe o empréstimo são produtores rurais e cooperativas. Os investimentos em qualquer um dos dois formatos é uma remuneração – ou juros – durante todo o período que o recurso estiver aplicado.

Ambas as modalidades são muito similares, como no alto rendimento e a segurança no retorno a médio prazo. Além disso, se o investidor for pessoa física, os investimentos não são contabilizados no Imposto de Renda. Apesar disso, existem algumas diferenças entre LCA e LCI, como o setor que atende, a disponibilidade de títulos disponíveis e a taxa de rentabilidade, que vão variar de acordo com o mercado.

Investimentos Financeiro - LCI ou LCA qual a melhor opção



Download da imagem

em alta resolução

Debêntures (títulos emitidos por empresas)

De modo geral, as debêntures são títulos de empresas privadas que estão à venda em troca da captação de recursos. Esse modelo é uma espécie de empréstimo do investidos à companhia, que aplicará seu dinheiro com o propósito de recebê-lo de volta com juros incluso a médio ou longo prazo. Ou ainda existe a possibilidade de a debênture ser revertido em ações da companhia.

Os títulos empresariais são um investimento de alto riso, uma vez que existe a empresa pode não conseguir arcar com o acordo feito no momento da compra. Por esse motivo, o indicado é contar com agências de risco especializadas no formato de investimento, já que elas apresentam indicativos de garantia de cada empresa que oferece essa ação.

Poupança

A boa e velha poupança é a queridinha dos conservadores, uma vez que não confere riscos ao investimento. De tão segura que é, pouca gente consegue vê-la como investimento.

Esse é um dos investimentos financeiros mais conhecidos no país e certamente é o mais procurado. Para abrir uma conta poupança em instituições bancárias, é preciso apresentar CPF, carteira de identidade, comprovante de residência e comprovante de renda. A poupança é um investimento bastante democrático, já que não possui um limite mínimo de aplicação.

CDB e RDB

Os CDBs, ou Certificado de Depósito Bancário, é uma espécie de empréstimo, sendo o investidor concede o empréstimo ao banco para que ele tenha recursos para diferentes atividades e, em troca, recebe compensação – ou juros em cima do empréstimo. De modo geral, o investidor que optar por essa alternativa receberá juros pelo tempo de espera, além do valor que foi concedido por ele à instituição.

No que se refere aos CDBs, existem duas formas de determinar os juros incidentes: antes da aplicação e quando depende do indexador. O primeiro tipo é considerado CDBs com juros pré-fixados. Já o segundo possui uma remuneração de acordo com a Taxa Referencial ou com o Certificado de Depósito Interfinanceiro e é chamado de CDB com juros pós-fixados.

O RDB, ou Recibo de Depósito Bancário, possui as mesmas características do CDB, contudo, não podem ser transmitidos a outra pessoa e tampouco podem ser negociados antes do prazo contratado. Ao fazer o resgate antes dos 30 dias é preciso pagar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Previdência Privada

A previdência privada é um fundo de investimento a longo prazo. Seu principal objetivo é ser um complemento de recursos sob os planos de previdência social, que é vinculado ao INSS. Ou seja, a previdência privada é um plano de obtenção de recurso adicional para a aposentadoria.

Seu rendimento pode ser fixo ou variável, tudo vai depender do investimento realizado e o plano adquirido. O grande diferencial da previdência privada para a social é que o valor poderá ser resgatado em caso de desistência do investimento, além disso, é possível escolher o valor que será destinado à previdência.

Agora que já te apresentamos as principais formas de investimento do mercado, vale você entender qual é mais a sua cara para se aprofundar nos estudos. Independentemente de qual for a sua escolha, o importante é começar. E se você quer entrar de cabeça no mundo dos investimentos, confere só esse vídeo que pode te ajudar na decisão:

Investimento Financeiro para Iniciantes

Qual a diferença entre Renda Fixa e Renda Variável?

Como você pôde ver, existem os investimentos de renda fixa e os de renda variável. Ambos podem ser boas alternativas para investir o seu dinheiro, mas é preciso ficar atento às diferenças entre elas, que podem determinar a sua escolha.

A renda fixa é um tipo de investimento onde tanto investidor quanto o destinatário já acordaram ou já estão cientes das taxas de retorno que aquele recurso terá. Ou seja, ao investir em opções de renda fixa, já é possível prever os ganhos reais, levando em consideração o período de aplicação, o valor investido e os juros contemplados. Nessa modalidade, existem dois formatos de aplicação, a pré-fixada, onde já é possível identificar a porcentagem sem o risco de alteração no período de aplicação, e o pós-fixada, que é calculado a partir de indicadores do mercado, como Selic e IPCA por exemplo, e podem sofrer alterações conforme ao longo do tempo de investimento.

Já a renda variável é um tipo de investimento onde não se consegue ter certeza do retorno do investimento, ou seja, os ganhos nessa modalidade podem ser extremamente altos, mas também podem sofrer com uma grande queda repentina a partir da mudança de mercado. Esse formato é indicado para investidores que não têm medo de se arriscar e contam com um grande perfil analítico.

Investimentos Financeiro - Renda Fixa ou Renda Variável

Download da imagem
em alta resolução

Gostou do conteúdo? Te ajudamos a encontrar o modelo de investimento ideal para seu perfil e seu bolso? Para te ajudar ainda mais na sua vida financeira, criamos uma planilha de controle de investimentos, que fará você se organizar ainda mais e ter mais controle do seu dinheiro. Faça o download logo abaixo!

Download da planilha
de controle

Pensamos na sua privacidade

Usamos cookies para que sua experiência seja melhor. Ao continuar navegando, você está ciente dos nossos Termos e Políticas.

CONTINUAR