Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Como funciona o pagamento do Fies? Como funciona o pagamento do Fies?

Como funciona o pagamento do Fies?

Por oferecer boas condições e baixas taxas de juros para pagamento, o Fies é uma ótima alternativa para diversos estudantes. É uma oportunidade única de realizar o sonho de conquistar um diploma de nível superior para muitas pessoas que não conseguiram uma vaga em uma universidade pública e não têm como bancar a mensalidade de um curso em uma faculdade particular.

Em suas últimas edições, algumas regras do Fies e prazos para quitar a dívida passaram por algumas mudanças. Por isso, esse post foi feito para te ajudar a ficar por dentro das regras do programa e das condições para pagamento do Fies. Assim, você pode se preparar melhor e ter ainda mais chances de conseguir o Fies.

Confira mais informações sobre o programa, bem como as novas condições e prazos para pagamento do Fies.

Modalidades de financiamento do Fies

Atualmente, no Novo Fies, há 3 tipos de modalidades de financiamento estudantil:

  • Modalidade 1 (Fies): Exclusiva para estudantes com renda familiar per capita (por pessoa) de até 3 salários mínimos. Nessa modalidade, os alunos não pagam juros sobre as parcelas.
  • Modalidade 2 (P-Fies): Exclusiva para os estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil que possuem renda familiar per capita de até 5 salários mínimos. Nessa modalidade, os alunos pagam juros sobre as parcelas.
  • Modalidade 3 (P-Fies): Este formato é muito semelhante à segunda modalidade. A grande diferença é ser aberto às demais regiões do país. Nessa modalidade, os alunos também pagam juros sobre as parcelas.

Pagamento do Fies

Como pode ser uma dúvida de algumas pessoas que ainda não conhecem muito bem o Fies, vale lembrar que não é preciso pagar para se inscrever e participar do programa de financiamento. Basta atender aos critérios já mencionados para participar da seleção.

Veja também: O que é e como funciona o Fies?

Já em relação ao pagamento do Fies, após 2018, algumas regras foram modificadas. Uma dessas alterações diz respeito ao período de carência. Até pouco tempo atrás, o beneficiário tinha o prazo de 1 ano e meio para encontrar um emprego após concluir o curso. Durante esse período, era preciso pagar apenas as parcelas trimestrais referentes aos juros. Confira abaixo como o pagamento do Fies funciona!

Pagamento do Fies durante os estudos

Enquanto o estudante estiver matriculado no curso financiado, é preciso pagar um valor determinado no contrato, que se refere aos juros do financiamento. Esses valores de encargos devem ser pagos mensalmente. Embora exista um teto para esse valor de pagamento do Fies, ele pode variar a cada edição do programa e de acordo com o tipo de contrato assinado pelo beneficiário.

Já no caso do P-Fies, o aluno pode começar o pagamento enquanto estuda, podendo quitar a dívida em um período mais curto após a formatura.

Pagamento do Fies depois de concluir o curso

O pagamento da dívida do Fies começa depois da formatura. Dependendo de quando o estudante assinou o contrato do Fies, esse pagamento pode ou não ter um período de carência. O ideal é consultar o contrato, caso já tenha, ou o edital do processo seletivo, caso ainda esteja concorrendo a uma vaga. Vamos aos exemplos:

  • Nos contratos firmados até 2017, ao se formar no curso, o estudante que conseguiu o Fies entra no chamado período de carência. Durante um ano e meio, deverá pagar apenas as parcelas trimestrais referentes aos juros. Assim, pode se organizar financeiramente para começar a quitar a dívida na fase seguinte.
  • Para contratos a partir de 2018, a regra muda. O estudante vai ter a parcela da dívida do Fies descontada automaticamente do salário, assim que conseguir um emprego.

Em ambos os casos o pagamento do Fies respeita a capacidade de pagamento do usuário. Isso significa que, quando você tiver renda, as parcelas serão maiores – seguindo sempre o limite de até 10% do rendimento. Em casos de desemprego, o valor reduz para o equivalente à taxa de coparticipação. Devido a essas variações que podem ocorrer, o Fies pode ser quitado em até 14 anos.

E se para você isso é muito tempo para ter uma dívida, é possível diminuir o prazo de pagamento fazendo aportes de forma voluntária. Isto é, pagamentos antecipados e não retidos na fonte.

Como funciona o pagamento do Fies depois da faculdade?

No primeiro mês após a conclusão do curso, começa o pagamento do saldo devedor do Fies. Para quem estiver empregado formalmente (CLT ou servidor público), o Fies desconta o pagamento diretamente no salário, antes dele cair na conta bancária. Isso significa que não é necessário se preocupar com boletos chegando na sua casa pois o pagamento será automático e mensal.

O valor da parcela do Fies é restrito a, no máximo, 10% da renda mensal. Por exemplo, se o salário é de R$ 2.500, o pagamento do Fies pode ser de até R$ 250.

Para pagar o Fies após a faculdade existem duas possibilidades:

  • Se você não tiver renda, deve quitar as prestações mensais correspondentes ao pagamento mínimo, que segundo o regulamento do CG-Fies (Comitê Gestor do Fundo de Financiamento Estudantil), é o mesmo valor da taxa de coparticipação paga durante os estudos.
  • Se você é um empreendedor que não está empregado formalmente e possui empresa aberta em seu nome, as parcelas do Fies podem ser cobradas sobre o rendimento da sua empresa por meio do eSocial.

Boleto Fies

Todos os pagamentos do Fies são feitos diretamente para a instituição financeira contratada e a dívida deve ser quitada no prazo máximo de 14 anos após a conclusão da graduação.

As taxas e/ou juros pagos durante o curso e as parcelas do financiamento estudantil após formado são pagas via boleto bancário, exceto nos casos em que os valores são descontados diretamente da fonte de renda do beneficiado. Se estiver dentro da data de vencimento, o boleto do Fies pode ser pago em lotéricas, caixas eletrônicos, no próprio banco ou por aplicativos bancários.

Botao Simule Financiamento 1

Para quem acaba perdendo o prazo do pagamento, a segunda via do boleto do Fies pode ser solicitada no site da instituição financeira contratada. Para os financiamentos feitos pela Caixa Econômica Federal, por exemplo, o banco tem uma página exclusiva para os beneficiários do Fies. Em caso de atraso, é preciso solicitar um novo boleto com os valores de juros reajustados e pagar diretamente no banco.

É importante que o estudante não atrase seus boletos do Fies durante o curso e nem na fase de amortização. Em caso de inadimplência durante o curso, o beneficiado pode perder o benefício e não conseguir se formar. No período de amortização, o estudante que deixar de pagar também perde o benefício e passa a ter uma dívida muito maior, fora dos moldes do programa.

Juros do Fies

No Fies tradicional, a taxa de juros é zero. O estudante que conseguir o financiamento para cursar a graduação em uma faculdade particular terá que pagar apenas a taxa de financiamento e o seguro obrigatório.

Mesmo não pagando juros, há reajustes no valor da mensalidade do curso. De acordo com a Portaria nº 533, de 12 de junho de 2020, para calcular esse valor que será pago pelo beneficiário após se formar, serão considerados:

    • O valor bruto da semestralidade;
    • O valor fixado após descontos eventualmente aplicados;
    • A forma de reajuste.

Se for feita alguma alteração, o estudante precisa comparecer à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) na sua faculdade para assinar o aditamento do Fies. Já para o P-Fies, a taxa em vigor atualmente é de 6,50%. Pelo Sis-Fies, é possível fazer uma simulação do valor da mensalidade que será paga durante o período de amortização.

Como os juros do Fies são pagos?

Após se formar, o estudante que utilizou o Fies tem de pagar os juros de financiamento. Esse valor é pago a cada três meses e não pode ultrapassar R$ 150. A carência é de 18 meses após a conclusão do curso.

Quando começar o período de amortização, passa a ser cobrado o valor do financiamento mais os juros. São parcelas mensais, cobradas durante até três vezes o período em que a pessoa utilizou o programa. Se o curso durou quatro anos, o prazo para quitar o saldo devedor é de 12 anos, por exemplo.

Como funciona o financiamento estudantil da Caixa?

O Novo Fies, que está em vigor desde 2018, assegura ao estudante a quitação das mensalidades da faculdade enquanto ele está fazendo a graduação. Depois de concluir o curso, o saldo devedor começa a ser quitado.

Estando garantido nos pré-requisitos que o Fies exige, o candidato faz a sua inscrição na página oficial do MEC. Todo o processo é feito pela internet e deve ser acompanhado de perto até a liberação do resultado.

Se for pré-selecionado, terá três dias úteis para confirmar sua inscrição no sistema. Aí é que começa a parte mais burocrática e é fundamental ficar atento ao cronograma do Fies. É preciso comparecer à faculdade levando todos os documentos que comprovem seus dados. Lá, existe uma comissão própria para receber os candidatos, que vão receber um Documento de Regularidade de Inscrição (DRI).

Depois, é preciso apresentar o documento em uma agência da Caixa Econômica Federal para assinar os papéis, junto com o fiador, e formalizar a contratação do financiamento.

O que é o saldo devedor do Fies na Caixa?

Junto com o início dos estudos vem aquela preocupação: como quitar o financiamento depois de se formar? Simples, basta consultar o saldo devedor do Fies na Caixa Econômica Federal. Ele se refere às parcelas devedoras do financiamento, considerando os juros do Fies.

Todo o valor devido, ou seja, aquilo que foi pago pelo governo enquanto você estudava, compõe o saldo devedor. Quem conseguiu taxa de juros zero tem esse montante a ser pago. Caso o estudante tenha assinado o contrato do Fies com uma taxa de juros, mesmo que mínima, esse valor também será computado no saldo devedor.

Em caso de dúvida, é só fazer uma consulta da dívida do Fies no site da Caixa. Esse também é o caminho para saber quantas parcelas faltam até terminar a amortização.

Como consultar o pagamento do Fies?

Ao conseguir o financiamento pelo Fies, todo o acompanhamento de extrato e saldo devedor poderá ser consultado no site da Caixa Econômica Federal.

Como saber quantas parcelas faltam para pagar o Fies?

Para saber quantas parcelas faltam para quitar o Fies é importante ter em mente que durante o curso haverá um pagamento trimestral de até R$ 150,00. A carência ocorre nos 18 meses após a conclusão do curso, em que o estudante pagará, a cada três meses, o valor máximo de R$ 150,00.

Na amortização ao final da carência, o saldo devedor do estudante será dividido em até 12 anos – 3 x 4 anos (período financiado do curso).

Qual o desconto para quitar o Fies?

Os estudantes em atraso com o Fies no Banco do Brasil poderão renegociar as parcelas até o fim do ano. A instituição financeira lançou um programa que prevê descontos de 25% a 100% nos juros de mora. Quem quitar integralmente o financiamento ou o saldo devedor terá redução de 100% nos juros.

O Fies deposita dinheiro na conta do estudante para pagar a mensalidade da faculdade?

A resposta é: não! Apesar de funcionar como um empréstimo, juros e prazo de pagamento, o Fies não deposita nenhum dinheiro na conta do estudante. O valor financiado é repassado diretamente para a universidade.

Qual o prazo de pagamento do Fies?

Após 2018, os estudantes não contam mais com o período de carência para começar a quitar a dívida. As parcelas para pagamento do Fies passam a ser descontadas diretamente do salário do estudante, assim que ele conseguir um emprego com carteira assinada. Portanto, a dívida pode começar a ser quitada mesmo antes da conclusão do curso.

Veja também: Saiba como fazer a renegociação do Fies!

Quanto ao prazo para pagamento do Fies e o valor das parcelas, eles podem variar de acordo com a duração do curso, tipo de contrato e edição do Fies. Por isso, saiba que é fundamental se atentar aos detalhes do edital da edição na qual você pretende participar. Como podem haver mudanças em todos anos, esteja bem informado sobre as regras para pagamento do Fies quando for se aplicar.

O que acontece se eu não pagar o Fies?

Uma dúvida muito comum de estudantes é sobre o que acontece caso não pague o Fies e em relação à perda do diploma. Mas, calma! Você não vai perder seu diploma ou será impedido de exercer sua profissão por conta disso.

Bom, se você cumpriu todas as obrigações na faculdade e colou grau, tem direito ao seu diploma e não tem como o governo federal interferir nessa questão. O não pagamento da dívida também não impede de você se inscrever em órgãos regulamentadores da profissão e trabalhar na área a qual se formou.

No entanto, existem sim algumas consequências por não cumprir com o pagamento do seu financiamento, pois quando você recorre ao Fies, assina um contrato com o banco, seja Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil. Então, se não pagar a dívida, seu nome vai constar na lista de inadimplentes do Serasa.

Com o “nome sujo”, você não consegue ter acesso a outros tipos de financiamento, como de imóveis e automóveis, por exemplo. Além disso, você não vai conseguir ter cartões de crédito e nem comprar a prazo em lojas que vendem no crediário.

Texto escrito por: PRAVALER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter