Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Prouni: como funciona o programa? Prouni: como funciona o programa?

Prouni: como funciona o programa?

Sabia que é possível estudar de graça também em faculdades particulares utilizando a nota do Enem? É isso mesmo! O governo federal tem algumas iniciativas que viabilizam isso e, uma delas, é o Programa Universidade para Todos (Prouni).

Criado em 2004 e institucionalizado em 2005, o Prouni utiliza as notas do Enem para dar bolsas de estudos aos estudantes de escolas públicas e bolsistas de colégios particulares. O projeto oferece a possibilidade de estudar de graça em universidades privadas ou com desconto de 50%.

Para saber como funciona o Prouni, continue a leitura!

Como funciona o Prouni?

Criado em 2004 pelo governo federal, o Programa Universidade para Todos (Prouni), oferece bolsas de estudos de 50% ou 100% em faculdades particulares e acontece duas vezes ao ano: uma no primeiro semestre e outra no segundo.

O primeiro passo para conseguir o Prouni é participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Portanto, o candidato não precisa fazer o vestibular, pois o programa utiliza a nota da edição imediatamente anterior ao processo seletivo do Prouni para selecionar os candidatos.

O Ministério da Educação (MEC) exige uma pontuação mínima para dar as bolsas de estudos pelo Enem. É preciso ter média de 450 pontos nas provas (Linguagens Códigos e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias) e não ter zerado a redação.

Regras para participar do Prouni

Além disso, para participar do processo seletivo, além de atingir a pontuação exigida no Enem mais recente, é obrigatório cumprir alguns requisitos de escolaridade e renda familiar. Veja a seguir quais são os requisitos para ganhar uma bolsa do Prouni:

  • Ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em escola particular com bolsa integral;
  • Ter cursado o ensino médio parcialmente em escola pública e parcialmente em escola particular com bolsa integral;
  • Ser pessoa com deficiência;
  • Ser professor da rede pública de ensino básico, em efetivo exercício, integrando o quadro permanente da instituição, e estar concorrendo a vaga em curso de licenciatura, normal superior ou pedagogia. Neste caso, a renda familiar por pessoa não é considerada.

O processo seletivo do Prouni segue o mesmo padrão já conhecido no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) e Sisutec. Para participar basta realizar a inscrição em uma única etapa, online e gratuita, selecionar duas opções de curso em ordem de preferência e acompanhar nos dias de inscrição a evolução da nota de corte, atualizada diariamente.

Nota de corte do Prouni

Uma vez por dia, o Prouni calcula a nota de corte – menor nota para ficar entre os potencialmente selecionados – para cada curso, com base no número de vagas disponíveis e nas notas dos candidatos inscritos naquele curso. Com isso, o estudante sabe se a sua nota lhe permite obter a bolsa na faculdade que deseja e, caso contrário, pode alterar suas opções.

É possível alterar os cursos desejados todos os dias até o fim do prazo de inscrição, procurando aqueles em que sua nota seja superior à nota de corte.

Qual a renda máxima do Prouni?

Para concorrer a bolsas integrais o candidato deve ter renda familiar bruta mensal de até um salário-mínimo e meio por pessoa. Para bolsistas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários-mínimos por pessoa.

O que acontece se a renda aumentar?

Uma dúvida comum que surge é em casos do aumento da renda do estudante. Por isso, é importante saber que os bolsistas do Prouni não precisam comprovar a renda a cada semestre.

Porém, se a renda aumentar consideravelmente, a recomendação é avisar o MEC, que tomará a decisão sobre o cancelamento ou não da bolsa. O Ministério da Educação pode investigar a renda do bolsista a qualquer momento e, caso seja comprovada alguma irregularidade, o estudante perde a bolsa.

Como conseguir uma bolsa de estudos no Prouni?

Um passo antes é conhecer quais são os tipos de bolsa de estudos oferecidas pelo programa. Os candidatos ao Prouni podem concorrer a dois tipos de bolsas: integral (100%) e parcial (50% da mensalidade).

A bolsa integral é para estudantes com renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário-mínimo e meio. Além de ter feito a edição mais recente do Enem e obtido uma média igual ou superior a 450 pontos nas provas objetivas e maior que zero na redação. Ter estudado o ensino médio em escola da rede pública também é critério, mas quem estudou em particular na condição de bolsista integral da instituição também pode participar.

Veja também: 5 situações que podem fazer você perder a bolsa do Prouni.

Já a bolsa parcial é destinada aos estudantes com rendar familiar, por pessoa, de até três salários-mínimos. Os estudantes que conseguirem a bolsa parcial também podem se cadastrar no Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) para financiarem a outra parte da mensalidade da universidade.

O Prouni oferta vagas semestralmente. Com isso, os interessados devem ficar atentos quanto ao cronograma divulgado pelo MEC com datas da abertura e fechamento das inscrições, que geralmente ocorrem nos meses de janeiro para as vagas do primeiro semestre do ano e em junho para as do segundo semestre. A inscrição é gratuita e realizada exclusivamente pela internet no site do Prouni.

A bolsa do Prouni é automática?

A resposta é: não! O candidato que for pré-selecionado para uma bolsa do Prouni ainda precisa comparecer à faculdade para comprovar as informações preenchidas na inscrição, apresentar toda a documentação exigida e fazer a matrícula.

Atenção, pois há um prazo para realizar essa etapa. Quem não fizer a matrícula dentro do prazo, perde a vaga.

Vagas remanescentes do Prouni

As vagas remanescentes do Prouni são aquelas que não foram ocupadas na chamada regular do programa (primeira e segunda chamada). Essa chance conta com um “bônus” para quem deseja participar da seleção. Nesse caso, vale qualquer edição do Enem a partir de 2010, no entanto ainda é preciso atingir um mínimo de 450 pontos na soma das provas objetivas e maior que zero na redação.

As demais regras como renda familiar e ser estudante egresso de escola pública ou particular na condição de bolsista integral da instituição, continuam os mesmos dos solicitados na chamada regular.

As bolsas remanescentes contam com um prazo específico para inscrição de candidatos que não estejam matriculados em nenhuma instituição de ensino e outro para quem já está registrado em alguma faculdade e mesmo assim deseja obter o benefício. Quem possui vínculo com universidades conta com um prazo maior para requerer a oportunidade.

O que acontece se o curso não formar turma?

Quando não houver formação de turma no curso escolhido, o candidato que conseguiu a bolsa pelo Prouni poderá concorrer às bolsas de uma outra instituição na próxima chamada, na lista de espera ou na seleção de bolsas remanescentes. Algumas faculdades dão a possibilidade do bolsista se matricular no semestre seguinte, mas se não formar turma novamente o estudante perde a bolsa.

Como funciona o Prouni em relação à seleção de candidatos?

A seleção para a conseguir uma das bolsas do Prouni se dá em três fases:

  • Inscrição e pré-seleção pelo MEC: O estudante escolhe a modalidade de bolsa e até cinco opções de instituições de ensino superior, cursos, habilitações ou turnos dentre as disponíveis, conforme sua renda familiar per capita e sua adequação aos critérios do programa. Em seguida, o SisProuni (Sistema do Prouni) classifica os estudantes, de acordo com as suas opções e as notas obtidas no Enem.A nota considerada pelo Prouni é a média aritmética das notas das provas de redação e de conhecimentos gerais do Enem, isto é, a soma das duas notas dividida por dois. A partir daí, são geradas as listagens públicas dos estudantes pré-selecionados em cada curso de cada instituição.
  • Aferição das informações prestadas pelo candidato pelas instituições de ensino superior: Os estudantes devem comparecer às instituições de ensino, de posse dos documentos que comprovem as informações prestadas em sua ficha de inscrição, conforme portaria do MEC que regulamenta cada processo seletivo.
  • Seleção feita pelas instituições: Os estudantes poderão ser encaminhados para eventuais processos seletivos próprios, feitos pelas respectivas instituições. Se aprovados, são inseridos no programa mediante a emissão do correspondente Termo de Concessão de Bolsa.

A reprovação do estudante em qualquer das etapas descritas implicará a pré-seleção em segunda chamada do estudante seguinte na listagem de classificação, levando em consideração a ordem das notas obtidas no Enem.

Divulgação dos resultados do Prouni

O resultado do Prouni é divulgado ao final do período de inscrição é realizada a pré-seleção dos aprovados, feita a partir da nota do Enem. Os candidatos são selecionados em uma opção de maior prioridade, mas caso o curso de sua primeira opção não esteja mais disponível, o estudante é selecionado para segunda opção e assim por diante.

Como se inscrever no Prouni?

Agora que você já sabe como funciona o Prouni, basta se inscrever acessando o site oficial do programa. Para se inscrever no Prouni, é possível escolher até duas opções de instituição, curso e turno. Todos os dias, ao longo do período de inscrição, o sistema atualiza as notas de corte e o candidato poderá alterar as opções de acordo com as chances de ser aprovado.

Veja o passo a passo para fazer a inscrição:

  1. Para iniciar a inscrição no Prouni você vai precisar acessar o site oficial do Prouni e clicar em “Fazer a inscrição”. A opção de inscrição só estará disponível durante o período preestabelecido no cronograma;
  2. Em seguida, insira o seu CPF juntamente com o número de inscrição e senha cadastrados no Enem do ano anterior. Caso não tenha esses dados em mãos, você pode encontrá-los no site oficial do Enem;
  3. Ao preencher os dados de acesso o sistema irá automaticamente recuperar seus dados e sua nota obtida no Enem. Confira se os dados estão corretos e atualize as informações, se for necessário;
  4. O próximo passo é preencher um questionário sobre a sua situação social, bem como dados sobre os membros da sua família;
  5. Para encerrar o processo você deve escolher duas opções de cursos desejados, por ordem de prioridade, em uma ou mais instituições de ensino. É possível filtrar as opções por instituição de ensino, por curso ou por município. Enquanto o período de inscrições estiver aberto você poderá alterar suas opções de curso quantas vezes quiser.

Ao indicar os cursos escolhidos também é necessário escolher o tipo de bolsa pretendida (cotas ou ampla concorrência). As cotas são voltadas para estudantes com deficiência, negros, pardos ou índios.

Também é importante lembrar que certos cursos possuem requisitos específicos para a matrícula. Um exemplo, é o curso de Ciências Aeronáuticas, que requer do estudante uma licença de piloto privado e algumas horas de voo.

Algumas instituições de ensino também possuem uma espécie de processo seletivo interno. Por isso, é importante verificar se o curso ou instituição escolhida possui algo nesse sentido, pois alguns desses fatores podem levar à perda do direito à bolsa.

Como saber se fui aprovado na comprovação dos documentos do Prouni?

Os candidatos que forem selecionados no programa ainda precisam apresentar a lista de documentos do Prouni que comprove as informações apresentadas no momento da inscrição para ter assegurado direito à bolsa.

Os documentos necessários constam no site do Prouni. Mas, atenção: as universidades podem pedir outros documentos além dos que aparecem listados no edital. Por isso, é importante verificar junto à instituição de ensino em que você foi pré-selecionado se é preciso apresentar algum outro documento comprobatório.

Segundo o MEC, o candidato pré-selecionado no processo seletivo do Prouni e que entregou sua documentação de acordo com o que é exigido pode se informar na própria faculdade quanto à aprovação ou não para a obtenção da bolsa. Cabe à instituição efetuar a conferência e veracidade das informações que constam na inscrição do candidato.

O Prouni possui cotas?

Sim, o Prouni tem cotas, que são vagas destinadas a ações afirmativas. Podemos citar como exemplo as bolsas reservadas para candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas. A quantidade dessas bolsas é estipulada pelo número de pretos, pardos e indígenas registrado no último censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na região.

Quem opta por concorrer na modalidade cotas irá disputar vaga somente com outros candidatos que também escolheram essa modalidade, e o sistema irá selecionar os que possuírem as melhores notas dentre eles. Lembrando que no Prouni, a disputa por uma vaga se dá entre quem escolheu as mesmas opções de curso, faculdade, campus, turno e modalidade de concorrência.

Tenha em mente que o fato de selecionar a opção de cotas não significa que entrar no curso de sua preferência vai ser mais fácil. As notas de corte dessa modalidade são muito semelhantes às da livre concorrência, podendo às vezes ser até mais altas.

É possível participar do Prouni mais de uma vez?

O candidato pode participar do programa quantas vezes quiser, desde que tenha realizado a edição mais recente do Enem e se encaixe nas exigências de escolaridade e renda. Porém, o requisito para ganhar bolsa do Prouni é não ter um diploma de nível superior (obtido com a ajuda do programa ou não), pois o Prouni só vale para primeira graduação.

Como funciona o pagamento do Prouni?

No caso da bolsa integral, não é necessário nenhum pagamento por parte do estudante. Já na bolsa parcial (50%), o aluno deve pagar o valor correspondente à metade da mensalidade para a instituição de ensino e o governo federal é o responsável por arcar com a outra metade.

Preciso pagar o Prouni de volta?

Diferentemente do Fies – onde o aluno recebe uma ajuda para pagar a faculdade e, no prazo previsto no contrato, deve devolver esse valor para quitar a dívida – o Prouni não precisa ser pago de volta. Por ser uma bolsa de estudo, o estudante recebe o benefício e, ao terminar a faculdade, não fica devendo nada.

No caso de bolsas integrais, o Prouni paga 100% da mensalidade para a faculdade. Quando a bolsa é parcial, paga 50% e o estudante paga 50% da mensalidade para a universidade.
Portanto, ao se formar, o bolsista do Prouni (parcial ou integral) não precisa devolver o valor pago pelo governo.

O que o Prouni não paga?

A bolsa do Prouni é referente às despesas com anuidade ou semestralidade dos encargos educacionais da faculdade particular. Mesmo para bolsistas integrais, existem algumas despesas que não entram no benefício e o estudante precisa se programar para pagá-las. Entre as principais, podemos citar:

  • Transporte: a bolsa do Prouni não cobre despesas com deslocamentos de nenhum tipo.
  • Alimentação: a bolsa do Prouni não cobre despesas com alimentação.
  • Livros e material didático: é o aluno quem precisa arcar com despesas de material didático, como livros, cadernos, calculadoras, fotocópias etc.
  • Atividades não previstas no currículo: o programa não cobre atividades não previstas no currículo regular do curso, como viagens de estudos, participação em congressos, disciplinas não previstas, entre outras.

Quais são as faculdades que participam do Prouni?

Participam do programa somente faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo Ministério da Educação (MEC). Para saber se a universidade que você deseja estudar tem convênio com o Prouni, você pode pesquisar as instituições e cursos com bolsas ao acessar o sistema de inscrição nesta página. Confira algumas delas:

Cancelamento da bolsa do Prouni

A bolsa de estudo do Prouni é válida até o final do curso, no entanto, os bolsistas do programa precisam ficar atentos a alguns critérios para manter o benefício. Caso não cumpra com os critérios, a bolsa poderá ser cancelada. Confira em quais casos isso pode acontecer:

  • Abandono do semestre;
  • Aproveitamento acadêmico inferior a 75% das matérias cursadas no semestre;
  • Não pagamento das parcelas não cobertas pela bolsa (bolsistas parciais);
  • Afastamento não justificado.

Quanto tempo tenho para me formar sem perder a bolsa?

Os beneficiados, seja por bolsa integral ou parcial, terão sempre duas vezes o período do curso para se formar. Por exemplo, se o curso tiver cinco anos o estudante terá até 10 anos para concluir o curso. Contudo, os estudantes precisam a cada semestre ter no mínimo 75% de aproveitamento da grade curricular.

Posso usar o Prouni com o Fies?

Sim! É possível utilizar o Fies para financiar a outra metade da bolsa parcial do Prouni. Para isso, o financiamento estudantil deve ser pedido somente para o curso e faculdade onde o estudante já tem a bolsa e a soma dos benefícios do Prouni e Fies não pode ultrapassar o valor da mensalidade com desconto.

Diferença entre Prouni e Sisu

Assim como o Prouni, o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) é um programa do governo federal criado como mais uma ferramenta de viabilização ao ingresso dos estudantes brasileiros no ensino superior. Ambos utilizam a nota do Enem como critério de seleção para concorrer a uma vaga na universidade.

A diferença entre o Sisu e o Prouni é que o Sisu trabalha com instituições de ensino superior públicas federais, estaduais e institutos. Enquanto isso, o Prouni oferta bolsas de estudo parciais e integrais em universidades da rede de ensino particular.

Diferença entre Prouni e Pravaler

Ambos são destinados as universidades particulares. Porém, o Pravaler não oferece bolsas de estudos, mas um parcelamento das mensalidades com taxas de juros muito baixas. O Pravaler tem semelhanças com o Fies, mas possui critérios muito menos rígidos para a aprovação do financiamento. Ficou interessado? Então entenda melhor a diferença entre Fies e Pravaler.

Botão para Simular Financiamento 2

Texto escrito por: Uriel Andrade
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

X Assine nossa newsletter