Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Resultado do Enem 2021: quando sai e como usar minha nota? Resultado do Enem 2021: quando sai e como usar minha nota?

Resultado do Enem 2021: quando sai e como usar minha nota?

Para quem está entrando na faculdade, o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é sem dúvida o evento mais esperado, já que além de trazer uma avaliação do desempenho do estudante durante o ensino médio, ainda permite a participação em diversos processos seletivos do ensino superior simultaneamente.

As instituições definem valores mínimos de notas em função da pontuação do Enem, porém isso não quer dizer que superando a nota mínima ele tem vaga garantida na universidade de sua preferência, pois ainda existe a concorrência. Neste caso, é preciso estar entre os mais bem posicionados de acordo com a quantidade de vagas disponíveis para somente então conseguir a aprovação.

A nota do Enem serve para alinhar as exigências entre algumas das instituições de ensino mais importantes do país.

Quando sai o resultado do Enem 2021?

Os estudantes que realizaram o exame em 2021 poderão saber o resultado do Enem a partir do dia 11 de fevereiro de 2022, data já confirmada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que é responsável pela realização do exame. O gabarito oficial com as respostas das questões comentadas já está disponível para consulta desde o dia 1 de dezembro de 2021, onde é possível saber o número total de acertos.

Como ter acesso ao resultado do Enem 2021?

Você pode conferir o resultado no portal do Inep, na Página do Participante, onde será possível conferir as notas individuais e de todas as provas realizadas, além da redação. Para os treineiros do Enem, é possível baixar os cadernos de questões e seguir estudando para as próximas edições.

Confira o passo a passo para acessar o resultado do Enem:

  1. Acesse o site do Enem;
  2. Clique no link “Página do participante”;
  3. Informe o seu CPF e senha nos campos correspondentes;
  4. Selecione as imagens solicitadas ou digite os caracteres pedidos.
  5. Clique em “Enviar”.

Pronto! Você terá acesso a todas as suas notas no exame, separadas pelas seguintes áreas do conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias.

Como acessar a nota da Redação?

 A nota da redação do Enem também está disponível na Página do Participante, na seção “Vista Pedagógica”, onde é possível conferir o chamado espelho da redação, que se refere ao desempenho detalhado em cada uma das cinco competências exigidas e permite ao estudante entender os acertos e pontos de melhoria para desenvolver sua escrita e habilidade de argumentação. É importante ressaltar que o Enem não faz revisão da nota da redação caso o candidato não concorde com os critérios de correção.

Na Vista Pedagógica também é possível verificar o gráfico que compara a sua nota em relação a dos outros candidatos.

Como utilizar a nota do Enem?

A nota do Enem abre muitas portas para o ensino superior – e isso não se limita apenas ao ingresso em instituições de ensino públicas. Além de poder utilizar a nota no lugar do vestibular e participar de diversos processos seletivos simultaneamente, por meio do resultado do Enem o estudante pode ter acesso a benefícios para facilitar a sua formação. Vamos falar mais sobre essas possibilidades a seguir, continue acompanhando!

Sisu

Aplicando a nota do Enem no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o candidato consegue acesso às universidades e institutos públicos. O estudante deve utilizar a nota do Enem imediatamente anterior à edição do programa.

O aluno que já participou de edições anteriores do Sisu e não está mais cursando nenhuma graduação pode concorrer novamente para seleção em alguma universidade pública e reiniciar sua fase de estudos. Apenas é necessário ter realizado a edição mais recente do Enem para candidatar-se à oportunidade e seguir expandindo seus conhecimentos.

Entenda mais sobre o Sistema de Seleção Unificada no artigo: Tudo o que você precisa saber sobre o Sisu!

Prouni

O Programa Universidade Para Todos (Prouni) é um programa que oferece bolsas de estudos integrais ou parciais, com 50% ou 100% de desconto, em faculdades privadas, de acordo com a renda familiar do aluno. Quanto maior for sua nota, maiores são as chances de conquistar uma bolsa no processo seletivo.

Como requisitos para concorrer a uma bolsa do Prouni, é necessário ter obtido o resultado do Enem igual ou superior a 450 pontos e não ter zerado a redação, ter renda familiar mensal de até três salários-mínimos por pessoa e realizado o ensino médio de forma integral em escola pública ou particular na condição de bolsista.

Cada instituição de ensino define suas próprias notas de corte, que são informadas a partir do segundo dia de inscrição. A partir desse momento, o estudante tem acesso a uma média da relação candidato-vaga para cada curso e universidade, podendo trocar as suas opções ao longo de todo período de seleção – apenas será considerada a última opção realizada durante o processo.

Saiba mais no Guia completo do Prouni – saiba tudo sobre o programa!

Fies

Com o resultado do Enem, o estudante poderá optar pelo financiamento estudantil em faculdades privadas a partir do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ou pelo Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies), que são iniciativas do governo federal para estender o período de pagamento das mensalidades para torná-las mais acessíveis. Nesse programa, o aluno inicia o pagamento das parcelas apenas depois da formação.

Podem participar do Fies candidatos que já tenham realizado alguma edição anterior do Enem a partir de 2010, obtido a média ou superior de 450 pontos e não ter zerado a redação. Atente-se que a renda familiar do participante deve ser de até três salários-mínimos na modalidade Fies e até cinco salários mínimos na modalidade P-Fies.

Vale lembrar que no caso do Fies, o aluno tem acesso ao parcelamento com 0% de juros em todas as parcelas, enquanto no P-Fies as taxas podem variar de acordo com a instituição financeira que oferece o crédito estudantil.

Criado em 1999, o programa passou por algumas atualizações ao longo dos anos. Entre as novas regras do Fies, estão os perfis que podem fazer parte do programa, o período que é possível fazer a solicitação, a nova modalidade de financiamento (P-Fies), regularização de pagamento para inadimplentes, entre outros.

Quer conhecer os detalhes do Fies? Aqui você encontra tudo o que precisa saber sobre o Fies!

Ingresso direto em faculdades

Boa parte das universidades públicas e privadas passaram a aceitar o resultado do Enem como único processo seletivo, o que sem dúvida facilitou bastante a vida dos estudantes que não precisam participar de um volume muito grande de vestibulares e, assim, podem otimizar e centralizar seus esforços apenas para o Enem e ainda ter acesso a benefícios como bolsa de estudos e o financiamento estudantil por meio do Fies. Abaixo vamos explicar como funciona essa forma de ingresso para as duas modalidades de ensino. Confira!

Faculdades públicas

São muitas as faculdades públicas que usam o resultado do Enem para selecionar alunos via Sisu. Entre as mais importantes delas, estão a Unesp, a Unicamp e a UFSC.

Fique atento também às instituições públicas que contam com o vestibular próprio acontecendo paralelamente ao Enem. Isso permite a você aumentar as suas chances de aprovação mesmo que não tenha tido sucesso em sua primeira tentativa.

Faculdades privadas

Nas faculdades privadas é possível ter acesso direto, sem vestibular, caso a instituição defina uma nota mínima e o candidato comprove que o seu resultado do Enem está acima dessa exigência.

Além disso, a nota do Enem geralmente é utilizada para programas como o Prouni e o Fies. No geral, as instituições divulgam preliminarmente as notas mínimas para acesso e quando as inscrições em programas como o Fies começam, os alunos passam a concorrer pelas vagas de acordo com suas notas.

Caso não seja contemplado pelo Fies, o estudante ainda tem a possibilidade de optar pelo financiamento estudantil privado, disponibilizado pela própria instituição de ensino ou outras instituições financeiras.

Sisutec

O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) é um programa criado pelo governo federal para a facilitar o acesso ao ensino técnico em instituições públicas e privadas de educação tecnológica.

Essa modalidade é mais uma possibilidade para que o estudante utilize seu resultado do Enem:  facilitando o ingresso ao mercado de trabalho de forma mais rápida, visto que o período das aulas é otimizado e intensamente direcionado para demandas específicas e áreas que apresentam carência de profissionais.

Para participar do processo seletivo do Sisutec é preciso ter concluído o ensino médio, feito a prova mais recente do Enem e não ter zerado a redação. Lembrando que 85% das vagas são destinadas para candidatos com baixa renda e que estudaram em escolas públicas ou privadas como bolsista integral.

O Enem e o financiamento estudantil

O financiamento estudantil funciona como um financiamento comum para aquisição de um bem: a operação geralmente é mediada por uma instituição financeira que libera o crédito para o beneficiário mediante alguns critérios, e este se compromete a quitar a dívida de maneira parcelada.

No caso do crédito estudantil, o aluno pode fazer um parcelamento mais longo das mensalidades do curso, com parcelas de valor mais acessível. Dependendo do tipo do financiamento, pode começar a quitá-lo somente após a sua formação, como no caso do Fies e P-Fies.

Aliás, é importante você saber que poderá ter acesso a dois tipos de financiamento estudantil: o público e o privado. Vamos explicar um pouco mais sobre eles a seguir.

Financiamento estudantil público

O Fies é o financiamento estudantil público mantido pelo governo federal para viabilizar o ingresso ao ensino superior para estudantes de baixa renda que não têm condições financeiras para arcar com os custos das mensalidades de uma graduação privada. Nesse programa, o aluno paga as despesas da faculdade com os recursos subsidiados pelo governo e devolve esse dinheiro após a sua formação no prazo previamente estabelecido em contrato.

Para ter acesso ao benefício, é obrigatório que o candidato tenha feito a prova do Enem, já que o resultado é considerado fator classificatório no processo de seleção. Lembrando que, para participar, o aluno deve ter atingido nota mínima de 450 pontos nas provas objetivas e não pode ter zerado na redação.

Além disso, existe o critério socioeconômico que o estudante deve atender: renda familiar de até três salários-mínimos para a modalidade Fies e até cinco salários-mínimos para a modalidade P-Fies.

Financiamento estudantil privado

O financiamento estudantil privado conta com o mesmo objetivo do Fies – facilitar o acesso do estudante ao ensino superior – porém com um pouco mais de flexibilidade em relação aos critérios.

Assim como o programa do governo, uma instituição financeira privada é responsável por arcar com as despesas das mensalidades e o estudante devolve esse montante num prazo maior para pagamento, com parcelas menores. A diferença é que, em vez de ser subsidiado pelo governo federal, o crédito é realizado através bancos ou empresas especializadas.

No financiamento privado, entretanto, as condições para o empréstimo podem variar de acordo com a instituição financeira e instituição de ensino – assim como a aplicação de juros. Porém, geralmente não são exigidos critérios de renda máxima ou a participação ou desempenho na prova do Enem.

Além disso, o financiamento pode ser parcial, absorvendo apenas uma parte do curso, ou integral. Porém, no geral, o aluno começa a pagar enquanto ainda está estudando e não após a formação como no caso do Fies.

Um exemplo de financiamento estudantil privado é o Pravaler, que oferece crédito a juros baixos – ou sem juros, dependendo da faculdade – que pode ser uma opção para quem não conseguiu o Fies ou outro programa governamental para acesso ao ensino superior, como o Sisu ou Prouni.

Veja também: Pravaler ou Fies, afinal, qual a melhor opção?

Além de não exigir o resultado do Enem para contratação, não há limite de vagas e o aluno pode conseguir o crédito a qualquer momento do ano – basta comprovar renda mínima, que pode ser composta pela renda do estudante somada a renda do fiador, de até duas vezes o valor da mensalidade e não apresentar restrições em serviços de proteção ao crédito.

Faça uma simulação com o curso e instituição de ensino de preferência e saiba agora quanto você vai pagar por mês!

Botao Simule Financiamento 2

Texto escrito por: PRASABER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

Simule o seu financiamento e descubra quanto pagará por mês:

Declaro que li, conheço e estou de acordo com as Políticas de Privacidade e Cookies do Pravaler.

Pensamos na sua privacidade

Usamos cookies para que sua experiência seja melhor. Ao continuar navegando, você está ciente dos nossos Termos e Políticas.

CONTINUAR