9 cursos técnicos que darão dinheiro nos próximos anos 9 cursos técnicos que darão dinheiro nos próximos anos

9 cursos técnicos que darão dinheiro nos próximos anos

Fazer um curso técnico é uma ótima opção para quem quer se especializar para o mercado de trabalho. Uma faculdade pode ser mais abrangente, mas o curso técnico é mais rápido – com uma duração média de dois anos – e a capacitação oferecida direciona especialmente para o mercado de trabalho.

Se você está procurando um bom curso técnico para se aperfeiçoar, conheça os cursos que trarão mais dinheiro no futuro!

Tipos de cursos técnicos

Uma das principais dúvidas que pode existir, antes de mais nada, é a diferente entre curso técnico e tecnólogo e, por isso, estamos aqui para explicar. Apesar de ambos serem focados em acelerar o processo de formação do aluno para que ele entre mais rápido no mercado de trabalho, o que diferencia é o tipo de certificação: o curso técnico não possibilidade um diploma de graduação e pode ser feito junto com o ensino médio e o curso tecnólogo tem um duração maior e o aluno leva a titulação de ensino superior.

Além disso, outro ponto importante a saber é que existem diferentes tipos de cursos técnicos, todos com o foco em capacitar o aluno para a prática. Porém, há algumas diferenças entre eles, confira:

– Curso técnico integrado: dura de um a dois anos e é possível iniciá-lo logo após o término do ensino fundamental; o estudante recebe dois diplomas – um do ensino médio tradicional e outro do curso técnico escolhido;

– Curso técnico externo (ou concomitante): com duração de um a dos anos também, esse tipo de curso é feito separado do ensino médio, mas ao mesmo tempo;

– Curso técnico profissionalizante ou subsequente: voltado para quem já concluiu o ensino médio e deseja se especializar em algum ramo de atuação, se profissionalizando no assunto;

– Formação inicial e continuada (ou qualificação profissional): voltado tanto para estudantes como trabalhadores, esse tipo de curso técnico tem duração bastante curta e é conhecido como um qualificador profissional, sendo que, ao final do curso o estudante recebe um certificado para exercer apenas a função aprendida e não um diploma de ensino médio ou técnico.

Vantagens da formação técnica

Optar por um curso técnico traz inúmeras vantagens para a sua carreira. Listamos algumas para você:

Rapidez na formação

De um a dois anos. É esse o tempo que você leva para garantir o seu diploma de formação técnica. De maneira rápida, é passado tudo o que você precisa aprender para atuar no mercado da sua profissão, focando em conhecimentos na prática.

Mensalidades mais acessíveis

Tá sem grana? Fazer um curso técnico pode ser uma ótima opção. O preço varia conforme o curso escolhido, mas as mensalidades são sempre acessíveis, não prejudicando o seu bolso.

Formação prática

Diferente de um curso longo com base teórica, os cursos técnicos são totalmente voltados para o aprendizado de habilidades práticas da profissão.

Ótimo retorno financeiro

Como o ensino técnico tem o objetivo de formar profissionais que pretendem entrar de forma rápida no mercado de trabalho, o retorno do investimento é rápido. A formação é de um profissional pleno, que pode ser contratado para cargos mais exigentes e mais bem remunerados.

Pular as etapas de estágio e trainees

Imagine levar anos para conquistar o diploma de ensino superior e ainda ter que passar por um tempo de experiência – cargos chamados de trainees em empresas – para depois assumir uma posição plena? Não é nada legal. Com a formação técnica, você estagia logo durante o curso e sai pronto para as ocupações oficiais.

Aceitação no mercado de trabalho

O mercado de trabalho mudou e, hoje, a busca por profissionais formados em cursos técnicos, com foco na atividade rápida, tem sido muito maior do que por trabalhadores com bacharelado. Isso mesmo: a formação técnica tem tido alta taxa de empregabilidade.

Serve como base para uma futura graduação

Caso você deseje fazer uma graduação mais tarde, ter o diploma de um curso técnico é um excelente começo, pois já te coloca em contato com a carreira que pretende seguir e ajuda nos primeiros anos da faculdade. O mais interessante é que, com a formação técnica, você pode trabalhar e pagar a faculdade ao mesmo tempo.

Vantagens Formacao Tecnica

Os cursos técnicos mais promissores

Qual melhor curso técnico para fazer? Isso depende muito. Já vimos que os profissionais com formação técnica têm sido cada vez mais buscados no mercado. Porém, a remuneração diferencia-se conforme o tipo de curso feito, o setor escolhido, o porte da empresa e, claro, a região do país em que atua. Confira a nossa lista de cursos técnicos que mais empregam:

Técnico de análise de marketing

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

O mercado de trabalho para o técnico em marketing é amplo. Há oportunidades em empresas de varejo e serviços, em indústrias, em órgãos públicos e do terceiro setor. Para um cargo mais estratégico, basta seguir carreira com uma formação mais sólida, buscando cursar o ensino superior.

Quanto ganha

Média salarial por nível profissional

Conforme o conhecimento do profissional, a média salarial pode variar. Confira a remuneração com base no nível profissional de marketing:

  • Análise de marketing júnior: R$ 3.796,75
  • Análise de marketing pleno: R$ 5.095,67
  • Análise de marketing sênior: R$ 7.450,57
Média salarial por porte de empresa

Conforme o porte da empresa em que atua, a média salarial do profissional de marketing também pode variar. Confira:

Microempresa
  • Análise de marketing júnior: R$ 2.664,97
  • Análise de marketing pleno: R$ 4.065,10
  • Análise de marketing sênior: R$ 5.746,75
Pequena empresa
  • Análise de marketing júnior: R$ 3.423,51
  • Análise de marketing pleno: R$ 4.451,50
  • Análise de marketing sênior: R$ 5.994,60
Média empresa
  • Análise de marketing júnior: R$ 4.485,89
  • Análise de marketing pleno: R$ 5.489,63
  • Análise de marketing sênior: R$ 8.667,22
Grande empresa
  • Análise de marketing júnior: R$ 5.521,34
  • Análise de marketing pleno: R$ 5.637,71
  • Análise de marketing sênior: R$ 7.492,93
Média salarial por estado

Conforme a região em que o profissional de marketing atua, a remuneração também sofre variação. Confira agora a média salarial desse ramo em algumas das principais cidades:

  • São Paulo: R$ 4.265,11
  • Minas Gerais: R$ 2.627,15
  • Rio de Janeiro: R$ 3.949,99
  • Santa Catarina: R$ 2.590,12
  • Mato Grosso: R$ 4.369,38
  • Goiás: R$ 2.449,23
  • Piauí: R$ 1.994,56
  • Pará: R$ 2.411,87
  • Bahia: R$ 2.358,38
  • Amazonas: R$ 2.592,23
  • Maranhão: R$ 2.334,53
  • Ceará: R$ 2.700,28
  • Espírito Santo: R$ 2.567,08

Técnico de contabilidade

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

O técnico em contabilidade possui um leque grande de atuação, indo de escritórios a organizações públicas e privadas que possuem o setor de contabilidade interno. Esse profissional pode auxiliar no departamento pessoal, na controladoria ou na área de recursos humanos.

Quanto ganha

Média salarial por nível profissional

A remuneração do profissional de contabilidade muda conforme o nível que ele possui. Confira a média abaixo:

  • Técnico de contabilidade júnior: salário médio de R$3.004,24
  • Técnico de contabilidade pleno: salário médio de R$3.540,38
  • Técnico de contabilidade sênior: salário médio de R$5.033,75
Média salarial por porte de empresa

Outro ponto que interfere na média salarial é o porte da empresa em que o profissional de contabilidade atua. Veja abaixo a média salarial:

Microempresa
  • Técnico de contabilidade júnior: salário médio de R$2.523,51
  • Técnico de contabilidade pleno: salário médio de R$2.652,79
  • Técnico de contabilidade sênior: salário médio de R$3.509,52
Pequena empresa
  • Técnico de contabilidade júnior: salário médio de R$3.056,64
  • Técnico de contabilidade pleno: salário médio de R$3.997,35
  • Técnico de contabilidade sênior: salário médio de R$4.285,70
Média empresa
  • Técnico de contabilidade júnior: salário médio de R$3.670,51
  • Técnico de contabilidade pleno: salário médio de R$4.826,84
  • Técnico de contabilidade sênior: salário médio de R$6.117,37
Grande empresa
  • Técnico de contabilidade júnior: salário médio de R$3.692,94
  • Técnico de contabilidade pleno: salário médio de R$4.942,05
  • Técnico de contabilidade sênior: salário médio de R$6.481,05
Média salarial por estado

Além dos dois itens acima, também vale ressaltar que o salário médio de um técnico em contabilidade varia conforme a região em que ele atua, por conta do custo de vida de cada lugar. Listamos as principais cidades:

  • São Paulo: R$4.151,20
  • Rio de Janeiro: R$3.695,95
  • Curitiba: R$2.947,39
  • Brasília: R$3.589,27
  • Belo Horizonte: R$2.743,58
  • Campinas: R$3.255,06
  • Porto Alegre: R$2.771,67
  • Salvador: R$2.612,98
  • Recife: R$2.596,49
  • Fortaleza: R$2.252,40
  • Manaus: R$3.456,91
  • Joinville: R$3.173,34
  • Florianópolis: R$3.556,52

Técnico em segurança do trabalho

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

Com certeza, essa profissão está na lista de profissões técnicas com mercado de trabalho sempre em alta. Isso porque todas as empresas possuem certo risco em alguma atividade realizada e que, por lei, devem ser regularizadas quanto ao grau de periculosidade e o número de funcionários.

Quanto ganha

Média salarial por nível profissional

O que diferencia a média salarial de um técnico de segurança do trabalho é o nível que ele possui. Confira abaixo a média de cada um:

  • Técnico em segurança do trabalho – nível I: R$ 2.746,79
  • Técnico em segurança do trabalho – nível II: R$ 3.390,26
  • Técnica em segurança do trabalho – nível III: R$ 4.265,09
Média salarial por porte de empresa

A depender do porte da empresa, a remuneração do profissional também varia. Veja abaixo o salário médio de cada uma:

Microempresa
  • Técnico em segurança do trabalho – nível I: R$2.493,68
  • Técnico em segurança do trabalho – nível II: R$2.745,87
  • Técnica em segurança do trabalho – nível III: R$3.172,97
Pequena empresa
  • Técnico em segurança do trabalho – nível I: R$2.619,05
  • Técnico em segurança do trabalho – nível II: R$3.389,61
  • Técnica em segurança do trabalho – nível III: R$4.055,05
Média empresa
  • Técnico em segurança do trabalho – nível I: R$2.886,18
  • Técnico em segurança do trabalho – nível II: R$3.431,56
  • Técnica em segurança do trabalho – nível III: R$213,09
Grande empresa
  • Técnico em segurança do trabalho – nível I: R$ 995,81
  • Técnico em segurança do trabalho – nível II: R$ 687,35
  • Técnica em segurança do trabalho – nível III: R$ 697,53
Média salarial por estado

Além dos dois itens acima, também vale ressaltar que o salário médio de um técnico em segurança do trabalho varia conforme a região em que ele atua, por conta do custo de vida de cada lugar. Listamos as principais cidades:

  • São Paulo: R$3.287,12
  • Minas Gerais: R$2.469,80
  • Rio de Janeiro: R$2.935,07
  • Paraná: R$2.548,79
  • Rio Grande do Sul: R$2.447,08
  • Bahia: R$2.336,14
  • Santa Catarina: R$2.421,76
  • Goiás: R$2.334,93
  • Espírito Santo: R$2.378,02
  • Pará: R$2.667,33
  • Pernambuco: R$2.667,33
  • Ceará: R$2.188,54
  • Mato Grosso: R$2.436,07

Técnico de programação

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

Se você está pensando qual melhor curso técnico hoje em dia, com certeza o ramo da programação deve estar no radar. Por conta da tecnologia em constante evolução, a demanda por profissionais do setor tem crescido exponencialmente, podendo atuar em empresas públicas ou privadas das mais variadas áreas.

Média salarial por nível profissional

Conforme o nível profissional do técnico de programação, é possível diferenciar o quanto ele ganha. Listamos abaixo a média salarial com base nessa informação:

  • Técnico em programação júnior: R$ 4.095,08
  • Técnico em programação pleno.: R$ 4.444,87
  • Técnico em programação sênior: R$ 5.889,71
Média salarial por porte de empresa

Outro fator que faz com que os salários dos técnicos em programação muda é o porte da empresa em que o profissional atua. Veja abaixo a remuneração média de cada uma:

Microempresa
  • Técnico em programação júnior: R$ 2.930,55
  • Técnico em programação pleno: R$ 3.139,50
  • Técnico em programação sênior: R$ 3.714,35
Pequena empresa
  • Técnico em programação júnior: R$ 3.722,10
  • Técnico em programação pleno: R$ 3.946,42
  • Técnico em programação sênior: R$ 4.682,34
Média empresa
  • Técnico em programação júnior: R$ 4.742,96
  • Técnico em programação pleno: R$ 371,41
  • Técnico em programação sênior: R$ 7.490,75
Grande empresa
  • Técnico em programação júnior: R$ 545,09
  • Técnico em programação pleno: R$ 691,06
  • Técnico em programação sênior: R$ 7.442,33
Média salarial por estado

De acordo com a região em que o profissional de programação atua, o salário médio também varia decorrente do custo de vida local. Confira a lista abaixo conforme algumas cidades do país:

  • São Paulo: R$ 875,53
  • Rio Grande do Sul: R$ 670,45
  • Santa Catarina: R$ 642,03
  • Paraná: R$ 451,80
  • Minas Gerais: R$ 294,56
  • Rio de Janeiro: R$ 342,11
  • Distrito Federal: R$ 802,76
  • Ceará: R$ 959,25
  • Pernambuco: R$ 851,15
  • Goiás: R$ 847,58
  • Bahia: R$ 2.689,75
  • Espírito Santo: R$ 944,34
  • Amazonas: R$ 3.886,21

Técnico de desenvolvedor mobile

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

O mercado para o desenvolvedor mobile está cada dia mais em alta, dado às novas tecnologias em constante evolução. Entre as inúmeras possibilidades, esse técnico pode atuar: prestador de serviço autônomo, analista de suporte e manutenção de redes e sistemas, desenvolvedor de sistemas voltados para a web por meio da linguagem de programação.

Quanto ganha

Média salarial por nível profissional

A média salarial de um técnico desenvolvedor mobile pode variar conforme o seu nível profissional. Confira abaixo:

  • Técnico desenvolvedor mobile júnior: R$4.095,08
  • Técnico desenvolvedor mobile pleno: R$4.444,87
  • Técnico desenvolvedor mobile sênior: R$5.889,71
Média salarial por porte de empresa

Como já vimos acima, o porte da empresa em que o profissional atua também interfere na média salarial do trabalhador. Listamos a remuneração média referente ao cargo de técnico desenvolvedor mobile:

Microempresa
  • Técnico desenvolvedor mobile júnior: R$ 2.930,55
  • Técnico desenvolvedor mobile pleno: R$ 3.139,50
  • Técnico desenvolvedor mobile sênior: R$ 3.714,35
Pequena empresa
  • Técnico desenvolvedor mobile júnior: R$ 3.722,10
  • Técnico desenvolvedor mobile pleno: R$ 3.946,42
  • Técnico desenvolvedor mobile sênior: R$ 4.682,34
Média empresa
  • Técnico desenvolvedor mobile júnior: R$ 4.742,96
  • Técnico desenvolvedor mobile pleno: R$ 5.371,41
  • Técnico desenvolvedor mobile sênior: R$ 7.490,75
Grande empresa
  • Técnico desenvolvedor mobile júnior: R$ 5.545,09
  • Técnico desenvolvedor mobile pleno: R$ 5.691,06
  • Técnico desenvolvedor mobile sênior: R$ 7.442,33
Média salarial por estado

Por conta do custo de vida de cada região do país, o salário médio também muda para o profissional desenvolvedor conforme o local em que atua. Confira algumas das principais cidades do país:

  • São Paulo: R$4.875,53
  • Rio Grande do Sul: R$3.670,45
  • Santa Catarina: R$3.642,03
  • Paraná: R$3.451,80
  • Minas Gerais: R$3.294,56
  • Rio de Janeiro: R$4.342,11
  • Distrito Federal: R$4.802,76
  • Ceará: R$2.959,25
  • Pernambuco: R$3.851,15
  • Goiás: R$2.847,58
  • Espírito Santo: R$2.944,34
  • Bahia: R$2.689,75
  • Amazonas: R$3.886,21

Técnico de meio ambiente

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

O profissional técnico em meio ambiente pode atuar em indústrias, empresas do setor privado ou público e instituto de pesquisa. Além disso, caso se forme no ensino superior, também pode assumir cargos nas áreas de tecnologia em engenharia ambiental, biologia e meio ambiente.

Quanto ganha

Média salarial por nível profissional

Se você está pensando qual melhor curso técnico quanto à remuneração, o ramo do meio ambiente deve ser considerado. Confira a média salarial conforme o nível do profissional:

  • Técnico em meio ambiente – nível I: R$2.746,79
  • Técnico em meio ambiente – nível II: R$3.390,26
  • Técnico em meio ambiente – nível III: R$4.265,09
Média salarial por porte de empresa

Outro fator que interfere na remuneração, como já sabemos, é o porte da empresa em que o técnico vai atuar. Em relação ao setor do meio ambiente, temos as seguintes médias salariais:

Microempresa
  • Técnico em meio ambiente – nível I: R$ 2.493,68
  • Técnico em meio ambiente – nível II: R$ 2.745,87
  • Técnico em meio ambiente – nível III: R$ 3.172,97
Pequena empresa
  • Técnico em meio ambiente – nível I: R$ 2.619,05
  • Técnico em meio ambiente – nível II: R$ 3.389,61
  • Técnico em meio ambiente – nível III: R$ 4.055,05
Média empresa
  • Técnico em meio ambiente – nível I: R$ 2.886,18
  • Técnico em meio ambiente – nível II: R$ 3.431,56
  • Técnico em meio ambiente – nível III: R$ 4.213,09
Grande empresa
  • Técnico em meio ambiente – nível I: R$ 2.995,81
  • Técnico em meio ambiente – nível II: R$ 3.687,35
  • Técnico em meio ambiente – nível III: R$ 4.697,53
Média salarial por estado

Confira a média salarial de um técnico em meio ambiente conforme o local em que ele atua. Listamos algumas das principais cidades do país:

  • São Paulo: R$ 3.354,24
  • Belo Horizonte: R$ 2.671,87
  • Rio de Janeiro: R$ 3.020,80
  • Curitiba: R$ 2.583,85
  • Macaé, RJ: R$ 3.242,63
  • Salvador: R$ 2.324,61
  • Goiânia: R$ 2.394,62
  • Serra, ES: R$ 2.434,47
  • Fortaleza: R$ 2.126,35
  • Nova Lima, MG: R$ 3.008,96
  • Manaus: R$ 2.708,01
  • São Luís, MA: R$ 2.381,80
  • Recife: R$ 2.126,58

Técnico de biotecnologia

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

Com um mercado de trabalho bastante amplo pela frente, o profissional formado em técnico de biotecnologia pode atuar tanto no campo – em atividades do setor agrícola e pecuário – como em indústrias – se setor de alimentos ou cosméticos. Além disso, pode trabalhar em instituições ou órgãos públicos que lidam com proteção do meio ambiente, como fiscal.

Quanto ganha

Média salarial por nível profissional

Conforme o conhecimento desse técnico, também há variação na média salarial. Veja quanto ganha um técnico em biotecnologia de cada nível:

  • Técnico em biotecnologia júnior: R$3.267,03
  • Técnico em biotecnologia pleno: R$3.149,03
  • Técnico em biotecnologia sênior: R$6.090,94
Média salarial por porte de empresa

Além do nível profissional, o porte da empresa em que o profissional atua também vai interferir na média salarial. Confira:

Microempresa
  • Técnico em biotecnologia júnior: R$027,06
  • Técnico em biotecnologia pleno: R$353,18
  • Técnico em biotecnologia sênior: R$614,92
Pequena empresa
  • Técnico em biotecnologia júnior: R$770,75
  • Técnico em biotecnologia pleno: R$186,16
  • Técnico em biotecnologia sênior: R$540,56
Média empresa
  • Técnico em biotecnologia júnior: R$387,00
  • Técnico em biotecnologia pleno: R$662,98
  • Técnico em biotecnologia sênior: R$342,39
Grande empresa
  • Técnico em biotecnologia júnior: R$819,80
  • Técnico em biotecnologia pleno: R$964,26
  • Técnico em biotecnologia sênior: R$420,85
Média salarial por estado

Conforme a região em que atua, a média salarial do técnico de biotecnologia também varia. Listamos as principais cidades:

  • São Paulo: R$607,50
  • Rio de Janeiro: R$085,56
  • Embu, SP: R$407,00
  • Conchal, SP: R$595,86
  • Barueri, SP: R$644,33
  • Itapira, SP: R$471,75
  • Goiânia: R$965,00

Técnico de eletroeletrônica

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

O técnico em eletrônica tem grandes possibilidades no mercado, podendo atuar em indústrias, empresas de automação, de software, de equipamentos eletrônicos etc.

Quanto ganha

Média salarial por nível profissional

Para saber a média salarial desse profissional, é importante ver o nível que ele apresenta de conhecimento. Confira abaixo:

  • Técnico eletrônico – nível I:R$ 1.923,19
  • Técnico eletrônico – nível II: R$ 2.614,41
  • Técnico eletrônico – nível III: R$ 3.590,45
Média salarial por porte de empresa

Como já sabemos, o porte da empresa em que o técnico eletrônico atua também influencia na média salarial desse profissional. Olha só:

Microempresa
  • Técnico eletrônico – nível I: R$ 1.669,38
  • Técnico eletrônico – nível II: R$ 2.061,91
  • Técnico eletrônico – nível III: R$ 2.551,79
Pequena empresa
  • Técnico eletrônico – nível I: R$ 1.921,17
  • Técnico eletrônico – nível II: R$ 2.537,01
  • Técnico eletrônico – nível III: R$ 3.452,55
Média empresa
  • Técnico eletrônico – nível I: R$ 2.372,71
  • Técnico eletrônico – nível II: R$ 2.966,38
  • Técnico eletrônico – nível III: R$ 4.668,55
Grande empresa
  • Técnico eletrônico – nível I: R$ 2.424,63
  • Técnico eletrônico – nível II: R$ 4.167,08
  • Técnico eletrônico – nível III: R$ 4.925,81
Média salarial por estado

Conforme a região em que trabalha, a média salarial do profissional técnico de eletrônica também muda. Confira as principais cidades e a remuneração referente:

  • São Paulo: R$ 2.279,83
  • Minas Gerais: R$ 1.778,69
  • Rio de Janeiro: R$ 2.012,64
  • Santa Catarina: R$ 1.803,73
  • Paraná: R$ 1.950,48
  • Rio Grande do Sul: R$ 2.003,42
  • Distrito Federal: R$ 1.462,84
  • Bahia: R$ 1.838,47
  • Mato Grosso: R$ 1.467,00
  • Amazonas: R$ 2.316,88
  • Ceará: R$ 1.478,85
  • Espírito Santo: R$ 2.102,53

Técnico de mecatrônica

Sobre o curso

Possibilidades de atuação

Caso você esteja se perguntando “entre os cursos técnicos, quais são aqueles que permitem trabalhar com robótica?” O de mecatrônica é um deles. O mercado de trabalho do profissional de mecatrônica é bastante amplo, podendo atuar com robótica, em laboratórios de controle de qualidade, em montadoras de automóveis, em indústrias farmacêuticas, de bens de consumo ou de alimentos, além de empresas de petroquímicas ou de mineração.

Quanto ganha

Média salarial por nível profissional

O salário médio do técnico mecatrônico varia conforme o seu nível profissional. Listamos abaixo a remuneração de cada um deles:

  • Técnico em mecatrônica – nível I: R$ 2.826,82
  • Técnico em mecatrônica – nível II: R$ 2.433,35
  • Técnico em mecatrônica – nível III: R$ 6.213,11
Média salarial por porte de empresa

Assim como todas as profissões, o porte da empresa também influencia na média salarial desse profissional. Veja a seguir:

Microempresa
  • Técnico em mecatrônica – nível I: R$ 2.488,92
  • Técnico em mecatrônica – nível II: R$ 2.616,43
  • Técnico em mecatrônica – nível III: R$ 3.890,04
Pequena empresa
  • Técnico em mecatrônica – nível I: R$ 3.031,23
  • Técnico em mecatrônica – nível II: R$ 3.186,52
  • Técnico em mecatrônica – nível III: R$ 7.460,62
Média empresa
  • Técnico em mecatrônica – nível I: R$ 3.581,25
  • Técnico em mecatrônica – nível II: R$ 3.764,72
  • Técnico em mecatrônica – nível III: R$ 6.396,02
Grande empresa
  • Técnico em mecatrônica – nível I: R$ 2.974,50
  • Técnico em mecatrônica – nível II: R$ 3.126,88
  • Técnico em mecatrônica – nível III: acima de R$6.000,00
Média salarial por estado

Não diferente das demais profissionais, dependendo de onde você atua, a média salarial também varia conforme o custo de vida. Confira a seguir a relação entre algumas cidades e a remuneração do técnico em mecatrônica:

  • São Paulo: R$ 3.095,39
  • Santa Catarina: R$ 3.212,62
  • Rio de Janeiro: R$ 4.964,48
  • Paraná: R$ 2.476,35
  • Rio Grande do Sul: R$ 3.963,48
  • Minas Gerais: R$ 5.345,69
  • Rio Grande do Norte: R$ 3.686,67

Eixos tecnológicos dos cursos técnicos

O Ministério da Educação (MEC) possui os cursos técnicos disponibilizados por todas as instituições de ensino do país regulamentados no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (CNCT), dividindo-os em 13 eixos tecnológicos:

Eixos Tecnologicos De Cursos Tecnicos

Como escolher o curso técnico adequado?

Optar por um curso técnico é a melhor escolha para quem deseja ingressar de imediato no mercado de trabalho ou mesmo quer mudar de ramo. Isso porque o ensino técnico foca na prática e prepara os estudantes para cargos que dependem bastante de um perfil executor. Como vimos, existe vários tipos de curso técnico e você pode escolher cursá-lo junto com o ensino médio ou não.

Porém, as perguntas que vêm à mente de muitos alunos são: como escolher o melhor curso técnico? Qual o curso técnico que paga melhor? Qual é a lista de cursos técnicos que estão em alta no mercado? Pensando nisso, listamos algumas boas maneiras de você fazer a escolha certa. Confira as nossas dicas abaixo:

Fatores objetivos

Uma das melhores maneiras de começar a sua busca pelo curso técnico ideal é focar na empregabilidade. Hoje, é importante escolher um curso pela menor taxa de desemprego, assim como pela média salarial e pela oportunidade de seguir carreira na faculdade, cursando o ensino superior.

Fatores sociais

O que essa profissão significa para você? O que ela traz de benefícios para a sociedade? Essas perguntas são importantes de serem pensadas na hora de optar por um curso técnico, já que se manter motivado e sentir que faz a diferença na vida das pessoas são fatores imprescindíveis para um profissional.

Fatores pessoais

Avalie os seus hobbies, interesses e motivações. Do que você gosta? No que você tem interesse? Apesar de nem sempre escolhermos uma profissão com base nos gostos pessoais, eles devem sim serem colocados na balança ao fazer uma escolha. O bom aqui é que o curso técnico permite que você conheça uma área de atuação em pouco tempo, podendo optar por seguir ou não tal carreira em uma universidade.

Onde fazer um curso técnico?

Para te guiar ainda mais na escolha pelo curso técnico mais adequado ao seu perfil, listamos algumas instituições de ensino que são autorizadas pelo Ministério da Educação (MEC) a disponibilizarem essa modalidade de ensino. Nossa lista conta tanto com escolas públicas como privadas. Fique de olho!

Principais escolas técnicas gratuitas

Caso queira entrar para um curso técnico, mas esteja sem grana para investir no momento, é importante ressaltar que há inúmeras instituições de ensino públicas que possibilitam esse tipo de formação. Todas são reconhecidas pelo governo e com a qualidade bastante alta.

Escolas do Sistema S

As escolas do Sistema S fazem parte do conjunto de empresas que prestam serviço a favor da sociedade, possuindo raízes e características em comum, além de serem iniciadas com a letra S. Listamos abaixo as escolas que fazem parte desse sistema:

SENAI – Serviço Nacional da Indústria

O SENAI é um dos cinco maiores polos de educação profissional do mundo, sendo o maior da América Latina, voltado para a indústria. Vale a pena conferir!

Acesse o site

SENAC – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial

O SENAC é a principal instituição de educação profissional voltado para o comércio em todo o país, possuindo cursos gratuitos tanto na modalidade presencial como a distância. Conheça os cursos SENAC EAD!

Acesse o site

SENAT – Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte

O SENAT é um conjunto de instituições que valorizam os transportadores autônomos e os trabalhadores do setor de transporte, disponibilizando diversos cursos, presencial ou a distância, para a capacitação dos profissionais.

Acesse o site

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

O IFSP é amplamente reconhecido pela excelência no ensino público gratuito em todo o estado de São Paulo. Além de cursos presenciais, o instituto oferece curso técnico em administração e informática na modalidade EAD, contando também com a forção de professores a distância.

Acesse o site

Escolas Técnicas Estaduais (ETECS)

As ETECS são instituições de ensino médio, técnico e técnico integrado ao médio, que pertencem ao Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza.

Acesse o site

Colégio Termomecânica (TM)

Com mais de 1.700 vagas, o Colégio Termomecânica possui cursos regulares da educação básica, contendo, além das disciplinas obrigatórias da grade curricular, matérias diversificadas e extracurriculares. O ensino é reconhecido por ser gratuito e de alta qualidade.

Acesse o site

Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo (LAO – SP)

O LAO-SP é uma instituição de ensino voltada para a educação profissional do ramo de produção industrial e cultural.

Acesse o site

Colégio Técnico Industrial – UNESP de Bauru

É uma escola pública de ensino técnico na cidade de Bauru, interior de São Paulo, mantida pela Universidade Estadual Paulista Júlia de Mesquita Filho – UNESP, fazendo parte do campus de engenharia.

Acesse o site

Colégio Técnico de Limeira – UNICAMP

Conhecido como COTIL, o colégio conta com duas instituições de ensino técnicas e de ensino médio, que fazem parte da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, localizada em Limeira, SP.

Acesse o site

Colégio Técnico de Campinas – COTUCA

O COTUCA é um colégio técnico também mantido pela UNICAMP, localizado em Campinas, que oferece diversos cursos técnicos gratuitos aos estudantes da região.

Acesse o site

Principais escolas técnicas privadas

Existem instituições de ensino particulares que também valem ser mencionadas na lista de melhores locais para fazer um curso técnico. Confira algumas:

  • Colégio Visconde Porto Seguro Unidade II (Valinhos, SP)
  • Instituto de Tecnologia ORT (Rio de Janeiro, RJ)
  • Colégio Visconde Porto Seguro Unidade III (São Paulo, SP)
  • Colégio Singular (Santo André, SP)
Categoria: PrasaberTécnico

Quero receber notícias do Pravaler

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e fique sabendo tudo sobre o Pravaler em primeira mão.